Arcebispo de Aparecida afirma que “precisamos vencer o dragão do ódio e da mentira”

O arcebispo de Aparecida (SP), Dom Orlando Brandes, incentivou os brasileiros a votarem e afirmou que o país precisa vencer muitos “dragões”, em alusão a problemas como fome e desemprego, durante missa do Dia da Padroeira no Santuário Nacional de Aparecida.

As declarações foram feitas na manhã desta quarta-feira (12), durante sermão da principal celebração do feriado em homenagem à santa da igreja católica — relembre aqui o que disse o arcebispo nas missas do Dia da Padroeira em 2021, 2020, 2019 e 2018. Segundo o arcebispo, um dos “dragões”, a pandemia de Covid-19, já foi vencido.

“Maria venceu o dragão. Temos muitos dragões que ela vai vencer. O dragão que é o tentador, o dragão que já foi vencido — a pandemia — , mas temos o dragão do ódio, que faz tanto mal. E o dragão da mentira. […] E o dragão do desemprego, o dragão da fome. O dragão da incredulidade.”

Sobre o voto, o religioso afirmou: “Cidadania que vamos vivendo também votando. É necessário exercer esse direito e poder do povo.” D. Orlando Brandes também disse que está “faltando pão” e que isto é o que o Brasil precisa hoje, juntamente com paz e fraternidade.

“Escutar Deus, mas escutar também o clamor do povo. Porque ela escutou muito bem no Evangelho. Eles não têm mais vinho. No nosso caso, faltando pão, faltando paz, faltando fraternidade. Esses são os vinhos que todos nós precisamos nos dias de hoje.”

D. Orlando Brandes

A missa solene da manhã, a principal das celebrações de 12 de outubro no Santuário, teve a presença de Marcos Pontes, senador eleito por São Paulo, e de Carlos França, ministro das Relações Exteriores. Em coletiva de imprensa na manhã desta quarta, respondendo a uma pergunta sobre uso político de visita de Bolsonaro à basílica, o arcebispo disse que é preciso ter um identidade religiosa.

“Bom, eu não posso julgar as pessoas. Mas nós precisamos ter uma identidade religiosa. Ou somos evangélicos ou somos católicos. Nós precisamos ser fiéis a nossa identidade católica. Mas seja qual for a intenção, será bem recebido porque é o nosso presidente. E é por isso que nós o acolhemos.”

Um dia antes, nesta terça-feira (11), a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) divulgou nota lamentando o que chamou de “intensificação da exploração da fé e da religião como caminho para angariar votos no segundo turno” das eleições deste ano.

O segundo turno das eleições de 2022 acontecerá em 30 de outubro. Além da disputa presidencial entre Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Jair Bolsonaro (PL), que tenta a reeleição, brasileiros de 12 Estados devem votar para governador. Segundo o Santuário Nacional, Bolsonaro deve participar de uma das missas do 12 de outubro durante a tarde (veja programação do dia aqui).

ATAQUES IMPUNES

No ano passado, o arcebispo de Aparecida e a CNBB foram duramente atacados pelo deputado bolsonarista Frederico D’Avila (PSL-SP), na Assembleia Legislativa de São Paulo. D’Ávila (vídeo acima) fez uma série de insultos e xingamentos ao arcebispo de Aparecida, à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e ao papa Francisco em discurso proferido no dia 14 de outubro de 2021.

Até hoje, um ano depois, o parlamentar não foi punido pelo Legislativo paulista pela conduta insultuosa à CNBB, a D. Orlando e à própria Igreja Católica.

(Com informações do UOL e do portal Metrópoles)

Deixe uma resposta