Artilheiro baionense e volante do Tapajós entram na mira do Leão

No esforço para reforçar o elenco para a disputa da Série B, a diretoria do Remo se movimenta dentro e fora do Estado. Um dos nomes visados é do atacante Danrlei, de 25 anos, que defende o Independente de Tucuruí no Parazão 2021 e aparece como um dos artilheiros da competição, com quatro gols. As boas atuações despertaram a atenção dos dirigentes azulinos. No confronto com o Remo, recentemente, no estádio Evandro Almeida, o centroavante deixou sua marca, fazendo o primeiro gol do Galo Elétrico no empate de 2 a 2.

O jogador admite que houve um contato por parte do Remo junto ao seu empresário. Não houve, porém, nenhum acordo até o momento. Danrlei está lesionado e pode ficar ausente do restante da disputa do Estadual.

Natural da Vila de Calados, em Baião, filho e neto de jogadores locais, Danrlei chegou a Belém há três anos, tentando a sorte em clubes da capital. Defendeu o Sport Belém na Segundinha de 2019 e no ano passado se transferiu para o Independente, onde disputou o Brasileiro da Série D.

Paulo Curuá tem três gols no Parazão e é o artilheiro do Tapajós — Foto: Matheus Vieira

A diretoria azulina também negocia com Paulinho Curuá, volante do Tapajós, autor de três gols no campeonato e que entrou no radar do clube depois de boas atuações, apesar da má campanha de sua equipe. Assim como ocorre com Danrlei, as negociações com Paulinho visam aproveitamento na Série B.

Curuá tem 23 anos e é cria das divisões de base do S. Raimundo. Ele começou a carreira profissional pelo Central-PE. Em 2018 chegou ao Tapajós para a disputa da Segundinha do Parazão, defendeu o S. Raimundo e o Carajás.

Em 2020 defendeu o Boto na elite estadual e depois se transferiu para a Tuna, onde participou da campanha que rendeu o acesso e o título da Segundinha. Voltou para o Tapajós e atuou em todas as partidas do Parazão.

O êxito na contratação de Dioguinho, revelado pelo Castanhal no ano passado, é um dos motivos da busca por talentos da terra. A filosofia de trabalho do técnico Paulo Bonamigo também contribui para que o clube não priorize apenas contratações de fora do Estado.

Deputados votam pela criação de CPI para investigar atuação da Vale no Pará

Dos 41 deputados que compõem a Assembleia Legislativa (Alepa),  27 votaram nesta terça-feira (27/04) a favor da criação de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a atuação da mineradora Vale no Pará. O número ultrapassa o necessário para a solicitação de abertura. A exigência, segundo o Regimento Interno, é de, no mínimo, 13 assinaturas.

A proposta é de iniciativa do deputado Ozório Juvenil (MDB) e visa apurar a concessão de incentivos fiscais, o descumprimento de condicionantes ambientais, a ausência de segurança em barragens, repasses incorretos de recursos aos municípios, além de verificar as práticas dos preços externos de acordo com as normativas legais, o cadastro geral dos processos minerários existentes no Estado e outros pontos que atentariam contra o desenvolvimento econômico do Pará.

Segundo Juvenil, que também é presidente da Comissão Constituição e Justiça, a CPI busca defender os interesses do Estado do Pará e da população paraense.

“O que esse Parlamento quer saber é quais os projetos estruturantes para o desenvolvimento econômico do Estado e atendimento coletivo de sua população que a Vale tem deixado no Pará e aos paraenses, além dos investimentos em novas tecnologias de exploração do minério de ferro, manganês, cobre e níquel daqui extraídos. Cabe ressaltar que, de outubro a dezembro de 2020, a Vale teve lucro de R$ 4,8 bilhões, mesmo em tempos de pandemia”, justificou.

