Amoroso e a era de ouro

POR GERSON NOGUEIRA

Por um curto período, localizado entre 1966 e 1973, o futebol paraense teve provavelmente seu melhor aproveitamento na contratação de jogadores de outras praças. Só para o ataque, a dupla Re-Pa conseguiu trazer quatro jogadores acima da média: Bené, Rubilota, Amoroso e Alcino. A menção à era dourada vem em função da morte de Amoroso, na sexta-feira, aos 84 anos.

Bicampeão carioca pelo Botafogo, em 1961 e 1962, foi também vitorioso no Fluminense antes de aceitar o convite para jogar pelo Remo, onde por duas temporadas marcou muitos gols e virou ídolo da torcida.

Rápido e oportunista, como se dizia à época, Amoroso raramente desperdiçava oportunidades. Viveu momentos de glória em confrontos com o PSC. Em 1968, na Curuzu, na decisão do título estadual, ele usou da malandragem para decidir um jogo difícil.

Com o placar empatado, nos minutos finais, ele ficou atento a um tiro de meta que o goleiro bicolor Omar se preparava para cobrar. Fingiu se afastar do lance, mas percebeu que Omar ia sair jogando com o zagueiro Abel. Ágil e surpreendente, ele voltou e interceptou o passe. Driblou Abel e finalizou para as redes. Terminou campeão e artilheiro da temporada, como havia sido em 1967.

Outro episódio marcante foi o histórico gol marcado contra o timaço do Benfica, em amistoso disputado no Baenão. A partida terminou 1 a 1. O Benfica do astro Eusébio era base da seleção portuguesa que tinha obtido o terceiro lugar na Copa do Mundo de 1966, na Inglaterra.

Pelo início empolgante no Botafogo, no esquadrão que tinha Garrincha, Nilton Santos, Zagallo, Didi e Amarildo, e o êxito no Fluminense em 1964, Amoroso era um nome em alta quando veio defender o Remo. Era um tempo, como se vê, em que o Pará ainda era atraente para grandes nomes do futebol brasileiro.

Quando Amoroso foi embora, o Remo nem teve muito tempo para lamentar porque já tinha o meia-atacante Rubilota, que havia feito dupla infernal com Bené no PSC. Dois anos depois, o Baenão receberia o gigante Alcino, que aqui chegou sem grandes credenciais e se tornaria o maior atacante da história do clube.

Era uma época de futebol semi amador, com gestões que se destacavam muito mais pela benemerência do que por ambições pessoais. Foi através de dirigentes apaixonados e influentes que tanto Remo quanto PSC conseguiram formar times poderosos, garimpando jogadores quase a custo zero. Bons tempos.

Bola na Torre

Guilherme Guerreiro comanda o programa, a partir das 21h30, na RBATV, com a participação de Giuseppe Tommaso e deste escriba de Baião. Em pauta, a quinta rodada do quadrangular da Série C. A edição é de Lourdes Cezar.

Vinícius Jr. e o sagrado direito de bailar

Vinícius Jr. é a nova vítima dos intolerantes e racistas na Espanha. Seu jeito especial de festejar gols, dançando e gingando alegremente, incomodou a um participante do programa “El Chiringuito”, muito popular na TV espanhola. Pedro Bravo criticou as comemorações do jogador e sugeriu que deixe de “mamaquices”, que procure sambar no Brasil e não “desrespeite companheiros”. Bravo é o presidente da Associação Espanhola de Empresários de Jogadores.

A ofensa gerou um imediato movimento de torcedores, jogadores e técnicos, que se manifestaram em solidariedade ao jovem atacante do Real Madrid. Aliás, o clube emitiu nota na sexta-feira repudiando as falas racistas e prometeu adotar medidas legais contra quem utilize expressões racistas contra seus jogadores.

O crime de racismo deve ser combatido de forma implacável. A cultura do ódio se espraia como praga pelo futebol mundial, com manifestações hostis por toda a Europa e também na América do Sul. Jogos da Libertadores têm mostrado cenas horrendas.

Como de hábito, o autor do insulto apressou-se em pedir desculpas, alegando não ter tido a intenção. Virou praxe esse expediente, tão irrelevante quanto pouco sincero, de tentar limpar a imagem depois da reação que atos de xenofobia são expostos na mídia.

Vinícius fez um pronunciamento forte, respondendo ao agressor e avisando que não vai deixar de fazer as dancinhas comemorativas. Condenou a onda racista com veemência e segurança.

O apoio de técnicos renomados, diretorias dos clubes e da CBF não pode ficar apenas nas palavras. É preciso que atos desse tipo sejam criminalizados, única forma de frear sua repetição.

