Remo atinge 143 mil interações no Facebook e ocupa 10º lugar em ranking nacional

Remo está em 10ª luigar em ranking semanal redes sociais — Foto: Ascom/ Remo

O Remo foi o único clube do norte do Brasil a ser mencionado em um levantamento que avalia as interações semanais nas páginas oficiais das equipes em redes sociais. O Leão aparece em 10º lugar entre os times com mais interações no Facebook. O levantamento é do site Marketing Esportivo em parceria com o Samba Digital e divulgado nesta quarta-feira (5).

O levantamento levou em consideração as interações das páginas oficiais de redes sociais de equipes do Brasil durante os últimos sete dias. Foram avaliados os engajamentos nos perfis do Facebook, Twitter e Instagram. No final, o estudo fez um ranking “agregado”, juntando as interações das três redes sociais.

O único dos três rankings que o Remo aparece entre os 10 melhores em número de interações é no Facebook. O Leão ficou na 10ª posição, com 143 mil interações na última semana.

Segundo a assessoria do Leão, no ranking geral, o clube se manteve no Top 20 nas oito últimas semanas, com 493 mil interações. Além disso, o Mais Querido garantiu a 16ª colocação no Instagram, com 329 mil interações.

No sufoco, Papão derrota Bragantino e garante presença nas semifinais

Muito pressionado pelas atuações ruins nas últimas partidas, o PSC enfrentou o Bragantino na noite desta quarta-feira na Curuzu, teve amplo domínio, mas só conseguiu marcar o gol já na reta final da partida, após um bate-rebate na área do Tubarão. O goleiro Deco Jr. tentou segurar uma bola alta, ela escapuliu e na sequência houve um chute no travessão, seguido de rebote que o volante Elyezer, que entrou no 2º tempo, aproveitou. O disparo ainda desviou no zagueiro Romário e enganou o goleiro.

Apesar de a posse de bola contra um Bragantino excessivamente recuado, o PSC não encontrava jeito de entrar na área ou criar situações perigosas. Insistia nos cruzamentos, sem conseguir sucesso. As mudanças feitas pelo técnico Itamar Schulle renovaram as forças e o time partiu para resolver o jogo. Jhonnatan, Elyezer e Ruy entraram e o meio-de-campo passou a tocar a bola com mais acerto, acuando o Tubarão ainda mais.

Pela sexta partida consecutiva, a defesa alviceleste não sofreu gols, fato bastante destacado pelo técnico Itamar Schulle, que na hora do gol de Elyezer vibrou muito e gritou em direção às cabines de imprensa, como uma resposta-desabafo às seguidas críticas ao desempenho da equipe no Parazão.

Nos minutos finais, na base do abafa, o Bragantino tentou chegar ao empate, mas se perdeu na falta de criatividade e pontaria de seus atacantes. Com a vitória, o PSC vai enfrentar o Castanhal nas semifinais. O Japiim derrotou o Independente por 2 a 1, dentro de Tucuruí e já é o campeão do interior da temporada – prêmio ofertado pelo Troféu Camisa 13.

Elyeser comemora o gol da vitória do Paysandu sobre o Bragantino-PA

Tuna x Remo, uma semifinal que não acontecia há 19 anos

Remo X Tuna voltam a fazer clássico no Baenão | Esporte Pará | Diário  Online | DOL

As semifinais entre Remo x Tuna, confirmadas com a classificação da Lusa nesta quarta-feira, trazem confrontos que a torcida há muito tempo não via. Os times não se enfrentam desde 2019, quando o Remo venceu amistosamente por 1 a 0 no Baenão, com um golaço do lateral Ronaell.

Oficialmente, Remo x Tuna não se enfrentam oficialmente desde 2013, quando o Leão Azul venceu por 1a 0, no Baenão, com gol de Thiago Galhardo (hoje no Inter), e o goleiro Fabiano defendendo um pênalti.

