Torneio de oportunidades

POR GERSON NOGUEIRA

A Copa Verde, que começa na próxima semana para Tuna e PSC, apesar da ausência de glamour, pode oferecer uma grande oportunidade para alguns jogadores que ainda estão em busca de afirmação. Atacantes devem ser os mais beneficiados, afinal um bom desempenho na artilharia traz valorização profissional e representa afirmação junto à torcida.

O centroavante Danrlei, pelo que não conseguiu produzir ao longo da temporada, talvez seja o mais interessado em aproveitar a competição para dizer finalmente a que veio. No Campeonato Paraense, teve boa participação, mas faltou deslanchar. Na Série C, o lado físico pesou e ele não conseguiu ser o jogador de ataque que o PSC precisava.

Recuperado, a partir de uma evolução que permitiu atuar duas partidas inteiras no quadrangular da Série C, Danrlei tem boas possibilidades de comandar a artilharia da Copa Verde, na condição privilegiada de principal atacante de um dos times favoritos ao título do torneio.

Com um meio-campo entrosado – José Aldo, João Vieira e Mikael – e atacantes que atuam bem pelos lados – Marlon e Robinho –, Danrlei será muito acionado e vai encontrar defesas de nível técnico inferior, o que favorece ainda mais as coisas para um jogador de suas características, voluntarioso e bom no jogo aéreo.

No próprio PSC, além de Danrlei, Marlon e Ricardinho são atletas que devem usufruir da Copa Verde com objetivos diferentes. Marlon, artilheiro da equipe na Série C, travou no quadrangular e acabou questionado pela torcida. Tem amplas condições de se redimir no torneio.

Ricardinho (foto), que ficou inativo por sete meses, desde a participação no Campeonato Paraense, vai tentar dar a volta por cima, caso seja confirmado o seu aproveitamento na competição. Sob desconfiança generalizada quanto à capacidade de voltar a jogar plenamente, ele voltou a treinar. Restam dúvidas sobre sua participação nos primeiros jogos.  

Na Tuna, de Josué Teixeira, dois jogadores têm na Copa Verde o palco ideal para mostrar qualidade. Dedé, zagueiro que apareceu no Independente e passou pela Tuna em 2021, está de volta à equipe. Explora o jogo aéreo, tanto defensivo quanto ofensivo. O volante Alisson, que fez boa figura no Parazão, é outro que a CV pode destacar.

Bola na Torre

Guilherme Guerreiro comanda o programa a partir das 21h30, na RBATV, com participação de Giuseppe Tommaso e deste escriba de Baião. Em debate, os preparativos para a Copa Verde, o Re-Pa no futebol feminino e a participação do Remo na Copa do Brasil Sub-20. A edição é de Lourdes Cezar.

Promessa de craque nem sempre é aposta certeira

O Palmeiras vive um clima de expectativa nervosa nesta reta final do Campeonato Brasileiro. Não mais pelo título, que é líquido e certo, mas pelo desabrochar de um craque: o garoto Endrick, de 16 anos, que surgiu na Copa São Paulo de juniores e se tornou instantaneamente um xodó da torcida e objeto do culto da mídia esportiva paulistana.

É preciso, porém, ir mais devagar com o andor. Exemplos recentes desaconselham entusiasmo excessivo em relação a jovens futebolistas no Brasil. Para cada Neymar ou Vinícius Jr. existe uma legião de jogadores que brilharam na base e fracassaram nos times de cima.

Keirrison, revelado no Coritiba, talvez seja o mais notório exemplo de frustração. Depois de celebrado em prosa e verso, tornou-se um fiasco defendendo o próprio Palmeiras.

Endrick tem exibido qualidades técnicas indiscutíveis, o que dá mais respaldo e segurança aos que projetam um futuro auspicioso para ele. O certo é que, a exemplo do que ocorreu com Vinícius Jr., grandes clubes europeus já se movimentam para contratá-lo. Real Madrid, Barcelona e Arsenal são os mais interessados.

