Leão avança em busca do bi

POR GERSON NOGUEIRA

Remo 0×1 Londrina-PR (Felipe Gedoz e Lucas Siqueira)

A grande campanha nas duas fases da Série C deram ao Remo o legítimo direito de decidir o título. Vai enfrentar o Vila Nova (GO), do velho conhecido Márcio Fernandes, em jogos nos próximos sábados, com direito a fazer a última partida no Mangueirão.

Nem mesmo a pálida e pouco inspirada atuação de sábado contra o Londrina, com derrota pelo placar mínimo, diminui o entusiasmo da torcida azulina pelo retorno à Série B após 13 anos e pela chance de conquistar o bicampeonato da Série C.

Até sábado, é provável que os jogadores positivados para covid-19 estejam em condições de atuar. A preocupação maior é com os titulares Salatiel e Marlon, mas Mimica, Carlos Alberto e Augusto também são peças muito utilizadas por Paulo Bonamigo.

O deslize quanto ao distanciamento social, com a comemoração do acesso na Doca de Souza Franco, cobrou um preço caro aos azulinos, começando pela derrota em casa na rodada final, completamente fora dos planos da comissão técnica. O prejuízo, porém, pode ser ainda maior caso os jogadores contaminados não se recuperem a tempo da primeira final.

Diante do Londrina, ficou patente o impacto técnico da ausência do artilheiro Salatiel e do lateral Marlon, ambos de fundamental importância para a formulação de jogo da equipe. Sem eles, o Remo perdeu intensidade ofensiva e mostrou-se vulnerável pelo lado esquerdo da zaga.

Por sinal, o gol do Londrina saiu em jogada de linha de fundo na parte esquerda da defesa azulina. O cruzamento veio de lá para a atrapalhada tentativa de corte do zagueiro Gilberto Alemão.

É claro, também, que o resultado de sábado não gera qualquer abalo maior no aspecto emocional. O importante é que o time chegou à sonhada decisão. Resta saber se manterá a mesma pegada, com compactação na defesa e movimentação no meio, caso não possa ter todos os titulares.

A essa altura já se pode considerar que a campanha azulina premia um comportamento estável na maior parte da competição, desde que Bonamigo assumiu o comando e modificou a forma de atuar. O Remo continuou forte defensivamente, como nos tempos de Mazola, e ganhou qualidade do meio para frente.

Contra um Vila Nova que joga de forma cadenciada, valorizando a posse de bola e as saídas bem articuladas, a batalha pelo bicampeonato da Série C será acirrada, praticamente sem favorito.

O mais importante a essa altura é que os azulinos se mostram motivados a buscar o título. Nem sempre esse entusiasmo se mantém depois que o objetivo maior – o acesso – já foi conquistado. Por outro lado, aos atletas não deve passar despercebido que todos estão sob avaliação quanto à permanência para a disputa da Série B.

Insucesso nos clássicos selou a sorte do Papão

O jogo em Erechim foi nervoso e equilibrado ao longo do 1º tempo, mas, estranhamente, transcorreu sereno na etapa final, quando os donos da casa fizeram o gol e passaram a controlar as ações, sem correr riscos. Surpreendeu a maneira como o PSC se comportou, aceitando passivamente o resultado negativo e o fim do sonho do acesso.

Além da atuação de sábado, alguns pontos precisam ser analisados sobre a parte final da campanha bicolor na Série C. Os problemas se refletiram na partida final, mas se desenharam ao longo de toda a 2ª fase da competição.

A ausência de um meio-campo mais qualificado foi o maior entrave para a evolução da equipe após a ótima arrancada final na fase classificatória. PH, Serginho e Wellington Reis são volantes de rendimento instável e não conseguiram suprir a lacuna deixada por Uchôa, que, por sinal, nem é um jogador excepcional, apenas eficiente na função.

Na etapa de grupos, o PSC tinha a vantagem de realizar os três primeiros jogos em casa, privilégio concedido pela tabela que o time de João Brigatti não soube aproveitar. Obteve seis dos nove pontos em disputa. Tropeçou no rival e este foi o fator crucial da caminhada.

Sem Uchôa, o meio-campo não rendeu o mínimo desejado para dar competitividade e dinâmica à movimentação do time. O ataque acabou prejudicado e Nicolas ficou subaproveitado.

