Botando as coisas nos devidos lugares

Imagem

O tal do Messias ofendeu o nosso Jesus (patrimônio intocável do povo maranhense) e levou essa pra casa. Quem diz o que quer, ouve o que não quer.

Excelente repente de um maranhense consciente e descontente, com o comentário infeliz desse “qualhira” sem classe.

Um qualhira sem classe desinformado… no Maranhão nós não dizemos boiola e sim qualhira.

PS: todo o meu respeito aos homossexuais, que são muito mais dignos que esse verme.

“BOIOLA É VOSSA EXCELÊNCIA”

RESPEITO É BOM E EU GOSTO
TAMBÉM CONSERVA OS DENTES
O RESPEITO É BEM VINDO
EM TODO E QUALQUER AMBIENTE
TORNA-SE AINDA MAIS VITAL
NA BOCA DE UM BOÇAL
NO CARGO DE PRESIDENTE

AO PISAR NO MARANHÃO
PELA PRIMEIRA VEZ
O LÍDER MOR DESSA NAÇÃO
UM POÇO DE ESTUPIDEZ
DESRESPEITOU SERIAMENTE
FEZ CHACOTA DE MINHA GENTE
COMO ELE SEMPRE FEZ

COMO SEMPRE IGNORANTE
DE BOIOLA NOS CHAMOU
POR NOSSO REFRIGERANTE
TER O ROSA EM SUA COR
O FILHO DELE É BOIOLA
É FANTA, NÃO COCA COLA
E “JESUS” NUNCA PROVOU

O NOSSO REFRIGERANTE
É PRODUTO CONSAGRADO
AJUDA NOSSA ECONOMIA
É REFERÊNCIA NO MERCADO
AÍ VEM ESSE PAMONHA
DESMORALIZA E ENVERGONHA
UMA RIQUEZA DO ESTADO

PARA SER UM PRESIDENTE
UM HOMEM TEM QUE TER RESPEITO
NÃO HUMILHAR SUA GENTE
E NEM ZOMBAR DESSE JEITO
NUNCA ANTES NO BRASIL
HOUVE TAMANHO IMBECIL
COM A FAIXA SOBRE O PEITO

O QUE FICA MUITO CLARO
NESSA AFRONTA PROFERIDA
PELO TAL DO BOLSONARO
AO PROVAR NOSSA BEBIDA
É QUE TAL QUAL SUA CRIA
ESSA INFAME ANOMALIA
É UMA BICHONA ENRUSTIDA

E QUEM DEFENDE ESSA BOSTA
COM SUAS DESCULPAS MIL
ME PARECE QUE ATÉ GOSTA
DO TERMO QUE LHE CAIU
SER CHAMADO DE “VIADO”
POR UM GAY ENCLAUSURADO
QUE ADORA UM “FUZIL”

RESPEITE O MEU TORRÃO
SÓ OFENDA O SEU GADO
QUE LHE RENDE ADORAÇÃO
MESMO RIDICULARIZADO
VÁ COM SUA “MERDORRAGIA”
CAGAR OUTRA FREGUESIA
MEU MARANHÃO É SAGRADO.

TIO LINDO(30/10/20)

Maradona faz 60 anos e garante que teria ganho “uma tonelada” de Bolas de Ouro

Imagem

Há exatamente 60 anos, Diego Maradona nascia em Lanús, na Argentina. Em comemoração, El Pibe de Oro concedeu uma entrevista exclusiva à France Football. Entre outros assuntos, falou sobre os jogadores que admira, a Bola de Ouro e o polêmico gol de mão na Copa do Mundo de 1986, intitulado “la mano de Dios” (“a mão de Deus”, em espanhol).

Até 1995, apenas jogadores europeus podiam competir pela Bola de Ouro. Depois da liberação, cinco sul-americanos venceram a disputa: Ronaldo, Rivaldo, Ronaldinho Gaúcho, Kaká e Messi. Maradona recebeu um prêmio honorário.

“Antes, nós sul-americanos não tínhamos chance de conquistar esse troféu. Caso contrário, teria acumulado mais de um, com certeza. Eu teria ganhado uma tonelada!”
Maradona

Imagem

Ao ser questionado a respeito de qual seria o seu presente de aniversário dos sonhos, Maradona brincou ao dizer: “Fazer mais um gol contra os ingleses, desta vez com a mão direita”.

Quando precisou listar quais são os melhores jogadores da atualidade, o argentino não se esquivou e logo respondeu: Messi e Cristiano Ronaldo. O atual técnico do Gimnasia y Esgrima La Plata também lembrou de Mbappé, mas acredita que ele ainda é muito jovem e tem muito a evoluir.