Tite embrulha em mistério a lista dos 55 nomes

Naquelas atitudes típicas do futebol brasileiro, com mais segredos que verdades, o técnico Tite encaminhou à Fifa na sexta-feira a lista obrigatória de 55 jogadores pré-selecionados para a Copa do Mundo. Não custava nada revelar os nomes dos atletas, mas a CBF cultua esse ar de mistério que nada acrescenta ou constrói.

O certo é que, da pré-lista de 55 nomes, sairá a relação final de 26 nomes para o embarque rumo ao Catar. Os selecionados só serão anunciados no dia 7 de novembro, mas é quase certo que a relação dos outros 29 pré-convocados não será divulgada ao público.

Não será a primeira vez. Em 2010, Dunga também não divulgou a lista completa, deixando escapar depois que estavam entre os pré-convocados o atacante Neymar e o meia Paulo Henrique Ganso, grandes revelações daquele ano e que a torcida tanto pedia na Seleção.

Curiosamente, outras seleções decidiram abrir a lista de 55 nomes, sem nenhum tipo de embargo. É o caso do Uruguai e da Holanda.

Para ter total segurança nas escolhas, Tite vai aguardar a avaliação que o médico da Seleção, Rodrigo Lasmar, vai fazer sobre o atacante Richarlison e o meia Lucas Paquetá, que se lesionaram em jogos da Premier League.

De concreto até agora só há a escolha dos três goleiros – Alisson (Liverpool), Ederson (Manchester City) e Weverton (Palmeiras). Não há mais dúvida quanto à presença do ex-arqueiro azulino entre os 26 selecionados para o Mundial. 

(Coluna publicada na edição do Bola deste domingo, 23)

Em nota, Federação dos Policiais Federais repudia atentado praticado por Roberto Jefferson

O atentado contra a vida de dois policiais federais praticado pelo ex-deputado Roberto Jefferson, um dos coordenadores da campanha de Jair Bolsonaro no 2º turno das eleições, foi duramente repudiado pela Feeração Nacional dos Policiais Federais (Fenapef) em nota oficial. Abaixo, o texto na íntegra:

A Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), entidade de âmbito nacional que congrega 27 sindicatos estaduais e representa mais de 14.000 policiais federais brasileiros, vem a público manifestar o seu mais veemente repúdio ao ato de violência praticado pelo ex-deputado e ex-presidente nacional do PTB Roberto Jefferson, o qual recebeu (segundo vídeo de sua autoria postado nas redes sociais), a tiros e granada, uma equipe de quatro policiais do Setor de Inteligência Policial da Superintendência Regional da PF do Rio de Janeiro (SIP/SR/PF/RJ), durante o cumprimento de mandado de prisão expedido pelo Supremo Tribunal Federal, vindo a ferir dois policiais federais, sendo uma Agente e um Delegado.
A reação violenta contra policiais é um atentado contra o próprio Estado e uma ofensa incomensurável à ordem jurídica. A inconformidade em face de decisões judiciais deve ser demonstrada no terreno adequado, que são os próprios autos, nos termos da Constituição Federal de 1988, e nunca, através do exercício arbitrário.
A Fenapef acompanha o caso de perto e prestará todo apoio, por intermédio do Sindicato dos Policiais Federais do Rio de Janeiro (SSDPFRJ), aos colegas policiais federais feridos durante o cumprimento da missão.
Outrossim, a Federação Nacional dos Policiais Federais cobrará das autoridades competentes a rigorosa apuração dos fatos até a efetiva responsabilização criminal do autor pelas múltiplas tentativas de homicídio praticadas contra os integrantes da equipe no exercício da função policial.
Brasília, 23 de outubro de 2022.
  
Marcus Firme dos Reis
Presidente da Fenapef

Roberto Jefferson ataca policiais federais e atinge em cheio o aliado Bolsonaro

O ex-deputado Roberto Jefferson atirou em policiais federais que foram cumprir o mandado de prisão determinado pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), no começo da tarde deste domingo (23), na cidade de Comendador Levy Gasparian, no interior do Estado do Rio de Janeiro. A informação foi confirmada pela PF e pelo advogado de Jefferson, Luiz Gustavo Cunha. Jefferson é aliado do presidente da República e candidato à reeleição Jair Bolsonaro (PL).

