Tuna atropela Bragantino e se classifica às semifinais

A Tuna está novamente nas semifinais do Campeonato Paraense. Venceu o Bragantino por 4 a 0, no estádio do Souza, com grande atuação do atacante Paulo Rangel, autor de três gols – o outro gol foi de Fidélis. Sob chuva e com gramado encharcado, o time foi sempre superior e não permitiu ao Tubarão chances de reagir. No primeiro jogo, domingo, as equipes empataram em 0 a 0.

Como no ano passado, a Lusa vai enfrentar o Remo nas semifinais. Em 2021, o time tunante passou pelo Leão e fez a final contra o PSC, ficando com o vice-campeonato estadual. A Federação Paraense de Futebol ainda não marcou as datas dos jogos, mas a previsão é de que sejam realizados no sábado e na terça-feira.

Escândalo no MEC: PGR pede apuração da influência de pastores no ministério

Os pastores evangélicos Gilmar Santos e Arilton Moura se encontraram pelo menos quatro vezes com o presidente Jair Bolsonaro (PL) em Brasília, segundo informações do jornal O Globo. Mesmo sem cargos no governo, eles atuavam na negociação de verbas federais do MEC (Ministério da Educação) e indicavam quais prefeituras deveriam ter prioridade.

Foram três encontros com Bolsonaro no Palácio do Planalto e um evento no MEC, junto ao ministro da Educação, Milton Ribeiro, diz o jornal.

O procurador-geral da República, Augusto Aras, teria decidido a pedir ao STF (Supremo Tribunal Federal) a abertura de inquérito para investigar a conduta do ministro da Educação, Milton Ribeiro. A decisão de Aras acontece após diversas representações chegarem à PGR pedindo apuração de suspeitas de tráfico de influência e favorecimento a pastores evangélicos na liberação de dinheiro para prefeituras — só ontem a Procuradoria recebeu pelo menos meia dúzia de representações solicitando investigação.

O caso veio à tona a partir da denúncia de que o ministro Milton Ribeiro prioriza pedidos de pastores evangélicos. A Folha de S. Paulo publicou matéria com a reprodução de áudio do ministro, dizendo que segue orientação do presidente Jair Bolsonaro. Na segunda-feira, um prefeito do interior de Minas Gerais revelou que um pastor pediu propina em ouro liberar verbas do MEC.

O colunista Leonardo Sakamoto afirma que o “áudio em que Milton Ribeiro afirma priorizar a liberação de recursos a amigos de pastores evangélicos a pedido de Jair Bolsonaro só não choca mais porque o presidente nos preparou desde o início de seu governo para este momento, transformando o Ministério da Educação em mina de ouro de pastores evangélicos e em parquinho de diversão de radical de direita”.

“Milton Ribeiro assumiu o ministério do lugar de Carlos Decotelli, que substituiu Abraham Weintraub, que substituiu Ricardo Vélez Rodríguez, cada um deles degradando um pouco a imagem e a atuação daquele que deveria ser a pasta mais importante de um governo preocupado com seu futuro. Com isso, Jair rebatizou o absurdo. Hoje se chama ‘cotidiano'”, opina Sakamoto.

Flávio Nassar: um guardião apaixonado do patrimônio cultural de Belém

O arquiteto, professor e escritor Flávio Sidrim Nassar morreu nesta terça-feira, 23, em São Paulo, depois de semanas de internação em São Paulo. Com voz sempre forte em defesa da cidade de Belém e uma veia política afiada, foi um incansável participante de movimentos da esquerda no Pará, principalmente no ambiente universitário.

Flávio Nassar era graduado em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal do Pará (turma de 1976), exercia a função de professor adjunto 4 e foi pró-reitor de relações internacionais da instituição.

Coordenador do Fórum Landi, Nassar tinha atuação intensa na área de arquitetura e urbanismo, com ênfase na defesa do patrimônio cultural e histórico da capital paraense.

A família distribuiu a seguinte nota sobre o falecimento de Flávio Nassar:

“Informamos com pesar o falecimento do arquiteto e professor da Universidade Federal do Pará (UFPA), Flávio Sidrim Nassar, aos 69 anos, ocorrido nesta quarta-feira, 23 de março de 2022. Grande amigo, pai, filho, avô e marido, sua morte entristece a todos que tiveram a alegria de conviver com ele.
Com seu profissionalismo, inteligência e amizade, Flávio Nassar foi atuante no cenário acadêmico e cultural da cidade de Belém. Coordenador do Fórum Landi, prestou serviços importantes para a valorização do centro histórico da capital paraense, sempre guiado pela visão cuidadosa do arquiteto talentoso e apaixonado por sua cidade. Na UFPA, além de professor, foi pró-reitor de Relações Internacionais, contribuindo para posicionar a universidade como referência na Amazônia e articular parcerias com instituições de vários países.
Devemos sempre lembrá-lo com alegria, gratidão e muita saudade. Aos que desejarem prestar as últimas homenagens a Flávio Nassar, as informações sobre hora e local do velório serão repassadas, em breve, pela família. Já agradecemos antecipadamente a presença de todos”.

