TJD rejeita pedido do PSC para cancelar documento da FPF

O Tribunal de Justiça Desportiva (TJD) julgou improcedente o pedido do Paysandu para cancelar o documento emitido pela Federação Paraense de Futebol (FPF), sobre a mudança da data de inscrição de atletas. Segundo o presidente da entidade, Fábio Guedes Salgado, em documento assinado pelo próprio dirigente, o Papão protocolou o ofício “em data posterior ao prazo de 20 dias”, que é dado para estes casos.

Para a diretoria do PSC, as inscrições do atacante Tcharlles e do lateral-esquerdo Marlon foram feitas fora do prazo. Caso o TJD aceitasse o pedido, os dois jogadores do Remo estariam irregulares e não poderiam atuar na final do Parazão, inclusive no jogo desta noite (2), às 20h, no Mangueirão.

Após a confirmação da final contra o Remo, os bicolores denunciaram que os jogadores Tcharlles e Marlon teriam sido inscritos no Parazão fora do prazo, já que a rodada foi antecipada para o dia quatro e que os atletas deveriam estar no BID na segunda-feira (3), um dia útil antes da rodada final. Já o Remo se baseia em um documento oficial da FPF, que mantém as inscrições da competição para o dia 4.

Seaster capacita 106 municípios para Programa de Aquisição de Alimentos

A Secretaria de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster), por meio da Diretoria de Segurança Alimentar e Nutricional (Disan), realizou de 11 a 28 de agosto, uma série de capacitações online para 106 municípios paraenses habilitados para a execução do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) em 2020. As capacitações foram divididas em oito turmas com média de 20 municípios em cada. Os coordenadores municipais do PAA receberam assessoramento e apoio técnico para conduzir o programa em tempos de pandemia.

“O principal objetivo da capacitação foi compartilhar a execução do Programa de Aquisição de Alimentos no atual contexto das medidas de enfrentamento à pandemia, assim como, socializar sobre a função dos coordenadores municipais, descrever toda funcionalidade e controle social do programa e tratar sobre o preenchimento da emissão de nota fiscal eletrônica e o credenciamento do agricultor rural no site da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefa)”, explica o gerente estadual do PAA, Luís Dantas.
Estímulo

O Governo do Pará, por meio da Seaster, recebeu do Ministério da Cidadania um recurso equivalente a R$ 7.995.000 para estimular a produção dos agricultores rurais afetados durante a pandemia.
“Os municípios foram extremamente atingidos, pincipalmente, os agricultores rurais, que apresentaram dificuldades na comercialização de seus produtos durante o período de isolamento nas suas zonas rurais. Com esse recurso, nós iremos alcançar os 106 municípios que foram beneficiados com a execução do programa em 2020”, ressalta a diretora de Segurança Alimentar e Nutricional da Seaster, Nazaré Costa.

Ele observou que muitos dos munícipios nunca tinham executado o PAA e foram capacitados pela primeira vez.

PROGRAMA – O PAA é uma das principais políticas de apoio e incentivo à agricultura familiar, do governo federal. Agricultores, cooperativas e associações vendem seus produtos para órgãos públicos sem necessidade de licitação e esses órgãos abastecem a rede pública e filantrópica de ensino, além da rede socioassistencial como os Centro de Referência de Assistência Social (Cras), Centro de Referência de Assistência Social (Creas) e Unidades de Acolhimento. (Com informações da Agência Pará)