A frase do dia

“Acordo de Toffoli com Villas Boas, que selou o destino de Lula, agora revelado, prova que não se pode confiar na toga e na farda. Muito menos em alguém com aparência de rato molhado do esgoto em que se mete, como o ex-presidente do Supremo, e outro que se vale de tuíte pra golpe”.

Palmério Dória, jornalista e escritor

Golpistas devem ser tratados assim

Imagem

A golpista boliviana Jeanine Áñez foi presa ontem à noite quando tentava escapar do cerco policial escondida numa cama-box. Ela assumiu o poder após a derrubada do ex-presidente Evo Morales por forças do Exército e do narcotráfico, em 2019. Tinha planos de fugir para o Brasil, onde golpe ainda é bom negócio, tanto que Michel Temer, Sergio Moro, general Villas Boas e outros, continuam impunes.

Segundo a Agência Boliviana de Informação, a ex-presidente estava em sua residência no momento da prisão. Quando soube que os policiais estavam em sua casa, ela se escondeu dentro de uma cama box. Os agentes chegaram a pensar que Jeanine teria fugido para o Brasil, mas, ao vasculhares a casa, encontraram-na escondida.

“Informo ao povo boliviano que a senhora Jeanine Áñez já foi detida e está atualmente nas mãos da polícia”, disse o ministro em suas contas no Twitter e no Facebook. O MP também ordenou a prisão de 5 ministérios que compuseram o governo de Áñez. São eles: Arturo Murillo (Governo), Yerko Núñez (Secretaria da Presidência), Luis Fernando López (Defesa) e Álvaro Coimbra (Justiça).

Imagem

As autoridades não informaram o local onde Áñez foi detida. O andamento dos outros mandados de prisão contra integrantes de seu governo também não foi divulgado até o momento. As penas para os crimes inocentes, caso sejam confirmadas, vão de 5 a 20 anos de prisão.