Acrescente-se a isso a queda de rendimento de algumas peças importantes. Marlon, decisivo para a classificação, sumiu por completo. Feijão não mostrou regularidade. Uilliam Barros, idem.

A baixa rotação do meio afetou o eixo defensivo, principalmente nos dois clássicos que selaram a sorte do PSC na competição. E o goleiro Paulo Ricardo, muralha na etapa anterior, cometeu erros crassos no Re-Pa.

Nicolas, principal jogador do elenco, não poderia passar incólume a tantos desacertos. Apesar do inegável esforço e da constante presença nas missões ofensivas, não foi o mesmo atacante decisivo de outras jornadas e não conseguiu conduzir o PSC a vitórias na virada da segunda fase.

Alvo de críticas, com dispensa anunciada ontem à tarde, Brigatti teve lá seus erros, principalmente quanto à escalação, mas não pode ser visto como o vilão da história. Foi importante na classificação, tirando o time do buraco em que se encontrava após a passagem de Mateus Costa.

Um fator pesou bastante no fim das contas: a coincidência de ficar no mesmo grupo com o Remo mostrou-se fatal para as pretensões bicolores. A perda de seis pontos (dos 18 em jogo) para o rival definiu a luta pelo acesso, pois desequilibrou matematicamente a disputa na chave.

Muito questionado pela torcida desde o ano passado, o executivo Felipe Albuquerque também foi demitido ontem. A contestada política de contratações e o conflito com Hélio dos Anjos inviabilizaram a presença dele na Curuzu. Ao mesmo tempo, é sinal de que a frustração pela permanência na Série C sacudiu as estruturas internas do clube. 

(Coluna publicada na edição do Bola desta segunda-feira, 18)

Leão tem 11 desfalques para a final: mais cinco atletas testam positivo para Covid

Igor Mota / OLiberal

O departamento médico do Clube do Remo informa que os jogadores Warley, Rafael Jansen, Charles, Dioguinho, Ronald e o auxiliar João Neto testaram positivo para Covid-19. Os atletas e Netão estão assintomáticos. Seguindo o protocolo, todos foram afastados de suas atividades.

Agora o Remo tem 11 atletas contaminados pela Covid, o técnico Bonamigo e o auxiliar Netão. Péssimo cenário para a primeira partida da decisão da Série C, marcada para o próximo sábado. Tudo em consequência da presença dos jogadores na comemoração do acesso, na Doca.

Contra fake news, campanha “Abrace a Vacina” estimula população a aderir à imunização

Organizações de todo o Brasil lançam, nesta segunda-feira (18), a campanha “Abrace a Vacina”, que tem como objetivo incentivar a população brasileira a se vacinar contra a covid-19. A iniciativa reúne entidades como o “Direitos Já!” e a Frente pela Vida, fruto da articulação das entidades científicas da saúde coletiva e do Conselho Nacional de Saúde (CNS), assim como especialistas da saúde pública e outras personalidades.

O Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), além organizações sindicais, culturais e estudantis integram a campanha, que tem como pilar principal o combate à desinformação promovido pela ampla circulação de informações falsas relacionadas ao novo coronavírus e à eficácia ou à segurança dos imunizantes.

Para abrir diálogo direto com a população que está reticente em relação às vacinas, serão utilizados diversos meios e plataformas de comunicação com todas as informações e esclarecimento necessários.

O conteúdo de divulgação será criado por uma equipe técnica capacitada, que envolve médicos e outros profissionais da saúde, como ex-ministros da área, pesquisadores e presidentes de organizações que atuam na saúde pública, além de comunicadores especializados. Segundo Fernando Guimarães, coordenador do “Direitos Já”, quase 200 organizações já aderiram à campanha.

Ministério faz confusão com voos, deixa autoridades esperando nos aeroportos e atrasa vacinação nos Estados

O Ministério da Saúde mudou horários dos voos com vacinas para os estados. A pasta fez mais de uma vez alterações entre a madrugada e o início da tarde desta segunda-feira (18). Pela programação mais atualizada, diversos estados só receberão os pacotes de noite, atrasando o início da imunização.

Em alguns casos, autoridades estaduais já estavam aguardando nos aeroportos, quando foram surpreendidas pelas mudanças. Ao menos seis locais que receberiam antes das 16h, agora só vão receber na parte da noite.

“Todo mundo foi esperar no aeroporto, e nada. A previsão era meio-dia, depois mudou para 16h. Agora já deve ser 18h. Até que descarregue, não tem como iniciar hoje. Impossível. Só devo começar amanhã”, disse o governador de Sergipe, Belivaldo Chagas, ao Painel.

