Botafogo afasta Autuori e efetiva Bruno Lazaroni

Imagem

Paulo Autuori não é mais técnico do Botafogo. Em reunião na tarde de hoje, a diretoria do Alvinegro decidiu pela saída do treinador, que estava no cargo desde fevereiro. De acordo com nota divulgada pelo clube, Bruno Lazaroni é o novo comandante do time e já vai estar à beira do gramado no clássico com o Fluminense, domingo, pelo Campeonato Brasileiro. A gerência de futebol será ocupada pelo ex-jogador Túlio Lustosa.

“Caro Presidente e membros do Comitê, passo aqui para comunicar que está na hora de proceder mudanças, sem qualquer tipo de constrangimentos. Tanto assim que ontem, para facilitar as coisas, comuniquei aos jogadores que é esse o caminho. Uma coisa é ser persistente, outra, é ser teimoso. Quando os sinais são negativos, é teimosia. Sem espaço para retroceder na atitude já tomada. Por favor, buscar, imediatamente, soluções. Obrigado. Lembranças às famílias”, explicou Autuori, ao site oficial do Alvinegro.

A pressão sobre a cúpula e o comandante aumentou muito após a derrota para o Bahia, na noite de ontem (30), pelo Brasileiro. O resultado fez o Glorioso caísse para a penúltima colocação do campeonato.

Apesar da classificação às oitavas de final da Copa do Brasil, a ausência de resultados positivos no Brasileiro e a queda de desempenho do time pesaram para a decisão.

Ataques à Amazônia agora miram a autonomia da UFPA

UFPA seleciona mais de nove mil estudantes para Auxílios de Inclusão  Digital - A Voz do Xingu

A Amazônia tem sido um dos principais alvos do governo de Jair Bolsonaro no Brasil. Queimadas criminosas da floresta, genocídio de povos tradicionais, negligência no enfrentamento da pandemia de Covid-19 são algumas das ações articuladas de ataque à região. Em continuidade à política violenta e colonialista de desrespeito aos direitos dos cidadãos amazônicos, mais um alvo está na mira: a Universidade Federal do Pará (UFPA).

Maior instituição de ensino e pesquisa da Pan-Amazônia, a UFPA está sem reitor no comando desde o dia 23 de setembro, após o término do mandato do professor Emmanuel Zagury Tourinho, que estava à frente da Universidade desde setembro de 2016. Tourinho foi reeleito pela comunidade acadêmica com 93% dos votos para novo mandato até 2024. Entre 2017 e 2018, Tourinho presidiu a Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes).

O pesquisador também recebeu 79,2% dos votos do Conselho Universitário da UFPA e encabeça a lista tríplice encaminhada ao Ministério da Educação (MEC) em julho, para análise e posterior nomeação do reitor pelo Presidente da República. Contudo, até o momento não houve a nomeação. Enquanto isso, a Reitoria está sob a direção do vice-reitor, Gilmar Pereira da Silva, até o dia 10 de outubro, quando encerra o seu mandato. Os rumores dão conta de que o MEC prepara a nomeação de um interventor na instituição a partir dessa data.

UFPA é uma das melhores universidades do mundo, diz revista inglesa -  Portal Amazônia

Processo de nomeação

Somente após dois dias do encerramento do mandato do reitor e sem anúncio da nomeação, o Ministério da Educação encaminhou à UFPA um ofício em que apresenta diligência da Casa Civil da Presidência da República, que alega haver inconformidade na consulta informal à comunidade acadêmica, realizada em junho deste ano.

A irregularidade estaria no fato de a Universidade ter adotado o peso paritário entre os votos de professores, técnicos e alunos. No ofício, fica evidente que o processo da lista tríplice já havia passado pela análise técnica e jurídica do MEC e foi encaminhado para a Casa Civil para escolha do reitor pelo presidente. Contudo, a Casa Civil, incomumente, devolveu o processo alegando inconformidade com a legislação.

A Procuradoria Federal junto à UFPA foi consultada e emitiu parecer reafirmando a legalidade da consulta e da composição da lista tríplice, com base na legislação vigente e na Nota Técnica 243, emitida em 2019 pelo próprio Ministério da Educação com orientações e esclarecimentos sobre os procedimentos para o processo de escolha de reitores nas Instituições Federais de Ensino Superior (IFES).

