Tuna x Remo está confirmado para o estádio do Souza, “com restrições”

O jogo Tuna x Remo, válido pela semifinal do Parazão, programado para sábado (26) às 15h30, está confirmado para o estádio do Souza, mas “com restrições”. Uma vistoria foi feita na manhã desta sexta-feira (25), a pedido do Clube do Remo, que alegou que o campo não oferece condições para receber uma partida de futebol. O agrônomo Raimundo Mesquita chefiou a vistoria, apontou problemas no gramado e recomendou providências, mas a partida foi mantida.

Abaixo, o documento expedido pela FPF a respeito da vistoria no estádio cruzmaltino:

Lula alerta para a “fábrica de mentiras” da família Bolsonaro

Em primeiro lugar nas pesquisas para o Palácio do Planalto, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) alertou para o que chamou de “fábrica de mentiras” da família Bolsonaro e que é preciso cuidado para evitar uma repetição das ações de 2018, em que notícias falsas dominaram a campanha eleitoral. “A partir de agora a gente tem que ficar com muito cuidado com a fábrica de mentiras, com os fake news deles. Temos que ter muito cuidado com as mentiras da família Bolsonaro e dos milicianos deles”, disse Lula.

“Temos que ter muito cuidado com a quantidade de mentiras que são vendidas todos os dias no zap, a gente precisa olhar bem. Porque foi assim que eles ganharam as eleições em 2018 e a gente não vai fazer o jogo rasteiro deles”, acrescentou. Em 2018, com Lula preso e o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad como candidato contra Bolsonaro, a distribuição de notícias falsas foi um dos principais fatores da campanha, e o próprio PT reconhece que não soube reagir.

Nas últimas semanas, o partido montou um esquema de acompanhamento de fake news nas redes para responder rapidamente, além de entrar com ações na Justiça para retirá-las do ar.

A declaração de Lula foi dada durante uma visita ao condomínio Novo Pinheirinho, em Santo André (SP), construído pelo Movimento dos Trabalhadores Sem Teto com recursos do programa Minha Casa Minha Vida, e serviu como um gesto de agradecimento ao líder do MTST, Guilherme Boulos (PSOL), que deixou de lado sua candidatura ao governo do Estado para apoiar Haddad na disputa regional deste ano.

Lula aproveitou o evento para lançar a candidatura de Boulos à prefeitura de São Paulo, em 2024. O líder do MTST será candidato à Câmara dos Deputados agora, em um movimento que busca mais votos ao PSOL e garantir que o partido não seja pego na cláusula de barreira, mas que também ajuda o PT.

“Nós temos que ter consciência que temos que fazer a Presidência da República, o governo de São Paulo e em 2024 a gente vai fazer o Boulos prefeito de São Paulo. E a gente vai consertar esse país”, disse Lula. (Do UOL)

Duelo reacende rivalidade

POR GERSON NOGUEIRA

Tuna e Remo jogam amanhã à tarde, no estádio do Souza, abrindo as semifinais do Campeonato Paraense. É um repeteco do cruzamento do ano passado. Naquela ocasião, a Lusa levou a melhor nas penalidades, após dois empates muito equilibrados. Na sequência, decidiu o título estadual com o PSC e acabou fracassando.

Vem daí o mote para ironias e zoações do torcedor nas redes sociais atribuindo à Tuna o papel de pedra no sapato do Remo em situações decisivas, com o adendo de que seria menos intensa nos duelos com o PSC. As gozações não têm amparo no histórico entre os times, mas torcedor têm suas próprias regras de avaliar forças em confronto.

Na parte que realmente importa, da força de cada equipe, a disputa desta semifinal é seguramente mais ajustada do que a de 2021. O time remista do ano passado era superior e tinha opções de banco. Estava em preparação para a Série B e chegou ao embate com a Tuna na condição de favorito.

Desta vez, o Remo não detém superioridade na comparação entre os times. O nivelamento é acentuado, as limitações também. Talvez a única vantagem azulina esteja no ataque, onde a dupla Brenner-Bruno Alves rendeu um pouco mais que Paulo Rangel-Fidélis, o duo titular da Tuna.

