Sociedade de Pediatria não recomenda uso de cloroquina no tratamento de covid em crianças

A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) veio a público novamente nesta terça-feira (16) reiterar, em nota, que não há evidências científicas consistentes e reconhecidas na literatura médica quanto ao uso de cloroquina e hidroxicloroquina no tratamento de sinais e sintomas de Covid-19 em crianças e adolescentes. O alerta veio um dia após o Ministério da Saúde informar que ampliará as orientações de uso do medicamento para o tratamento precoce dessa doença em dois perfis de pacientes: crianças e gestantes.

ACESSE AQUI A ÍNTEGRA DA NOTA.

De acordo com a nota, a ausência dessas evidências sólidas impede o uso seguro dessas drogas, seja por que não há confirmação sobre seus efeitos terapêuticos positivos contra a Covid-19, seja por que ainda não foram mensurados com exatidão seus possíveis efeitos colaterais.

A presidente da SBP, dra. Luciana Rodrigues Silva, disse que a posição adotada pela instituição dialoga com a da FDA (Food and Drug Administration, em inglês), agência que atua como a Anvisa nos Estados Unidos. Também na segunda-feira (15), ela revogou a permissão concedida em 28 de março para uso cloroquina e hidroxicloroquina em tratamento de pacientes com Covid-19. O órgão regulador americano declarou que “não é mais razoável acreditar que as formulações orais de hidroxicloroquina e de cloroquina possam ser eficazes”.

RECOMENDAÇÃO ANTERIOR – A SBP, em 29 de maio, já havia divulgado amplamente essa recomendação semelhante, que se estende a pacientes com diferentes quadros: desde os que relatam sintomas leves até os que desenvolvem manifestações graves, estando sob cuidados em leitos de internação ou de unidades de terapia intensiva (UTIs).

A nota reforça que o uso de cloroquina e de hidroxicloroquina também não possui efeito profilático confirmado. Ou seja, não devem ser recomendado como medida preventiva para evitar contaminação pelo novo coronavírus. Não há trabalhos científicos reconhecidos que apontem essa possibilidade.

Segundo o presidente do Departamento Científico de Infectologia da SBP, dr. Marco Aurélio Sáfadi, as informações técnicas disponíveis sobre a interação desses  medicamentos com a COVID-19 ainda são escassas, sobretudo em relação à população pediátrica.

RESPALDO TÉCNICO – “Essa falta de embasamento impede que o médico receite a cloroquina de forma confortável e segura, com base numa avaliação equilibrada entre riscos e benefícios. Sem dados robustos e o devido respaldo técnico, a utilização de qualquer remédio se torna uma espécie de experimentação, que pode trazer mais problemas do que melhorias à saúde”, destaca.

Ele ressalta ainda que a prescrição desses medicamentos deve ficar restrita aos pacientes que fazem parte estudos clínicos que seguem as regras da Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep). Para dr Sáfadi, a prevenção e o combate à Covid-19, no Brasil, devem ser conduzidos à luz do que a Ciência tem orientado para não expor a população e os profissionais da saúde a situações de risco.

“Neste sentido, recomenda-se a manutenção das medidas de restrição de contato social e de reforço à higienização, reconhecidas, até o momento, como as mais eficazes no que se refere à prevenção. De modo complementar, os gestores devem aguardar a conclusão de estudos que ainda estão em andamento para identificar drogas e abordagens terapêuticas com chances efetivas de sucesso no tratamento de pacientes com Covid-19”, sinaliza.

Todos os jogos de clubes paraenses no Maracanã

Por Jorginho Neves

02/05/1974 Fluminense 2×0 Paysandu
Série A

01/06/1974 Flamengo 3×0 Remo
Série A

23/08/1975 Botafogo 2×1 Paysandu
Série A

25/10/1975 Flamengo 1×2 Remo
Série A

15/02/1978 América 1×1 Remo
Série A

04/05/1978 Flamengo 2x0Paysandu
Série A

09/05/1978 Fluminense 1×0 Remo
Série A

10/05/1978 América 0x0 Paysandu
Série A

04/04/1981 Fluminense 4×1 Paysandu
Série A

23/02/1983 Flamengo 3×2 Paysandu
Série A

02/09/1986 Flamengo 4×1 Paysandu
Série A

03/05/1992 Flamengo 4×1 Paysandu
Série A

10/09/1994 Flamengo 0x0 Paysandu
Série A

12/08/1998 Fluminense 1×1 Paysandu
Série B

18/02/1999 Botafogo 2×2 Paysandu
Copa do Brasil

Remo tem retrospecto ruim contra times cariocas em campeonatos ...

