Edmilson tem 50% de mulheres na equipe administrativa

Dentre os 37 titulares de secretarias, coordenações e fundações empossados pelo novo prefeito de Belém, Edmilson Rodrigues (PSOL), neste sábado, 2, 18 são mulheres, o que equivale a quase 50% dos cargos de titularidade das pastas da administração direta e indireta. Tamanha representatividade feminina nas posições de tomada de decisão configura um ineditismo na administração da capital paraense. Elas são reconhecidas pela competência em suas áreas de conhecimento. Esse time de alto nível terá o desafio de pensar e implementar políticas em favor dos belenenses, em especial, dos que mais precisam.

“A minha emoção é ver o maior corpo de funcionários com presença de mulheres, atuando em áreas estratégicas como saneamento, transporte e educação, e em quase todas as áreas, inclusive, mulheres indígenas ou negras”, declarou Edmilson no ato de posse dos novos secretários, secretárias, coordenadores e presidentes de órgãos municipais. “É uma honra para mim estar iniciando o terceiro mandato comandando essa revolução em termos de respeito aos direitos de participação de mulheres”.

QUEM SÃO ELAS

Ana Valéria Borges
A engenheira civil Ana Valéria Borges assume a Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de Belém (Semob). Ela tem mestrado em Engenharia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). É técnica em Regulação de Serviços Públicos na Agência de Regulação e Controle de Serviços Públicos do Estado do Pará (Arcon-PA), onde também gerenciou grupos técnicos de Transportes e Saneamento.

Bruna Cavalcante
A Fundação Municipal de Assistência ao Estudante (Fmae) tem como nova titular Bruna Cavalcante, que é graduada em Tecnologia de Alimentos pela UEPA, especialista em agricultura familiar e desenvolvimento agroambiental da Amazônia pela UFPA.

Carolina Quemel
Carolina Quemel, graduada em Administração e Gestão Pública, assume como secretária municipal de Esporte, Juventude e Lazer (Sejel). Ela é vice-presidente do Diretório Municipal do PDT, tesoureira do Diretório Estadual do partido e presidente estadual da Ação da Mulher Trabalhista, o movimento de mulheres da legenda.

Christiane Ferreira da Silva
A delegada da Polícia Civil do Pará, Christiane Ferreira da Silva, assume a direção da Defesa Civil. Ela é graduada em Direito pela UFPA e tem especializações em Gestão Estratégica em Defesa Social e em Processual Penal e Direito Penal. Foi delegada geral adjunta, diretora do Atendimento a Grupos Vulneráveis e da Divisão de Atendimento ao Adolescente (Data) e vice-presidente do Programa de Proteção à Criança e Adolescente Ameaçada de Morte.

Edna Maria Sodré D’Araújo
A consultora jurídica do Município de Belém, advogada e historiadora Edna Maria Sodré D’Araújo, assumiu a presidência do Instituto de Previdência dos Servidores do Município (IPMB). Ela é servidora de carreira há 16 anos, com especializações em Direito Previdenciário, Direito Administrativo e Administração Pública.

Ellana Silva
Ellana Silva, cientista social formada pela UFPA e pós-graduada em Sociologia pela UEPA, é a nova administradora regional de Icoaraci (ADIC). Ela é conselheira estadual de Educação, ex-conselheira do Fundeb, foi gestora do projeto de leitura e bibliotecas comunitárias da Imprensa Oficial do Estado (IOEPA) e pesquisadora.

Georgina Tolosa Galvão
A economista Georgina Tolosa Galvão é a coordenadora-geral do Fundo Ver-O-Sol. Pós-graduada em Desenvolvimento de Áreas Amazônicas e em Planejamento do Desenvolvimento, pela UFPA. Ela é servidora efetiva da Secretaria Estadual de Emprego e Renda do Estado do Pará e foi secretária municipal de Finanças e presidente da Funpapa.

Inês Silveira
Especialista em Organização de Eventos, Inês Silveira assumiu a Chefia do Cerimonial do Gabinete do Prefeito Edmilson Rodrigues. Ela foi chefe do Cerimonial nas primeiras gestões dele e também presidiu a Belemtur. É formada em Turismo pela UFPA, com especializações em Organização de Evento, Ecoturismo e Turismo para o Mercosul.

Ivanise Gasparim
Ivanise Gasparim, graduada em Direito e Psicanálise, é a secretária municipal de Saneamento (Sesan). Ela foi vereadora, secretária estadual de Trabalho, Emprego e Renda, secretária municipal de Economia e coordenadora do projeto de combate à pobreza rural do Instituto Interamericano de Combate à Pobreza, em Brasília.