A última vez em que as duas equipes se enfrentaram no estádio do Souza foi em amistoso de 2013, com vitória azulina por 2 a 0, com gols de Leandro Cearense e Branco.

A última vez que Leão Azul e Águia do Souza se enfrentaram em semifinal de Parazão foi em 2002, e quem levou a melhor foi a Tuna, que venceu por 1 a 0 na ida e empatou em 1 a 1 na volta.

Como o PSC se classificou para as semifinais, derrotando o Bragantino por 1 a 0, a Tuna garantiu automaticamente participação na Série D 2022 como representante paraense.

Abra um livro pra livraria Fox não fechar

Amigos da Fox Belém, que este ano completa 34 anos, abriram nesta quarta-feira uma campanha para salvar a livraria. “Ela corre o risco de fechar as portas, em razão do impacto econômico causado pela pandemia. E a gente não pode deixar. A Fox é genuinamente paraense, e, além dos lançamentos nacionais e internacionais, tem todos os títulos dos escritores paraenses”, diz o anúncio, que circula nas redes sociais.

“Nosso desafio é que você compre, nos próximos dez dias, um livro ou dvd ou blue ray ou artigos de papelaria e presentes na Fox. Vá lá direto ou compre pelo telefone. Aproveite o Dia das Mães. Vamos deixar a Fox de portas abertas. A Fox é do Pará”.

Endereço da Fox: travessa Doutor Moraes, 584. Entre Conselheiro e Mundurucus. Fone: (91) 4008 0007.

Surge o primeiro finalista

POR GERSON NOGUEIRA

Remo vence o Águi de Marabá no Baenão

Com a classificação encaminhada, após vencer por 3 a 1 na primeira partida, o Remo pecou por certa acomodação contra o Águia ontem à noite, no Baenão. Ganhou, mas passou a impressão de que a vantagem no cruzamento deixou o time burocrático, situação evidenciada no 1º tempo. Na segunda parte, com movimentação e intensidade, a história mudou.

Depois de algumas tentativas de aproximação, a única chance clara só aconteceu aos 46 minutos em chute de Renan Gorne por cima da trave, depois de boa manobra de Erick Flores pelo lado direito da área.

Ao longo da primeira etapa, o Remo não conseguia impor pressão pelos lados, como costuma fazer com grande eficiência. Contra um adversário muito recuado, evitando riscos, havia necessidade de um meio-campo mais criativo, mas as jogadas não fluíam.

Felipe Gedoz errava nas tentativas de lançamento e, posicionados mais à frente, Erick e Dioguinho não conseguiam entrar na área. Faltava capricho na troca de passes. Apesar da superioridade técnica, o time tinha dificuldades em demonstrar isso no jogo.

Nem os gritos irritados de Paulo Bonamigo conseguiam acelerar a saída de bola remista. Como o Águia não queria se expor e o Remo não sabia furar o bloqueio, a etapa inicial terminou em branco.

Logo no recomeço da partida, Renan Gorne quase marcou de sem-pulo, após cabeceio de Wellington Silva. Minutos depois, Bonamigo trocou Dioguinho e Gorne por Gabriel Lima e Edson Cariús.

A mudança surtiu efeito. O Remo passou a pressionar com insistência e fazendo uso correto das laterais. Marlon finalmente encontrou espaço para avançar, passando a executar a jogada mais letal do Remo, em triangulações com Gabriel e Lucas Siqueira.

Aos 19 minutos, Marlon bateu firme da entrada da área e Gustavo Henrique botou para escanteio. Aos 25’, uma tabelinha inspirada entre Erick e Gedoz abriu a zaga do Águia, mas o camisa 10 chutou para fora.  

Foi pela esquerda do ataque que nasceu o gol da vitória. Aos 33 minutos, Marlon chegou à linha de fundo, cruzou rasteiro e Cariús tocou para as redes. O gol podia ter saído cinco minutos antes em jogada exatamente igual, finalizada por Cariús e defendida brilhantemente pelo goleiro.

