MP pede à Justiça que Goleiro Bruno use tornozeleira eletrônica

Imagem

O goleiro Bruno pode ter que usar tornozeleira eletrônica nos jogos pelo Rio Branco, no Acre. O pedido foi feito, neste domingo (2), pelo Ministério Público do Estado junto à Justiça. O atleta cumpre pena em regime semiaberto.

A solicitação foi do promotor de justiça Tales Fonseca Tranin, da 4ª Promotoria Criminal de Execução Penal e Fiscalização de Presídio. Segundo ele, a regra no Estado é que todo reeducando que está no regime semiaberto use a tornozeleira eletrônica e, com Bruno, não seria diferente.

Se o pedido for acatado pela Justiça, Bruno vai ter de usar a tornozeleira durante os jogos e treinamentos. Os custos pela compra e manutenção do equipamento vão ser do Rio Branco-AC. (Do site da Rádio Itatiaia-MG)

A frase do dia

“O ‘gabinete do ódio’ começou no Jornal Nacional, com a Globo difamando e perseguindo seus adversários políticos, mas travestindo-se de jornalismo sério. O problema para a Globo é que a emissora perdeu o controle sobre o ódio. Não haveria Allan dos Santos sem Bonner”.

Ricardo Pereira, professor e jornalista

O adeus de Egidinho Salles, um destacado defensor dos direitos humanos

AS FALAS DA PÓLIS: A partida do advogado Egydio Salles

Para consternação de amigos, parentes e companheiros de profissão, morreu neste domingo (02) o advogado Egídio Salles Filho, aos 67 anos, vítima de infarto enquanto dormia em sua residência. O velório (reservado à família) será realizado no Recanto da Saudade, até às 15h desta segunda-feira, quando será realizado o enterro.

Egidinho, como era mais conhecido, era professor de Direito da Universidade Federal do Pará (UFPA), foi vice-presidente da Ordem dos Advogados/Seção Pará, procurador geral do Município de Belém, membro da Academia Paraense de Letras Jurídicas e um destacado colaborador do “Projeto Brasil Nunca Mais”, que tinha o objetivo de denunciar casos de tortura na época do regime militar.

Era filho de um dos maiores juristas paraenses, Egídio Salles, e irmão da advogada e ex-presidente da OAB-PA, Ângela Salles.

Em nota, o senador Jader Barbalho prestou condolências à família: “É com imensa tristeza que tomo conhecimento da perda do amigo Egídio Salles Filho. Um dos advogados mais talentosos que tive a oportunidade de conhecer e usufruir de sua amizade. Peço à minha querida Ângela que transmita para a família a minha solidariedade, pedindo a Deus que ajude a enfrentar tão difícil momento”.

Entrevista com Egydio Salles Filho - YouTube

A deputada estadual Marinor Brito (PSOL) divulgou nota de pesar pela morte de Egidinho. “É com imenso pesar e dor que recebemos a triste notícia do falecimento do companheiro, advogado Egídio Salles Filho, ocorrido neste domingo. Parceiro de longas jornadas em defesa da dignidade e felicidade humana, Egídio sempre esteve conosco e sua partida repentina nos fará imensa falta em um momento de enfrentamentos diários e de defesa da democracia e conquistas do povo. Que seu legado como advogado brilhante e arrojado; defensor dos direitos humanos possa seguir nos inspirando e mesmo que sob o impacto de imensa dor, nos unimos à família, companheiros e amigos neste momento difícil e desolador.
Egídio, Presente!”.

Egídio, sempre muito atuante em defesa das causas sociais, era também um apaixonado por música. Criou o divertido personagem Kid Bujaru, com o qual fez uma série de programas na Rádio Cultura FM. Era amigo de grandes nomes da MPB. Gilberto Gil contou em programa recente na TV que tinha composto a canção “Refazenda” no sítio “do amigo Egidinho”, em Icoaraci.

Tcharlles é o novo reforço do Remo para a temporada

Image

Depois de muita negociação, o Remo conseguiu contratar o atacante Tcharlles, 28 anos, que defendeu a Inter de Limeira no Campeonato Paulista. Ele virá por empréstimo até o final da Série C. O novo reforço foi anunciado ontem, logo depois do jogo contra o Águia, no Baenão. O jogador atua como centroavante ou ponta. Fez 12 gols em 42 jogos pelo Leão da Paulista.

O novo atacante azulino chega para a Série C do Brasileiro e a Copa Verde, mas pode ser inscrito para o Campeonato Paraense, pois o prazo foi prorrogado até terça, 04. A diretoria remista até tentou trazê-lo antes, porém, como possui contrato vigente com o time de Limeira, ficou até o fim da campanha da equipe no Troféu do Interior do Paulistão.

Papão sobrando, Japiim em alta

POR GERSON NOGUEIRA

O Campeonato Estadual foi retomado em grande estilo, com alguns confrontos tecnicamente bons e – mais importante – muitos gols. Em cinco partidas, foram 20 gols, média de 4 gols por. Tamanha exuberância ofensiva surpreendeu a quem temia que a longa interrupção trouxesse equipes lentas e pouco entrosadas.  

Nicolas comemora o primeiro gol do Paysandu diante do Paragominas — Foto: Jorge Luiz/Paysandu

A primeira goleada ocorreu no sábado à noite, no Mangueirão. O PSC era favorito, mas a goleada evidenciou as fragilidades do Paragominas. Foi uma atuação sem maiores sobressaltos, quase em ritmo de treino na maior parte do tempo. Sólida na marcação, a equipe de Hélio dos Anjos não permitiu ao Jacaré muito mais do que alguns contra-ataques.

