O disparate bolsonarista do dia

Negacionista declarado, anti-vacina e defensor de tratamento contra a covid não recomendado pela Ciência, Jair Bolsonaro concedeu a si próprio medalha de Mérito Científico. Não é piada. Ele editou um decreto em que condecora a si mesmo e a ministros de Estado com títulos da Ordem Nacional do Mérito Científico, honraria reservada a “personalidades nacionais e estrangeiras que se distinguiram por suas relevantes contribuições prestadas à Ciência, à Tecnologia e à Inovação”.

O decreto, publicado hoje no Diário Oficial da União, também condecora os ministros Marcos Pontes (Ciência, Tecnologia e Inovações), Carlos França (Relações Internacionais), Paulo Guedes (Economia) e Milton Ribeiro (Educação). A homenagem, porém, é regimental.

Desde 2002, quando Fernando Henrique Cardoso e o então secretário de Assuntos Estratégicos da Presidência, Ronaldo Sardenberg, assinaram o decreto que ainda está em vigor, o presidente da República é agraciado com o título de grão-mestre, e o ministro da Ciência, com o de chanceler.

PSC x Criciúma será jogado na Curuzu com portões fechados

A CBF acatou o pedido da Polícia Militar do Pará para que a partida entre PSC e Criciúma-SC, válida pela sexta rodada do Quadrangular Final da Série C do Campeonato Brasileiro, seja disputada com portões fechados. A solicitação ocorreu porque o serviço de inteligência da PM-PA detectar que torcedores poderiam promover um possível quebra-quebra na Curuzu. Contra o Ituano, houve uma invasão de torcedores que provocou a paralisação do jogo por 36 minutos.

A eliminação do PSC na rodada passada, com a derrota diante do Botafogo-PB, aumentou a preocupação em relação a tumultos no estádio. A própria diretoria do clube demonstrava certa apreensão em relação a isso.

Livro ensina como recuperar perdas e fraudes no FGTS

Para comemorar os 55 anos da maior poupança do trabalhador brasileiro, e chamar a atenção para as perdas e fraudes, o presidente do Instituto Fundo de Garantia do Trabalhador, Mario Avelino, lança o e-book ” Recupere seu dinheiro no Fundo de Garantia” onde vai abordar várias situações de prejuízos como confisco do Governo, o não depósito por empresas, desaparecimento ou roubo pela ação de quadrilhas e hackers.

“Não tenho dúvidas em afirmar que, nos últimos 55 anos, o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço foi um dos maiores benefícios do trabalhador brasileiro. É um Fundo Social, que investe em Habitação Popular, Saneamento Básico, Infra-Estrutura Urbana e Saúde, com um saldo total em 2021 de aproximadamente R$ 570 bilhões. Graças a ele, milhões de famílias tem sua casa própria, tem água e esgoto e uma melhor mobilidade urbana, além de gerar milhões de empregos e ajudar a movimentar a economia do país” diz Mario Avelino, alertando que por conta disso, é um dinheiro que tem que ser valorizado pelo trabalhador, que deve aprender a tomar conta de sua poupança.

Criado em 1966, inicialmente deu a opção de o trabalhador trocar a estabilidade no emprego após 10 anos de trabalho, por uma poupança, onde mensalmente a empresa ou o empregador doméstico depositam 8% (oito por cento) sobre o salário pago no mês (mais horas extras, comissões, etc., além de férias, 13º. Salário e Rescisão), e que o trabalhador sacará um dia de acordo com 22 situações de saque previstas na Lei, tais como demissão sem justa causa, aposentadoria, comprar a casa própria, e muitas outras situações.

” Fundo de Garantia do Tempo de Serviço, não é desconto em folha de pagamento, é uma poupança privada do trabalhador, que é o seu único dono, e não do governo ou da Caixa Econômica Federal, como muitos trabalhadores acham que é” , afirma Avelino.

O autor chama atenção para o fato de que nos últimos 55 anos, milhões de trabalhadores foram e continuam sendo prejudicados em seu dinheiro no Fundo de Garantia nas seguintes situações:

1) Atualização Monetária para repor as perdas geradas pela inflação. O governo, desde 1999, já deixou de creditar mais de R$ 580 bilhões dos trabalhadores através da Taxa Referencial;

2) Se a empresa não depositar, o governo não garante os depósitos, o que ele faz é cobrar, se não conseguir, o trabalhador é que tem que correr atrás, entrando com uma Ação Trabalhista. São mais de 230 mil empresas inscritas na Dívida Ativa da União, devendo mais de R$ 36 bilhões no Fundo de Garantia não depositado;

3) Já houve milhares de contas do Fundo de Garantia sacadas por fraudadores, e se o trabalhador não correr atrás, fica no prejuízo;

4) Milhares de contas do Fundo de Garantia desapareceram em 1992, quando houve a centralização do Fundo na Caixa Econômica Federal;

5 – E muitas outras situações como:

– Os expurgos dos Planos Econômicos Bresser, Verão, Collor I e Collor II;

– Empresas que não pagam a Multa de 40% em caso de demissão sem justa causa;

– Erros operacionais dos bancos no passado, dentre outras situações.

O livro mostra detalhadamente as nove principais situações de perdas nestes últimos 55 anos: Quem gera as perdas aos trabalhadores; Como elas são geradas; Como evitar cair nestas situações de perdas, e principalmente; Como recuperar o dinheiro perdido ou fraudado.

Segundo Mario Avelino o objetivo da publicação é fazer com que o trabalhador tenha consciência e a atitude de acompanhar e fiscalizar seu dinheiro do Fundo de Garantia. Caso tenha algum erro, tome uma atitude para recuperar e receber corretamente esse seu direito trabalhista, garantido pela Constituição Federal.

“O melhor fiscal do Fundo de Garantia é o trabalhador, que é o seu único dono”, finaliza.

O Livro “Recupere seu dinheiro no Fundo de Garantia”, editado pela Editora Planeta Azul, será lançado no dia 10 de novembro pela Instituto Fundo de Garantia do Trabalhador no site, com o custo promocional de R$ 9,90 até o final de novembro dentro das promoções da Black Friday. Após esta data o custo será de R$ 19,90.