Erros complicam a vida do Leão

POR GERSON NOGUEIRA

O favoritismo nas quartas de final da Copa do Brasil é do Internacional, ninguém tem dúvida. O problema é que se previa mais equilíbrio para o primeiro jogo, em Belém. Não foi o que se viu, ontem à tarde, no Baenão. Apesar do incentivo da torcida azulina, os garotos se mostraram intranquilos no setor defensivo e acabaram por facilitar o trabalho dos visitantes. 

O 3 a 0 soou exagerado para o que houve em campo, sem que o Inter tivesse a superioridade ampla que o escore sugere. De toda sorte, a vitória deu ao Colorado uma vantagem expressiva para o segundo jogo. 

Antes que alguém saia detonando a garotada sub-20 do Leão, é preciso dizer que o confronto com o Internacional, um clube de tradição nas divisões de base, é obviamente desigual. Além disso, o Remo sofre os efeitos da falta de intercâmbio na categoria. O sub-20 disputa um campeonato estadual que não dura 30 dias. Jogar contra grandes clubes é uma raridade.

No começo da partida, mesmo aparentando nervosismo, o Remo até tentou sair para o jogo e lançou-se ao ataque. O jogo era parelho quando o Colorado chegou ao primeiro gol, aos nove minutos. Samuel aproveitou o rebote atrapalhado da defesa azulina na cobrança de um escanteio.

O Leão sentiu o baque. Começou a errar muitos passes e a abrir a guarda no setor defensivo. Aos 17 minutos, Enzo quase marcou o segundo gol ao cabecear com muito perigo. O lance mais agudo do Remo na partida veio aos 30’, quando Luizinho acertou o travessão da equipe gaúcha.

No segundo tempo, as primeiras ações de ataque couberam ao Remo. Aos 10 minutos, o zagueiro Jonilson escorou cruzamento e quase empatou. Só que minutos depois Amoroso escapou pelo lado esquerdo e, livre de marcação, disparou um tiro cruzado e ampliou para o Inter.

Abatido com o segundo gol, o time azulino se perdeu um pouco em campo, sem conseguir mais encontrar alternativas ofensivas. Mais organizado, o Internacional controlava o jogo no meio-campo e, aos 29’, encaixou uma manobra perfeita, trocando passes na intermediária azulina. Alisson foi acionado na área e bateu para as redes, fazendo 3 a 0.

Logo em seguida, o atacante Vinícius Kanu se livrou da marcação e disparou forte, mas o chute estourou na marcação. O Inter respondeu com um contragolpe forte e Amoroso tocou para o gol. Atento ao lance, Riquelme salvou quase na linha fatal. 

A grande chance para diminuir o prejuízo veio aos 45’, com penalidade que Guti bateu muito mal, por cima da trave. Era o gol necessário para o Remo chegar ao segundo jogo com uma carga menor de dificuldades para reverter a desvantagem.

Agora, no confronto do próximo sábado, os gaúchos podem perder por até dois gols de diferença para avançar às semifinais da Copa do Brasil.

Pode-se dizer que, mesmo com a diferença técnica entre os times, a caminhada azulina talvez fosse mais facilitada com um esquema de jogo melhor organizado, sem tantos buracos na marcação. Esses erros – muito mais do que as virtudes mostradas pelo adversário – determinaram o mau passo na partida de ontem.  

Lusa testa forças em vitória sobre Vila Rica

Sem muito alarde, como é do seu feitio, a Tuna vem se preparando para a Copa Verde. O time, bastante reformulado em relação à equipe que disputou a Série D, sem contar com maiores reforços, entra como franco-atirador na disputa do lado nortista do torneio, mas o técnico Josué Teixeira faz planos de uma boa campanha.

O primeiro teste ocorreu contra o Vila Rica, ontem, no Souza. A Tuna venceu por 1 a 0, gol assinalado por Luciano Marba, cobrando penalidade aos 20 minutos de jogo. O Vila Rica, que disputa a Segundinha do Campeonato Paraense, impôs algumas dificuldades aos cruzmaltinos.

Luciano, que marcou o gol, defendia o Santos-PA na Segundinha. Outro reforço importante é o experiente zagueiro Dedé, que volta à Lusa após ter sido titular no time vice-campeão de 2021.

Josué aproveitou o amistoso para rodar o elenco e colocar em atividade vários jogadores. Para a Copa Verde, a dupla de zaga será Charles e Dedé. O meio-campo terá Alisson, Kauê, Jayme e Breno. No ataque, Luciano e Fabinho. Rafael Tanque, Adriano, Keven e Scooby também foram observados na partida.

A estreia cruzmaltina será no dia 28 de outubro, em Rio Branco (AC), diante do Rio Branco local. Os jogos da primeira fase são eliminatórios. A Tuna joga pelo empate. Na caminhada rumo à decisão deve ter o Papão pela frente nas semifinais, caso não surjam percalços.

“Noutros esportes tua fibra está presente”

Uma prova final emocionante, no “oito gigante”, deu tintas de emoção e bizarrice ao campeonato estadual de remo do Rio de Janeiro. O Botafogo conquistou o título na última prova da regata final, mas não levou a taça. O Flamengo, campeão de 2021 e detentor do troféu, recusou-se a fazer a entrega protocolar aos novos campeões.

O gesto antidesportivo, já mais ou menos tradicional em modalidades como o futebol, foi lamentado pelos botafoguenses, em meio às comemorações pela façanha nas águas da Lagoa Rodrigo de Freitas, na manhã de domingo. O clube rubro-negro alegou discordância com um dos resultados das dez provas disputadas e vai partir para o tapetão.

A equipe de remadores do Botafogo recebeu as medalhas e foi saudada festivamente no estádio Nilton Santos antes do jogo com o Internacional. Mais do que nunca, os versos imortais do hino botafoguense fizeram todo sentido: “Noutros esportes tua fibra está presente”. 

(Coluna publicada na edição do Bola desta segunda-feira, 17)

Deixe uma resposta