Em defesa do arcebispo de Aparecida

Imagem

A Cáritas Brasileira, organismo da Conferência Nacional dos Bispos – CNBB, manifestou publicamente neste domingo (17) repúdio e aversão à fala do deputado bolsonarista Frederico Braun D’Ávila (PSL-SP), que usou a tribuna da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp) para ofender e agredir D. Orlando Brandes, arcebispo de Aparecida.

“Repudiamos o uso de um espaço do povo para incentivar a violência, agredir verbalmente ao Santo Padre o Papa Francisco e atacar a Igreja no Brasil, assim como aos seus bispos”, diz a nota da Cáritas.

“Historicamente a Igreja no Brasil esteve comprometida com a promoção da paz e construção de uma sociedade do Bem Viver. O uso de linguagem violenta, como a usada pelo deputado paulista, apenas reforça a importância de resgatar princípios civilizados e humanos no nosso país”.

“Expressamos nossa solidariedade e apoio a Dom Orlando Brandes, assim como a todos e todas que foram atingidos pela fala do deputado paulista”, conclui a mensagem.

Flertando com o drama

POR GERSON NOGUEIRA

Edu Brusque

Os sinais de alerta estavam postos há pelo menos sete rodadas. O time parou de evoluir. Pior: regrediu no aspecto coletivo, com visível queda de rendimento individual de jogadores importantes. Na sexta-feira à tarde, em Brusque, a situação desandou em 45 minutos. Depois de um bom 1º tempo, com vitória parcial de 1 a 0, o Remo sucumbiu à pressão adversária e permitiu a virada na etapa final.

As cenas de relaxamento e falta de apetite competitivo apareceram na segunda metade da partida, permitindo que o time sofresse a virada. Com o resultado, o Remo cai para a 13ª colocação e se prepara para passar por sofrimento, risco e dramaticidade para garantir permanência.

O que se viu no 2º tempo foi seguramente a pior atuação remista sob o comando de Felipe Conceição. Em determinados momentos, após ter sofrido dois gols em três minutos, o Remo parecia tão perdido em campo que se expôs ao risco de sofrer uma goleada.

O Brusque, mesmo sem exibir brilho especial, redobrou presença no meio-campo, botou bola na trave, perdeu um pênalti e armou seguidos contra-ataques, sempre levando muito perigo. Pode-se dizer que o Remo foi um time enquanto Pingo esteve em campo, e outro sem ele.

Com a lesão sofrida pelo volante, Uchoa, afastado há quase dois meses, foi lançado para cuidar do primeiro combate. Não funcionou pelo simples fato de que Uchoa está visivelmente fora de ritmo.

Para piorar, Artur, escolha insistente de Felipe Conceição, não acertava nenhum passe; Marcos Junior, idem, e os laterais pareciam fincados no chão, sem avançar por força da presença de atacantes rápidos (Garcez, Edu e Tiago Alagoano) na intermediária do Remo.

Brusque-SC 3×1 Remo (Lucas Tocantins)

Expostos aos contragolpes do Brusque, os zagueiros Kevem e Marlon tinham que partir para o embate direto. Lucas Siqueira permaneceu no banco. Seria a escolha mais lógica para o lugar de Pingo. O Brusque ainda fez o terceiro gol em lance de completa bagunça defensiva do Remo.

As poucas faltas conseguidas foram cobradas com desleixo por Gedoz, algo já corriqueiro na atual campanha. Gedoz também desperdiçou o pênalti mesmo diante do atacante Edu improvisado como goleiro.

Jefferson, Neto Pessoa e Ronald substituíram Marcos Jr., Victor Andrade e Artur, mas pouco puderam fazer diante da inoperância do meio-campo. Enquanto errava muito na frente, Tiago Coelho pontificava como grande nome do time no jogo, com quatro excelentes intervenções.

As poucas faltas conseguidas foram cobradas com desleixo por Gedoz, algo já corriqueiro na atual campanha. Gedoz também desperdiçou o pênalti sofrido por Jefferson mesmo diante de um improvisado Edu embaixo da trave. No rebote, Jansen fez o gol, mas o lance foi invalidado.

Brusque mereceu vencer, mas VAR pesou na balança

O VAR costuma mudar o que se imagina seja a ordem natural das coisas no futebol. Quase sempre interferindo para melhor, fazendo justiça e evitando erros crassos. Em alguns jogos, porém, o árbitro de vídeo acaba tendo uma participação decisiva e deixa no ar mais dúvidas que certezas.

Foi o caso da partida Brusque x Remo, sexta-feira, em Brusque-SC. Pelo menos cinco situações importantes tiveram as digitais (por ação ou omissão) do VAR. Aos 17 minutos de jogo, um lance promissor na área foi interrompido por empurrão de Claudinho em Victor Andrade.

No lance do primeiro gol do Brusque ficou a impressão de impedimento do zagueiro autor do cabeceio. Não houve revisão do lance, até porque o sistema que traça linhas não estaria funcionando àquela altura.

No segundo gol do Brusque, a bola foi tocada com o braço pelo atacante Garcez antes de sobrar para a finalização de Tiago Alagoano. O VAR novamente se omitiu ou entendeu não haver irregularidade.

O olhar eletrônico assinalaria, corretamente, o penal cometido por Tiago Ennes, mas deixou (de novo) de revisar lance que favorecia o Remo no gol marcado por Lucas Tocantins no começo da etapa final.

O VAR ainda desmarcaria o gol de Rafael Jansen após pênalti defendido por Edu. Jansen teria invadido a área ao avançar para aproveitar o rebote. A imagem que comprovaria a irregularidade não foi exibida.