Roberto Jefferson resistiu à prisão e disparou de sua casa — teriam sido arremessadas 3 granadas e dados 2 tiros de fuzil. Dois policiais foram feridos por estilhaços, sem gravidade. Os feridos são o delegado Marcelo Vilella, que teria sido atingido na cabeça e na perna, e a policial Karina Lino Miranda de Oliveira, de 31 anos. Ela foi ferida na cabeça. Os dois foram atendidos em um hospital da região e já tiveram alta.

Jefferson confirmou os disparos, mas diz que não foram direcionados aos agentes. “Não atirei em ninguém para pegar. Atirei no carro e perto deles.” As balas atingiram os agentes e o veículo da Polícia Federal. Agentes do Batalhão de Operações Especiais (Bope) da Polícia Militar foram ao local para negociar uma rendição. Até a última atualização desta reportagem, a informação era que Jefferson não havia se entregado.

Bolsonaro disse que determinou a ida do ministro da Justiça, Anderson Torres, ao local. “Determinei a ida do Ministro da Justiça ao Rio de Janeiro para acompanhar o andamento deste lamentável episódio”. Também estaria seguindo para Levy Gasparian o diretor-geral da PF, Márcio Nunes de Oliveira.

Roberto Jefferson sempre foi um aliado ferrenho de Bolsonaro e já se manifestou inúmeras vezes em favor do presidente.

O presidente e candidato à reeleição Jair Bolsonaro (PL) tentou desvincular sua imagem da do ex-deputado federal Roberto Jefferson (PTB), que atirou contra dois agentes da Polícia Federal, mas fotos compartilhadas nas redes sociais pelo próprio Jefferson desmentem a versão dele. Durante live promovida no YouTube ao lado do candidato ao governo de São Paulo Tarcísio de Freitas (Republicanos), Bolsonaro falou sobre Jefferson e declarou: “Não tem uma foto dele comigo”.

XINGAMENTOS

Em decisão que revogou a prisão domiciliar do ex-deputado federal Roberto Jefferson, o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), afirmou que houve “notórios e públicos descumprimentos” de decisões judiciais.

“No caso em análise, está largamente demonstrada, diante das repetidas violações, a inadequação das medidas cautelares em cessar o periculum libertatis do denunciado, o que indica a necessidade de restabelecimento da prisão, não sendo vislumbradas, por ora, outras medidas aptas a cumprir sua função”, afirma o ministro.

Jefferson teve a domiciliar revogada após a publicação, em redes sociais, de vídeo em que ele xinga a ministra do STF, Cármen Lúcia. Ele estava proibido de usar redes sociais por ordem de Moraes.

DECISÃO

Segundo a nova decisão, Jefferson está proibido de conceder qualquer entrevista ou receber visitas no estabelecimento prisional, salvo prévia autorização judicial do Supremo, inclusive de líderes religiosos, familiares e advogados. O ministro também determinou busca e apreensão de documentos e bens, de todos os celulares, computadores, tablets e quaisquer outros dispositivos eletrônicos em todos os endereços residenciais e profissionais do ex-deputado.

O ministro citou outras condutas que, segundo ele, ensejaram a revogação da prisão domiciliar, entre elas, receber visitas e passar orientações a dirigentes do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), conceder entrevista e compartilhar fake news que atingem a honorabilidade e a segurança do Supremo e seus ministros. Segundo Moraes, a defesa não justificou os “notórios e públicos descumprimentos”.

Observação: às 19h05 deste domingo, depois de longa negociação, a Polícia Federal conduziu Roberto Jefferson de volta à prisão no Rio de Janeiro, onde irá cumprir pena em regime fechado.

(Com informações do G1, UOL e Folha de S. Paulo)