11/04/2001 Botafogo 1×2 Remo
Copa do Brasil

13/03/2002 Fluminense 2×0 Paysandu
Copa do Brasil

24/08/2002 Flamengo 1×2 Paysandu
Série A

23/04/2003 Flamengo 4×0 Remo
Copa do Brasil

20/09/2003 Fluminense 1×1 Paysandu
Série A

18/10/2003 Flamengo 2×0 Paysandu
Série A

15/08/2004 Fluminense 1×1 Paysandu
Série A

22/04/2009 Fluminense 3×0 Águia de Marabá
Copa do Brasil

20/08/2015 Fluminense 2×1 Paysandu
Copa do Brasil

Manifesto em defesa de Aroeira e da liberdade de expressão

Renato Aroeira

Artistas e intelectuais lançaram um manifesto em defesa do cartunista Renato Aroeira, após o governo Jair Bolsonaro, por meio do ministro da Justiça, André Mendonça, pedir à Polícia Federal um inquérito com o objetivo de investigar uma charge em que uma cruz vermelha de um hospital é transformada em suástica, símbolo do nazismo. 

De acordo com o manifesto, “ao dizer que um desenho de humor leva perigo à integridade do Estado, o ministro expressa um delírio fanático e alimenta as fantasias totalitárias dos criminosos que promovem ataques crescentes contra a democracia no Brasil”. “Abaixo o autoritarismo”.

Leia a íntegra do texto:

Nós, artistas, escritores, jornalistas, cientistas e professores, que não podemos viver e trabalhar sem democracia e liberdade, repudiamos frontalmente a declaração do Sr. Ministro da Justiça, André Luiz Mendonça, que ameaçou instaurar inquérito contra o grande artista gráfico Renato Aroeira. 

O ministro viu ameaças à “segurança nacional” (sic) numa charge em que Aroeira ironiza as falas do Presidente da República incitando seus seguidores a invadirem e filmarem hospitais. Ao dizer que um desenho de humor leva perigo à integridade do Estado, o ministro expressa um delírio fanático e alimenta as fantasias totalitárias dos criminosos que promovem ataques crescentes contra a democracia no Brasil. 

Não aceitamos mais delírios obscurantistas. Não aceitamos intimidações. Abaixo o autoritarismo. E amparados no Artigo Quinto da Constituição Brasileira, dizemos “não” à censura, em solidariedade ao artista Renato Aroeira e ao jornalista Ricardo Noblat, que postou a charge em seu “Blog do Noblat”. 

Bolsonaro manda indicar cloroquina para gestantes e crianças enquanto EUA revogam uso da droga

No mesmo dia em que os Estados Unidos revogaram a permissão para uso de hidroxicloroquina em pacientes com coronavírus, o Ministério da Saúde do governo Bolsonaro decidiu estender a recomendação para crianças e gestantes com sintomas leves de covid-19.

Segundo informações do Estadão, o Ministério vai atualizar nota informativa divulgada em 20 de maio sobre a cloroquina. “O documento não é um protocolo, ou seja, não dita regras no SUS nem passa a autorizar procedimentos antes proibidos, mas tem forte poder político.”

Para ser protocolo, a hidroxicloroquina deveria provar cientificamente sua eficácia contra coronavírus, o que ainda não aconteceu.

Ainda de acordo com o jornal, a Secretária de Gestão do Trabalho e da Educação do Ministério da Saúde, Mayra Pinheiro, afirmou que gestantes e crianças foram incluídas na recomendação porque são do “grupo de risco”.

Ela também minimizou a decisão da Food and Drug Administration (FDA), a agência reguladora dos Estados Unidos que revogou a autorização emergencial para uso da hidroxicloroquina em pacientes com covid-19. A FDA informou que “é improvável que a cloroquina e a hidroxicloroquina sejam eficazes no tratamento da covid-19 ” e alertou para os riscos.

A secretária disse que nos EUA, a droga é usada apenas em casos graves e que, no Brasil, a introdução do medicamento ocorre nos primeiros sintomas, e assim ele demonstra maior eficácia. (Do Jornal GGN)

Operação Fake News: Polícia faz busca e apreensão em casas de radialistas e empresa de publicitário

A Polícia Civil do Pará, em cumprimento a uma decisão judicial, efetivou, na manhã desta terça-feira (16), três mandados de busca e apreensão em duas residências e em uma empresa vinculadas a uma associação criminosa que intensifica a prática de fake news no Estado. Somente na casa de um dos investigados foi encontrado o valor de R$ 15 mil, além de 13 mil euros, que equivalem a aproximadamente R$ 90 mil. Também foram identificados celulares e equipamentos utilizados para produção e propagação de fake news.

A ação faz parte da segunda fase da operação que combate uma rede de criminosos especializada em desinformação, criação e propagação de fake news. Nesta etapa, foram cumpridos mandados em alvos vinculados ao financiamento da produção de notícias falsas.

