Líder Leão ficou devendo

Azulinos comemoram gol de Gedoz

POR GERSON NOGUEIRA

Durante boa parte do jogo em Paragominas, o Remo se limitou a rebater bolas na defesa, aceitando passivamente a meia pressão exercida pelo time da casa. O time parecia sentir a temperatura elevada, comportando-se com displicência em vários momentos, abrindo claros na marcação.

Nos primeiros 20 minutos, o Paragominas tomou a iniciativa, buscando chegar ao gol, afinal precisava vencer para se classificar. Sem cobertura adequada à frente da zaga, a última linha do Remo sofreu com as investidas rápidas de Paulo Vítor e Aleilson, principalmente.

Aos 24 minutos, Kaikinha perdeu um gol de cara, batendo rasteiro para boa defesa de Vinícius. Logo em seguida, Aleilson recebeu na área, aplicou um chapéu em Fredson e perdeu tempo na hora de bater para as redes. A bola acabou saindo à esquerda da trave.

Enquanto isso, o Remo tinha como única estratégia ofensiva cruzamentos em direção a Edson Cariús. Muito bem vigiado pelos zagueiros, o centroavante não conseguiu acertar um cabeceio.

As manobras de aproximação eram prejudicadas pela distância entre Dioguinho, que fez seu pior jogo no campeonato, Felipe Gedoz e Gabriel Lima. Sem conexão, o time se perdia em tentativas longas e inúteis.

Isolado, Gedoz também não aparecia para o jogo, mas aos 4 minutos do 2º tempo ele finalmente despertou. Recebeu de Gabriel Lima um passe curto, de letra, na intermediária do Paragominas e invadiu a área para bater na saída do goleiro Gustavo, abrindo o placar.

A partida não melhorou nem com a chuva que caiu sobre a Arena Verde suavizando a temperatura. O Remo continuou esticando bolas, perdendo lances bobos e Cariús seguiu sem jogar, esquecido entre os zagueiros.

Depois da metade da etapa final, Bonamigo trocou várias peças aproveitando para prestigiar os garotos. Entraram Pingo, Tiago Miranda e Ronald no lugar de Uchoa, Gabriel e Dioguinho, mas nada mudou.

A situação continuou rigorosamente igual porque o time continuou desinteressado de pressionar na frente. Ronald foi colocado de um lado e Tiago de outro apenas para dificultar as saídas do Paragominas.

Mesmo assim, com Buiú e João Neto pelos lados, o PFC foi em busca do empate e quase conseguiu em penalidade mal assinalada pela arbitragem. Aleilson recebeu na área, Fredson afastou a bola e o atacante caiu. Na cobrança do pênalti, aos 49’, Vinícius defendeu o chute de Buiú.

A classificação já estava garantida, o Leão fechou a 1ª fase em primeiro, mas o futebol de ontem não foi digno do líder geral do campeonato.

Rodada não entregou o que prometeu

Não foi tão emocionante como se esperava. A oitava rodada, que definiria os classificados à próxima fase, teve jogos ruins e pouco alterou os cruzamentos desenhados de véspera. Nas quartas de final, o Parazão terá a dupla Re-Pa enfrentando Águia e Bragantino, respectivamente. Os grandes da capital entram como favoritos, principalmente porque são jogos em ida e volta, fato que sempre beneficia as equipes de maior poderio técnico.

Dos seis jogos realizados ontem à tarde, o mais emocionante foi entre os desesperados Tapajós e Gavião, que lutavam para não cair. O time treinado por Artur Oliveira venceu por 2 a 1 e garantiu permanência na divisão principal.

A partida mais movimentada foi entre Tuna e Bragantino, no Souza. A Águia se reabilitou da derrota para o PSC, metendo 5 a 3 no Tubarão. A fartura de gols está virando rotina na campanha da Lusa, que já tinha disparado a maior goleada do Parazão (6 a 1 sobre o Gavião). Com a vitória, o ataque cruzmaltino é agora o mais positivo, com 19 gols.

O PSC só precisou jogar o feijão-com-arroz para superar o desfalcado Águia, que entrou sem oito titulares. No fim das contas, além de vencer e manter a segunda posição na classificação geral, o Papão rodou elenco, lançando jogadores que não vinham atuando como titulares.

Foram raras as chances de gol no primeiro tempo, disputado sob calor inclemente, na Curuzu. O Águia não oferecia perigo, o PSC agredia pouco. Só chegava com algum perigo quando Ari Moura, correndo pela direita e buscando acionar o centroavante Gabriel Barbosa. Um chute cruzado de Bruno Collaço foi a melhor jogada do Papão na primeira etapa.