“Não explicaram nada. Simplesmente avisaram em cima da hora. Problema de logística. Eu não fui a Guarulhos [para o evento com Pazuello]. Mas se tivesse ido, teria voltado e a vacina ainda não teria chegado”, completou.

Pela nova tabela, três estados estão sem previsão de horários, por ora: Rio Grande do Norte, Alagoas e Paraná.

O Rio de Janeiro, que fica a menos de uma hora de voo de São Paulo, onde estão as vacinas, está na tabela para receber na madrugada de terça (19). (Da Folha de S. Paulo)

O adeus de Epaminondas Gustavo

Imagem

A família do juiz Claudio Rendeiro, conhecido pelo personagem humorístico Epaminondas Gustavo, informou na manhã desta segunda-feira (18) sobre o seu falecimento. Ele morreu por volta de 6h, vítima de covid-19. Estava hospitalizado desde o dia 9 de janeiro e tinha diabetes tipo II. Como não apresentou melhoras, chegou a ser intubado. A família agradeceu as milhares de demonstrações de carinho e apoio dos fãs, amigos, imprensa e autoridades do Estado.

“Deus é soberano e sua vontade deve ser aceita por todos nós, mesmo sabendo que a perda do Claudio é muito dolorosa e difícil de ser assimilada”, diz a nota, assinada pelo irmão, Manoel Rendeiro. Epaminondas acabaria superando em popularidade o juiz Claudio, com sua verve e imitação perfeita do caboclo paraense da região do Baixo Tocantins (Cametá e arredores), cheio de malícia e esperteza. Seus vídeos e áudios viralizavam com extrema rapidez.

Nos perfis nas redes sociais, as pessoas homenageiam Epaminondas e demonstram tristeza com a perda. O presidente do Tribunal de Justiça do Estado, desembargador Leonardo Tavares, emitiu nota oficial lamentando a morte de Claudio Rendeiro, que era juiz da 4ª Vara do Tribunal do Júri.

CARINHO

“Muito triste. Um homem bom e justo que se vai. Sensível para a dor dos humildes, dos penitentes, dos loucos presos nas masmorras. Daqueles que parava para te ouvir com os olhos e com o coração, acolhendo a todos com um sorriso no rosto, mostrando-se sempre disponível para aceitar um convite, um pedido para um post, uma palestra. Me ensinou a diferença entre um árbitro que aplica a fria letra da lei e um juiz de verdade, que pondera a realidade de um país como o nosso, que sabia ser tão desigual, para promover a justiça, de forma corajosa. Amigo, daqueles que sabia dar sentido a palavra amizade. Hoje o céu ganhou mais um anjo”. (Texto do psicólogo Luís Romano).

Imagem

Sonha Claudio Henrique
(Dalva Rendeiro, mãe do Claudio)

Sonha meu filho,
E no teu sonho pergunte à mamãe como se faz camusquim,
Pergunte com se faz maniçoba,
Como se faz vatapá.
E eu te falo o passo a passo.
Liga novamente porque esqueceu de adicionar o côco
e eu responda,
Sem problema, filho,
coloca agora.
E você me diga:
ficou uma delícia, mamãe!
Depois quero aprender o camusquim!
Tudo bem, filho, é só me ligar.

Sonha meu filho
E no teu sonho
Chame a mamãe
pra plantar o bougainvillea na Casa de Rio.

Agora páre de sonhar.
Acorde meu filho
vem pra cá
vem cantar
vem sorrir
vem contar
piadas
vem fazer o
juri
vem assinar
sentença
vem tomar
café na padaria
Com o Lhoco e a Jaci

Páre de sonhar, filho
vem pra cá
vem passear
Bora visitar
Abimael e Venilce
Bora na casa da
Bailarina
Bora no restaurante Carne de sol.
Vem abraçar
teus filhos
teus irmãos
vem abraçar
A incansável Fernandes
vem abraçar
a Dindinha
vem abraçar
a mamãe,
mesmo que
seja virtualmente
Páre de sonhar
E acorde Claudio Henrique!

Estamos te esperando.
VEM, meu filho.

Madrugada de 16 de janeiro de 2021, sétimo dia de internação do Claudio.

Claudio Rendeiro, o Epaminondas Gustavo, morre vítima da covid-19