Jane Patrícia Gama
Servidora de carreira da Secretaria Municipal de Saneamento (Sesan), Jane Patrícia Gama assumiu a Coordenadoria de Diversidade Sexual (CDS). É graduada em Línguas Portuguesa e Espanhola com especialização em Políticas Públicas de Igualdade Racial pela UFPA. É ativista dos movimentos negro, afro-religioso e LGBTQI+, membro do coletivo Sapato Preto e Yalorixá de Nanã, filha de Mãe Matilde de Oxalá.

Jurandir Santos de Novaes
A economista Jurandir Santos de Novaes é a secretária municipal de Administração (Semad). É professora do Curso de Ciências Econômicas da Universidade Federal do Pará (UFPA) e Doutora em Geografia Humana pela Universidade de São Paulo (USP). Foi secretária municipal de Planejamento nas gestões anteriores de Edmilson.

Káritas Lorena de Souza Rodrigues
A procuradora do município Káritas Lorena de Souza Rodrigues, servidora de carreira desde o ano de 2006, assume como secretária municipal de Finanças (Sefin). É advogada com especialização em Direito Tributário e ex- subprocuradora-chefe da Procuradoria Fiscal do Município de Belém.

Keyla Negrão
Doutora em Ciências da Comunicação pela Unisinos, a jornalista Keyla Negrão assume a Coordenação de Comunicação Social (Comus). Ela tem mestrado em Comunicação e Cultura Contemporâneas pela Universidade Federal da Bahia. É professora, pesquisadora e colaboradora do Coletivo Negritar de Comunicação. Foi diretora do Núcleo de Comunicação Popular e Comunitária da Secretaria de Estado de Comunicação (Secom). 

Lívia Noronha
Lívia Noronha é bacharela e mestra em Filosofia pela UFPA, foi professora substituta do curso de Filosofia da UEPA e professora colaboradora do curso de Educação do Campo da UFPA. Ela assumiu a Coordenadoria da Mulher de Belém (Combel). É educadora popular, pesquisadora e feminista negra.

Márcia Kambeba
Márcia Kambeba assume como ouvidora geral do Município, sendo a primeira indígena a fazer parte do primeiro escalão da Prefeitura de Belém. Ela é mestre em Geografia, professora convidada da Universidade do Estado do Pará (UEPA), ativista, compositora, poeta, fotógrafa, atriz, palestrante e autora de três livros.

Márcia Mariana Bittencourt Brito
A professora Márcia Mariana Bittencourt Brito é a nova secretária municipal de Educação (Semec). Graduada em Pedagogia, é professora da Faculdade de Artes Visuais da UFPA, mestre em Educação pela UFPA, especialista em Educação Superior e Doutora em Educação pela Universidade de Brasília (UnB).

Merilene Silva Costa
A Doutora em Ciências Agrárias em Agrobiodiversidade, Merilene Silva Costa, é a assumiu a Coordenação das Políticas de Segurança Alimentar e Nutricional (Copsan). Tem graduação em Engenharia Florestal e mestrado em Ciências Florestais e é professora da Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA).

Vanessa Egla do Nascimento
A advogada Vanessa Egla Rocha do Nascimento assume a administração distrital de Mosqueiro (Admo). Ela é mestranda em Segurança Pública pela UFPA e servidora pública concursada da Companhia de Saneamento do Pará (Cosanpa).

(Com informações de Enize Vidigal; foto: Mácio Ferreira)

Saída de Mauro Cézar da ESPN e reflexões (necessárias) para o jornalismo esportivo brasileiro

Por Elias Arede Junior (*)

Jornalismo é um trabalho coletivo. No mundo normal não cabe vaidade, disputa de egos ou ataque de estrelismo. Cada informação transmitida ou reportagem publicada é consequência do esforço de profissionais que se prepararam. Essa engrenagem construiu marcas famosas no Brasil e no mundo. Só que em determinados instantes decisões solitárias são ícones de um novo tempo.

É o caso da saída de Mauro Cézar Pereira da ESPN após 16 anos e anunciada neste sábado. Apesar da sua postura racional e pé no chão, Mauro Cézar, queira ou não, é uma marca do jornalismo esportivo brasileiro.

