JJ pede quase R$ 40 milhões por ano ao Flamengo para ficar

Jesus em ação pelo Flamengo

Jorge Jesus quer renovar com o Flamengo, mas já sinalizou ao clube que seu salário precisará alcançar outro patamar. Segundo o EXTRA apurou, antes mesmo da proposta ser oficializada de parte à parte, o técnico português fez uma pedida na casa dos 7 milhões de euros por ano, líquidos, ou seja, livres de impostos. O que dá R$ 37,1 milhões na cotação atual da moeda estrangeira, em forte alta.

O valor representaria um rendimento mensal na ordem de R$ 3 milhões, bem mais em relação ao que Jorge Jesus recebeu em seu primeiro contrato no Flamengo. O novo vínculo ainda teria previstas bonificações de mais de 1 milhão de euros por conquista. Desta forma, caso repita os dois títulos do ano passado, receberia R$ 10 milhões.

Vale lembrar que os troféus mais importantes erguidos já em 2020, da Recopa Sul-Americana e Supercopa do Brasil, tinham premiações bastante inferiores, e serão incluídos no novo contrato a ser renovado com bonificações maiores.

O Flamengo trata o caso com o chamado “gelo no sangue” máximo. E já ciente do montante pedido por Jesus, promete levar a renovação até seu prazo máximo em busca de uma redução. Não se pode esquecer que renovação de Jesus prevê ainda a permanência de sua comissão técnica, composta de oito membros, que também esperam valorização para permanecer.

Embora tenha noção que o treinador recebeu ofertas superiores ao que pede ao Flamengo, o clube não quer estourar o seu orçamento, e começará a “escalar a montanha” com calma. Tudo dependerá também de possíveis concorrentes europeus, e o Benfica é um deles.

Em seu último contrato em Portugal, Jesus recebeu 8 milhões de euros brutos por temporada. Na Arábia Saudita, retirava o mesmo valor, mas líquido, e recusou renovação com aumento generoso de salário.

No entendimento do Mister, o novo contrato com o Flamengo na verdade o colocaria em seu nível normal de custo, já que o primeira acordo ainda tinha um viés de experiência, em função do trabalho inaugural no Brasil, com total sucesso. Além disso, os títulos que podem se repetir pagariam quase todo o custo.

Na visão do Flamengo, os números não assustam, pois os dirigentes têm noção da valorização do treinador, mas buscam uma estratégia para amortizar o custo. Uma das ideias é tentar renovar com o gatilho cambial de dezembro, ou seja, fixar um valor do euro sem levar em conta a sua valorização de quase 25% no período.

Vale lembrar que havia no contrato atual uma opção de rescisão sem custos par os dois lados no último mês de 2019. Nenhuma das partes exerceu a cláusula. O que demonstra boa vontade e confiança mútua.

O clube também pretende trabalhar melhor as premiações, ampliando para mais competições e elevando o valor final que Jesus terá direito. No ano passado, o técnico recebeu R$ 9 milhões por dois títulos. E, claro, ainda será discutido formalmente o tempo de contrato, que pode sofrer interferência em função dos valores.

Tudo isso está sendo tratado pelo vice de futebol Marcos Braz, que não abre mão da renovação de Jesus. Ao lado dele, o diretor executivo Bruno Spindel trata de valores com o agente Bruno Macedo, que está de volta ao Brasil para retomar as reuniões que prometem durar mais algumas semanas para que se chegue a um denominador comum. O atual vínculo vence em maio. (Do Extra)

Ricardo Eletro nega participação em manifestações do dia 15

“Vimos que recentemente, mais especificamente no dia 7 de março, vocês publicaram uma reportagem (https://blogdogersonnogueira.com/2020/03/07/empresas-que-empunham-a-bandeira-bolsonarista/) falando sobre a participação da rede varejista em uma suposta lista de apoiadores de partidos, figuras ou atos políticos. Se possível, como direito de resposta da Ricardo Eletro, gostaria de pedir que anexe a seguinte nota de esclarecimento na reportagem:

Nota de esclarecimento

A Ricardo Eletro vem por meio deste comunicado reforçar que é uma empresa apartidária, ou seja, sem preferências ideológicas ou apoio a partidos e figuras políticas, e que não está envolvida de nenhuma forma com possíveis manifestações populares organizadas para o dia 15 de março. A empresa ressalta que trabalha e continuará trabalhando diariamente em prol do desenvolvimento do País, sem assumir ou pregar quaisquer preferências políticas. A Ricardo Eletro reforça, ainda, que continuará perseguindo sua principal missão, que mantém forte há 30 anos: oferecer produtos com preço acessível e estar sempre próxima dos diversos perfis de consumidores brasileiros”.

(O texto foi encaminhado pela jornalista Marília Padovan, da assessoria Dezoito, em nome do grupo Ricardo Eletro)

Secom divulga atos do dia 15 em perfil da Presidência e confirma envolvimento do governo

A Secretaria Especial de Comunicação (Secom) divulgou no Twitter oficial do órgão as manifestações do dia 15 de março. Na postagem, a Secretaria afirma que o ato é pró-Brasil, não contra o Congresso Nacional ou o Supremo Tribunal Federal.  A mensagem replica o tom utilizado pelo presidente Jair Bolsonaro ao convocar a população a participar dos em discurso que fez no sábado (7).

