Ronaldinho Gaúcho é libertado após 5 meses de prisão

Ronaldinho Gaúcho

Ronaldinho Gaúcho e Roberto Assis Moreira, seu irmão, estão livres. Nesta segunda-feira, a Justiça do Paraguai soltou os dois ex-jogadores, que estavam detidos há mais de cinco meses, embora eles tenham sido culpados. Assim, agora eles poderão retornar ao Brasil. Os irmãos eram acusados pela utilização de passaportes falsos para entrarem no país em março. Eles foram condenados, com pena suspensa de dois anos para Assis e de um para Ronaldinho.

A soltura foi possível porque Ronaldinho e seu irmão aceitaram a proposta do Ministério Público para que fossem colocados em liberdade. Eles irão pagar uma multa de US$ 200 mil (R$ 1,12 milhão), que será descontada da fiança paga quando foram colocados em prisão domiciliar. E Assis terá de comparecer a cada quatro meses perante a um juiz brasileiro durante o período da pena suspensa.

O juiz de garantias Gustavo Amarilla Arnica aceitou o acordo feito entre as partes e colocou os irmãos em liberdade, com a pena suspensa.Na audiência desta segunda, realizada no Palácio da Justiça, em Assunção, o Ministério Público do Paraguai apontou que Assis e Ronaldinho tiveram atuações diferentes no caso. De acordo com a promotoria, o irmão do ex-jogador do Barcelona foi o responsável pelo fornecimento das fotos para a produção de documentos falsos, enquanto Ronaldinho não teria conhecimento desse ato. Por isso, a multa que Assis pagará – US$ 110 mil (R$ 616 mil) – é maior do que a do irmão – US$ 90 mil (R$ 504 mil).

Do valor pago pelo pentacampeão mundial, US$ 60 mil vão para um hospital e outros US$ 30 mil para a campanha solidária “Todos somos Bianca”.Ronaldinho desembarcou em Assunção ao lado do irmão em 4 de março para participar da inauguração de um cassino e uma ação social que utilizava a sua imagem. Esse projeto era liderado pela empresária Dália López, que chegou a recepcioná-los no aeroporto e agora está foragida da Justiça.

Na noite do dia da chegada de ambos ao país, a polícia do Paraguai foi ao quarto do hotel onde eles estavam, para investigar a acusação de que portavam documentos falsos. Ele prestaram depoimentos no dia seguinte e chegaram a admitir terem cometido um crime. Inicialmente, seriam liberados da acusação e voltariam ao Brasil, mas uma reviravolta judicial os levou para a prisão no dia 6.Os dois, então, foram detidos e ficarem por cerca de um mês em um presídio de segurança máxima no Paraguai.

Em abril, a Justiça aceitou a transferência para o regime domiciliar, em um hotel de Assunção, após o pagamento de uma fiança de US$ 1,6 milhão (o equivalente a cerca de R$ 8,5 milhões), que será devolvida com o fim do processo, exceto os US$ 200 mil do acordo firmado nesta segunda. No último dia 7, os promotores pediram ao juiz a suspensão condicional do procedimento para que o ídolo do Barcelona e seu irmão pudessem retornar ao Brasil, desde que aceitassem o acordo proposto e aceitassem a pena suspensa de dois anos.

A valentia do “mito”

Imagem

Eis o corajoso MITO na histórica coluna #InformeJB de 25/10/1993, do Jornal do Brasil. Aos 38 anos, o “atleta” ficou com o olho roxo de tanta porrada que levou de um capitão cuja esposa trabalhava no gabinete de Bolsonaro e, pelo jeito, foi assediada por um certo alguém.

Como todo falso valentão, a figura só é braba quando rodeada de seguranças, e na companhia inseparável de Hélio Negão…

Direto do Twitter

“É burro, baixo, ignorante e criminoso. É vergonhoso ter uma figura tão despreparada na Presidência da República. ‘Quando tomei no dia seguinte já tava bom’, diz o irresponsável, colocando vida de pessoas em risco. Se isso não é crime de responsabilidade, não sei o que é”.

Kennedy Alencar, jornalista e apresentador

A frase do dia

“Não vou nem falar a palavra neste momento, mas eu quero repetir a pergunta, porque acho que todo jornalista deve perguntar por que entraram R$ 89 mil na conta da primeira-dama. Perguntas são para serem feitas por jornalistas, e as pessoas que estão do outro lado ou respondem ou não respondem. Não precisa responder com ameaça”.

Marcelo Barreto, apresentador do Redação SporTV