Maioria da bancada federal paraense votou pela urgência da mineração em terras indígenas

Enquanto rolava nas cercanias da Câmara dos Deputados o show intitulado “Ato pela Terra”, com Caetano Veloso e outros artistas, os deputados federais aprovavam, por 279 a 180, um requerimento de urgência para votar o Projeto de Lei (PL) 191/2020, que autoriza a atividade de mineração em terras indígenas. A proposição, criticada por ambientalistas e partidos de esquerda, deve ser votada nas próximas semanas.

O show realizado em torno do Congresso Nacional foi o ponto alto de uma ampla mobilização da sociedade contra o chamado “PL da Destruição”. Se aprovado, o projeto vai permitir a degradação de áreas preservadas e o desrespeito às terras indígenas.

Como votou a bancada federal paraense:

Airton Faleiro (PT-PA) – Não
Beto Faro (PT-PA) – Ausente
Cássio Andrade (PSB-PA) – votou Não
Celso Sabino (PSL-PA) – votou Sim
Cristiano Vale (PL-PA) – votou Sim
Éder Mauro (PSD-PA) – votou Sim
Elcione Barbalho (MDB-PA) – Não
Eduardo Costa (PTB-PA) – votou Não
Hélio Leite (União-PA) – Ausente
Joaquim Passarinho (PSD-PA) – votou Sim
José Priante (MDB-PA) – Sim
Júnior Ferrari (PSD-PA) – votou Sim
Nilson Pinto (PSDB-PA) – votou Sim
Olival Marques (DEM-PA) – Ausente
Paulo Bengtson (PTB-PA) – votou Sim
Vavá Martins (Republicanos-PA) – votou Sim
Vivi Reis (PSOL-PA)- Não

(Ilustração: blog Ponto de Pauta)

A frase do dia

“O Lula defender diálogo até com quem participou do “impeachment” da presidenta Dilma mostra a sua consciência do que se estará enfrentando em 2022. Consciência que está faltando em muita gente que acha que é só outra eleição quando pode ser nossa última chance contra o fascismo”.

Ricardo Pereira, jornalista e professor

A Feira do Som completa 50 anos no ar e ganha homenagens especiais

“Meus amigos da Cultura, aqui fala o Edgar Augusto…”. Esta é a abertura clássica da Feira do Som, que completou, no dia 1º de março, 50 anos no ar. O programa estreou na PRC-5 a 1º de março de 1972. Edgar Augusto Proença, o idealizador e apresentador da Feira, tinha à época 20 anos. Já conhecido pela crítica musical afiada e a paixão pelos Beatles, Edgar se desdobrava em outras funções na Rádio Clube do Pará, emissora fundada por seu avô, Edgar. Nesse período, trabalhou também como narrador esportivo.

Com uma pauta dedicada a retratar o melhor da produção musical paraense e nacional, a Feira do Som se tornou uma referência no rádio paraense. Por essa razão, a Funtelpa decidiu tributar o icônico programa apresentando como uma atração especial todas as últimas sextas-feiras do mês até dezembro, com transmissões simultâneas na Rádio Cultura FM e na TV Cultura, sempre entre 12h e 14h.

“Receberei músicos e convidados especiais. No encerramento, em dezembro, a Funtelpa tenciona fazer um grande show em homenagem ao programa no Teathro da Paz ou no Margarida Schiwazapa”, disse Edgar em contato telefônico com o blog campeão.