Calendário do ‘novo normal’

POR GERSON NOGUEIRA

Remo vence o Águia e assume a liderança do Parazão em jogo morno ...

A ideia, manifestada pela CBF, de iniciar o Campeonato Brasileiro das Séries A e B no dia 9 de agosto, pode criar o cenário que a coluna já abordou desde o mês de abril: a competição nacional poderá ser disputada simultaneamente com os estaduais. A confirmação do calendário deve ocorrer na próxima semana. Isso vale para o futebol do Pará, caso a entidade confirme o início da Série C também para agosto.

O Parazão pode ser retomado no início de agosto, o que faria com que suas rodadas sejam intercaladas com as da Terceira Divisão. A fase de preparação de sete semanas, prevista no protocolo de segurança elaborado pela FPF, deve ser suficiente para que os elencos sejam condicionados a duas competições, pois o Estadual utilizará somente seis datas.

Vários clubes se posicionam contra isso. O PSC, através do presidente Ricardo Gluck Paul, já deixou claro que não concorda em montar a tabela do Parazão com a da Série C. Entende que a sobrecarga física prejudicará tecnicamente os times após uma quarentena de três meses sem atividades.

As comissões técnicas avaliam como temerária a volta imediata aos jogos e reivindicou cinco semanas de treinamentos antes do reinício dos jogos. O protocolo da FPF contemplou isso, e foi além, estabelecendo uma pré-temporada de sete semanas para que os elencos possam se preparar.

Clubes de vários Estados já se pronunciaram contra a abertura da Série A em agosto, entendendo que vai atrapalhar o planejamento e a realização dos certames estaduais. A maior grita vem de São Paulo, onde o campeonato deveria ser retomado em agosto, 30 dias após o início dos treinos.

Devido à pandemia, cada Estado vai estabelecer suas próprias regras de liberação de atividades, dependendo dos órgãos públicos. Como o governo do Estado já aprovou o protocolo de segurança, a FPF e os clubes paraenses definem, nos próximos dias, a data da reabertura.  

O posicionamento da CBF pelo menos desfaz dúvidas quanto ao reinício do Brasileiro. Alinhada com a Globo, patrocinadora e detentora dos direitos de transmissão, a entidade defende a manutenção do formato atual (pontos corridos e 38 rodadas), com jogos entre agosto e fevereiro de 2021.

Esticar a competição até a temporada seguinte abre a possibilidade de retardar o início, como querem os paulistas. Quanto à Série C, que tem formato diferente e duração menor, o ajuste é perfeitamente possível para permitir que o Estadual seja finalizado antes do Brasileiro.

Tudo isso vai depender, obviamente, da posição de das autoridades de saúde. Apesar disso, 19 dos 20 clubes da Série A se dispõem a jogar excepcionalmente fora de suas cidades, caso seus municípios não estejam liberados pelas autoridades para a realização de jogos.

Mangueirão vai ficar mais bonito e confortável

De novembro de 2020 a julho de 2022, o estádio Jornalista Edgar Proença entrará em obras. Por iniciativa do governo do Estado, receberá finalmente a atenção merecida, após anos de semi-abandono na era tucana. Castigado pela deterioração da estrutura, o Mangueirão será inteiramente reformado. Ficará como novo. Um presente luxuoso para o torcedor mais apaixonado do Brasil.

O Mangueirão terá a capacidade aumentada para 53.645 lugares, graças ao fechamento do anel das cadeiras. O gramado será recomposto e as dependências internas do estádio devem ser bastante modificadas, visando prioritariamente garantir mais conforto aos espectadores.

Detalhe importante: o nome oficial do estádio, votado e aprovado pela Assembleia Legislativa, continuará a ser Jornalista Edgar Proença, em homenagem ao desportista, pioneiro da comunicação radiofônica e fundador da Rádio Clube do Pará.

Bola na Torre

O programa começa às 21h deste domingo, na RBATV, com apresentação de Lino Machado, ao lado de Mariana Malato e Saulo Zaire. Em home office, Guerreiro, Tommaso e este escriba de Baião participam das discussões.

Uma voz lúcida em meio a um mar de insensatez

“Eu pedi pra sair. Ontem é que decidi que não ia mais, porque me convenceram que poderia prejudicar o Botafogo. Meu objetivo era não dar continuidade. Dizer: não quero participar disso. É uma bandalheira. Esse campeonato é carta marcada”.

Paulo Autuori abriu o verbo em entrevista ao Globo e o troco veio rápido e rasteiro: a Ferj escancarou suas preferências e puniu o treinador do Botafogo pelas críticas ao retorno do futebol. Retaliação desnecessária e flagrante censura ao direito de opinião.

Ainda sobre a passagem de Luxemburgo pelo Bernabéu

Um deslize foi cometido no texto sobre a passagem de Vanderlei Luxemburgo pelo Real Madrid. Apesar dos sonhos de grandeza do técnico, que faziam crer em longa estadia no Santiago Bernabéu, ele ficou por 340 dias no cargo – e não um mês, como dito aqui na sexta-feira, 26.

Luxa foi demitido após vitória magra sobre o Getafe pelo Campeonato Espanhol. Ronaldo Fenômeno marcou o gol da vitória e sua substituição atiçou a ira da torcida, que vaiou demoradamente o treinador. Enquanto esteve lá, venceu 28 vezes, empatou sete e sofreu 10 derrotas. 

(Coluna publicada na edição do Bola deste domingo, 28)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s