2 comentários em “Rock na madrugada – Black Sabbath, “Paranoid”

  1. Com Tiago Coelho indo bem pelos lados da Curuzu, é de se pensar que o Remo desperdiçou um atleta que seria a continuidade da segurança da meta azulina. Vinícius é grande sim, mas até as grandes carreiras têm fim. A qualidade de Vinícius na meta azulina é incontestável, mas tem que se ter um olhar para o futuro. A torcida azulina reverencia os seus, Arthur e Gian são provas disso. Vinícius é ídolo e será sempre lembrado pelas grandes defesas e pelo compromisso com a camisa 1 do Remo, a história está escrita, mas é preciso pensar na sucessão porque encontrar outro profissional com identificação com a torcida e compromisso com o clube não é tarefa das mais fáceis.

  2. Este comentário aí em cima era pra postar no tópico sobre o Vinícius. Escrevi sem notar que estava neste espaço sobre o Paranoid, do Black Sabbath. Perdoem, repostei o comentário sobre o Vinícius no lugar certo. Os inventores do heavy metal dispensam comentários. Grande abraço

Deixe uma resposta