Um dos principais questionamentos é sobre a ausência de clareza por parte da empresa quanto aos valores efetivamente pagos para os órgãos responsáveis pela aplicação dos recursos sobre as condicionantes e compensações. “É  importante destacar ainda a falta de transparência quanto a efetivação dos pagamentos de valores referentes às compensações socioambientais e financeiras, prejudicando o controle social quanto ao monitoramento da aplicação destes recursos para o efetivo desenvolvimento local.  As informações contidas nos organismos institucionais que mantém os registros de exportações e vendas, tanto em nível federal quanto estadual, divergem quanto à aplicação das normativas legais referentes as práticas das vendas de minérios, em especial o minério de ferro”, completou.

HISTÓRICO

A Vale possui uma longa trajetória no Pará. Em 1985, a Estrada de Ferro Carajás começou a operação de transporte de minério de ferro e manganês de Carajás até o Terminal Marítimo de Ponta da Madeira, no Maranhão.

Em 2004, foi aberta a mina do Sossego; em 2011, a primeira mina de níquel da Vale no Brasil, Onça Puma;  e a implantação do Projeto S11D, em Canaã dos Carajás. Em 2012, começou a operar a segunda mina de cobre da Vale: mina do Salobo; e, em 2014, a fase de teste do projeto Serra Leste.

Segundo documento apresentado pelo propositor, em 2019, a empresa assinou protocolo de intenções de apoiar a estruturação de uma laminadora de aço em Marabá, pela CCCC – China Communication Construction Company. Passado esse período, a proposta ainda não foi concretizada.

Outro investimento estruturante a ser assumido pela Vale seria a instalação no Pará de uma unidade da Tecnored, possuidora de tecnologia produtora de ferro gusa de baixo carbono (gusa verde). Dois anos já se passaram e o projeto não avançou. Segundo Juvenil, outro problema é a inexistência de um plano de comunicação e de diálogo permanente com as comunidades que vivem no entorno dos  empreendimentos com barragens no Pará.

Segundo o Cadastro Nacional de Barragens, a Vale possui 21 barragens no Estado, sendo cinco com dano potencial associado de alto risco – o que exige um plano robusto de comunicação junto a essas comunidades. Pela insegurança, existe a obrigatoriedade de treinamentos e simulações sobre protocolos e rotas de segurança em caso de acidente ou rompimento de estruturas de barragem, o que não foi implementado até hoje.

Para que a CPI seja instalada, o requerimento que solicita a criação da comissão deverá ser aprovado na próxima sessão (04/05). Depois, será feita a indicação dos membros para a composição, sendo sete titulares e sete suplentes, obedecendo a proporcionalidade partidária. A partir disso, os trabalhos serão iniciados.

O prazo de funcionamento da CPI é de 90 dias, podendo ser prorrogável por quantas vezes for necessário até o encerramento da investigação. (com informações de Mara Barcellos – AID Comunicação Social)

Apesar de classificado, Remo deve manter time titular contra o Paragominas

Dioguinho

Garantido na próxima fase do Parazão com três rodadas de antecedência, invicto e dono do melhor ataque do campeonato, o Remo poderia poupar atletas no jogo final da etapa classificatória contra o Paragominas, nesta quarta-feira (28). Em entrevista, o técnico Paulo Bonamigo elogiou o adversário e deixou claro que vai manter o time titular.

“Acho que temos que nos conscientizar que o jogo ainda é importante, é difícil. O Paragominas é uma boa equipe, fez 7 pontos na competição em um grupo que é o “da morte”, com times muito equilibrados, vai lutar também por uma vitória, pela necessidade. Então nós temos que ter a consciência que todo trabalho é evolutivo. Procurar crescer, manter uma regularidade positiva, sempre jogando com uma linha média bem concentrada, alta, para que a equipe possa ir adquirindo confiança, resultados e padronizando”, explicou o treinador.

Ainda segundo Bonamigo, há a possibilidade de poupar jogadores seriam os cartões amarelos. Rafael Jansen, Dioguinho (foto) e Uchoa estão pendurados, mas ele evitou definir se usará substitutos. A única ausência confirmada é a de Renan Gorne, expulso contra o Castanhal.

