Fake news: apoio sertanejo foi ‘superfaturado’ pela assessoria de Bolsonaro

Parte dos artistas sertanejos que apareceram em lista da Secretaria de Comunicação Social da Presidência (Secom) como se tivessem participado de atividade junto do presidente Jair Bolsonaro foram retirados em atualização divulgada nesta quinta-feira (30). Alguns dos citados foram às redes sociais condenar a menção e classificaram a informação fornecida pelo governo como notícia falsa.

Matheus, da dupla Matheus e Kauan, foi um dos que não gostou de ver seu nome na lista. “Aqui nos EUA tentando tirar umas férias em paz com a família e um monte de gente mandando mensagem e propagando notícias falsas. Gente, kauan tb está aqui nós não fomos a lugar nenhum defender causa alguma e pra falar a verdade ficamos sabendo do que está acontecendo agora! não acreditem em tudo que leem na internet!”, publicou.

O cantor Hungria publicou um vídeo rebatendo a Secom. “Tá rolando fake news de que eu estava num evento político, não sei se a favor ou contra a meia-entrada. Meu dia foi totalmente corrido, sou homem para declarar tudo o que faço. Espero que vocês não acreditem em notícias falsas. Não sei do que se trata, não faço questão de saber. Não estive em evento nenhum, se alguém falar que eu tive, pede pra mandar foto, porque evento grande tem que ter foto”, declarou.

Na lista apresentada inicialmente pelo governo, estavam presentes mais 30 artistas do sertanejo. Segundo a Folha de S. Paulo, a versão atualizada cortou 22 nomes, acrescentou quatro e terminou com 18.

No evento, os presentes pediram o fim do direito à meia-entrada e divulgaram uma carta em favor do ex-capitão. “Os artistas sertanejos, que percorrem todos os cantos desse grandioso Brasil e vivenciam todos os dilemas e dificuldades do povo brasileiro, encontraram no governo do presidente Bolsonaro essa postura de um governante que trabalha em prol de seu povo, de seu país. Assim, expressamos espontaneamente nossos agradecimentos pelas ações e medidas do governo e manifestamos nosso apoio”, diz o documento que teve o número de assinaturas inflado.

Papão contrata lateral que estava no futebol sueco

A diretoria de futebol do Paissandu anunciou na manhã desta quinta-feira (30) a 8ª contratação para a temporada: o lateral-direito Netinho, de 25 anos. O jogador estava no futebol sueco, onde defendia o Gais-SUE. Segundo o clube, o atleta já passou pelos exames médicos e agora aguarda a publicação de seu nome publicado no Boletim Informativo Diário (BID) da CBF.

Evaldo Nascimento Lamaur Neto, o Netinho, é natural de Curitiba-PR e começou nas divisões de base do Paraná-PR, clube pelo qual teve duas passagens. O jogador também chegou a atuar pelo Coritiba-PR sub-23. Em 2018, o lateral jogou no Rio Branco-PR, onde trabalhou com o auxiliar-técnico bicolor, Leandro Niehues, que na época dirigia a equipe.

Logo depois, Netinho foi tentar a sorte no futebol sueco, primeiro passando pelo IFK Varvamo e depois vestindo a camisa do GAIS, ambos da segunda divisão do país. O Paissandu é 11º clube do atleta. O lateral-direito atua desde 2012 como profissional, mas não tem títulos. Atuou como titular em 48 das 52 partidas disputadas nas últimas três temporadas, com um gol marcado e quatro assistências.

FICHA TÉCNICA

Nome: Evaldo Nascimento Lamaur Neto

Nascimento: 05/04/1994 (25 anos)

Naturalidade: Curitiba (PR)

Altura: 1,71 m

Peso: 65 kg

Posição: lateral-direito

Clubes: Paraná, Águia Negra-MS, Ipatinga-MG, Coritiba-PR, Trindade-GO, JMalucelli-PR, Rio Branco-PR, Anápolis-GO, IFK Varnamo-SUE e Gais-SUE

Remo prepara lançamento de novo uniforme

O Remo escolheu o dia do aniversário do clube, que faz 115 anos de fundação no próximo dia 5 de fevereiro, para lançar o novo uniforme, confeccionado pela Kappa, nova fornecera de material esportivo.

