Despesas inquietam clubes

POR GERSON NOGUEIRA

Mangueirão abre as portas para a transmissão da final da Taça ...

A polêmica da semana foi a possibilidade de interdição do Mangueirão para jogos a partir de julho, período que pode coincidir com o reinício do Campeonato Estadual. Sem o estádio, a competição ficaria comprometida e quase inviabilizada, pois limitaria a realização de jogos em Belém aos estádios da Curuzu e Baenão (apenas durante o dia).

Os boatos surgiram em meio à insatisfação dos clubes com a possibilidade de retomada do campeonato sem o devido suporte financeiro, por parte de FPF e CBF. Com a ausência de receita de bilheteria, pois os jogos terão que ocorrer sem torcida, há o legítimo receio de que o prejuízo fique exclusivamente com as agremiações.

A partir daí, começam a pipocar argumentos contrários à continuação do Parazão, movimento que havia surgido em abril, mas que acabou sufocado pela interferência da FPF, com apoio do patrocinador do torneio – Governo do Estado, através de Funtelpa e Banpará.

Segundo o governo, não há previsão de interdição imediata do estádio Jornalista Edgar Proença. A Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel) informa que manteve as manutenções regulares de gramado, pintura, partes elétricas e hidráulicas do Mangueirão.

A Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas (Sedop) finaliza a preparação do projeto de reforma do estádio. O material servirá de base ao processo de licitação das obras, que deve ser concluído ainda em julho. No fundo, os problemas que rondam o reinício do campeonato não se limitam ao Mangueirão. O desafio maior está no lado financeiro.

Mesmo que os jogos sejam liberados para final de julho ou início de agosto, como prevê a coluna, resta saber como serão bancadas as despesas com salários e encargos. “Cada mês esticado com futebol sem público é uma tragédia financeira para nós. Então, hoje, calendário implica em financeiro e sem financeiro é impossível pensar na retomada. Se houver recurso garantido pra bancar agosto, ok. Mas, e se não tiver?”, questiona o presidente Ricardo Gluck Paul, do PSC, para quem voltar em julho ou agosto está praticamente descartada.

Ricardo acredita que o encurtamento do calendário de 2020 dificultará a preparação para o Campeonato Brasileiro da Série C, tornando temerária a disputa do Parazão no mês anterior ao torneio nacional. Disputar dois campeonatos quase simultaneamente, após tantos meses de inatividade, representa um grande risco para os atletas.

Para ele, o comportamento inicial dentro da Série C é fundamental para uma campanha bem sucedida, projeto que seria prejudicado pelo envolvimento na fase decisiva do Parazão um mês antes. Ricardo afirma, também, que o dinheiro do patrocínio se esgotou com as perdas acumuladas durante os meses da quarentena e culpa a FPF por não ter antecipado as rodadas do Parazão em março, como os clubes sugeriam.  

Por ora, a previsão é de que o Estadual seja concluído antes do Brasileiro, mas as dúvidas sobre a viabilidade econômica se amontoam, ainda sem as respostas que os clubes esperam.

Tapajós não desistiu, mas questiona protocolo da FPF

A coluna esclarece que, ao contrário do mencionado no comentário de ontem sobre o Parazão, o Tapajós não desistiu de participar. A diretoria enviou ofício à FPF expondo suas preocupações com a manutenção do elenco e reapresentando a proposta de retomada do Campeonato no final do ano, além de reivindicar o não rebaixamento neste ano.

O advogado André Cavalcante, assessor jurídico do clube, explica que é preciso esclarecer como será feito o custeio de despesas com testes, não somente no dia de jogos, mas, principalmente, na fase de preparação.

Com fundamentação jurídica, questiona também a quebra de isonomia financeira. “Não parece justo que dois clubes que disputam vaga na Série D/2021, Copa do Brasil/2021, título/2020 e Rebaixamento/2020 tenham dobrado suas arrecadações com verbas de patrocinador e CBF (independentemente do motivo)”, observa André.

Sobre o protocolo, o Tapajós quer saber quem ficará responsável pelos custos. O documento exige que os clubes mantenham concentração com um atleta em cada quarto, o que torna inviável financeiramente.

As reuniões virtuais organizadas pela diretoria, à frente o presidente Sandeclei Monte, discutem os caminhos a serem seguidos pelo Boto. Até o fim desta semana, o clube deve decidir que posição será fechada.