A publicação da Secom é mais um indício do envolvimento e do interesse do Palácio do Planalto na realização dos atos. Enquanto o discurso oficial é de que as manifestações são pró-Brasil, apoiadores do governo tem feito chamados com tom claramente antidemocrático, contra o Legislativo e o Judiciário.

Na terça-feira (9), dos Estados Unidos, o presidente Jair Bolsonaro usou os atos para cobrar do Congresso a devolução integral ao Executivo dos R$ 30 bilhões do Orçamento da União que foram colocados sob gestão do Legislativo por meio do orçamento impositivo.

Ronaldinho autografa camisa do Flamengo dentro do presídio no Paraguai

Assunção – Ronaldinho Gaúcho está preso na Agrupácion Especializada da Policia Nacional, em Assunção, no Paraguai, desde a noite de sexta-feira, dia 6, onde mantém seu status de estrela mundial. Após imagens do ex-craque, que está em cárcere privado por documentos falsificados, dentro da instituição viralizarem nesta terça-feira, outros registros chamaram atenção: o ex-meia autografando uma camisa do Flamengo, seu ex-clube, no mesmo presídio.

Nas imagens, o rapaz para em frente ao jogador para receber o autógrafo dele em uma camisa de treino do Rubro-Negro. Em outro clique, R10 bebe água ao lado do rapaz, e depois o fã exibe o uniforme com o que foi escrito pelo ex-jogador, que vestiu a camisa do Flamengo entre 2011 e 2012, com 72 partidas disputadas e 28 gols marcados.

Rapaz com a camisa do Flamengo autografada por Ronaldinho Gaúcho

A roupa das novas imagens é idêntica as demais três fotos que vazaram do ex-jogador de dentro da cadeia, obtidas pelo jornalista paraguaio Hernán Rodríguez, da emissora “Unicanal”, na segunda-feira.

Ronaldinho está se adaptando rapidamente à vida em uma prisão do Paraguai, segundo o diretor do local, Blas Vera, em entrevista à “Reuters” na segunda-feira. O chefe da instalação afirmou que os irmãos têm camas, uma televisão e um ventilador em sua cela na prisão situada nos arredores da capital Assunção.

Os irmãos Assis usam um banheiro comunitário e têm direito de usar o pátio externo com frequência. Os advogados da dupla lhes têm proporcionado as refeições, e eles não comeram a comida oferecida pela prisão. A instalação de segurança máxima tem cerca de 195 detentos, entre eles políticos e policiais acusados de corrupção e traficantes de drogas renomados.

“Em termos gerais, ele está indo muito bem. Vejo que ele está bem disposto, do jeito que você o vê na televisão, sempre sorrindo”, disse Vera.

Os prisioneiros mais perigosos estão em uma ala diferente da de Ronaldinho, explicou Vera, acrescentando que está trabalhando para que a estadia dos irmãos seja “tão confortável quanto possível”. Vera disse que outras pessoas presentes para a visita de praxe de domingo fizeram amizade com o brasileiro.

“Também havia um grupo de meninos e meninas e ele lhes deu as boas-vindas, abraçou-os e bateu papo com eles”, contou.

O elogio da impiedade

Por Wilson Gomes, no Facebook

A piedade, que se define como “a permeabilidade de coração”, que andava escorraçada do Brasil desde que a impiedosa e ímpia extrema-direita chegou ao poder, ousou botar a cabecinha na janela por meio de Drauzio Varella. Para abraçar uma pessoa que nem sabia mais o que era um abraço humano. A piedade não perguntou se a pessoa era boa, virtuosa e merecedora, nem disto deu recibo e certificado. Viu apenas um humano precisando desesperadamente de afeto em situação desumana, cercada por uma sociedade cada vez mais árida e mais afeita ao medo e ao ódio que o acompanha, e foi lá e a abraçou.

Nunca um abraço custou tanto e foi tão exemplarmente punido. Foi só a piedade assomar na soleira, na companhia da humanidade, esta outra sumida, que choveram pedradas e cuspe na cara. O mais sutil que lhe disseram é que quando se enlaça alguém, abraça-se igualmente todos os pecados do abraçado. E que se abraço um pedófilo endosso a sua culpa e “normalizo” a pedofilia. Se abraço uma pessoa trans estou induzindo todas as pessoas a se tornarem trans, pois não rejeitei a monstruosidade que há nessa condição.

A extrema-direita gosta de economizar na piedade para gastá-la em abraços em milicianos, corruptos e prevaricadores, ou em endosso a torturadores e assassinos políticos. Para pedófilos, assassinos comuns e pessoas trans não pode haver piedade, e cada abraço em uma delas é um insulto, a ser punido com linchamento. Além disso, a extrema-direita quer regulamentar a piedade, a própria e a dos outros. Não só quer dissipar a sua piedade com torturadores e ditadores como também quer controlar a direção para a qual se encaminha a piedade alheia, que deve ser magra, seletiva e desumana.