Uma vitória estratégica

REMO X AVAI - Victor Andrade jogador do Remo comemora seu gol durante partida contra o Avaí no estádio Baenão pelo campeonato Brasileiro B 2021.

POR GERSON NOGUEIRA

Com boa movimentação no meio-campo, que não sofreu abalos nem quando Artur e Marcos Junior foram substituídos, o Remo se impôs ao Avaí, mostrou autoridade em casa para conquistar sua nona vitória na Série B e a primeira do returno em Belém.

O triunfo tem caráter estratégico dentro do planejamento que o clube fez para garantir permanência na Segunda Divisão. Não alcançou ainda a primeira página (G10), mas ficou muito próximo disso – em 11º lugar, colou no Vasco e se distanciou ainda mais da parte inferior da tabela.

O começo foi equilibrado, com troca de passes e estudos em excesso. Aos 14 minutos, surgiu a primeira chance. Em cobrança de falta (sofrida por Mateus Oliveira), Felipe Gedoz rolou para Marlon encher o pé. A bola foi no meio do gol e o goleiro Gledson espalmou para o lado.

Com mais posse de bola, faltava ao Remo profundidade e força ofensiva. Victor Andrade era a válvula de escape e enfileirou faltas sofridas junto à grande área. O time aumentou a pressão na saída de bola do Avaí, mas abria a guarda para tentativas de Copete e Vinícius Leite.

Até que, aos 43’, uma bola foi recuperada no meio-campo por Marcos Jr., que acionou Gedoz e este tocou para Mateus Oliveira junto à grande área. O nº 7 viu Victor Andrade entrando entre os zagueiros e lançou. O atacante recebeu e tocou no canto esquerdo de Gledson para abrir o placar.

Logo na saída, o Avaí quase empatou. Aos 44’, Vinicius Leite cruzou rasante da esquerda, a bola desviou no gramado e quase enganou o goleiro Vinícius, que desviou em cima do laço.

O segundo tempo mostrou mais movimentação dos times, principalmente o Avaí, que buscava empatar para avançar na classificação. Logo aos 10 minutos, o lateral Edilson cobrou falta com violência, Vinícius deu rebote. Marlon e Copete foram na bola e o árbitro José Mendonça Junior (com revisão do VAR) deu o penal. Entendi o lance como normal.

Remo x Avaí

Na cobrança, Edilson chutou no canto esquerdo para nova defesa de Vinícius, mas a bola voltou para a conclusão do lateral do Avaí. Com o empate em 1 a 1, a partida ganhou outro cenário. O visitante partiu para tentar a virada, mas a zaga azulina se comportou bem.

Felipe Conceição trocou Marcos Jr. e Victor Andrade por Pingo e Lucas Tocantins. Aos 20’, já no banco de reservas, Victor Andrade xinga o auxiliar e recebe acertadamente o cartão vermelho.

O prejuízo foi compensado com sobras aos 26’. Pingo cobrou falta do lado esquerdo do ataque e o zagueiro Fagner Alemão desvia de cabeça para as redes de Gledson, desempatando o jogo.

Rafinha entrou no lugar de Mateus Oliveira e passa a atuar pela faixa direita. Em seguida, duas novas trocas: Romércio e Renan Gorne substituem a Artur e Felipe Gedoz. O Remo muda de configuração passando a jogar com Marlon mais adiantado junto a Pingo, enquanto Lucas Siqueira avança pela esquerda ao lado de Raimar.

Aos 31’, com o Remo mandando no jogo, o lateral Edilson é expulso por chutar a bola em direção ao banco azulino. Ainda haveria lugar para um susto tremendo no setor defensivo azulino: Jansen entrega a bola nos pés de Copete, mas o colombiano manda por cima do gol.

Com um homem a mais, o Leão passa tocar a bola e distribuir o jogo pelas extremas e isso geraria ainda três grandes chances para ampliar, com Raimar, Lucas Tocantins e Rafinha. (Fotos: Fernando Torres/Agif)

Reunião pode definir volta da torcida aos estádios

Gestores da Prefeitura de Belém, à frente o prefeito Edmilson Rodrigues, reúnem hoje com dirigentes de Remo, PSC e Tuna para definir os termos da volta das torcidas aos estádios da capital paraense. As autoridades sanitárias serão fundamentais na decisão. A expectativa é de que a liberação seja ampliada para pelo menos 30% da capacidade dos estádios.

Desde 18 de janeiro de 2021 até ontem, foram aplicadas 1.500.085 doses de vacinas contra a covid-19 – 978.483 pessoas já se vacinaram com a primeira dose e 521.602 com a segunda, segundo o site Belém Vacinada. O prefeito já afirmou que a decisão só será tomada a partir do posicionamento dos profissionais de saúde.

Os clubes, principalmente Remo e PSC, lutam para que a PMB autorize a liberação de 30%, ao contrário dos 20% definidos na semana passada. O presidente do Remo se posicionou nos últimos dias pleiteando um percentual entre 30% e 50%.

Alega que, nesse limite, os clubes terão prejuízo. Serão obrigados a cobrar ingressos a preços elevados, entre R$ 200,00 e R$ 300,00. A argumentação é válida, mas as autoridades sanitárias devem ter a palavra final.

Não se sustenta nem mesmo a crítica quanto à liberação de festas e outras atividades. Afinal, por mais que esteja havendo um desrespeito às normas, é preciso entender que o controle de grandes públicos nos estádios deve ser rígido e inteiramente fiel aos protocolos contra a covid-19.

Confronto de masters é atração em Baião

Seleção baionense de masters e Amar Cametá se enfrentam no estádio municipal de Baião, hoje, às 16h. Quando o amigo radialista Enilson Nonato me informou ontem pela manhã de imediato viajei no tempo, lembrando de grandes embates entre times e seleções dos dois municípios.

À época, final dos anos 70, o Intermunicipal era um torneio que concentrava atenções em todas as regiões do Estado e revelava bons valores. Foi em disputas como essa que bons jogadores surgiram, alguns chegando aos grandes da capital, como Oberdan e Marçal.  

(Coluna publicada na edição do Bola desta sexta-feira, 17)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s