Na última terça-feira, 29 de setembro, o Conselho Universitário da UFPA discutiu o tema e, amparado pelo parecer jurídico da Procuradoria, aprovou, por unanimidade, Nota Oficial, que foi enviada ao MEC, em resposta à diligência. No documento, os conselheiros cobram a nomeação do reitor e solicitam os pareceres técnicos e jurídicos do MEC sobre a documentação apresentada pela UFPA e o parecer da Casa Civil que fundamenta a diligência apresentada.

O Conselho Universitário também já havia publicado, no dia 24 de setembro, nota oficial denunciando que a não nomeação do reitor eleito é mais um ataque à Amazônia e às suas Universidades Públicas. A nota encontra-se traduzida para o espanhol, inglês, francês, alemão e para as línguas indígenas Yēgatu, Wai Wai e Hixkaryana.

Enquanto isso, o Supremo Tribunal Federal (STF) foi acionado, nesta semana, por meio de pedido de liminar impetrado pelos candidatos que compõem a lista tríplice da UFPA: Emmanuel Zagury Tourinho, Zélia Amador de Deus e Doriedson do Socorro Rodrigues. No mandado de segurança elaborado pelos advogados e professores da UFPA Jorge Alex Nunes Athias, Fernando Facury Scaff e Pedro Bentes Pinheiro Filho, é requerido que seja determinado ao presidente da República a nomeação de um dos componentes da lista e a não nomeação, sob qualquer hipótese, de um interventor, visto que, na vacância da Reitoria, o Estatuto da Universidade estabelece que a administração seja assumida pelo decano do Conselho Universitário.

A comunidade acadêmica tem se manifestado enfaticamente nas redes sociais, a fim de mobilizar a sociedade civil, parlamentares, organismos jurídicos e associações científicas nacionais e internacionais para defesa da Universidade Pública e da Amazônia, como patrimônios indispensáveis de todos e para todos, e para a nomeação de Emmanuel Tourinho como reitor da UFPA. Nas redes sociais, circula a hashtag #NomeiaTourinho. Várias associações científicas, movimentos sociais e coletivos estudantis têm se manifestado e reverberado o caso nacional e internacionalmente.

Governos democráticos tradicionalmente nomearam o primeiro colocado da lista, respeitando a autonomia universitária prevista na Constituição brasileira. Mas esta não é mais a realidade desde 2019, com o atual governo de Jair Bolsonaro, que tem sistematicamente nomeado candidatos que perderam as votações, gerando sérias crises nas universidades, e, em alguns casos, tem nomeado interventores (UFGD, IFRN e IFSC). Hoje já se somam 15 instituições cuja escolha da comunidade foi desconsiderada por Bolsonaro.

Em caso recente, o presidente nomeou o terceiro colocado na lista tríplice da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa), em claro ataque à estabilidade da instituição e ao voto da comunidade. No caso da UFPA, a preferência foi por deixar a Universidade sem direção, ainda que temporária, preparando o terreno para nomeação de um interventor.

Maior universidade da Pan-Amazônia

A Universidade Federal do Pará está entre as três maiores instituições brasileiras em número de alunos, reunindo uma população acadêmica superior a 60 mil membros, considerando professores, técnicos e estudantes, da Educação Infantil à Pós-Graduação.

É sediada no estado do Pará, o segundo maior estado brasileiro, cujo território compreende cerca de 25% da Amazônia Legal. Com grande capilaridade, possui 12 campi e atua ainda em mais sessenta e seis municípios, alcançando diretamente 78 dos 144 municípios do estado.

A UFPA ainda se destaca pela oferta de quase de 200 cursos de graduação e 144 cursos de mestrado e doutorado, estando hoje entre as dez instituições que mais participam do Sistema Nacional de Pós-Graduação.

Copa do Brasil: sorteio define confrontos das oitavas

Troféu da Copa do Brasil -  Friedemann Vogel/Getty Images

Os confrontos das oitavas de final da Copa do Brasil foram definidos na manhã desta quinta-feira. Os duelos foram confirmados em sorteio realizado pela CBF na manhã de hoje. Um dos destaques desta fase será o confronto entre o Fortaleza, comandado por Rogério Ceni, e o São Paulo. Atual campeão, o Athletico-PR vai enfrentar o Flamengo. Juventude e Grêmio fazem o duelo regional das oitavas de final.

CONFRONTOS

Santos x Ceará

Juventude x Grêmio

Botafogo x Cuiabá

Fortaleza x São Paulo

Flamengo x Athletico-PR

Atlético-GO x Internacional

Palmeiras x Red Bull Bragantino

Corinthians x América-MG.