A vitória como prioridade

POR GERSON NOGUEIRA

Imagem

O Grupo C está embolado, todos ainda têm chances de acesso. Diante disso, o PSC precisa conquistar a liderança, ou se posicionar em segundo lugar. Para tanto, é obrigatório que passe pelo Botafogo paraibano hoje na Curuzu. A situação do visitante é pior ainda, pois perdeu em casa (para o Ituano) na primeira rodada.

Para os bicolores, que conseguiram um empate contra o Criciúma, não pode haver hesitação. A prioridade absoluta é vencer, o que nem sempre é tarefa simples, ainda mais em competição de forte equilíbrio.

A vantagem para a equipe de Roberto Fonseca é que, pela primeira vez após um ano e meio, a torcida estará presente. A Curuzu vai receber a Fiel, ansiosa por acompanhar e empurrar o time. Serão cerca de cinco mil torcedores, quantidade suficiente para fazer um barulho bom.

Em campo, o Papão vem evoluindo a cada jogo desde que se classificou com a vitória sobre o Altos-PI. Desde então, foram dois jogos (Manaus e Criciúma) bem encaixados, taticamente corretos.

Fonseca já tem um time formatado, com poucas variações. A defesa está mais confiável com Perema-Denilson, as laterais têm Leandro e Diego Matos. No meio, que já foi motivo de muita dor de cabeça, a entrada de José Aldo arrumou as coisas. Os volantes devem ser Marino e Paulo Roberto.

Na linha de ataque, Marlon e Rildo são os titulares. O centro fica entre Danrlei e Rafael Grampola. O técnico manifesta ainda ter dúvida, mas é improvável que desafie a torcida escalando o lento Grampola e deixe o baionense Danrlei no banco. Outra vantagem do retorno do torcedor aos estádios. Técnicos marrentos passam a ter freio.

O Botafogo venceu os dois jogos contra o PSC nesta Série C, mas parece ter perdido parte de sua força ao longo da disputa. De toda sorte, é um adversário sempre tinhoso, que sabe jogar como visitante.

De técnico novo, Tigre vence e ensaia se agigantar

A vitória do Criciúma sobre o Ituano, 2 a 0, ontem, embolou um pouco o Grupo C, recolocando o Tigre catarinense na briga pelo acesso após o empate em casa diante do PSC. A troca de técnico (Paulo Baier por Claudio Tencati) fez bem à equipe, que surpreendeu o Ituano de Mazola Jr.

O equilíbrio predominou na partida. As equipes erraram muito. O Criciúma começou melhor e fez o primeiro em passe de Silvinho para Claudinho. Depois, quando o Ituano estava melhor, outra boa assistência de Silvinho deixou Dudu Vieira livre para finalizar.

O Criciúma assume a liderança, seguido pelo Ituano, mas pode ser alcançado pelo PSC. Curiosamente, as duas vitórias no grupo foram conquistadas por visitantes. O Papão que se acautele.

E a CBF confirmou dias e horários dos jogos do “returno” da segunda fase. PSC x Ituano será no dia 23/10, sábado, às 17h (domingo, às 18h). Finalmente, PSC x Criciúma será a 7 de novembro, domingo, às 18h.

Mais 90 minutos de pura inutilidade e tédio

Neymar errou 15 passes no jogo contra a Colômbia pelas Eliminatórias. Ele nunca havia errado tanto em um jogo pelo torneio. Confuso, tentando dribles impossíveis, confirmou a fase técnica ruim. A má atuação do camisa 10 se espraiou pelo time brasileiro, que pouco incomodou a zaga colombiana durante o jogo tedioso.

No primeiro tempo, a melhor chance foi também o único bom momento de Neymar. Ele tocou para Paquetá, que errou a finalização. Fred, uma invenção de Tite, perdeu outra chance.  Apesar do empate, a Seleção segue absoluta na liderança das Eliminatórias.

O segundo tempo foi ainda mais sonolento. Uma Seleção pouco inspirada, desinteressada e que não apresenta soluções quando se vê obrigada a superar linhas de marcação. Tite tirou Gabigol, botou o rápido Rafinha, mas não houve melhora.

A Colômbia então começou a assumir o controle das ações, criou algumas jogadas pelos lados, mas sem levar perigo suficiente. O Brasil de Tite está sem repertório e seus problemas vão além de Neymar. Não há meio-campo criativo, a insistência com Paquetá é outro delírio. A Copa está chegando e, desta vez, a Seleção não vai chegar como favorita. O que pode ser bom.

No clássico Argentina x Uruguai, a confirmação de que os argentinos estão jogando melhor, apesar de distantes do Brasil na pontuação. Messi tem com quem variar jogadas, por isso os gols saem naturalmente.

Alvinegro praiano mostra como se faz

Barrar um contumaz negacionista, que alega (com orgulho!) não ter se vacinado, foi o golaço da rodada no combate à pandemia neste fim de semana. Ponto para o Santos, que teve a coragem de impedir o abuso aos protocolos sanitários, vetando a entrada do indisciplinado presidente do Brasil, que diariamente descumpre regras e faz apologia do “liberou geral” mesmo após 600 mil vidas perdidas para a covid-19 no país.

Talvez por isso mesmo os deuses ajudaram e, em campo, o Peixe venceu o Grêmio no finalzinho, com gol chorado. Detalhe: foi o próprio Bolsonaro que revelou ter sido barrado na Vila Belmiro.

(Coluna publicada no Bola, edição desta segunda-feira, 11)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s