São Raimundo surpreende e se classifica marcando 3 a 0 sobre a Tuna no Souza

Tuna Luso e São Raimundo-AM se enfrentaram na tarde deste dia de Finados, 2, no Souza, em Belém. A partida valeu pelas quartas de final da Copa Verde 2022. De forma até surpreendente, o time amazonense foi superior durante toda a partida, não permitindo à Lusa se impor em nenhum momento. No último lance do 1º tempo, Spice abriu o placar em cobrança de pênalti. Os outros dois gols do Tufão aconteceram na etapa final da partida, através de Negueba e Phillipe, garantido a classificação dos amazonenses.

Com a classificação em Belém, o São Raimundo agora vai encarar o PSC na semifinal da Copa Verde. O Papão tem dois títulos da competição, o Tufão nunca chegou às finais. Nesta edição, a equipe bicolor eliminou o Humaitá-AC e o Tocantinópolis. As partidas estão marcadas para os dias 5 e 8 de novembro, ainda sem horários e mandos definidos.

O São Raimundo que teve superioridade na primeira etapa. Logo aos 2 minutos, Quadrado finalizou e Agenor se desdobrou para defender. Aos 12′, Jefferson bateu com perigo. A Águia Guerreira só respondeu aos 14′. Fabinho disparou de longe. No lance seguinte, Panda acertou um chute na trave de Agenor. Quando o primeiro tempo chegava ao fim, Quadrado foi derrubado dentro da área e Spice converteu o pênalti. Tufão 1 a 0.

Veio o segundo tempo e o jogo custou a engrenar. Só aos 10 minutos surgiu o primeiro lance mais agudo. Luciano Marba chutou e desperdiçou chance para a Tuna. Seis minutos depois, Jayme acertou um cabeceio, mas a bola foi nas mãos de Jonathan. Aos 27′, Negueba recebeu bom passe e jogou para fora uma grande chance para o São Raimundo. Aos 42′, o mesmo Negueba invadiu a área, driblou um zagueiro e o goleiro Agenor para marcar o segundo gol dos visitantes.

O placar foi finalizado aos 45′, com Phillipe aproveitando boa assistência para estufar as redes cruzmaltinas, com a ajuda do goleiro Agenor, fazendo 3 a 0 para o São Raimundo.

Muitas feridas históricas foram fechadas sem limpar e agora inflamaram

“Eu acho tudo isso que está acontecendo positivo no macro, embora esteja sendo dificílimo no micro. Explico: todo esse ódio, toda essa ignorância, essa violência, isso tudo já existia ao nosso redor. Agora é como se tivessem tirado da gente a possibilidade de fingir que não viu. Caíram as máscaras. O Brasil é um país construído em bases violentas, mas que acreditou no mito do ‘brasileiro cordial’. Um país que deu anistia a torturadores e fingiu que a ditadura nunca aconteceu. Que não fez reparação pela escravidão e fala que é miscigenado e não é racista. Nós fechamos muitas feridas históricas sem limpar e agora elas inflamaram. Estamos sendo obrigados a ver que o Brasil é violento, racista, machista e homofóbico. Somos obrigados a falar sobre a ditadura ou talvez passar por ela de novo. Estamos olhando para as bases em que foram construídas nossas famílias e dizendo ‘Essa violência acaba em mim. Eu não vou passar isso adiante’. Como todo processo de cura emocional, esse também envolve olhar pras nossas sombras e é doloroso, sim, mas é o trabalho que calhou à nossa geração.
O lado positivo é que, agora que estamos todos fora dos armários, a gente acaba descobrindo alguns aliados inesperados. Percebemos que se há muito ódio, há ainda mais amor. Saber que não estamos sós e que somos muitos, nos deixa mais fortes. Precisamos nos fortalecer, amores. Essa luta não é dos próximos 15 dias, é dos próximos 15 anos. Mais: é a luta das nossas vidas. Não cedam ao desespero. Não entrem na vibe da raiva. Não vai ser com raiva que vamos vencer a violência. E se preparem, tem muito chão pela frente”.

(Autor desconhecido)

Torcidas organizadas do Galo e do Timão rompem os bloqueios bolsonaristas

Não será por uma rodovia fechada por bolsonaristas inconformados com o resultado da eleição presidencial que alguma torcida organizada vai ficar fora das partidas válidas pela 35ª rodada do Campeonato Brasileiro. A orientação para os torcedores que estão em viagem ou vão pegar estrada nas próximas horas é de furar todos os bloqueios, como apurou o UOL Esporte.

Como já foi feito pela Galoucura, principal organizada do Atlético-MG. Nesta terça-feira o Galo enfrenta o São Paulo, às 21h30, no Morumbi, e os torcedores que seguiam para a capital paulista furaram um bloqueio na rodovia Fernão Dias. Vídeos da ação dos atleticanos liberando um trecho da estrada na altura de Três Corações, no Sul de Minas, foram divulgados nas redes sociais.