– Cristiano e Messi. Para mim, esses dois estão um pouco acima dos outros. Não vejo ninguém se aproximando deles. Nenhum deles faz metade do que eles fazem. Ele [Mbappé] é um jogador fantástico, mas ainda é uma criança. Tem que jogar partidas e mais partidas, competir em muitas competições para continuar crescendo.

Maradona também falou sobre sua complicada relação com o ex-presidente da Federação Argentina, Julio Grondona – que exerceu a função de 1979 a 2014, ano de sua morte. Além disso, o treinador falou também sobre a pandemia de coronavírus. Recentemente ele entrou em isolamento social após contato com caso suspeito da doença.

– Depois de liderar nossa seleção na Copa do Mundo 2010, tive que deixar de praticar meu trabalho e viver minha paixão em outros países porque Julio Grondona não me queria. Passei muitos anos no exterior e agora estou de volta em casa, felizmente. As circunstâncias não são das melhores com essa pandemia que caiu sobre nós. É um verdadeiro golpe para todos os povos da América Latina. (Do GE)

Série C: Band celebra Ibope e marca o dobro da Globo com PSC e Remo

Ferroviário venceu e segue no G4 (Foto: Lenílson Santos / Ferroviário AC)

Band está celebrando os resultados de audiência nos dois últimos fins de semana da Série C do Campeonato Brasileiro. Exibida nas tardes de sábado para todo o Norte e Nordeste, jogos de Paysandu e Remo estão ganhando da Globo em Belém, capital do Pará, chegando a atingir o dobro dos números alcançados pelo apresentador Luciano Huck, que ocupa o horário na Globo. Os números também empolgam o Dazn, plataforma de streaming esportiva que é dona dos direitos da competição.

Segundo dados consolidados de audiência, obtidos pelo UOL Esporte, no dia 17 e no dia 24 deste mês de agosto, os jogos chegaram perto dos 20 pontos de audiência em Belém. O melhor resultado foi na transmissão de Ferroviário 1 x 0 Remo. Com a derrota do Leão Azul, a Band liderou na média com 13 pontos contra 11 da Globo, chegando a picos de 17 pontos.

No momento de auge, às 18h09, a Band chegou a 16,9 contra 9,4 da Globo, 3,9 da Record e apenas 0,5 do SBT. Só para efeito de comparação, a Band marcava 1 ponto de média no horário em Belém antes do início da Série C. O rival não ficou atrás. Em Treze (PB) 0 x 1 Paysandu, jogo que teve duas expulsões e muita emoção, a partida voltou a ganhar da Globo na média por 13 pontos com 16 de pico, contra 10 da Globo, que novamente exibia o “Caldeirão do Huck” e parte da novela “Flor do Caribe”.

Em seu pico máximo, às 18h28, a emissora paulista chegou a picos de 16,1 pontos na capital do estado do Pará com o Papão. Nesse minuto, foram 7,0 pontos da Globo, 3,4 da Record e 2,5 do SBT. Os resultados estão animando a emissora paulista, que fez um grande esforço para manter a Série C na emissora este ano. Quem também está gostando dos bons números é o Dazn, plataforma de streaming esportiva que exibe o evento e sublicencia um jogo por rodada para a Band exibir em duas regiões do país.

Para o DaznN, o alto número significa que a plataforma está sendo muito vista, o que pode angariar novos assinantes para a cobertura completa que fazem da terceira divisão nacional. Nesta 13ª rodada da Série C, inclusive, os jogos de Paysandu e Remo serão exclusivos do Dazn – contra Manaus e Vila Nova-GO, respectivamente.

A Série C do Campeonato Brasileiro tem transmissão gerada da Band Bahia para o Norte e Nordeste. A narração é de Rainan Peralva e os comentários de Juliana Guimarães. Amanhã (31), a Band vai mostrar Imperatriz-MA x Santa Cruz, a partir das 17h (horário de Brasília) – o que deve gerar bons números de Ibope em Recife, principal cidade interessada no jogo. (Do UOL)

Forças ocultas

A sistematização, integração e a interpretação desses dados, que no início do estudo encontravam-se ocultos, podem ao final proporcionar um diagnóstico e um retrato da gravidade de uma área contaminada

Por Heraldo Campos

A contaminação dos solos e das águas subterrâneas, por compostos que podem prejudicar a saúde humana, geralmente não é visível ao olho nu e a sua identificação se faz por meio de medidas indiretas. 

