Um ponta que vai além

POR GERSON NOGUEIRA

Atacante do Remo sofre entorse no tornozelo e vira dúvida para os próximos  jogos

Os analistas modernosos já não chamam os atacantes de beirada pelo nome de antigamente. No Remo, alguns brilharam pelos lados do campo. Neves, Rodrigues, Leônidas, Peri, Landu, Roni. Todos ponteiros clássicos, que corriam pelas laterais e iam à linha de fundo cruzar ou cortar para o interior da área.

Hélio Borges é da novíssima geração. Já não desempenha as mesmas funções de seus antecessores. Tem outras obrigações. Ao invés de obrigatoriamente ir ao fundo, precisa ter um perfeito entrosamento com o lateral (Ricardo Luz).

Tem que saber participar das jogadas de aproximação, aparecendo no chamado ponto futuro, como defendia Claudio Coutinho. No Re-Pa do turno da Série C, seus deslocamentos confundiram a marcação e ele apareceu livre dentro da área para receber o passe perfeito de Luz.

Marcou o primeiro gol do jogo em jogada elogiada por todos, até porque começou com um detalhe singular: Hélio foi quem carregou inicialmente a bola pelo lado direito, tocou para Luz e correu para a área sabendo que a bola lhe seria devolvida em condições de finalização, como de fato aconteceu.

Aos 20 anos, Hélio teve passagem pelo sub-20 do Palmeiras há dois anos, depois de se destacar na base azulina. Ganhou traquejo e competitividade, mas os fundamentos foram adquiridos no próprio Evandro Almeida. Alguns ainda precisam ser lapidados – finalização e cabeceio, principalmente.

Apesar disso, o ponta-direita é hoje a mais destacada peça tática do técnico Paulo Bonamigo. Com Hélio jogando com Ricardo Luz, o Remo ganhou um lado direito fortíssimo, que não tinha no começo da competição.

Bonamigo percebeu a possibilidade, avaliou o potencial do jovem atacante e incutiu nele noções de posicionamento para saber atuar com e sem a bola. No último jogo, diante do Manaus, Hélio deixou o gramado extenuado após funcionar novamente como o recordista em movimentação do time.

Desdobrou-se para puxar as jogadas pela direita e ainda cobrir os avanços de Luz, quando este passava da linha de meio-campo. Com essa dupla pelo lado – que o técnico tenta também efetivar pela esquerda, com Marlon e Wallace – o Remo ganhou um acentuado poder de fogo no ataque.

Foi de Hélio o passe para Salatiel abrir o placar na Arena da Amazônia e o atacante participou ainda de várias outras manobras pelo lado direito. Há tempos o Remo não tinha um plano de jogo pela direita, que funciona tanto para agredir quanto para se resguardar.

Um dos segredos do novo Remo, que se reergueu no campeonato, é o fato de contar com um atacante taticamente tão participativo quanto Hélio.

Goleiro vence desafios e ganha prestígio  

Outro importante personagem da classificação do PSC, talvez só abaixo do técnico João Brigatti, é o goleiro Paulo Ricardo, de 24 anos, que assumiu a titularidade há nove partidas e não deu mais espaço para o antigo ocupante da posição, o experiente Gabriel Leite.

Paulo Ricardo foi formado na base do clube, mas teve poucas oportunidades no time profissional antes desta Série C. Estreou encarando uma prova de fogo: defender o time e a própria sobrevivência na profissão justo num Re-Pa.

Às vésperas do segundo clássico, justificadamente tem sido um dos mais procurados por toda a mídia. Afinal, assumiu a função de protagonista do sistema defensivo do time, responsável por dar regularidade e segurança depois dos maus passos iniciais do time na Série C.

O que mais chama atenção em Paulo Ricardo é a tranquilidade e a frieza debaixo da trave. Não mostra a natural indecisão em lances importantes, nem hesitações para sair e afastar uma bola. Faz o chamado feijão-com-arroz com extremo afinco.