No segundo tempo, em ritmo lento, os times erravam muito e pouco produziam. O gol nasceu de cruzamento alto de Laércio para o centro da área, aos 20 minutos do segundo tempo. O garoto Flávio, que havia substituído Gabriel, cabeceou no canto direito do gol marabaense.

As mudanças feitas por Schulle, colocando em campo Rikelton, Elyeser e Ratinho no meio de campo, fizeram o Águia ficar ainda mais preso ao seu campo. As tentativas sempre esbarravam na forte marcação do PSC. Bruno Collaço ainda teve boa oportunidade, mas chutou no centro do gol.

Schulle deve ter tirado lições, mas dificilmente mudará a base titular que vem utilizando desde a competição. A não ser que resolva dar uma oportunidade a Ari Moura, seu melhor atacante de lado.

Rony dá show, mas mídia paulistana minimiza

Não foi a primeira vez, e seguramente não será a última. Rony foi decisivo no triunfo sobre o Independiente Del Valle, anteontem. A goleada palmeirense foi construída, em grande parte, pelo esforço e talento do atacante paraense.

Apesar disso, a apaixonada mídia paulistana voltou a mostrar seu pachequismo, dando mínima importância ao astro da noite. Prefere destacar coadjuvantes e ignora o protagonista. Está ficando chato.

(Coluna publicada na edição do Bola desta quinta-feira, 29)

Parazão 2021: definidos os cruzamentos das quartas de final

Edson Cariús foi titular na vaga de Renan Gorne, suspenso

Com o término da oitava rodada da etapa de classificação do Campeonato Paraense, os jogos das quartas de final ficaram assim definidos:
REMO X ÁGUIA – A
PAYSANDU X BRAGANTINO – B
INDEPENDENTE X CASTANHAL – C
TUNA X ITUPIRANGA – D

Tapajós e Paragominas foram mantidos na primeira divisão. Gavião e Carajás estão rebaixados.

Resultados da 8ª rodada:

Paragominas 0 x 1 Remo

PSC 1 x 0 Águia

Tuna 5 x 3 Bragantino

Itupiranga 0 x 0 Independente

Tapajós 2 x 1 Gavião

Castanhal 2 x 0 Carajás

RODADAS DAS QUARTAS

Sábado
Bragantino X Paysandu
Castanhal X Independente

Domingo
Itupiranga X Tuna
Águia X Remo

Terça-Feira
Paysandu X Bragantino
Independente X Castanhal

Quarta-Feira
Tuna X Itupiranga
Remo X Águia

Tarde de fortes emoções

POR GERSON NOGUEIRA

Bruno Paulista pode estrear pelo Paysandu contra o Águia de Marabá — Foto: John Wesley/Ascom Paysandu

A oitava rodada do Campeonato Estadual, que fecha hoje a fase de classificação, tem todos os elementos para ser a mais emocionante de todas até aqui disputadas. Os seis jogos, que começam às 15h30, definem classificação à próxima etapa e rebaixamento para a Segunda Divisão. Além disso, os resultados irão estabelecer os cruzamentos das quartas de final.

Tuna x Bragantino interessa mais ao Tubarão, que tem oito pontos no Grupo A e precisa consolidar a classificação, pois tem oito pontos e se garante até como 3º melhor classificado. A Lusa, garantida na próxima fase, busca evoluir tecnicamente e superar o mau passo no clássico com o PSC. Cheiro de empate.

Em situação aflitiva, o PFC recebe o Remo, na Arena Verde. Com sete pontos, busca a vitória para classificar como segundo ou terceiro do Grupo C. Caso termine em quarto lugar, estará fora. O técnico Mateus Lima já afirmou que vai tentar explorar os pontos cegos da defesa remista.

Para o líder geral Remo, o confronto é mais de manutenção e busca de regularidade. O time vem ganhando entrosamento, atuou bem contra o Castanhal, mas carece de ajustes no setor defensivo. Deve poupar jogadores pendurados – Rafael Jansen, Dioguinho e Uchoa.

O PSC encara um desesperado Águia na Curuzu. No “grupo da morte”, o time marabaense, apesar de ter oito pontos, corre o risco de não ir às quartas de final. Já os bicolores respiram tranquilidade, pois alcançaram 16 pontos e podem fechar a rodada na ponta da classificação, caso o rival Remo tropece em Paragominas.