Essas medidas indiretas podem ser feitas através de métodos geofísicos que servem para avaliar a pluma de contaminação, por exemplo, pelo chorume de um antigo lixão. É como se fosse feita uma radiografia do terreno que vai apontar a mancha dos compostos contaminantes no lençol freático em um determinado local.

Após essa primeira investigação, são feitas as amostragens do solo e do substrato rochoso, mediante a perfuração de poços para a análise em laboratório dos materiais amostrados. A próxima etapa dessa fase de identificação está relacionada à coleta de amostras de água subterrânea pelo seu bombeamento por meio dos poços instalados. 

A sistematização, integração e a interpretação desses dados, que no início do estudo encontravam-se ocultos, podem ao final proporcionar um diagnóstico e um retrato da gravidade de uma área contaminada.

Na história da política brasileira poderia ser feita uma analogia entre a investigação de uma área contaminada e dados ocultos que acabaram por desnudar as reais intenções dos dirigentes. 

Um dos casos mais famosos é o da renúncia do presidente Jânio Quadro em Agosto de 1961 que após seis meses de governo, atribuiu a forças ocultas a sua saída do governo. O que se sabe, passados anos de investigação da história da política brasileira, é que o ex-presidente queria mesmo era governar sozinho. Ou seja, ele era a própria força oculta.

Nos dias de hoje agentes públicos, a mando de supostas forças ocultas, exercem atividades típicas da gestapo, a truculenta polícia do estado alemão da época nazista. 

Geralmente esses agentes públicos, que se prestam para esse tipo de serviço sujo, tem o perfil que se encaixa ao de um psicopata social. Controladores, esses psicopatas não se importam de passar por cima de tudo e de todos para alcançar seus objetivos. Se algo ou alguém ameaça seus planos, tornam-se agressivos e chantageadores. São hábeis em inverter o jogo, colocando-se no papel de vítimas. Pagos com o dinheiro dos contribuintes essas verdadeiras forças ocultas põem em risco o funcionamento de determinados setores vitais do serviço público e, consequentemente, a consolidação democrática das instituições. 

Mas será mesmo que nos dias de hoje as forças são tão ocultas assim ou a coisa esculhambou de uma vez por todas, está escancarada na nossa cara e não conseguimos esboçar uma mínima reação para virar a mesa? 

“Você não pode mudar o vento, mas pode ajustar as velas.” (Clarice Lispector)

Comendo pelas beiradas

POR GERSON NOGUEIRA

Remo 5×0 Imperatriz-MA (Marlon)

A prioridade para os corredores laterais é um dos grandes achados de Paulo Bonamigo na organização tática que o Remo adota desde sua chegada. Mais do que valorizar os jogadores encarregados das tarefas de beirada do campo, o técnico conseguiu fazer com que jogassem no nível de eficiência que a equipe precisava e que a competição exige.

Os dois lados ganharam força. Passaram a ser observados com atenção pelos adversários e interesse por clubes de outras divisões. Não por acaso, o lateral-direito Ricardo Luz foi sondado pela Ponte Preta e o ala esquerdo Marlon despertou a atenção do CRB. Os dois clubes disputam a Série B.

Méritos a quem tem. Antes de Bonamigo chegar, nenhum setor do time azulino era alvo de maior curiosidade. O Remo jogava para se defender, tomar poucos e gols e atacar quando fosse possível.

Houve gente que chegou a perceber uma singular filosofia de jogo por parte de Mazola. Setores da torcida repeliam as críticas feitas ao técnico pelo sofrimento que o Remo impunha ao seu torcedor a cada rodada.

O teimoso e ultrapassado esquema de duas linhas de marcação, praticado pelo time durante toda a gestão Mazola, foi negado raivosamente pelo próprio técnico, que preferia teorizar sobre uma movimentação de médios que a realidade não mostrava.

Com a limitação de repertório, o Remo parou de pontuar e travou na competição. Com a chegada de Bonamigo, o ataque passou a ser visto como prioridade, sem que a defesa ficasse a descoberto.

Bonamigo provou que era possível jogar com a metade dos volantes que Mazola escalava. Optou, corretamente, pelos dois melhores e mais dinâmicos: Charles e Lucas Siqueira. Para que o balanço defensivo não fosse tão impactado, ele reforçou as laterais, de maneira que Ricardo Luz e Marlon não jogassem isolados e sozinhos.

Para alcançar o ponto de segurança necessário, criou duplas de beirada. Na direita, Ricardo Luz se reveza nas subidas ao ataque com Hélio Borges, atacante de perfil impetuoso e que sabe recompor. Na esquerda, Marlon cresceu com a presença do habilidoso Wallace.

