Fenaj e ABI cobram apuração rigorosa de atentado contra repórter da Globo em Brasília

“Diante do ataque sofrido na noite desta quinta-feira, em Brasília, pelo repórter da TV Globo Gabriel Luiz, a Associação Brasileira de Imprensa (ABI) pede a apuração rigorosa do crime. Gabriel levou cerca de dez facadas no pescoço, no abdômen, no tórax e na perna e está internado no hospital em estado muito grave. Sua carteira, com dinheiro e documentos, não foi levada pelos criminosos, mas seu celular, sim.
Não se sabe ainda se o crime – gravado por câmeras de vídeo – tem relação com a atividade profissional de Gabriel, mas ele se insere num quadro inaceitável de hostilidade a jornalistas e de crescimento da violência no País, estimulado pelo governo federal”, denuncia a nota oficial da ABI.
Em nota assinada pelo presidente, Paulo Jeronimo, a entidade “exige que as autoridades policiais investiguem com empenho a tentativa de homicídio e a esclareçam o mais rapidamente possível”.

A Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), em nota, “lamenta profundamente a tentativa de assassinato do repórter Gabriel Luiz, ocorrida na noite desta quinta-feira (14/04), e deseja o restabelecimento do repórter, que segue internado no Hospital de Base, em Brasília”.

A Federação diz esperar que os fatos sejam investigados com celeridade e que os responsáveis sejam identificados e punidos. “Diante da escalada da violência contra jornalistas no Brasil, é preciso uma averiguação criteriosa da motivação do crime, para que seja esclarecido se está vinculado ao exercício profissional. A Fenaj reitera seu repúdio à violência, em especial a praticada contra profissionais da imprensa, que cumprem o importante papel de levar informações verdadeiras à sociedade”.

CONFLITO

Já a Chapa 1 ABI – Democracia e Renovação, que concorre à eleição da ABI, manifesta solidariedade ao jornalista Gabriel Luiz, da Rede Globo, atacado a facadas na noite de quinta-feira (14/04). “As autoridades de segurança do Distrito Federal têm a obrigação de esclarecer a tentativa de assassinato, examinando todas as suas possíveis motivações. Embora tenha características de crime comum, não se pode descartar a hipótese de estar relacionado ao trabalho jornalístico de Gabriel Luiz”, diz a nota.

“Dias antes do crime, o jornalista publicou reportagem mostrando um conflito entre moradores da zona rural da cidade-satélite de Brazlândia e um clube de tiro, instalado próximo a residências e a plantações. A reportagem mostra situações de risco para moradores e trabalhadores, provocadas pela atividade do clube de tiro, situação que já motivou uma investigação da Polícia Civil do DF”.

Finalizando dizendo que, “por isso mesmo, demandamos o aprofundamento da investigação e de uma eventual ligação entre todos os fatos relacionados acima. Ao Gabriel Luiz, desejamos pronta recuperação e manifestamos também solidariedade à sua família, colegas de trabalho e amigos”.

Cristina Serra e Helena Chagas, candidatas à presidência e vice da Associação Brasileira de Imprensa, assinam a mensagem.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s