Leão e Galo frente a frente

POR GERSON NOGUEIRA

Paysandu 2×4 Remo (Lucas Siqueira)

É o confronto entre o líder geral do Campeonato Estadual e o vice-líder. O Remo tem 12 pontos em quatro rodadas, o Independente tem 8 pontos. Ambos são os últimos invictos, mas os azulinos vivem um momento de alto astral após a acachapante vitória de 4 a 2 sobre o PSC, domingo. A equipe de Tucuruí vem de um tropeço em casa (1 a 1) diante do Bragantino.

A tradição recente aponta para jogos equilibrados. Na última partida entre os dois times, o Independente levou a melhor por 3 a 2, pela Copa Verde. Na ocasião, o Remo se classificou na série de penalidades.

O confronto gera expectativa em relação ao time de Paulo Bonamigo, que mostra evolução no campeonato, passando sem dificuldades pelos adversários. Serve também para observar as condições do Leão para o duelo pela Copa do Brasil, na semana que vem, contra o CSA, em Maceió.

Bonamigo tem um desfalque certo. O ponta Lucas Tocantins, grande figura do clássico com o PSC, está lesionado e é dúvida até para o jogo da Copa da Brasil. Substituto de Gabriel Lima, titular da posição, Tocantins encheu as medidas e foi responsável direto pelos três primeiros gols do Leão na Curuzu.

Wallace já está definido como substituto de Tocantins, formando o ataque com Renan Gorne e Dioguinho, que é o artilheiro e destaque da campanha azulina no Parazão. Defesa e meio-campo não têm alterações.

Qualquer análise aponta o conjunto como principal força do Remo neste começo de temporada. Bonamigo teve o mérito de se dedicar a montar uma equipe-base, sujeita a poucas modificações. Defesa, meio e ataque são ocupados por jogadores que atuam junto desde o início do campeonato.

Alguns já estavam no elenco desde a Série C. As únicas mudanças ocorreram na lateral-direita, com a chegada de Wellington Silva; na marcação, com a entrada de Uchoa e no comando do ataque, com a contratação de Renan Gorne.

A partir desse grupo de atletas, Bonamigo buscou e conseguiu entrosamento de forma mais rápida. É o que lhe garante a vantagem, do ponto de vista coletivo, sobre os demais times do Estadual.

Não por coincidência, o Independente tem a segunda melhor campanha porque conservou praticamente o mesmo grupo de jogadores que participaram da Série D e da Copa Verde. Sob o comando de Sinomar Naves, técnico do título estadual do clube, o Galo Elétrico joga preferencialmente no 4-4-2.

Cassiano e Danrlei são os homens do ataque. Rápidos, habilidosos e bons finalizadores, principalmente o centroavante baionense. Ambos estão confirmados para a partida de hoje à tarde, no Baenão.

O Remo tem favoritismo, mas o equilíbrio deve prevalecer. 

Vitória no clássico provoca alta nas redes sociais

O ranking semanal de interações nas redes mostrou o Facebook, que vinha de três semanas seguidas de queda, com alta de 11.5% entre os times da Série A e 14.7% na B. Na elite, Twitter e Instagram cresceram: 11.9% e 3.3%, respectivamente. No geral, somando Série A e B, um crescimento de 3.3% nas interações nesta semana.

A boa notícia para os azulinos é o expressivo crescimento desde o triunfo sobre o rival no clássico. Foram 58 mil interações no Facebook na Páscoa, a melhor performance entre todos os times da Série B, garantindo lugar no Top 10. O Remo figura sempre no Top 20 em interações nas redes.

Os dados são do MKTEsportivo, único portal de gestão e marketing esportivo com independência editorial do país

Covid castiga o Grêmio, mas Conmebol silencia

Quase ninguém noticia, mas o Grêmio enfrenta um surto de covid-19 no elenco. Apesar disso, viajou ao Equador, onde o time foi isolado e impedido de sair do hotel. O jogo com o Independiente Del Valle, pela Libertadores, foi transferido pela Conmebol e agora o tricolor gaúcho faz um périplo por três países em cinco dias, podendo espalhar por aí a variante brasileira altamente contagiosa.

E ainda houve gente, o próprio Renato Gaúcho (que está com a covid), que contestou o desabafo de Lisca pedindo a paralisação do futebol enquanto a pandemia estiver matando tantos brasileiros. Por outro lado, a Conmebol não tem credibilidade para cobrar rigor dos clubes, afinal permitiu que a final da Libertadores tivesse uma plateia de 10 mil espectadores no Maracanã.

Dia do Jornalista: tributo às vítimas da tragédia

Eduardo Galeano, jornalista e escritor uruguaio, foi um dos meus heróis inspiradores para seguir na profissão. É dele a frase lapidar: “A justiça é como a serpente, só morde pés descalços”. Socialista, com ampla visão de mundo, ele sabia exatamente o que falava. Fiel a esse princípio, me dedico ao ofício há mais de quatro décadas. É o que sei fazer.

O jornalismo se tornou tarefa de alto risco, principalmente para os companheiros que atuam na linha de frente da cobertura diária da pandemia no país. Desde março de 2020, 169 jornalistas tombaram vítimas da covid-19. No Pará, 19 companheiros queridos nos deixaram, alguns pertencentes às nossas equipes no grupo RBA.

A todos eles, o tributo merecido na data celebrada para destacar a profissão, mas que hoje serve para homenagear as vítimas desse genocídio que se abate sobre um Brasil impotente e fragilizado. 

(Coluna publicada na edição do Bola desta quinta-feira, 08)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s