Os policiais cumpriram ordem emitida pelo juiz Heider Tavares. Os mandados de busca e apreensão foram realizados na residência e empresa do publicitário Orly Bezerra e dos radialistas Nonato Pereira e Silvinho Santos.

A Polícia Civil revelou que no apartamento de Orly foi apreendida a quantia de R$ 15 mil, além de notas de peso argentino, dólar e euro e dólar, juntamente com celulares, computador e pen-drive. Na casa de Nonato Pereira, que não estava presente, os agentes recolheram celular e computador. O mesmo ocorreu na residência de Silvinho Santos. (Com informações da Ascom/Polícia Civil)

Retorno do futebol no Rio não está garantido e dependerá de medidas de segurança

Maracanã está entre os estádios avaliados para retomada dos jogos no futebol do Rio — Foto: André Durão

A prefeitura do Rio de Janeiro informou que a retomada do futebol carioca a partir da próxima quarta-feira, 17 de junho, não está garantida. Questionado pela reportagem, o governo municipal afirmou que a volta do Estadual ainda depende de avaliação de medidas de segurança e das curvas de contágio e mortes pela Covid-19.

O retorno de treinos e competições consta entre as medidas de flexibilização do isolamento social anunciadas pela gestão de Marcelo Crivella no início deste mês. Na fase 2, com previsão de início nesta quarta, seriam liberadas partidas com portões fechados.

Contudo, a prefeitura esclareceu que ainda precisa de garantias de que as exigências serão cumpridas e, principalmente, detectar a queda nos números de contágio e mortes da pandemia do novo coronavírus.

A Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj) e a maioria dos clubes cariocas contam com essa liberação para bater o martelo pela volta do Estadual. Na madrugada desta terça-feira, a entidade se reuniu com os filiados e encaminhou o retorno das partidas a partir da próxima quinta-feira.

Os únicos contrários foram Botafogo e Fluminense, que pretendem ir à Justiça contra a volta do futebol. A dupla entende que não há segurança suficiente para voltar ao trabalho enquanto a epidemia não for controlada. O debate entre federações e clubes continua na noite desta terça, quando está marcada nova reunião arbitral às 20h (de Brasília).

Pandemia já matou 44 mil brasileiros e Bolsonaro segue brigando com os números

Paciente com coronavírus em hospital em São Paulo e Jair Bolsonaro

Insistindo na ideia de que existe um alarmismo sobre o coronavírus, Jair Bolsonaro voltou a reclamar dos números de infectados e de mortos pela doença no País. De acordo com ele, “os números não são muito precisos” e “obviamente não condizem com a realidade”. Bolsonaro disse não ter informações de que “qualquer pessoa tenha falecido por falta de UTIs ou respiradores”.

De acordo com a plataforma Worldometers, que disponibiliza dados sobre a Covid-19 em nível nacional, o Brasil ocupa a segunda posição em número de confirmações (891 mil) e de mortes (44,1 mil).

“Temos informações do Brasil todo de muita gente que falece de várias comorbidades e, entre elas, a covid, e entra na estatística como covid apenas. Isso não ajuda para que tenhamos uma numeração perfeita do que acontece, para que possamos tomar outras iniciativas”, afirmou ele, de acordo com o jornalista Augusto Fernandes, no Correio Braziliense, ao reportar entrevista de Bolsonaro concedida à Band News nesta segunda-feira (15).

Mundo vai acabar nesta semana, diz a nova versão calendário Maia

calendário maia

Ainda estamos em junho de 2020, mas parece que este ano já durou mais de uma década. Já vivemos chuvas torrenciais, erupções vulcânicas, nervos à flor da pele por questões políticas e raciais, tudo isso permeado pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19), que já deixou mais de 43 mil mortos somente no Brasil. Esses fatos podem reforçar uma nova intepretação do calendário Maia, que prevê o fim do mundo para, pásmem, esta semana!

Isso mesmo! Uma daquelas teorias da conspiração que vira e mexe surgem nas redes sociais apareceu na semana passada, pelas mãos do cientista Paolo Tagaloguin, conforme publicou o tablóide ingles “The Sun”. Se a previsão Maia não se concretizou em 12 de dezembro de 2012, pode ser porque ela foi erroneamente interpretada.

“Após o calendário juliano, estamos tecnicamente em 2012… O número de dias perdidos em um ano devido à mudança para o calendário gregoriano é de 11 dias. Durante 268 anos, usando o calendário gregoriano (1752-2020) vezes 11 dias = 2.948 dias. 2.948 dias / 365 dias (por ano) = 8 anos ”, twittou o cientista Paolo Tagaloguin. O fio de postagens, no entanto já foi excluído da rede social.

Se o cientista estiver correto, somando todos os dias perdidos, a data do juízo final maia é a qualquer momento desta semana.