Direto do Twitter

“Essa coisa de que brasileiro gosta de futebol é lenda. Amigo, acho que a tara é shopping”.

Xico Sá, escritor e jornalista

Henry e a fabulosa reprogramação operada por Guardiola

Quando um craque da envergadura de Thierry Henry fala sobre suas experiências no futebol é preciso prestar atenção. Em entrevista ao site da Liga dos Campeões, o atacante francês citou sua passagem pelo Barcelona, com ênfase na relação com Pep Guardiola.

Henry foi para o Barça em 2007, após temporadas bem sucedidas no Arsenal. Lá, virou figura exponencial no sofisticado esquema montado por Pep e que garantiu a conquista da Liga dos Campeões de 2009.

Guardiola me ensinou a jogar aos 30 anos', diz Thierry Henry ...

“Pensei que conhecia futebol, mas quando cheguei ao Barça fui reprogramado. Guardiola ativou meu cérebro em um nível tático espetacular”, elogiou.  

Henry ficou no Barcelona de 2007 a 2010, participando de 121 partidas, marcando 49 gols e fazendo 27 assistências.

(Coluna publicada na edição do Bola desta sexta-feira, 12)

“Quantos poderiam ter me ajudado?”: médica agredida denuncia inação de pessoas que filmaram a cena

A médica Tyciana D’Azambuja, agredida por frequentadores de uma festa clandestina no Grajaú, Zona Norte do Rio, no dia 30 de maio, fez um desabafo em uma rede social após ver imagens de câmeras de segurança na entrada do Hospital Casa Italiano, onde teve início o espancamento. Tyciana conta que ela desmaiou em frente à unidade de saúde e que no local ocorreu a “pior parte do terror psicológico que sofreu”. A médica disse que ficou surpresa ao perceber que pedestres e motoristas que poderiam tê-la ajudado apenas “assistiram” o episódio de violência.

Um frame do vídeo, publicado por Tyciana em uma rede social, mostra que um homem encostado em um carro e o segurança da unidade de saúde acompanharam o momento em que ela sofreu sufocamento e foi pisoteada. Antes de ser agredida, a médica pediu ajuda para um motociclista que passava pela rua e ele também deu socos no braço dela, enquanto Tyciana tentava se segurar para fugir dos agressores.

Fifa pode cancelar calendário de seleções; Brasil pode não jogar em 2020

Neymar comemora durante jogo da seleção brasileira, time pode não se encontrar para partidas em 2020 - Roslan RAHMAN / AFP

A cúpula da Fifa quebra a cabeça sobre o que fazer com as três datas-Fifa que restam em 2020 — aquele período reservado para amistosos e jogos de Eliminatórias das seleções. Há quem acredite que todas podem ser canceladas. São três, segundo o calendário da entidade: entre 31 de agosto e 8 de setembro, entre 5 e 13 de outubro e entre 9 e 17 de novembro. A primeira tem 99% de chance de ser cancelada, as outras duas ainda dependem do avanço das contaminações e mortes pelo novo coronavírus mundo afora e do ajuste às agendas de torneios nacionais e continentais na Europa. Muitos começarão a próxima temporada mais tarde, o que inviabilizaria partidas entre seleções.

A CBF acompanha atentamente as negociações da Fifa. Dentro da entidade, apurou o blog, há o diagnóstico de que é provável que a seleção brasileira não jogue em 2020. Haveria dificuldade de deslocamento dos atletas que atuam na Europa para realizar partidas na América do Sul este ano e isso impossibilitaria o início das Eliminatórias do continente para a Copa de 2022, no Qatar, que deveria ter sido em março, mas foi adiado pela Covid-19. O Brasil de Tite não jogou em 2020 — a última partida foi em novembro de 2019, amistoso contra a Coreia do Sul em Abu Dhabi (vitória por 3 a 0).

Até Collor critica Bolsonaro pela ordem de invadir hospitais

Fernando Collor / Jair Bolsonaro

O ex-presidente Fernando Collor criticou Jair Bolsonaro e disse que “invadir hospitais arrisca a saúde e a vida de pacientes, profissionais da saúde e dos próprios invasores”. “É também grave violação dos direitos dos internados”, reforçou. 

