Mensagem a quem sonha

Por Jorge André Silva – Fequipa

Eleição é um processo ingrato que não escolhe os melhores, mas sim os que estão com maiores condições de enfrentar o processo, seja com a política da genuína articulação popular, seja com a dinheirama que é derramada por quem joga sujo. Hoje vivemos uma pressão ainda mais violenta, porque toda a extrema direita está investindo muito pesado para não perder os espaços que conseguiram. Isso faz com que nossos esforços, que já são dificultados, fiquem ainda mais limitados.

Ainda assim, estivemos em todos os lugares possíveis, fazendo tudo o que estava a nosso alcance e VENCEMOS a máquina do Estado, das fake news, da compra de votos, das intimidações e de diversos outros fatores.

Lula venceu o primeiro turno, estamos na frente com mais de 5 milhões de votos, temos muito mais chances de articular alianças e caminhar com mais força para a vitória final.

NUNCA FOI DIFERENTE DISSO!!!

Em nenhum momento a direita, os exploradores, devastadores, ambiciosos e a eles atrelados estiveram desmotivados, sem recursos ou recuados. Sempre tivemos que ser valentes e fortes. Agora não é diferente em nada. Mas há algo novo: sabemos o gosto da vitória e a estamos vendo muito próxima. Portanto, precisamos ir buscá-la.

A votação que chega na urna é um compromisso final, mas as informações que ficam nas mentes são sementinhas que vão crescer. E crescerão ainda mais se forem regadas e cuidadas.

O processo político não acaba com o fim da eleição. Precisamos que quem foi votad@ seja mais do que ex-candidat@, desça do palanque mas não se recolha, precisamos que vista a camisa de liderança e assuma um posto na batalha.

Mais do que nunca em nossa história necessitamos que lideranças estejam à frente da enorme tropa de pretas e pretos, pobres, humildes, estudantes, mulheres, trabalhadoras e trabalhadores de todas as faixas econômicas, mas especialmente mais carentes. Pois é isso que nos tornará capazes de enfrentar os riscos que estamos correndo e superar as dificuldades que não diminuirão sozinhas.

Por isso, temos que ir buscar as forças que tenham ficado amassadas, juntar seus retalhos e colocá-las de volta no front.

Depende de nós!

Deixe uma resposta