A orientação para furar os bloqueios foi passada a um grupo que contém organizadas dos mais diversos clubes. Se tiver alguma barricada no caminho, a determinação é para avançar. Além da torcida do Atlético-MG, que já postou vídeos furando um bloqueio, a Império Alviverde, do Coritiba, é outra que já adiantou que não vai haver obstáculo no caminho para Caxias do Sul.

O Coxa enfrenta o Juventude, nesta quarta-feira, no estádio Alfredo Jaconi, às 19h, em jogo decisivo para equipe paranaense na luta contra o rebaixamento. Através das redes sociais, a organizada do do clube paranaense garantiu que bloqueios na estrada “não serão problema” na viagem.

Integrantes da torcida Gaviões da Fiel, do Corinthians, desmontaram bloqueios bolsonaristas na Via Dutra, a caminho do Rio de Janeiro.

Procuradora do MPPA posta mensagem conclamando bolsonaristas a descumprirem decisões do STF

Postagens (reproduzidas acima e abaixo) da procuradora de justiça do Ministério Público do Estado do Pará (MPPA), Ana Teresa Abucater, viralizaram na manhã desta quarta-feira (2) na internet. Ela defende abertamente as ações golpistas de manifestantes bolsonaristas que estão bloqueando estradas no Brasil, inconformados com a vitória de Luiz Inácio Lula da Silva na eleição de domingo (30).

Ela incita em defesa de um golpe de Estado e concluma seus seus seguidores a não respeitarem as decisões do Supremo Tribunal Federal (STF). Surpreende o fato de que o Ministério Público, órgão que deve zelar pelo respeito à Constituição, tenha em suas fileiras membros que defendem abertamente a agenda golpista da extrema-direita brasileira.

Não foi a primeira postagem polêmica de Abucater. Durante o primeiro turno das eleições, ela propagou através de seu perfil no Instagram a fake news de que o PT estaria destruindo igrejas e postou até uma foto falsa, de data antiga.

SOBRE O PAPEL DO MINISTÉRIO PÚBLICO

Art. 1º – O Ministério Público, instituição permanente e essencial à função jurisdicional do Estado, é responsável, perante o Judiciário, pela defesa da ordem jurídica e dos interesses indisponíveis da sociedade, pela fiel observância da Constituição e das leis, e será organizado, nos Estados, de acordo com as normas gerais desta Lei Complementar.

Art. 2º – São princípios institucionais do Ministério Público a unidade, a indivisibilidade e a autonomia funcional.

Art. 3º – São funções institucionais do Ministério Público:

I – velar pela observância da Constituição e das leis, e promover-lhes a execução;

II – promover a ação penal pública;

III – promover a ação civil pública, nos termos da lei.

Papão confirma vaga na semifinal

POR GERSON NOGUEIRA

Não houve necessidade de um jogo mais consistente do PSC para passar pelo Tocantinópolis, ontem à noite, na Curuzu. O placar de 2 a 0 retratou a melhor atuação dos bicolores, embora no primeiro tempo o visitante tenha criado algumas situações de perigo, mas sem objetividade nas finalizações, justamente o que sobrou no lado paraense no gol inicial de João Vieira e no segundo, em flagrante impedimento, feito por Genilson.

Na primeira etapa, apesar de nenhum brilhantismo, os bicolores foram melhores. Começaram no ataque insuflados pelo entusiasmo da torcida e, logo aos 10 minutos, o volante João Vieira teve boa oportunidade, mas chutou longe. O Tocantinópolis respondeu levando perigo em cruzamento de Bilal, mas William e Hiltinho não conseguiram concluir em duas tentativas.

Aos 19’, o lateral Thiago Ennes cruzou e Danrlei chegou cabeceando e quase acertando o gol. Dois minutos depois, 1 a 0 Papão: José Aldo tabelou rápido com Marlon dentro da área, confundindo a marcação e tocou para João Vieira, que finalizou no canto direito de Jean Silva.

O Tocantinópolis tentou aos 29’, com Otávio batendo de longe e Thiago Coelho fez a defesa sem sustos. O jogo seguiu mais ou menos equilibrado, mas o PSC era dominante na retenção da posse de bola, com a utilização constante de José Aldo e Vieira em ações rumo à área do Tocantinópolis.

No segundo tempo, o panorama não mudou muito. O Tocantinópolis inicialmente deixou de buscar o ataque e os ataques com cruzamentos. O PSC manteve José Aldo adiantado principalmente pelo lado esquerdo do ataque, com Marlon fechando mais pelo meio.

O Papão teve a oportunidade de ampliar logo aos 4 minutos, quando o zagueiro Naylhor finalizou com perigo. Aos 8’, José Aldo arriscou e Jean Silva defendeu. Cruzamento de Ennes quase enganou o goleiro do Tocantinópolis. Instantes depois, foi a vez de Dioguinho testar Jean Silva.