Todo bom goleiro deve se pautar pelas réguas da simplicidade, evitando a tentação de florear uma defesa ou apelar para a extravagância inútil. Tem se saído bem porque não complica. Fecha bem o gol quando sai aos pés de um atacante e é muito forte nos lances que exigem elasticidade.

Surpreendentemente tranquilo diante de mais um duelo com o maior rival, Paulo Ricardo explicou em entrevista que perdeu o medo depois de ter sido testado em vários clássicos pelas divisões de base. Foi lá que aprendeu a entender a importância que o jogo tem.

A concentração nas ações específicas do goleiro passa a ser dividida com os cuidados para orientar os companheiros de última linha. Todo goleiro deve ter essa capacidade, fundamental para manter o setor protegido.

Fica mais fácil quando a voz do goleiro é ouvida e respeitada por todos. Paulo Ricardo, um dos mais jovens titulares do gol alviceleste nas últimas décadas, ganhou essa condição pela competência no que faz.

Os números não deixam dúvidas. Desde que se tornou titular, Paulo Ricardo sofreu apenas um gol na Série C – contra o Manaus, na 13ª rodada, no dia 31 de outubro. O Re-Pa de amanhã é o novo desafio colocado em seu caminho.

Os perigos do apoio que pode virar infortúnio

Dos times brasileiros que ainda permanecem na Libertadores, o Palmeiras é um dos mais credenciados para brigar pelo título. Tem elenco forte e um técnico que mostrou competência ao arrumar um time que Vanderlei Luxemburgo não conseguia escalar.

Voltou a pontificar como candidato ao título brasileiro e se classificou na Libertadores com extrema facilidade, fazendo jovens jogadores brilharem. Em meio a isso, eis que o veterano Felipe Melo resolveu fazer novas mesuras ao presidente da República.

Apareceu ontem ao lado do homem, a quem presenteou com uma camisa alviverde. Devia ter mais prudência. O Flamengo que o diga, o Vasco também. Isso sem enumerar os vários candidatos apoiados por ele nas recentes eleições municipais. 

(Coluna publicada na edição do Bola desta sexta-feira, 04)

Bolsonaro agora ameaça a vacinação

Por Moisés Mendes

Bolsonaro fez esta semana uma declaração previsível, mas de alto risco, no momento em que chegam ao Brasil os componentes para as primeiras doses da vacina chinesa.

Incomodado com o fato de que Dória Júnior se fortalece como líder da imunização, Bolsonaro disse o seguinte:

“Se tiver um efeito colateral ou um problema qualquer já sabem que não vão cobrar de mim”.

A frase é uma tentativa de aviso de que ele não teria responsabilidade nenhuma com a vacinação.

Claro que terá. Ele não quer compromissos com a CoronaVac, por causa de Dória e porque pretende resumi-la a um projeto estadual. Bolsonaro já boicotou a CoronaVac. Mas a vacinação no país estará sob responsabilidade do governo federal.

Governantes de todo o mundo são responsáveis por ações de saúde pública e mais ainda na pandemia. Mas o negacionista acha que não tem responsabilidades nem pelo descontrole da peste subestimada por seu governo.

O que a frase de Bolsonaro quer dizer não precisa de tradução, mas é bom que se reafirme a crueldade contida no alerta.

Bolsonaro sugere que as pessoas pensem que acontecerão problemas. Que não pensem na possibilidade de solução, depois de um ano de medo e de clausura, mas em complicações.

Ao sugerir que pensem nessa hipótese, o sujeito acaba por atiçar possíveis sabotadores. Por que falar em problemas e efeitos colaterais? Que tipo de problema?

A vacinação pode ser sabotada de várias formas, começando pelo esforço de Bolsonaro para que não exista. O Bolsonaro da cloroquina nunca demonstrou interesse pelas vacinas.

