Sai o ranking dos maiores ‘caldeirões’ do mundo

Em plena quarentena de prevenção à covid-19 as torcidas mais fanáticas do mundo sentem-se saudosas do calor e do ruído que brota das arquibancadas por ocasião dos grandes jogos. A revista francesa France Football trouxe, na edição de hoje, um ranking dos “30 estádios mais vibrantes do mundo”. Os critérios de escolha da revista são subjetivos, como é mencionado no próprio texto da publicação. La Bombonera é eleita a mais caliente das praças esportivas, com inteira justiça.

Estádios de grandes clubes, como o Camp Nou, do Barcelona, e o Santiago Bernabéu, do Real Madrid, foram deixados deliberadamente de lado, assim como arenas mais modernas, como o Tottenham Stadium, do Tottenham, e o Metropolitano, do Atletico de Madri. O levantamento mostra, também, um excessivo foco nos estádios europeus.

Abaixo, o Top-10 dos “caldeirões”, junto com os times que mandam partidas em cada estádio.

Torcedores do Boca Juniors pendurados na grade da Bombonera na final da Taça Libertadores contra o River Plate — Foto: Victor Canedo/GloboEsporte.com

1. La Bombonera – Boca Juniors

Torcida do Liverpool em Anfield antes do duelo contra o Atlético de Madrid pela Liga dos Campeões — Foto: Getty Images

2. Anfield – Liverpool

A Muralha Amarela, parte do  — Foto: Getty Images

3. Signal Iduna Park – Borussia Dortmund

Estádio Rajko-Mitic, onde joga o Estrela Vermelha — Foto: Getty Images

4. Rajko-Mitic – Estrela Vermelha (Sérvia)

Celtic Park, casa do Celtic — Foto: Getty Images

5. Celtic Park – Celtic (Escócia)

Monumental de Núñez em dia de River Plate e Boca Juniors — Foto: Divulgação/Conmebol

6. Monumental de Nuñez – River Plate

Estádio do Besiktas ficou em sétimo lugar na lista da France Football — Foto: Getty Images

7. Besiktas Stadium – Besiktas (Turquia)

Torcida do Olympiacos no estádio Georgios Karaiskakis — Foto: Getty Images

8. G. Karaiskakis – Olympiakos (Grécia)

Estádio San Mamés, do Athletic Bilbao — Foto: Getty Images

9. San Mamés – Athletic Bilbao

Fluminense x Flamengo, Maracanã — Foto: Cahê Mota/GloboEsporte.com

10. Maracanã – Brasil

Inquérito das fake news chega à antessala de Bolsonaro

Da coluna de José Casado no Globo:

O inquérito do Supremo sobre a difusão de informações falsas chegou à antessala de Jair Bolsonaro. Na investigação constam três integrantes da Assessoria Especial da Presidência: Tercio Arnaud Tomaz, José Matheus Sales Gomes e Mateus Matos Diniz. O trio opera com um dos filhos do presidente, Carlos Bolsonaro, vereador carioca.

Tomaz e Gomes foram pagos pela Câmara do Rio na campanha de 2018. No Planalto, suas agendas oscilam entre o lacônico “Despacho interno” e o sucinto “Sem compromisso”. Diniz ganhou um cargo de 27 palavras: “Assessor no Departamento de Relações com a Imprensa Internacional da Secretaria de Imprensa da Secretaria Especial de Comunicação Social da Secretaria de Governo da Presidência da República”.

A rede de fraudes se estende por Rio, São Paulo, Minas, Ceará, Rio Grande do Sul, Pernambuco e Bahia. É composta por sites financiados com anúncios públicos e privados. Tem contribuintes como Luciano Hang, da Havan (141 lojas e vendas de R$ 10,7 bilhões), e Edgard Gomes Corona, da SmartFit (850 salas de ginástica e receita de R$ 2,4 bilhões).

Preocupado, Jair Bolsonaro amplia sua malha de coleta de informações, à margem dos 42 serviços regulares de Inteligência militar, policial e financeira. Decidiu “aprimorar” a cooperação dos núcleos (P-2) da Polícia Militar, fragmentados com a politização dessas forças.

Na quinta-feira, em edição extra do Diário Oficial, expandiu a seção de Inteligência do Ministério da Justiça. Fez isso 48 horas após a ação do Supremo contra 25 suspeitos — entre eles, empresários, parlamentares e o ex-deputado Roberto Jefferson.