Apesar de Rangel e Bruno dividirem a ponta da artilharia, ambos com seis gols, as duplas têm desempenho desigual. A do Remo já assinalou 10 gols, enquanto a da Lusa chegou a sete.  

Nas últimas partidas, porém, os dois goleadores brilharam, mostrando que estão em fase ascendente na competição. Dependem, obviamente, do comportamento de todo o time. No Remo, o coletivo funcionou bem contra o Caeté e deu a Bruno Alves a chance de acertar o caminho do gol.

O mesmo ocorre na Tuna, onde Paulo Rangel precisa ser acionado pelos homens de meio-campo e que atuam pelos lados. Mais experiente do time, atuando de forma mais fixa, o camisa 9 consegue se destacar quando as jogadas são trabalhadas para ele.

Aspecto interessante desta semifinal é a reedição de uma rivalidade que andou adormecida por muitos anos. Com a eliminação imposta ao Remo no ano passado, dentro do Baenão, a Tuna voltou a se estabelecer como oponente digna de respeito. Que os dois confrontos confirmem isso. (Foto 1: Samara Miranda/Ascom Remo; foto 2: Junior Borges)

Azzurra eliminada: mau negócio para a Copa

Pela segunda vez consecutiva, a Itália não vai participar de uma Copa do Mundo. Foi assim em 2018, na Rússia, e agora. No jogo disputado ontem em Palermo, válido pela repescagem europeia, a Azzurra foi derrotada pela Macedônia do Norte por 1 a 0, gol marcado já nos acréscimos do segundo tempo. A imprensa, apaixonada como sempre, definiu assim o resultado: “desastre inacreditável”. E foi isso mesmo.

A partida foi disputada em clima de muito nervosismo. No primeiro tempo, apesar de dominar amplamente as ações, finalizando mais e quase não sendo atacado, o time italiano não conseguiu chegar ao gol. Com Berardi, Insigne e Immobile avançados, a Itália pressionava, criando inúmeras situações de área e dando muito trabalho ao goleiro da Macedônia.

Se a primeira etapa havia sido tensa, a segunda foi dramática. A situação não se alterou muito quanto ao domínio do jogo, mas os atacantes italianos exibiam muito nervosismo e se atrapalhavam na hora de definir.

Aos 47 minutos, veio o golpe fatal, com Trajkovski. Ele foi lançado na intermediária e bate colocado, para assombro e desespero da torcida italiana. Com a classificação, a Macedônia pega Portugal de CR7 na decisão da etapa de repescagem, na terça (29), às 15h45.

Criticado pela demora em mexer na equipe durante o confronto, o técnico Roberto Mancini, que conduziu a Azzurra ao título da última Eurocopa, utilizou três brasileiros naturalizados italianos – Jorginho, meia do Chelsea; Emerson, do Lyon; e João Pedro, do Cagliari.

A eliminação da Itália é extremamente ruim para a Copa do Qatar, que terá em ação uma penca de seleções inexpressivas e sem tradição. Dona de quatro conquistas mundiais, a Azzurra é a seleção que mais ameaça o Brasil em número de títulos. Portanto, ganhando ou perdendo, a Seleção Brasileira continuará absoluta na liderança.

Atitudes racistas atingem escala nunca vista

Um telejornal do Rio de Janeiro exibiu um vídeo da apresentação do volante Patrick de Paula – recém contratado junto ao Palmeiras – como se ele fosse um traficante vestindo a camisa do Botafogo. É racismo explícito, é abuso, é preconceito.

Até quanto tais afrontas à dignidade humana seguirão impunes? Pior ainda quando parte de uma emissora que é também concessão pública.

Primeiro Troféu Camisa 13 do ano é do Águia

Definidas as semifinais do Parazão, a melhor pontuação entre os clubes do interior pertence ao Águia de Marabá. Com isso, o clube reconquista, após 12 anos, o troféu Camisa 13/RBATV de campeão interiorano. A última conquista aguiana foi no Campeonato Paraense de 2010.

A entrega do TC-13 será na noite de 7 de abril em meio a uma grande festa reunindo atletas, dirigentes, autoridades, convidados e imprensa esportiva. Desde anteontem à noite, após a vitória do PSC sobre o Tapajós, a torcida marabaense comemora o feito.

(Coluna publicada na edição do Bola desta sexta-feira, 25)