A sabotagem da extrema direita protegida pelo bolsonarismo pode ser por ação física (tanto que os estoques das primeiras doses estão em local mantido sob segredo), como pode ser por ação virtual.

Não é preciso ser vidente para saber que, a partir do início da vacinação, irão se espalhar pelo Brasil mais notícias falsas sobre efeitos colaterais graves.

O ensaio sobre esses ‘efeitos’ já existe, com as fake news divulgadas há muito tempo. O sistema de produção e propagação de mentiras somente será adaptado ao início da imunização.

É constrangedor perceber que muita gente ao redor de todos nós acredita em pelo menos um desses boatos.

Bolsonaro já domina esse ambiente e por isso patrocina o clima para que se amplie a desconfiança e que acaba por mexer com a motivação de sabotadores.

A pandemia escancara a face sombria de uma parcela não tão pequena de brasileiros. Bolsonaro aproveita-se desse caráter coletivo que o sustenta e oferece pretexto para os que também desprezam a vacina.

Como consolo, podem até dizer que essa é uma realidade mundial do negacionismo e do fascismo sem fronteiras.

Até pode ser, mas a grande maioria dos países não tem nada parecido com um Bolsonaro, nem com o eleitorado que inventou Bolsonaro.

O Ministério Público sabe que a vacinação no Brasil já está sendo sabotada, por falas, por atos e por fatos criminosos.

Maurício Ettinger é eleito novo presidente do PSC

Imagem

A Chapa União Fiel, liderada por Maurício Ettinger, venceu ontem a eleição para o Conselho Diretor do Paissandu conquistando 348 votos contra 296 dados à chapa de oposição, liderada pelo ex-presidente Luiz Omar Pinheiro. O mandato é válido até 2022. O resultado final mostrou o forte equilíbrio da disputa, que foi marcada por alguns ataques entre as chapas.

“”Fizemos uma demonstração de democracia hoje. As duas chapas juntas, a torcida veio, os sócios vieram… É sinal que serão dois anos de união pela frente”, declarou Maurício Ettinger, presidente eleito, com um discurso de conciliação.

Durante a apuração, houve um princípio de confusão na entrada da sede social após o divulgação do resultado. Da calçada, um torcedor arremessou latinha em direção ao vidro do salão de festas. Rapidamente foi contido pela ação de outros torcedores e da segurança do clube, que também impediu uma tentativa de invasão por membros de uma organizada.

NOVOS INTEGRANTES DO CONSELHO DELIBERATIVO

Ieda Cristina Almeida – 156

Leandro Pantoja Pereira – 126

Benedito Ruy Santos Cabral – 118

Arnaldo Dopazo Antonio Jose – 117

Arlindo José Guimarães Bastos – 110

Luis Augusto Lima Oliveira Junior – 104

Sergio Francisco da Costa Junior – 92

Igor Viggiano Marques – 87

Humberto Victor Pereira de Souza – 86

Daniel Correia Raiol Junior – 80

Katia Nazaré Teixeira Rodrigues – 75

Adriano Bezerra Martins – 74

Carlos Tadeus Santos Matos da Cunha – 73

Celso Diogo Couceiro – 73

Frederico Miglio Neiva – 65

Fabio José Silva Rayol – 62

Alberto Lopes Maia Neto – 60

Marcelo Jimmy Neves Maciel – 60

Marco Antonio da Silva Pereira – 58

José Silvério Nunes da Fonseca – 57

Bruno Marcel Conceição Soares – 56

Jorge Faciola de Sousa Neto – 56

André Martha Tavares – 53

Abibe Ferreira Junior – 50

Abilio Diogo Couceiro Filho – 50

CONSELHO FISCAL

Romulo Raposo Silva – 260

Alemar Dias Rodrigues Junior – 175

Artur do Amaral Semblano Junior – 169

Reginaldo Bentes dos Santos – 152

José Ricardo Costa – 144