A festa para apresentar ao torcedor será realizada na cassa de shows Marine Club. As informações sobre preço da camisa, venda de ingressos e outras informações sobre o evento serão divulgados em breve.

Ingratidão: após anos de parceria, Flamengo processa Globo

Rede Globo informou nesta quinta-feira, 30, que o Flamengo ajuizou uma ação na 36ª. Vara Cível do Rio de Janeiro contra a emissora, no qual o clube carioca questiona pontos do contrato de transmissão do Campeonato Brasileiro. A empresa emitiu uma nota sobre o assunto, na qual diz confiar em uma “solução consensual”.

A ação foi noticiada nesta manhã pelo portal Uol e dá conta de que, segundo o Flamengo, direitos contratuais estariam sendo negados pela emissora. O atual campeão do torneio questiona judicialmente valores de cessão dos direitos de transmissão, pay-per-view e outras receitas.

Ainda segundo o site, a causa foi fixada no valor ilustrativo de 100.000 reais. Na petição, o Flamengo reclama também do que considera um número baixo de transmissões em TV aberta (a maioria de seus jogos passou apenas no canal fechado Premiere) e acusa a Globo de manobrar para esvaziar os eventos transmitidos por seu concorrente, o Esporte Interativo, que detém os direitos de algumas equipes da Série A.

A Globo diz que não se manifesta sobre questões sub judice e alega que “há mais de 30 anos, a relação da empresa com os clubes está pautada numa agenda comum que visa a valorização e o desenvolvimento do futebol brasileiro.” Procurado pela reportagem, o Flamengo não se pronunciou até o momento. (Da Veja)

Lista de blogs e sites especializados em fake news

Relação atualizada de sites, portais e blogs de notícias falsas e manipuladas, criadas por apoiadores do governo para difundir fake news e factoides.

1 – Renova Mídia
2 – Pleno News
3 – Jornal da Cidade Online
4 – Pavão Misterioso
5 – Terça Livre
6 – Diário on line
7 – Gazeta Informante
8 – Diário do Brasil
9 – Expresso Diário
10 – Notibras
11 – Br Notícias
12 – Canal Gama
13 – Riachuelo em Ação
14 – Opinião Crítica
15 – Jornal 21 Brasil
16 – Grande Ponto
17 – Presidente Bolsonaro
18 – Agora Notícias Brasil
19 – Imprensa Viva
20 – República de Curitiba
21 – O Alerta
22 – 1News
23 – Folha Política
24 – Seu Mizuka
25 – Portal BR7
26 – Verdade Estampada
27 – Critica News
28 – Canal Gama
29 – Gazeta Brasil
30 – Ibuzz online
31 – Jacaré de Tanga
32 – Senso Incomum
33 – Vista Pátria
34 – BrunoJonssen
35 – Caneta
36 – Crítica Nacional
37 – Folha do Brasil
38 – Folha da Política
39 – Questione-se
40 – Bombeiros DF
41- O Antagonista

COMPARTILHE E EVITE A DISSEMINAÇÃO DE MENTIRAS!

Volante e lateral-direito reforçam elenco azulino

O Remo segue reforçando o elenco para a temporada 2020 e ontem confirmou mais uma contratação. Trata-se do volante Gelson, que estava no Operário (PR), mas que deixou boa impressão quando defendia o Volta Redonda (RJ) na Série C 2019.

O jogador tem 26 anos e na última temporada, disputou 24 partidas, sendo destaque no time do Volta Redonda e atuações pelo Operário (PR) na Série B. O volante teve passagens por clubes como Goiás (GO), Tombense (MG), Concórdia (SC) e Atlético Tubarão (SC).

Ele chega para integrar o elenco e disputar posição com os volantes Charles, Djalma, Lailson, Pingo, Xaves e Warley.