Vinícius tem sido alvo de hostilidades dentro de campo também. Jogadores adversários têm caçado o ponta do Real Madrid, tentando pará-lo sempre na base da pancada. Como tem um estilo desassombrado e driblador, acaba gerando incômodo e irritação.

Na semana passada, o técnico Carlo Ancelotti saiu em sua defesa, explicando que Vinícius usa o drible como arma legítima dentro de um campo de futebol, sem pretender abusar, desrespeitar ou ridicularizar oponentes.

A contundente reação ao episódio reforça a esperança de que o futebol aprender a conviver com as diferenças. 

(Coluna publicada na edição do Bola deste domingo, 18)

Campanha de Lula aciona TSE contra privilégio dado pelo YouTube a conteúdo bolsonarista

A Coligação Brasil da Esperança, do ex-presidente e candidato Luiz Inácio Lula da Silva, apresentou ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) um pedido de providências sobre o fato de a plataforma YouTube favorecer conteúdos pró-bolsonaro, sobretudo aqueles produzidos pela Rede Jovem Pan de Comunicação. O favorecimento foi revelado por uma pesquisa publicada pela NetLab, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

No pedido, os advogados da campanha de Lula argumentam que a Justiça Eleitoral e as plataformas digitais assinaram um memorando de entendimento no início de 2022, com o objetivo de combater a desinformação. Também se comprometeram, neste caso a empresa Google (que detém a plataforma YouTube), a conferir acesso amplo a informações produzidas por fontes confiáveis.

“O privilégio concedido aos conteúdos da Rede Jovem Pan podem violar esse acordo, bem como o princípio da neutralidade das redes, previsto no Marco Civil da Internet”, afirmam os advogados. A Coligação Brasil da Esperança pede ao TSE que o Google seja provocado a se manifestar sobre os dados levantados pelo estudo da UFRJ e que informe quais medidas adotará para corrigir a irregularidade apontada.

“O estudo referenciado traduz a compreensão de que a plataforma YouTube não trata de forma isonômica o conteúdo distribuído ao usuário a título de ‘conteúdo informativo’, dada a sua concentração em uma mesma rede de produção de conteúdo sobre a qual, de forma ainda mais grave, recai graves indícios de imparcialidade política”, defendem os advogados. 

A Coligação Brasil da Esperança, que tem como candidato o ex-presidente Lula, é formada pelos partidos PT, PV, PCdob, PSOL, REDE, PSB, Solidariedade, Avante, Agir e Pros.

Dominado pelo ABC, Papão perde jogo e dá adeus ao sonho do acesso

O sonho acabou. As últimas esperanças de conquista do acesso pelo PSC caíram por terra na noite deste sábado, em Natal. A equipe foi eliminada ao perder para o ABC por 1 a 0, no estádio Frasqueirão, pela 5ª rodada do quadrangular da Série C. Após três derrotas nas primeiras rodadas, o time havia recuperado a confiança ao vencer o Figueirense na 4ª rodada. Precisava de um milagre para conseguir subir de divisão, mas a tão esperada vitória diante do ABC ficou apenas na intenção.

O PSC foi tímido, amedrontado até, na maior parte do jogo. Desde os primeiros minutos, o time foi dominado pelo ABC, que tomava todas as iniciativas, mas não acertava o pé nas finalizações. Num raro ataque, desperdiçou uma excelente chance para abrir o placar após a bola desviar no zagueiro Naylor. Com Wesley improvisado na lateral direita e tendo somente Robinho e Marlon no ataque, o Papão pouco incomodava e aceitava o domínio do adversário.

Na etapa final, o ABC continuou sufocando em busca do gol, enquanto o PSC se encolhia, mesmo com a presença de Danrlei no ataque. Aos 22′, em lance iniciado por Daniel Vanssan na esquerda, a bola sobrou limpa para o ex-azulino Guilherme Garré (que havia acabado de entrar) mandar para as redes, sem sofrer combate dos zagueiros. Só então o técnico Márcio Fernandes resolveu abandonar um pouco mais a cautela, trocando o volante Mikael por Dioguinho. Detalhe curioso: Dioguinho não era escalado desde os primeiros jogos da Série C.

Atordoado com o gol, o Papão tentou sair em busca da igualdade. Teve até uma grande oportunidade, com Danrlei, mas o cabeceio à esquerda da trave. Depois disso, só deu ABC, que explorava os contra-ataques e a avenida aberta pelo lado esquerdo da zaga do PSC. A partir dos passes de Garré, Jefinho chegou com perigo várias vezes. Por pura sorte, o PSC não sofreu o segundo gol.

Com o resultado, o ABC chegou a 11 pontos e garantiu o acesso à Série B 2020, conquista muito festejada pela torcida alvinegra presente ao estádio Frasqueirão. Vitória e Figueirense jogam neste domingo na disputa pela segunda vaga do acesso.