Quando Marlon e Wallace passam da linha de meio-campo, Lucas Siqueira cobre o setor. Se a situação permite, Lucas avança e junta-se ao esforço ofensivo, o que resulta em mais força pelo lado esquerdo do ataque remista.

A estratégia tem funcionado bem. Foi responsável direta pelos gols conquistados contra Manaus, PSC e Jacuipense. Não se estabeleceu contra o Ferroviário, que manteve Siloé em cima de Ricardo Luz e Gabriel Cassimiro prendendo a atenção de Marlon no campo de defesa.

Na última partida, contra o Imperatriz, as condições mais favoráveis e os dois lados brilharam intensamente. Marlon participou bastante das manobras ofensivas, com assistências em três gols e intensa presença no campo inimigo. Ricardo Luz e Hélio foram responsáveis por dois gols, o segundo (Eduardo Ramos) e o quarto (de Hélio).

É possível que os times já estejam alertados para o potencial das laterais remistas, mas o sistema deu tanto certo que precisa ser mantido e aperfeiçoado, para que propicie a abertura de caminhos rumo ao gol.

Campanha do Bragantino na Série D reabilita Cacaio

Em 2015, o Remo bateu na trave na Copa Verde. Venceu o Cuiabá com sobras em Belém (4 a 1), mas desabou na volta, na Arena Pantanal, caindo por 5 a 1. Cacaio era o técnico e o resultado daquela decisão fez a torcida esquecer todos os méritos dele naquela temporada: sob o seu comando, o Remo foi campeão estadual e garantiu o sonhado acesso à Série C.

Cacaio saiu do Remo e, desde então, decorridos cinco anos, não teve mais oportunidades em grandes clubes. No ano passado, iniciou um trabalho no Bragantino, como auxiliar de Robson Melo. Uma espécie de recomeço modesto para quem já tinha chegado a níveis tão altos.

Com a saída de Robson, Cacaio foi promovido ao comando técnico e iniciou a preparação para o Brasileiro da Série D com um grupo reformulado. Aos poucos, o Bragantino foi engrenando.

Exceto pela goleada sofrida na quarta rodada (4 a 1 para o Ji-Paraná), a campanha é excelente. Foram seis vitórias e dois empates. Com 20 pontos, o Tubarão lidera o Grupo 1 com aproveitamento de 74,1% e quatro pontos de vantagem para o Galvez (AC).

A classificação à segunda fase está praticamente assegurada e, a partir daí, a expectativa é de que a equipe atravesse os desafios das etapas de mata-mata até alcançar a semifinal, conquistando o acesso à Série C 2021.  

O time tem respondido bem às necessidades da competição, mesmo sem ter contratado grandes reforços. A defesa é entrosada, o meio tem Paulo de Tarso e Edicléber, e no ataque Fidélis e Canga têm se destacado bastante.

Canga é um dos artilheiros da competição. Dentro e fora de casa, o Bragantino se comporta com igual segurança. Característica dos times treinados por Cacaio, a força do conjunto é um dos segredos do sucesso.

Que a grande campanha do representante bragantino sirva para restituir o prestígio a Cacaio e o reabilite como um de nossos melhores treinadores.     

De saída do Papão, Vinícius Leite gera dúvidas

A estreia de João Brigatti no Papão, sábado, diante do Manaus, tem um aspecto que ainda não ficou resolvido, embora seja de máxima importância para a formação da equipe: o aproveitamento de Vinícius Leite, camisa 10 e um dos principais jogadores do time, está de saída. Vai defender o Avaí na Série B, atraído por uma proposta irrecusável. Só espera o término do contrato, a 10 de novembro, para se desligar do clube.

Desde que o assunto veio à baila, Vinícius tem alternado bons e maus momentos no time. Fez gol contra o Santa Cruz após uma atuação medíocre nos dois tempos. Diante do Treze, voltou a ser um jogador importante nas articulações do ataque, dando o passe que levou ao gol de Wellington Reis no primeiro minuto da partida.

A dúvida, que deve passar pela cabeça de Brigatti, é: escalar ou não um jogador que já está com a cabeça longe e que pode ter o rendimento comprometido até pelo receio de uma contusão. Talvez seja o caso de tentar achar logo uma alternativa – Mateus Anderson, Elielton ou Vítor Feijão (que nem estreou) – para a lacuna que Vinícius vai deixar.

(Coluna publicada na edição do Bola desta sexta-feira, 30)