Demorou, mas finalmente a Arquidiocese rompe silêncio e nega ter convidado Bolsonaro

Depois de longo e ruidoso silêncio, a Arquidiocese de Belém se manifestou ontem à noite, por força da pressão popular criada em busca de uma explicação para a presença de Jair Bolsonaro no Círio Fluvial deste sábado. Em nota, o arcebispo D. Alberto Taveira garante que não houve convite da Igreja Católica ao presidente/candidato à reeleição.

A nota destaca o direito de qualquer cidadão a participar da romaria, mas assegura que “não desejamos e nem permitimos qualquer utilização de caráter político ou partidário das atividades do Círio”. Nunca na história de 230 anos do Círio um candidato em campanha à Presidência se arvorou a montar palanque na procissão. Nas ruas e nas redes sociais a revolta tomou conta da comunidade católica pela presença de Bolsonaro no Círio fluvial, principalmente pelos boatos de que ele pretende levantar a imagem na chegada ao porto e transformar a romaria em motociata.

Resta conferir, na manhã deste sábado, até onde irá o apetite marqueteiro do terrivelmente evangélico Bolsonaro em meio à manifestação de fé do povo paraense.

HELDER E EDMILSON REPUDIAM

À tarde, em entrevista a Globonews, o governador Helder Barbalho afirmou que “o Círio de Nazaré é intocável e plural”. Acrescentou esperar que não se tente fazer com o Círio “o que tentaram fazer com a Independência do Brasil, a apropriação política. O Círio haverá de resistir a isso”.

O prefeito Edmilson Rodrigues disse estar indignado com a exploração política da procissão: “De forma perversa, tenta-se destruir uma tradição do povo paraense. O Círio não pode ser sequestrado em favor de candidaturas oportunistas. Nenhum político tem direito de usar a fé do nosso povo, jamais”.

Um comentário em “Demorou, mas finalmente a Arquidiocese rompe silêncio e nega ter convidado Bolsonaro

  1. Isso prova mais uma vez o oportunismo desse maçônico/evangélico, agora sabemos que é um penetra, resta-nos saber quem o trouxe ou fez o convite, vi um video dele saindo de brasilia com um deputado, não sei o seu nome no avião e
    Pasmem a caretoce desse presidente, dizer que era católico, realmente esse sr. não tem escrúpulo mesmo, temos que descobrir agora o nome desse deputado, levar nossa moção de protesto contra ele.

Deixe uma resposta