“É evidente que alguns atletas têm dois cartões e a gente pode administrar no decorrer do jogo. Também trabalhamos a mentalização, o controle emocional. Muitas vezes temos que testar um atleta dentro de um jogo para conhecer o jogador ao ponto de saber se controlar, ser extremamente competitivo sem perder o controle emocional, de levar cartão. Isso a gente só vê dentro dos 90 minutos. O mais importante é mantermos a nossa sequência”.

O comandante azulino destaca também a importância de manter o Remo com a melhor campanha do Campeonato Paraense, o que dá a vantagem de decidir no Baenão os confrontos do mata-mata, incluindo a final, caso chegue até lá.

Rede social de sexo registra aumento de cadastros de casais e de mulheres na pandemia

Após um ano do início da pandemia no Brasil,  em que novos protocolos de isolamento social foram instituídos, como ficou o cenário para quem é solteiro e não pode se encontrar com novas pessoas presencialmente? E para os casais, que tiveram sua rotina alterada dentro de casa, como ficou a vida sexual? Em pesquisa recente divulgada pela rede social Sexlog, o número de cadastros novos no site foi 37% maior em relação ao mesmo período do ano anterior.

Segundo o CEO do Sexlog, Leandro Kitamura, o crescimento na busca pela rede social se deu muito devido às medidas restritivas impostas na circulação social, onde pessoas solteiras e casais precisaram se reinventar para satisfazer seus desejos. “Em março de 2020, a plataforma registrava 11.4 milhões de cadastros. Hoje, atingimos a marca de 14.7 milhões de usuários no site, no intervalo de apenas um ano”, destaca.

No  levantamento feito pelo Sexlog em abril de 2020, nas primeiras duas semanas de pandemia, a média de aumento registrada estava na faixa de 15% nas novas assinaturas. Esse número de cadastros só cresceu durante esses mais de 12 meses de isolamento, principalmente entre casais e mulheres, com aumento médio de 25%, além do que foi registrado no mesmo período do último ano, que era de 8%. 

Quem resolveu aproveitar a quarentena para reinventar a vida sexual e buscar novas experiências foi o casal do técnico em radiologia T. S. A. e da empresária C.C.M, juntos há 12 anos. Os dois se cadastraram no Sexlog em 2020, depois de terem a vida impactada pelo isolamento social. Os filhos dentro de casa e sem escola, além da rotina de trabalho e tarefas domésticas, foram os principais motivos para procurar essa mudança na rotina..

Nós conversamos muito e surgiu uma maior cumplicidade, em que ambos se sentiram seguros para revelar fantasias um ao outro. Assim, veio a vontade de colocar isso em prática. Buscamos conteúdo na internet e lemos bastante sobre o mundo liberal, até decidir incluir outras pessoas no nosso relacionamento sexual”, pontuou C.C.M.

Com um perfil compartilhado, os dois acabam interagindo na plataforma, procurando outros casais ou solteiros que interessem a ambos. Os dois também se enquadram em outro dado importante levantado pela pesquisa, que revelou um aumento de 72% do uso de livecams por casais entre março de 2020 e março de 2021. No mesmo período do levantamento anterior, esse número registrava o aumento de 12%.

“Já fizemos algumas lives e assistimos outras nesses meses em que estamos no Sexlog. Para atender nossos desejos, uma das fantasias que mais colocamos em prática foi o exibicionismo, postando fotos na rede social ou em saídas programadas para lugares seguros”, destaca a empresária. 