Durante live presidencial realizada nesta quinta-feira (11), Bolsonaro afirmou que poderia haver um “uso político” nos dados da pandemia do coronavírus e pediu para seus apoiadores entrarem em hospitais de campanha para filmar as instalações.

Para Collor, “ propor algo assim é incentivar a desordem e o caos”.

SOLIDARIEDADE

“Quando Jair Bolsonaro manda apoiadores invadir hospitais de Estados e Municípios no País, a pretexto de filmar leitos, ele, praticamente, está colocando em risco as vidas das pessoas impunemente”.

A manifestação é do deputado federal Paulão (PT-AL), que cobrou uma reação de solidariedade aos profissionais da saúde por parte das entidades de classe e, sobretudo, dos conselhos federais e regionais, bem como das autoridades institucionais contra o que chamou de “abuso criminoso do senhor Bolsonaro”.

Para Paulão, a atitude presidente de incitar apoiadores no momento como esse reflete tão somente o nível de irresponsabilidade de um homem que deveria estar preocupado com a saúde da população. “O grande problema é que ele é um despreparado, irresponsável e aposta no caos absoluto para manter a sua claque no cercadinho do Alvorada”., disse.

Remo tenta fechar com ex-lateral do Sampaio

Com 'proposta na mesa', lateral direito aguarda data de retorno do futebol para acertar vinda ao Remo - Crédito: Lucas Almeida/L7 Comunicação

Prioridade na lista de posições carentes do time, a lateral direita do Remo está prestes a ganhar um reforço. O clube tenta contratar Everton Silva, que teve boa passagem pelo Sampaio Corrêa (MA) e tem excelentes referências. O executivo de futebol Carlos Kila já fez os contatos iniciais com o jogador, que tem o aval do técnico Mazola Junior. O jogador confirmou que foi procurado pelo Remo, que apresentou uma proposta. Everton está analisando, mas revelou que a oferta foi boa.

Aos 26 anos, o lateral direito teve seu contrato encerrado com o Sampaio no mês passado, o que faria com que ele chegasse ao Baenão já para a disputa da reta final do Parazão. Na Bolívia Maranhense, foram duas temporadas como titular, onde atuou em 30 jogos e marcou um gol. Antes de defender o clube do Maranhão, Everton passou pelo Ferroviário do Ceará, clube onde foi revelado, Icasa, América de Natal, ASA, entre outros.

OEA mentiu, hão houve fraude: Grupo de Puebla pede recondução de Evo Morales

Via Opera Mundi em 10/6/2020

O Grupo de Puebla, organização formada por 30 líderes progressistas de 12 países da América Latina, divulgou na tarde da quarta-feira [11/6] uma nota solicitando que a Organização dos Estados Americanos (OEA) “declare a legalidade das eleições à presidência de Evo Morales”, realizada no dia 20 de outubro de 2019.

O fato de a OEA ter afirmado que havia indícios de fraude na eleição que reelegeu Morales teve consequências e levou, diz o grupo, “à radicalização da oposição política boliviana, tendo como consequência um golpe de Estado” contra o ex-presidente.

O comunicado vem após um estudo de pesquisadores da Universidade da Pensilvânia e da Universidade de Tulane, divulgado pelo jornal New York Times, no qual se demonstrou, depois de uma análise da votação boliviana, que a OEA “não apresentou evidências de fraude nas eleições”.

“Os pesquisadores demonstram que não houve variações nos padrões de votação, dentro dos recintos eleitorais, antes e depois da interrupção da contagem preliminar de votos. Inclusive, as trajetórias nas tendências de votação não variam em relação aos padrões eleitorais anteriores”, afirma a nota.

Craque Salah abastece o carro e paga contas de outros clientes em posto

Registro foi parar nas redes sociais e fez sucesso - @cameronKFord/Twitter

Imagine que você está abastecendo seu carro quando encontra um grande astro no posto de combustíveis. Não só isso: ele decide pagar a sua despesa no local. Imaginou? Pois foi o que aconteceu na Inglaterra. O astro Mohamed Salah, do Liverpool, parou para abastecer o carro a caminho de um treino. Sorridente, o egípcio pagou o abastecimento de todos que estavam no mesmo posto.

O momento foi fotografado por um dos clientes do local e foi parar nas redes sociais. No registro, Salah veste o uniforme de treino do time e luvas de borracha.