Merecidamente. Influencia o debate da opinião pública e sustenta o espirito de repórter, essencial nesta época. A saída dele da emissora do grupo Disney representa um marco. Traduzindo: ele abriu mão de encontrar-se em um veiculo de mídia tradicional (uma tevê fechada) para atuar basicamente na mídia digital, seja no portal Uol, no jornal Gazeta do Povo (versão digital), ou no seu próprio canal independente no Youtube. Pense no alcance de tal resolução.

Se o processo gerar frutos vistosos, Mauro Cézar abrirá portas para um novo modelo de negócio em que o jornalista esportivo será o ator principal. Muitos já fazem e com ótimos resultados. Mauro poderá reforçar a tendência. O grupo Disney pensou com cabeça analógica: na sua visão, exige exclusividade porque tem a melhor plataforma de exposição. Sim, é total direito da empresa.

Aliás, muitos profissionais aceitaram. Todavia, é de bom tom pensar e imaginar que o mundo mudou. As vitrines são várias. Hoje, um dono de um endereço no Instagram pode influenciar milhões de pessoas sem nunca ter pisado em um estúdio de televisão, falado em uma emissora de rádio ou escrito uma coluna de jornal. Bom? Ruim? O tempo dará seu veredito.

Não quero atuar como adivinhador ou profeta, mas acredito que em alguns anos a própria Disney chegará a conclusão que tal metodologia é equivocada. A trajetória profissional de Mauro Cézar Pereira pode ser utilizada como argumento para revisão da decisão. Mesmo se pensarmos com uma cabeça analógica e com os parâmetros do passado hegemônico global.

Este é o pulo do gato.

Mauro Cézar e a construção de sua trajetória profissional são sinais de que algo mudou. Profundamente. Estamos acostumamos a assistirmos profissionais renomados a terem o seu nome e credibilidade catapultados às alturas após terem trabalhado no Grupo Globo. Lícito, correto e normal. Veja só. Mauro Cézar conseguiu tudo isso sem nunca ter trabalhado por tempo exacerbado em qualquer empresa ligado a família Marinho. Ele atuou por um tempo no jornal O Globo, mas sua formação é tão eclética e diferenciada que isso fica em segundo plano.

Outro ponto que não pode ser esquecido: o burburinho em torno de sua saída demonstra que o jornalismo esportivo de excelência tem validade no Brasil. Mauro Cézar não faz piada. Nunca buscou o entretenimento. Jamais fez bajulação com cartola. Fez o que se espera de um jornalista de qualquer área: analisou, criticou, apurou, publicou, fiscalizou o poder e informou o seu público. Inclusive ao relembrar assuntos esquecidos na mídia, como o quadro vivido pelos pais dos filhos mortos na tragédia do Ninho do Urubu e o drama vivido por Robson do Nascimento, ex-funcionário de Fernando e até hoje preso na Rússia.

Nunca conversei ou vi pessoalmente Mauro Cézar Pereira. Sei que assim como eu deve ter vitórias e derrotas. O que não se pode perder de vista é que sua postura e trabalho já fizeram um bem danado ao jornalismo esportivo brasileiro. Ranzinza? Pega no pé? Verdade. Só que sempre procurou fazer jornalismo. Que os estudantes aprendam com ele. E que os profissionais reverenciem um cara que dignifica a nossa tão combalida profissão.

*Elias Arede Junior é jornalista

Ataque azulino ganha reforço

POR GERSON NOGUEIRA

Remo: Eduardo Ramos sente desconforto e volta ao DM; atacante segue em  tratamento

A novidade de última hora no Remo, como possível alternativa para o decorrer do jogo em Erechim (RS), é o atacante Wallace, que ainda não atuou na fase de grupos em função de uma contusão grave. Com ele, o setor esquerdo pode readquirir a força que apresentava na fase de classificação, com a participação do lateral-esquerdo Marlon.

No desenho atual, o time conta com Tcharlles atuando pela esquerda e Hélio Borges na direita em parceria com Ricardo Luz. A importância do retorno de Wallace está na recomposição de um dos trunfos de Paulo Bonamigo desde que chegou ao Evandro Almeida.

Com Hélio e Wallace bem abertos, revezando-se com Luz e Marlon nas subidas ao ataque e às vezes até agredindo ao mesmo tempo, o Remo é sempre mais forte. Chega com quantidade e qualidade às proximidades da área inimiga, criando várias opções tanto para cruzamentos quanto para triangulações e infiltrações pelos lados.

Funcionou tão bem na fase aguda do período de classificação que a dúvida no setor ofensivo era apenas quanto ao camisa 9. No momento, a função já tem um titular inquestionável, Salatiel, o que deve tornar ainda mais poderoso o tridente ofensivo.  