O visitante parecia cansado e não levava mais nenhum perigo. Aos 41’, após cobrança de falta executada por Gabriel Davis, a bola foi lançada na área e encontrou Genilson em completo impedimento. O cabeceio certeiro decretou o placar final de 2 a 0.

O resultado foi importante para o plano bicolor de chegar ao objetivo do terceiro título da Copa Verde, meta prioritária neste final de temporada, após fracassos no Campeonato Paraense e na Série C.

Classificado em águas tranquilas sobre Humaitá e Tocantinópolis, o PSC fica na confortável situação de aguardar seu adversário nas semifinais, que vai sair da partida entre Tuna e S. Raimundo/AM, amanhã à tarde, no Souza. As datas previstas para os confrontos são 5 e 8 de novembro.

No dia de Finados, Lusa tem decisão com o S. Raimundo

Depois de passar pelo Rio Branco (AC) na cobrança de penalidades, a Tuna recebe o S. Raimundo (AM), às 15h de hoje, no estádio do Souza. A data de tributo aos mortos pode marcar um sinal de vida para os cruzmaltinos na competição inter-regional.

O São Raimundo é um adversário considerado mais difícil que o Rio Branco, mas jogando em seus domínios e contando com o apoio da torcida a Águia Guerreira tem boas possibilidades de avançar às semifinais.

O time de Josué Teixeira é mesclado, com muitos jovens oriundos da tradicional base cruzmaltina – como o elogiado MM – atuando ao lado de jogadores mais rodados, como Charles, Dedé, Jayme e Alisson. Há um sentimento de otimismo no grupo para a obtenção da vaga para enfrentar o PSC na próxima fase.

Fogão consegue perder para o rebaixado Dourado

O Botafogo segue em marcha batida para frustrar sempre seu torcedor a cada novo jogo em casa. Logrou ontem uma façanha sem precedentes. Perdeu para o rebaixado Cuiabá por 2 a 0, levando um nó tático dentro do estádio Nilton Santos, perante mais de 20 mil torcedores. Gols bobos, desatenção da zaga e desproteção dos volantes.

Com isso, a chance de continuar na briga por uma vaga na Libertadores foi completamente pelo ralo. Existem possibilidades matemáticas para isso, mas a vocação de anfitrião relaxado não permite esperanças maiores.

O querido amigo Edgar Augusto, interlocutor para assuntos botafoguenses e musicais, tem plena razão quando diz que o time é ruim, o elenco fraco e Tiquinho Soares é uma andorinha solitária no ataque alvinegro. Eu ainda vejo qualidades em Marçal, Jefinho e Eduardo, mas este se lesionou no jogo passado, e não joga mais nesta Série A.

No fim das contas, o único consolo é a permanência na Primeira Divisão e a perspectiva de evolução em 2023 talvez até com presença na Sul-Americana. Luís Castro tem boas ideias, mas parece um técnico inadequado para o Botafogo – e para o futebol brasileiro. Só acho.

Racismo e violência no futebol em pauta na CBF

A CBF realizou ontem a primeira reunião do grupo de trabalho criado para combater os crimes de racismo e violência no futebol. O GT tem o objetivo de discutir os aspectos legais e operacionais para aprimorar o marco regulatório das políticas públicas e dos procedimentos desportivos. Vai atuar também na coordenação das ações pelos diferentes agentes envolvidos no enfrentamento do racismo e da violência no futebol.

Participaram da reunião, dentre outros, Maurício Neves Fonseca, vice-presidente do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD); Arlete Mesquita, vice-presidente da Comissão de Direito Desportivo da OAB; e o ex-goleiro Aranha.

(Coluna publicada na edição do Bola desta quarta-feira, 02)

Rock na madrugada – Audioslave, “I Am the Highway”

“Eu não sou sua roda, eu sou a rodovia/eu não sou seu tapete voador, eu sou o céu/não sou o vento soprando, eu sou o relâmpago/ não sou a sua lua do outono, eu sou a noite”. Com estes versos matadores, I Am the Highway catapultou o primeiro disco da superbanda Audioslave em direção às primeiras posições das paradas no mundo todo e diretamente ao coração de milhares de fãs.

O grupo surgiu em 2001, em Los Angeles, na California, juntado Chris Cornell (do Soundgarden, importante banda do grunge de Seattle) e remanescentes do Rage Against the Machine – o virtuose da guitarra Tom Morello e seus companheiros Brad Wilk e Tim Commerford. Cornell de vez em quando se reapresentava com o Soundgarden.

A cozinha fenomenal do Rage se integrou magistralmente à voz rascante e sofrida de Cornell, também um excelente compositor. I Am the Highway trata de depressão, desesperança e redenção. A banda se desfez com a morte de Cornell, vítima de uma dosagem errada de antidepressivos, segundo a família, que jamais confirmou a versão de suicídio.