NININHO DE VOLTA

Para ocupar a lateral direita, o clube anunciou Nininho, que já defendeu o Remo em 2018, com boas atuações. Marcou um gol e tem boa presença ofensiva. O jogador tem 27 anos.

Ele foi revelado pelo Santa Cruz (PE) e também passou por América (RN), Boa Esporte (MG), Red Bull (SP) e Paços de Ferreira (Portugal), onde jogou após a passagem pelo Remo.

Com o anúncio dos dois jogadores, o Remo atingiu a marca de 12 contratações para a temporada – Charles, Xaves, Geovane Gomez, Jackson, Dudu Mandai, Gustavo Ermel, Lukinha, Robinho, Neguete e Douglas Packer. O goleiro contratado junto à Desportiva ainda não foi oficialmente anunciado.

Honda pede carro blindado para fechar com o Fogão

Keisuke Honda está apalavrado com o Botafogo, mas a demora para oficializar a contratação gera grande ansiedade na torcida. Mas há uma explicação. O japonês tem sido considerado por pessoas envolvidas na negociação como “muito certinho. É que ele exige que tudo o que foi acordado entre as partes esteja no contrato.

Até mesmo um carro blindado foi pedido pelo ex-camisa 10 do Milan, que recebeu o documento na noite de ontem (29) para ler tudo antes de assinar até o fim de dezembro. Ele receberá por produtividade e mesmo que atinja todas as metas terá salário dentro da realidade do Alvinegro – e menos do que recebia Diego Souza, por exemplo. (Por Bernardo Gentile, UOL)

Falta de ideias trava o Leão

POR GERSON NOGUEIRA

Os números nem sempre contam toda a história. O Remo faz uma campanha OK no Parazão, com duas vitórias em dois jogos, mas o desempenho é muito contestado. Sem inspiração, o time conquistou vitórias muito mais por deficiências dos adversários do que por méritos próprios. Ao mesmo tempo, deixou a impressão de que alguns jogadores poderiam render mais se o lado coletivo estivesse devidamente ajustado.

Estudiosos de táticas do futebol insistem na importância do conceito de balanço para ilustrar a combinação entre intensidade e compactação, principalmente na produção do meio-campo. É fato que o Remo até o momento não passou nem perto de mostrar essas virtudes.

A parte defensiva não tem sido afetada, até pela fragilidade dos ataques de Tapajós e Carajás. De maneira geral, as atuações da linha defensiva têm sido tranquilas e até elogiadas. Os problemas começam na zona de marcação e na organização da meia-cancha.

Nenhuma equipe vai a algum lugar sem criatividade e capacidade de articulação. O setor central determina o bom funcionamento defensivo e o poderio ofensivo, sendo que o ataque simplesmente não sobrevive se não contar com jogadas organizadas.

Como o trio de meia cancha – Xaves, Lailson e Robinho (Eduardo Ramos) – pouco participou efetivamente das ações desenvolvidas pelo time, a transição não se estabelece. Contra o Tapajós, Ramos era o encarregado e não fez a bola girar, nem se conectou com o ataque.

A atitude burocrática se repetiu contra o Carajás, quando Robinho ficou responsável pela criação. Não por acaso, nos dois jogos iniciais, os atacantes tiveram imensas dificuldades para agredir a última linha adversária, parando na marcação à entrada da área. Douglas Packer entrou na parte final e tornou o passe mais qualificado.

As iniciativas individuais nas primeiras rodadas ficaram com Gustavo Ermel, mas não geraram consequências práticas, pois a bola demorava a chegar até ele e quando isso ocorria havia uma parede dobrada de marcação a ser superada. Contra o Tapajós, o bloqueio chegou a ser triplo.

É fácil de detectar quando um time não tem planejamento definido. A movimentação é sempre atropelada, as inversões de jogo não funcionam e a bola nunca chega em condições de aproveitamento na frente.