Para o confronto com o Ypiranga, hoje à noite, Wallace talvez só entre no segundo tempo. O setor de ataque terá a mesma formação dos últimos jogos, com Hélio, Salatiel e Tcharlles, que tem sido a peça menos produtiva da equipe, juntamente com Felipe Gedoz.

O meia, por sinal, deve ser mantido como titular, pois Eduardo Ramos não reúne ainda condições plenas de atuar nos dois tempos. Gedoz, depois do jogo com o Ypiranga no Mangueirão, teria reclamado do posicionamento que tem sido obrigado a cumprir.

Pode ser que não esteja ocupando a faixa mais adequada, mas até agora não foi bem fixo no meio, recuado ou avançado, como na partida contra o Londrina. É preciso que, urgentemente, encontre um lugar para jogar, sob pena de ser deixado de lado por força da necessidade.

Na parte defensiva, que deve ser bastante exigida hoje, o Remo continua a ter o melhor rendimento de toda a Série C, com a dupla Rafael Jansen-Mimica cumprindo jornadas satisfatórias desde que foi efetivada como titular.

Bola na Torre

Guilherme Guerreiro apresenta o programa, a partir de 23h30, na RBATV, com participações de Valmir Rodrigues e deste escriba de Baião. Em pauta, o jogo do Remo contra o Ypiranga e as projeções para o confronto entre PSC e Londrina. Sorteios e participação do telespectador. A direção é de Toninho Costa.

Papão consolida esquema para pontuar no Paraná

Os maiores méritos de João Brigatti ao reassumir o PSC foi dar segurança ao setor de defesa e definir os titulares do ataque. Sim, até a fase Mateus Costa, o time apresentava sérios problemas de instabilidade defensiva e uma ausência de clareza quanto às opções do ataque. Graças a essas providências básicas, foi possível empreender a impressionante campanha de recuperação que levou a equipe à segunda fase da Série C.

Na defesa, a situação foi prontamente sanada com um posicionamento mais conservador dos zagueiros Perema e Micael. Atrapalhados no começo da competição, quando Hélio dos Anjos resolveu jogar no esquema adotado por técnicos europeus, como Pep Guardiola e Jorge Jesus, a dupla padeceu ainda durante a passagem de Mateus Costa e só veio a se estabilizar com Brigatti.

O ataque sofreu seu maior abalo quando Vinícius Leite se transferiu para o Avaí, após duas temporadas na Curuzu. Quebrava-se a parceria extremamente produtiva entre Nicolas e Vinícius, responsável pela maioria dos gols e jogadas agudas da equipe.

Apesar das preocupações, a chegada de Marlon e Vítor Feijão serviu para compensar à altura a perda de Vinícius, no início de dezembro. Em pouquíssimo tempo, Brigatti encontrou a formação ofensiva ideal, com Nicolas centralizado definitivamente como centroavante tendo Marlon e Vítor como extremas.

Neste cenário, a equipe mostra-se consolidada taticamente, praticando um jogo de marcação no meio-campo quando a bola está com o adversário e um sistema eficiente de aproximação com os atacantes, sempre explorando as subidas dos laterais Tony e Bruno Collaço. É, ao que parece, a forma que o técnico elaborou para compensar a falta de um jogador de criação para organizar a transição ofensiva.

O confronto com o Londrina, amanhã, vai pôr à prova a funcionalidade do esquema que até agora vem funcionando bem, afinal garantiu a classificação e permitiu que o PSC realize boa campanha na fase de grupos, com duas vitórias em três jogos.

O lado desafiador da partida em Londrina é que pela primeira vez nesta fase o Papão sai de casa para enfrentar um adversário direto, com a responsabilidade de não perder. Pela movimentação da semana, Brigatti deve manter o esquema de três atacantes, com dois volantes (PH e Wellington) e um meia, Juninho.

Como alternativas para modificar a equipe no decorrer do jogo, Brigatti tem Uilliam Barros, Elielton e o “herói” Mateus Anderson para o ataque, Luiz Felipe e Alex Maranhão para o meio. Sem Uchôa, lesionado, a marcação ficará com PH e Wellington, setor que apresentou falhas diante do Londrina, em Belém.

A partida será, presumivelmente, de forte pressão do Londrina, que busca uma vitória para assumir a segunda posição no grupo D. Ao Papão, cabe se proteger no setor defensivo e explorar bem o contra-ataque.

(Coluna publicada na edição do Bola deste domingo, 03)