Itamar Schulle tem a oportunidade de rodar o elenco, testando peças e buscando dar mais conjunto à equipe, cujos problemas não impediram uma sequência de três vitórias seguidas sem sofrer gols. Atração do time, Denilson, o volante-zagueiro artilheiro, tem escalação confirmada. Bruno Paulista (foto) pode finalmente estrear.

No estádio Maximino Porpino, o Castanhal recebe o Carajás em confronto que vale muito para ambos. O Castanhal, de campanha insatisfatória até aqui, precisa vencer para se garantir na próxima fase. O adversário é teoricamente mais fraco, mas luta contra o rebaixamento e precisa pelo menos empatar para permanecer na elite.

As últimas apresentações do Castanhal frustraram o torcedor. Cacaio, que assumiu com a saída de Artur Oliveira, tenta dar competitividade e ânimo ao time, mas até mesmo um adversário modesto representa risco.

Tapajós e Gavião fazem o duelo dos desesperados. Se houver empate, ambos serão rebaixados. Vencer é a única chance de salvação. Artur Oliveira deu novo astral ao Tapajós, perdendo para o PSC com boa atuação e conquistando um ponto preciso em Bragança na rodada passada.

Itupiranga x Independente pode ser um dos grandes jogos da rodada. Frente a frente dois times que fazem boa figura no campeonato. Sob a direção de Sinomar Naves, o Independente está classificado desde a sexta rodada.

O Itupiranga, treinado por Wando, é a grande surpresa até agora. Com um esquema fechado e que explora bem os contra-ataques, tem a melhor defesa da competição (5 gols sofridos), venceu três jogos e precisa de apenas um ponto para confirmar a segunda posição no Grupo A. Ironicamente, caso perca, pode ser eliminado.

Como se vê, a tarde reserva emoções e aflições para todos os gostos.

Leão acelera contratações e mira mercado local

De forma surpreendente, nos últimos dois dias, a diretoria do Remo adiantou a agenda de contratações e anunciou dois nomes que podem atuar no restante do Parazão 2021. Erick Flores, 31 anos, meia-atacante que estava no Boavista (RJ) que trabalhou com Paulo Bonamigo, foi o primeiro a ser confirmado. Ontem, nova contratação: o meio-campista Vinícius Kiss (ex-Botafogo-SP), 32 anos. Ambos já estão regularizados.

Flores é figura carimbada em clubes da Série B desde que surgiu no Flamengo e saiu jogando país afora. O Boavista é seu porto seguro. Esteve lá em quatro oportunidades. A última temporada não foi tão produtiva, mas é jogador experiente, talhado para compor elenco na Série B.

Passou pelo Botafogo-SP sem grande brilho. Volante de bom porte, Vinícius defendeu também várias outras equipes, entre as quais São Bento, Ipatinga, Novorizontino, Paraná, Cuiabá, Coritiba e Sampaio Corrêa.

Substituto de Jefferson Lima, que pediu rescisão de contrato na semana passada, Vinícius poderá defender o Remo na terceira fase da Copa do Brasil contra o Atlético-MG, pois não atuou no torneio.

Os dirigentes ainda buscam jogadores para a zaga e chegaram a dar um susto na torcida com a especulação de que trariam o zagueiro Victor Ramos, de atuações pouco brilhantes nos últimos anos.

Para o meio-campo, há uma negociação em marcha com Paulinho Curuá, jogador de 23 anos, que participa com destaque da campanha do Tapajós no Parazão 2021, após ter defendido a Tuna na Segundinha.

Danrlei, artilheiro baionense do Independente, também entrou no radar dos azulinos. Conversas foram iniciadas, mas não há nada definido. Marcou quatro gols no Estadual, inclusive contra o Remo no empate em 2 a 2.

O interesse em valores regionais tem a ver com o estilo do técnico Bonamigo e ganha impulso com o sucesso de Dioguinho, atleta revelado pelo Castanhal no ano passado e que faz excelente campanha neste ano.

Adeus ao bom Tião Costa

A coluna de hoje é dedicada, postumamente, ao companheiro Sebastião (Tião) Costa, que nos deixou ontem. Outra vítima fatal da pandemia no Estado, o narrador titular da Rádio Clube AM de Marabá tinha 60 anos e uma legião de fãs e amigos. Gaúcho, há anos radicado no Pará, era um profissional de alto nível, respeitado por todos. Grande perda.

(Coluna publicada na edição do Bola desta quarta-feira, 28)