Vídeo da campanha de Lula define governo Bolsonaro como desastroso e desumano

A propaganda de televisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) divulgada nesta terça-feira subiu o tom contra o presidente Jair Bolsonaro (PL), seu principal adversário na corrida presidencial, ao chamá-lo de “agressivo” com mulheres e “tchutchuca”, com o Centrão. Na voz de uma locutora, a peça reúne os principais ataques desferidos pelo petista contra o presidente, intercaladas com trechos de entrevistas e colocações polêmicas de Bolsonaro.

No vídeo, governo Bolsonaro é citado como “desastre” e “desumano”. A propaganda é a mais agressiva contra o chefe do Executivo desde o início da disputa. O vídeo lembra que o presidente foi um “mau militar”, citando que ele foi preso por indisciplina e processado por planejar jogar bombas em quarteis.

“Honesto, ele nunca foi. Inclusive, sua família comprou 51 imóveis pagando com dinheiro vivo. com mulheres, Bolsonaro é agressivo mas com o centrão ele é tchutchuca. Virou presidente com uma campanha marcada pelo ódio, mentiras e fake news. Não deu outra: como presidente, Bolsonaro é incompetente, parece viver em outro planeta”, afirma a locutora.

A peça destacou as fragilidades econômicas da população, que se acentuou nos últimos anos, e uma retomada do histórico de Bolsonaro, que associa com uma suposta ineficiência do presidente quando foi militar e enquanto deputado federal.

“Enquanto passeia de moto e jet ski, o povo sofre para pagar as contas, os preços sobem mais que o salário, o desemprego assusta e a fome voltou. Ele foi um desastre na economia e desumano na pandemia. Atrasou a compra de vacinas que poderiam evitar 400 mil mortes, nem as crianças escapam. Tem criança que come bolacha seca e suco em pó na refeição”, continua.

A propaganda ainda faz menção ao fato de Bolsonaro ter sido um “deputado omisso” por só aprovar dois projetos em 26 anos de Congresso Nacional. A peça também mostra falas do então deputado estimulando ódio e defendendo tortura e a ditadura militar.

Deixe uma resposta