Parte das dificuldades do Remo nos dois jogos poderia ter sido atenuada pela utilização dos laterais, mas apenas Djalma se apresentou bem, ajudando Lukinha no lado direito. Pela esquerda, Ronaell quase não avançava, preocupado em vigiar o rápido Pulga.

Outro ponto merece observação, além da citada falta de liga demonstrada pelo time neste começo de competição: não existem jogadas ensaiadas para compensar o natural desentrosamento.

Refiro-me a escanteios que fujam ao previsível. Ao invés da bola levantada para o bolo de jogadores, por que não buscar a alternativa de cobranças no primeiro pau a fim de quebrar a marcação e facilitar a finalização de um atacante no meio da área. Ou, ainda, escanteios em direção a um ou mais jogadores posicionados à altura da meia-lua.

Contra o Carajás, o Remo teve uma dúzia de escanteios. Todos executados em direção à pequena área. Todos facilmente neutralizados pelos zagueiros. Ninguém – nem o técnico – teve a ideia de variar o repertório, cobrando baixo ou colocando a bola no segundo pau.    

Um time não pode viver apenas de escanteios e faltas, mas precisa saber aproveitar quando as situações se apresentarem. A estatística diz que quase metade dos jogos é decidida em lances de bola parada. Se não há entrosamento que pelo menos não falte estratégia.

As cobranças da torcida têm sido intensas, embora nem sempre justas. Tudo tem a ver com a falta de ideias, refletida em atuações ruins e sem força de conjunto. Sim, é cedo ainda, afinal apenas dois jogos foram realizados, mas o sentimento de frustração tem fundamento.

Balanço defensivo: importância de treino e repetição

Sobre o tal balanço, citado superficialmente no texto principal, vale detalhar um pouco mais. É um conceito novo em cima de uma ideia antiga, como é comum em futebol. Basicamente, consiste em juntar o máximo de jogadores com e sem a posse de bola. Por óbvio, compactar a equipe e fechar espaços, principalmente no plano defensivo, é o melhor jeito de evitar que o adversário encontre espaços para chegar ao gol.

No 4-4-2 tradicional, o balanço se revela na movimentação dos zagueiros entre um lado e outro do campo, no sentido transversal. Significa que, quando um lateral estiver em combate direto a um atacante com a bola, o outro lateral aproxima-se dos zagueiros centrais para fechar a última linha.

Quando há uma inversão de bola, o lateral que fechava com os zagueiros sai para combater o atacante que vai receber o passe. No mesmo instante, o lateral oposto tem a obrigação de correr para perto dos zagueiros e ajudar a compactar a defesa. Essa arrumação determinada pelo lado em que a bola está é que ficou conhecida como balanço defensivo.

Existem variações que contemplam o 3-5-2, implicando na aproximação de um ala para compor a linha de marcação do meio-de-campo. Parece simples, mas a movimentação requer treinamento e repetição de atletas para que a recomposição seja feita de forma rápida e perfeita.

Nesse sentido, é bom não esquecer, a participação do goleiro também é fundamental como orientador do posicionamento de beques e laterais, pois tem a visão mais privilegiada do jogo. Além de “cantar” a situação, ele pode alertar sobre a chegada de outros atacantes sem a bola.

Voltarei ao assunto, presente hoje em qualquer roda sobre futebol. Da próxima vez, pitacos sobre o balanço ofensivo.

Modelão: critérios diferentes justificam críticas

A informação da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer de Castanhal, sobre a liberação dos três laudos técnicos necessários para liberação do estádio Maximino Porpino Filho, acrescenta mais um item no festival de trapalhadas envolvendo a questão dos estádios do Campeonato Estadual.

Com razão, a Semel de Castanhal critica o tratamento desigual dado ao Parque do Bacurau, liberado um dia antes do jogo Independente x Castanhal. No caso do Modelão, a FPF optou por transferir o jogo Castanhal x PSC para o Mangueirão, domingo, mesmo com a situação do estádio já normalizada desde ontem.  

(Coluna publicada na edição do Bola desta quinta-feira, 30)