Vinícius Kiss é o novo reforço azulino para a temporada

Clube do Remo anuncia a contratação do meia Vinicius Kiss - Crédito: José Bazzo/Agência Botafogo

O meio-campista Vinicius Kiss é o novo reforço do Clube do Remo. O Leão oficializou a contratação do atleta no início da tarde de hoje, 27, em seu perfil nas redes sociais. O atleta tem 32 anos, é natural de São Paulo. Vinicius iniciou a carreira no Marília em 2009. Rodou o país, passando por clubes como Oeste, Boa Esporte, Red Bull Brasil, Cuiabá, Tupi, Paraná e Sampaio, onde disputou a Série B 2020, fazendo 34 jogos. Estava atualmente no Botafogo-SP.

Com a camisa azulina, Vinicius espera corresponder à expectativa da torcida. “Estou muito feliz com o acerto. O Remo é um clube tradicional e estou feliz em vestir essa camisa. Um clube que vem com um projeto sério e vitorioso. Espero acrescentar a minha vivência dentro do futebol para que a gente tenha um bom ano. Já tenho uma experiência na Série B e espero trazer isso para o clube. Vamos em busca dos objetivos”, disse.

O novo reforço azulino chega ainda nesta semana em Belém. O jogador passará por exames médicos antes de ser integrado ao restante do elenco.

FICHA: 

Vinicius Kiss

Nome: Vinicius Kiss Silva Tobias 

Posição: Meio-campista

Data de Nascimento: 08/06/1988

Naturalidade: São Paulo

Erick Flores aparece no BID e pode estrear pelo Remo nas quartas de finais do Parazão - Crédito: Divulgação/Boavista

ERICK INSCRITO

Último jogador anunciado pelo Remo para o Parazão, o meia-atacante Erick Flores está liberado para estrear com a camisa azulina. Erick teve seu registro publicado no Boletim Informativo Diário (BID) da CBF nesta segunda-feira, 26. Aos 31 anos, Erick Flores está emprestado ao Remo pelo Boavista do Rio de Janeiro. O contrato do meia com o Leão vai até o final da Série B. Pelo clube carioca, onde esteve nas quatro últimas temporadas disputando o Cariocão, foram 46 jogos e apenas quatro gols marcados. Em 2021, foram 10 jogos pelo clube. 

Erick Flores já está em Belém iniciando os trabalhos físicos para poder estrear pelo Leão. A expectativa é de que ele esteja no grupo que vai disputar as quartas de finais do Parazão, provavelmente já no final desta semana.

Hydro investirá R$ 1,1 bilhão em projeto de gás natural

A Hydro anunciou investimento de R$ 1,1 bilhão para a substituição de óleo combustível da sua refinaria Alunorte. Trata-se de um projeto-chave para a estratégia climática da Hydro e o compromisso global da companhia de reduzir as emissões de gases de efeito estufa em 30% até 2030.

Com a substituição do óleo combustível pesado por gás natural, as emissões anuais de CO2 da refinaria serão reduzidas em 600.000 toneladas. O gás natural será fornecido de um terminal de regaseificação de gás natural liquefeito (GNL), que estará localizado próximo à planta, em Barcarena (PA).

O uso do gás natural permitirá não apenas operações mais sustentáveis para a Hydro. O projeto também está em linha com o compromisso da companhia com o Governo do Pará de apoiar o uso desta energia na região, incluindo o acesso a outros consumidores regionais.

“Este projeto é um marco em nossa estratégia de sustentabilidade e uma importante demonstração do nosso compromisso de apoiar o desenvolvimento local no Pará. Com base nesta decisão, vamos preparar a Alunorte para a substituir o combustível, investindo mais na refinaria e gerando empregos na região”, afirma John Thuestad, vice-presidente executivo de Bauxita & Alumina da Hydro.

A troca de combustível da Alunorte será o principal capacitador para que a Hydro cumpra a sua estratégia de redução de 30% das emissões de gases de efeito estufa em toda a cadeia de valor do alumínio até 2030.

O projeto ainda depende da decisão final de investimento, prevista para o fim de 2021. Recentemente, a Hydro e a New Fortress Energy assinaram um Memorando de Entendimento para o fornecimento de GNL à Alunorte, com a primeira entrega prevista para 2022.