Leão se reencontra e goleia

POR GERSON NOGUEIRA

Intensidade nas jogadas, ocupação de espaços e transição eficiente. Nem parecia o Remo dos seis empates no campeonato. A performance do time de Paulo Bonamigo diante do Caeté surpreendeu e encantou a torcida, sendo premiada com a merecida goleada de 4 a 0.

Assim que a bola rolou, o Remo partiu com fúria e apetite em direção ao gol, disposto a apagar o passado recente. Depois de várias tentativas agudas, a determinação foi recompensada logo aos 18 minutos.

Após um cruzamento alto, Uchoa desviou de cabeça e achou Brenner livre à altura da pequena área. Ele dominou e bateu fora do alcance do goleiro André. Aos 24’, Ricardo Luz cruzou na medida e Erick Flores chegou em velocidade para cabecear e aumentar para 2 a 0.

Apenas 11 minutos depois veio o terceiro gol. Bruno Alves apanhou a bola pelo lado direito e invadiu a área driblando dois marcadores. Disparou um chute seco, rasteiro, no canto direito. A única chance do Caeté no primeiro tempo veio aos 38’, quando Keoma recebeu na área, mas chutou longe.

Josué Teixeira fez três substituições no Caeté, mas não conseguiu mudar a história do jogo. Foi à frente por alguns minutos, mas acabou abrindo espaços e levou o quarto gol aos 12 minutos. Erick Flores, novamente jogando em alto nível, tocou para Bruno Alves, o melhor da noite.

O ponta avançou em direção à área, driblou a marcação e chutou forte, de curva, para marcar 4 a 0. A primeira goleada do Remo no Parazão e a partida que marcou a reconciliação do time com a torcida, que saiu satisfeita e aplaudindo a saída dos jogadores, pela primeira vez. (Fotos: Samara Miranda/Ascom Remo)

Favorito, Papão encara o destemido Boto

O último treino do PSC, ontem, não definiu mudanças no time para o jogo com o Tapajós. Os 11 gols sofridos em três partidas seguem a pesar sobre os ombros do sistema defensivo, mas é improvável que o técnico Márcio Fernandes faça substituições no miolo da zaga.

Marcão e Genilson devem seguir como titulares, apesar das críticas ao desempenho da dupla nos últimos jogos. Na prática, o técnico não muda porque não tem muitas alternativas. Contra o CSA, na semana passada, ao trocar Marcão por Heverton, a emenda saiu pior que o soneto.

Para o confronto decisivo de hoje, o PSC tem a vantagem de jogar pelo empate, pois derrotou o Tapajós por 4 a 3 no jogo de ida. Se quiser modificar o ataque, Márcio Fernandes tem a opção de Robinho para o lugar de Marlon ou Dioguinho.  

Tem a alternativa de retornar com João Paulo na lateral esquerda e Mikael no meio-campo. Ambos não atuaram no primeiro jogo por conta de desgaste físico. O meio-campo, porém, deve continuar com a mesma formação: Bileu, Ricardinho e José Aldo.

Franco-atirador, o Tapajós vai tentar a façanha de eliminar os bicampeões estaduais. A atuação de domingo deixou o time entusiasmado, apesar da derrota. Ficou a certeza de que, com esforço de marcação e movimentação constante, é possível obter um bom resultado na Curuzu. Além disso, o time terá o retorno do atacante Tárcio, que estava suspenso.

Águia volta às semifinais após 10 anos

Em jogo castigado pelos erros de passe e um futebol voltado apenas para a marcação, Castanhal e Águia fizeram uma continuação sem retoques da primeira partida. Tudo exatamente igual: os chutes tortos, as faltas ríspidas e a ausência de qualidade. A única diferença é que, desta vez, o gol saiu.

O primeiro tempo foi sofrível, com poucas oportunidades de gol. No segundo tempo, sob chuva, o placar finalmente foi movimentado. Aos 30 minutos, após cruzamento rasteiro na área, a zaga do Japiim deu rebote e Luan Parede aproveitou, mandando para as redes.

Com a vitória, o Águia volta às semifinais do Estadual, condição que não alcançava há 10 anos. Garantiu vaga na Copa do Brasil e na Série D 2023. Eliminado, o Japiim corre o risco de ficar sem calendário em 2023.

Qatar pode não ver melhores goleadores em ação

Daqui a sete meses, o mundo só vai falar na Copa do Qatar. Curiosamente, o gol pode ser artigo raro no torneio deste ano, para azar de quem gosta de bom futebol. Do Top 10 dos artilheiros da temporada europeia apenas três estão garantidos na competição: Vlahovic (Sérvia), Benzema e Bem Yedder, ambos da França.

Os noruegueses Omoijuanfo e Olsen já estão fora. Até o atual líder da Chuteira de Ouro, Robert Lewandowski, corre sério risco. Sua Polônia vai disputar a repescagem europeia, mesma situação de Patrick Schick, da República Tcheca, e de Cristiano Ronaldo, de Portugal.

É o caso de se dizer: azar da Copa.

(Coluna publicada na edição do Bola desta quarta-feira, 23)