Botafoguense roxo, Agnaldo Timóteo pagou enterro de Garrincha e ajudou base

Na foto ao lado de PC Caju, Agnaldo Timóteo era torcedor fanático do Botafogo - Divulgação/Botafogo FR

Cantor, político e poeta, Agnaldo Timóteo não resistiu à covid-19 e morreu neste sábado (3), no Rio de Janeiro, aos 84 anos, por complicações da doença. Durante sua trajetória, ele acumulou momentos de ligação com o futebol, principalmente o Botafogo, clube que era torcedor fanático.

Imagem

A paixão pelo Alvinegro era tamanha que Agnaldo acompanhava equipes de base e outros esportes. Certa vez, no Espírito Santo, na década de 60, decidiu acertar sua agenda de shows para voltar a tempo de um clássico entre o Bota e o Flamengo. Mas a chuva na Rio-Bahia fez o veículo atolar, e ele mesmo, à época uma estrela, desceu dos conhecidos tamancos para empurrar o ônibus de volta. Deu certo, e o Glorioso bateu o rival.

Outros “causos” com o Botafogo acompanharam a vida de Timóteo, como a vez em que parou na frente da extinta TV Tupi, na Urca, para brigar com comentaristas que criticavam o Alvinegro. Na porta, esbarrou com seguranças que lhe pediram autógrafos e acabou se acalmando. O cantor estava nervoso com as críticas aos jogadores do clube que serviam à seleção comandada pelo também alvinegro João Saldanha.

Também na década de 1980, já deputado, invadiu o campo e paralisou o jogo entre Botafogo e Operário-MT, pela Taça Brasil, para reclamar de Cláudio Adão, que perdera um pênalti. A imunidade parlamentar o garantiu que o árbitro nada fizesse.

Em tempos difíceis para o Glorioso, Agnaldo Timóteo chegou a ajudar financeiramente o clube. Além de pagar “bicho” e outras contas para as divisões de base, também custeou o velório e o enterro de Mané Garrincha, maior jogador da história do Botafogo e um dos gigantes da seleção brasileira. Em Magé, onde nasceu o craque, a lápide que leva a mensagem “Aqui descansa em paz aquele que foi a alegria do povo” foi pensada e paga pelo cantor.

Imagem

Ex-deputado federal pelo PDT, Timóteo também passou por PP, PL, PR e MDB e também foi vereador, mas se restringiu a cabo eleitoral na política alvinegra. Na década passada, tentou convencer o alvinegro Eike Batista, à época um dos homens mais ricos do mundo, a ajudar o Botafogo. Sócio, era figurinha carimbada em jogos e na sede social de General Severiano.

Agnaldo Timóteo com Carlos Alberto Torres, o Capitão do Tri, em General Severiano, sede do Botafogo - Vitor Silva /SSPress - Vitor Silva /SSPress

Além de Leonel Brizola, que o levou à política tradicional, Agnaldo Timóteo também era um grande amigo do contraventor Castor de Andrade, famoso dirigente do Bangu. Fã de futebol, o cantor foi presença certa em diversos jogos do Alvirrubro em Moça Bonita nas décadas de 70 e 80.

Na série “Doutor Castor”, do Globoplay, seu depoimento realça traços da relação famosa pela ajuda financeira em suas campanhas. Os dois também dividiam o amor pelo futebol e pelo Carnaval. O cantor entoou “Ave Maria” no enterro do bicheiro, em sua homenagem e a pedido da família. (Do UOL)

Em nota, Lula homenageia Agnaldo

Nota de pesar do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pelo falecimento de Agnaldo Timóteo.

“Agnaldo Timóteo foi um dos mais importante cantores da história da música popular brasileira. Teve uma trajetória musical de décadas, cantando e entretendo os mais diferentes tipos de audiências por todo o país. Suas interpretações emocionaram gerações de brasileiros.
Também teve uma carreira política sem medo de opiniões polêmicas.
Sempre foi muito solidário comigo, mesmo nos momentos mais difíceis, pelo que sou muito grato. Infelizmente faleceu dessa doença terrível que tem levado tantos brasileiros. Suas músicas e nossas lembranças dele seguem conosco.
Aos familiares, amigos e fãs de Agnaldo Timóteo minha solidariedade e meus sentimentos.
Luiz Inácio Lula da Silva”

Agnaldo, uma voz em defesa de Lula

O cantor Agnaldo Timóteo, de 84 anos, morreu neste sábado (3) de Covid-19, um dia após ser intubado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Casa São Bernardo, na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro. A informação é da GloboNews. No último dia 27, Agnaldo precisou ser intubado para “ser tratado de forma mais segura” contra a doença.

“É com imenso pesar que comunicamos o FALECIMENTO do nosso querido e amado Agnaldo Timóteo. Agnaldo Timóteo não resistiu as complicações decorrentes do COVID-19 e faleceu hoje às 10:45 horas. Temos a convicção que Timóteo deu o seu Melhor para vencer essa batalha e a venceu! Agnaldo Timóteo viverá eternamente em nossos corações! A família agradece todo o apoio e profissionalismo da Rede Hospital Casa São Bernardo nessa batalha”, disse a família, em nota.

Há três anos, quando a Lava Jato empreendia sua perseguição a Lula visando tirá-lo da eleição de 2018, Agnaldo foi uma das vozes que se ergueu em defesa do ex-presidente (veja vídeo acima). Elogiou os governos do PT e criticou os “canalhas deploráveis” que atacavam Lula na imprensa e fora dela.