No começo, a zaga apresentou problemas, mas aos poucos o Papão se estabilizou e passou a chegar com perigo. O gol de abertura veio quando Tony arrancou pela direita, bateu cruzado e Nicolas chegou tocando para as redes. Logo a seguir, uma cobrança de falta explodiu na trave do Paragominas. Deivid Souza ainda teve tempo de bater de canela, perdendo um gol feito no fim do 1º tempo.

Na etapa final, o Papão controlou ainda mais as ações, explorando as muitas falhas de marcação do adversário. Os gols vieram naturalmente, com Uchoa, Mateus Anderson e Vinícius Leite. Um triunfo tranquilo, de um time ajustado, que, mesmo sem criatividade no meio, compensa com objetividade ofensiva. Nicolas, Vinícius Leite e Mateus Anderson foram os mais acionados e participativos do lado bicolor.

Sábado pela manhã, na Curuzu, o Castanhal passou pelo Tapajós, com vitória de 2 a 1, mais complicada do que se supunha. William Fazendinha marcou duas vezes para o Japiim e o time santareno descontou no final, mas reclama um pênalti não marcado quando o placar estava 1 a 0.

O triunfo deu ao time de Artur Oliveira a vaga nas semifinais do Parazão e, depois de 17 anos, o acesso a uma competição nacional – vai disputar a Série D 2021. Parte das metas do clube está cumprida, mas o Castanhal quer mais: sonha com o título, pretensão inteiramente legítima. (Foto: Jorge Luiz/Ascom PSC)

Sob calor e emoção, Leão supera um Águia cauteloso demais

Os jogos de domingo sustentaram o nível dos embates da véspera. O Baenão foi palco de uma partida disputadíssima, com forte equilíbrio no primeiro tempo e que terminou com um placar pouco condizente com as dificuldades vistas em campo. O Remo venceu por 4 a 2, mas sofreu para superar a retranca e a catimba do Águia, que saiu na frente e terminou o primeiro tempo vencendo por 2 a 1.

Eduardo Ramos perdeu pênalti, mas fez o segundo e o terceiro gols do Remo no jogo

A vantagem parcial foi conquistada com méritos pela equipe de João Galvão. Marcou bem as saídas do Remo e se aproveitou de erros de marcação à entrada da área, quase todos propiciados pelo volante Xaves. Carlinhos fez 1 a 0, aproveitando rebote de Vinícius. Gustavo Ermel empatou, encobrindo o goleiro, aos 34’, e Bruno Oliveira desempatou aos 44’ em caprichada cobrança de falta.

Erros cometidos pelo Remo – e por Mazola – na etapa inicial foram corrigidos após o intervalo, com mudanças pontuais que rejuvenesceram a equipe e permitiram furar o bloqueio (e o cai-cai) do Águia. Eduardo Ramos, que perdeu pênalti aos 32’ do 1º tempo, foi o destaque da tarde ensolarada no Evandro Almeida. Atuou por 90 minutos cumprindo funções essenciais no meio e aparecendo também como finalizador.

O placar final é ilusório porque a vitória remista só foi construída a partir dos 36 minutos do 2º tempo, quando ER empatou rebote do goleiro em chute de Robinho. Até então, o Remo tinha a bola, mas nenhuma inspiração para furar a marcação. Com as trocas de Xaves por Charles, Gelson por Robinho e Ermel por Ronald, o time ganhou vida nova.

Ramos desempatou aos 46’, aparando de chapa o cruzamento açucarado de Ronald. Douglas Packer fez o 4º gol aos 52’, aproveitando jogada puxada por Ronald na direita. Os mais produtivos foram Ermel, Dudu Mandai, Robinho e Dudu Mandai. Everton e Zé Carlos não atuaram bem.

O Águia acabou castigado por ter desperdiçado tanto esforço em não insistir com o ataque. Tinha espaço para pressionar, mas preferiu se recolher a uma tática de cautela que acabou atraindo o Remo para o seu campo. Vitória justa do Leão, mas com alguns pontos carentes de solução, principalmente na arrumação da meia-cancha. Principais nomes do Azulão: Bruno Collaço, Guilherme e Bruno Oliveira.

Pela manhã, no Mangueirão, o Bragantino passou pelo Independente, marcando 2 a 0, e candidatando-se à conquista da quarta vaga das semifinais. Determinado, o Tubarão não deu chances a um Galo Elétrico já sem grandes ambições. (Foto: Samara Miranda/Ascom Remo)

Show de Hamilton vai virar muleta nos compêndios de autoajuda

Lewis Hamilton, o primeiro piloto negro da F1, Está definitivamente no panteão dos grandes nomes da categoria, o único capaz de superar as façanhas do alemão Michael Schumacher em títulos, coisa que parecia improvável até pouco tempo atrás.   

Ontem, Hamilton se superou. Venceu o GP da Inglaterra de forma dramática, atravessando a linha de chegada com pneu estourado. Lembrou astros célebres pela audácia, como Gilles Villeneuve, François Cevert e James Hunt, revivendo a aura de heroísmo que a F1 parecia ter esquecido.

O lado ruim, como um gaiato lembrou nas redes sociais, é que o exemplo de superação de Hamilton certamente vai desencadear uma batelada de textos de disciplina, profissionalismo e outras patacoadas do mundo coach. 

(Coluna publicada na edição do Bola desta segunda-feira, 03)