Apesar da atuação pífia e errática no 2º tempo, que justificou plenamente a vitória do Brusque, os azulinos têm o direito de reclamar da confusa atuação do árbitro Vinicius Gomes Amaral e da indisfarçável má vontade da cabine do VAR (chefiada pelo gaúcho Daniel Bins).

Bola na Torre

O programa começa às 22h deste domingo, na RBATV, com apresentação de Giuseppe Tommaso e participações de Valmir Rodrigues e deste escriba de Baião. Em pauta, a rodada das séries B e C e a fase inicial da Copa Verde. A edição é de Lourdes Cézar.

Copa Verde ainda à espera de maior valorização

De atuação inquestionável no incentivo ao futebol paraense, o governador Helder Barbalho destacou a importância do esporte dentro das prioridades de sua gestão, por ocasião do lançamento festivo da Copa Verde em Belém, sob os auspícios da CBF.

A CBF certamente iria merecer agradecimentos mais efusivos se valorizasse de verdade a competição. O principal ponto de questionamento diz respeito à premiação, que não se altera há anos e funciona como fator de desestímulo aos clubes.

Ednaldo Rodrigues, presidente da CBF, fez os salamaleques de praxe lembrando a abrangência do torneio (11 Estados, mais o Distrito Federal), mas nada falou quanto a investimentos mais decentes para turbinar a Copa.

(Coluna publicada no Bola, edição de domingo, 17)

A frase do dia

“De vez em quando aparece uns “analistas políticos” que dizem que bolsonaro foi eleito porque o subestimamos, blá blá blá. Não, bolsonaro foi eleito porque prenderam o Lula para ele não ser candidato e ganhar em 2018. Qualquer discussão sobre 2018 pode acabar por aí”.

Ricardo Pereira, jornalista e professor

Ituano vence, de virada, e complica planos do Papão na Série C

Gerson Magrão comemora gol do Ituano contra o Paysandu

O PSC segue sem vencer na segunda fase da Série C. Na tarde deste sábado, em Itu-SP, o time paraense foi derrotado pelo Ituano por 3 a 1 e complicou sua situação no quadrangular que define o acesso à Série B. O início da partida foi movimentado. Aos seis minutos, de pênalti, o Papão abriu vantagem em cobrança de Marlon. Aos 11′, Mateus Mancini empatou para o Ituano. Depois, o meia Gerson Magrão (foto), de cabeça, virou o marcador. O terceiro gol dos paulistas foi marcado no final da partida, por João Victor.

Com um total de 14 finalizações, 10 do Ituano, o primeiro tempo da partida foi disputado em ritmo acelerado no estádio Novelli Junior. Logo aos 5 minutos, o atacante Danrlei recebeu junto à área e foi atingido por Mateus Mancini. Árbitro marca o pênalti, sob protestos do Ituano. Falta pareceu ter acontecido fora da área, mas o VAR apresentava problemas e não houve a revisão do lance. Marlon cobrou e abriu o placar.

Imagem

Depois do gol, o PSC passou a ser pressionado pelo Ituano e acabou cedendo o empate apenas cinco minutos depois, com o próprio Mancini, que havia cometido a falta que gerou o pênalti. Em cruzamento, Tiago Marques cabeceia, Victor Souza rebateu e a bola ficou livre para o zagueiro emendar para o fundo das redes.

Bem mais organizado e agressivo, o Ituano chegaria ao segundo gol com Gerson Magrão, que testou de cabeça no canto, livre de marcação. Com ataques seguidos, o Ituano só não ampliou a vantagem porque seus atacantes falharam nas finalizações. Muito retraído, o Papão buscava contra-ataques para tentar chegar ao gol.

Aos 24′, Marlon teve boa chance. Dominou a bola na área e cruzou para Rildo, que pegou de primeira e botou a bola nas mãos do goleiro Pegorari. Aos 30′, a oportunidade coube a Denilson, que desviou de cabeça com perigo.

O segundo gol do Ituano veio aos 34′. Um contra-ataque puxado por Igor Henrique e Kaio termina com cruzamento na cabeça de Gerson Magrão, que escora para o gol. Foi o terceiro gol de Magrão após nove partidas pelo Ituano.

Quase ao final, um novo susto para a defensiva paraense. Igor Henrique deu um giro sobre Paulo Roberto e disparou de fora da área. A bola passa muito perto.

Ituano x Paysandu, Série C do Brasileiro, Kaio

Apesar de alguns lances emocionantes, o segundo tempo foi menos intenso do que o primeiro. A marcação prevaleceu e os times tiveram menos chances de gol. O PSC ameaçava com Rildo, mas o Ituano chegava sempre com perigo. Aos 19′, um cabeceio forte de Tiago Marques gerou reclamações do Ituano, que alegou que o goleiro Victor Souza defendeu já dentro do gol.

Aos 47′, a bronca foi dos jogadores do PSC. Rafael Grampola (que substituiu Danrlei) recebeu lançamento em condição normal, dominou e chutou para o gol, mas o assistente marcou impedimento.

Aos 49 minutos, em contragolpe fulminante, João Victor marcou e fechou o placar em 3 a 1 para o Ituano. Ele recebeu lançamento, entrou no campo de defesa do PSC e bateu na saída do goleiro Victor Souza.

O Ituano chegou aos 6 pontos na classificação, ocupando a liderança do Grupo C da Série C. Com dois empates e uma derrota, o PSC é o terceiro, atrás do Criciúma (4), que empatou com o Botafogo-PB em 0 a 0. No próximo sábado, às 17h, o PSC recebe o Ituano na Curuzu. Depois, sai para enfrentar o Botafogo e volta para jogar com o Criciúma, em Belém.