Placar econômico, mas suficiente para assegurar um triunfo tranquilo. Bonamigo atinge mais uma etapa do processo de preparação do time, tendo a chance privilegiada de observar todos os principais jogadores do elenco.

Diante do Águia, deu nova chance – bem aproveitada – a Erick Flores, lançou o estreante Vinícius Kiss nos 20 minutos finais, experimentou Lucas como quarto zagueiro e viu Gabriel Lima imprimir velocidade ao ataque. Deve ter notado, também, que Renan Oliveira continua desconectado. (Foto: Samara Miranda/Ascom Remo)

Lusa, Papão e Galo devem garantir vagas hoje

A 2ª rodada das quartas de final define hoje os outros três semifinalistas. A Tuna tem todas as condições para garantir a vaga, recebendo o Itupiranga no Souza. Podendo perder até por dois gols de diferença e com um time melhor ajustado, só um tsunami impediria a classificação da Lusa.

O PSC joga com o Bragantino, à noite, na Curuzu, precisando vencer para seguir na competição. O empate em 0 a 0 na primeira partida adicionou certo suspense à disputa, mas é fato que em casa o Papão deve ter uma outra postura, buscando o gol e se garantindo nas semifinais.

Nem as mudanças confusas que Itamar Schulle faz devem impedir que os bicolores avancem. A tendência é que, em atenção às críticas da torcida, ele evite insistir com Bruno Paulista e Ruy. Ari Moura, que pede passagem, deve ser o companheiro de Nicolas e Igor Goularte no ataque.

Em Tucuruí, o Independente enfrenta o Castanhal num autêntico clássico interiorano. Sinomar Naves contra Cacaio. Pela melhor campanha, o Galo é o mais credenciado a avançar, mas se contar com Danrlei a tarefa será facilitada. O baionense é um dos grandes atacantes do Parazão.

PSG cai e Neymar fica (de novo) na vontade

O grande sonho do PSG em relação à Liga dos Campeões foi adiado outra vez. O time francês caiu frente ao Manchester City de Pep Guardiola sem ameaçar de verdade o gol de Ederson ao longo dos 90 minutos. Como a Champions não dá brecha a competidores apenas esforçados, o time de Mauricio Pochettino em nenhum momento ameaçou reverter a desvantagem do primeiro jogo.

Essa incapacidade de agredir e incomodar deveu-se à superioridade do City, à ausência de Mbappé e à insistência de Neymar em dribles desnecessários e contraproducentes. O individualismo do brasileiro só acentuou as limitações coletivas do time.

No final, sem recursos para pelo menos equilibrar o confronto, ainda teve a expulsão de Di María para complicar de vez as coisas. O City triunfou com sobras, podia ter feito mais gols como consequência natural de um jogo sólido taticamente, liderado pelo excepcional Kevin De Bruyne.

Os jornais espanhóis não perdoaram o novo fracasso de Neymar. Em oito anos de Europa, ele só levantou uma Champions (2013), ao lado de Messi e Luizito Suarez no Barcelona. Muito pouco para um candidato a astro de primeira grandeza que, por ora, está mais próximo de trajetórias de jogadores bem menos cotados, como Robinho.

Só no PSG, para onde mudou de mala e cuia após ser adquirido por 222 milhões de euros, Neymar já está há quatro temporadas, sem conseguir o êxito que pretendia. Em duas ocasiões ficou de fora por lesões graves.

Mesmo naquele Barcelona de ataque infernal e grande entrosamento, o brasileiro ficou nas quartas de final da Champions em três ocasiões.

Depois das recentes frustrações, na Champions e em Copas do Mundo, Neymar periga ficar na prateleira dos jogadores excepcionalmente habilidosos, mas pouco produtivos para os times que defendem. 

(Coluna publicada na edição do Bola desta quarta-feira, 05)