Marco Aurélio: “Ares democráticos não admitem a censura”

O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), criticou nesta quarta-feira (8) a decisão do desembargador Benedicto Abicair, da 6ª Câmara Cível da Justiça do Rio, de mandar o Porta dos Fundos e a Netflix retirarem do ar o “Especial de Natal Porta dos Fundos: A Primeira Tentação de Cristo”. Segundo o ministro, a decisão do desembargador pode ser considerada censura.

“É uma barbaridade. Os ares democráticos não admitem a censura”, afirmou Mello ao ser questionado pelo jornalista Bernardo Mello Franco, do jornal O Globo. O ministro ainda afirmou que a medida não tem amparo na Constituição e que a decisão será derrubada por tribunais superiores.

Alvo de ataques desde que foi divulgado, o especial traz um Jesus gay (Gregorio Duvivier), prestes a completar 30 anos, que é surpreendido com uma festa ao voltar do deserto com o namorado, Orlando (Fábio Porchat). Religiosos ficaram profundamente ofendidos e chegaram a fazer um abaixo assinado para que fossem indenizados todos os cristãos do Brasil com 2 reais cada.

O programa humorístico, inclusive, foi a principal motivação para o ataque a bomba contra a produtora do Porta dos Fundos, na véspera de Natal. O principal suspeito se diz integralista, era filiado ao PSL e está foragido na Rússia.

Veja a conclusão do desembargador:
Por todo o exposto, se me aparenta, portanto, mais adequado e benéfico, não só para a comunidade cristã, mas para a sociedade brasileira, majoritariamente cristã, até que se julgue o mérito do Agravo, recorrer-se à cautela, para acalmar ânimos, pelo que concedo a liminar na forma requerida.

Botafogo anuncia atacante peruano

Principal aposta do Botafogo para a temporada, Lecaros vestiu a camisa da Estrela Solitária pela primeira vez nesta quarta-feira, no Estádio Nilton Santos. Em entrevista coletiva, o peruano de 20 anos afirmou que pode agregar à equipe comandada por Alberto Valentim atuando pelos lados do campo.

“Minhas características são jogar tanto pelo lado direito quanto pela esquerdo. Minha qualidade é o um contra um, também joguei de lateral-esquerdo na temporada passada e isso me ajudou muito para desenvolver meu jogo. Prefiro jogar pela direita, que aí corto para o meio e consigo chutar com a perna esquerda, que é a minha favorita. A expectativa é ser campeão e dar meu melhor para ajudar a equipe”, afirmou.

Um ex-jogador foi importante para a vinda de Lecaros. O atacante afirmou que seu pai, uma de suas inspirações para se tornar um jogador de futebol, falou sobre Didi, volante, treinador que classificou a seleção peruana para a Copa do Mundo de 1970 e ídolo do Botafogo.

Além disto, a presença da torcida nas rodadas finais do último Campeonato Brasileiro também foram determinantes. “Meu pai já comentou comigo sobre jogadores que passaram pelo Botafogo, sobre o Didi, que foi treinador da Seleção Peruana. Isso me fez vir para cá”, declarou.

“Meu pai infelizmente não pôde jogar futebol profissionalmente, ele era um ótimo jogador. Mas ele me falou que o Botafogo é uma grande equipe. Que é um time que sempre leva jogadores para a Seleção Brasileira e isso me motivou para vir para cá. Isso me motivou para assinar. A torcida também me fez sentir seguro de vestir essa camisa”, completou.

Afinal, que valores o futebol tolera?

A notícia de que o Fluminense de Feira de Santana contrataria o goleiro Bruno, condenado por ser o mandante do assassinato brutal de Elisa Samúdio, mãe de seu filho, repercutiu muito na Bahia. E como já virou praxe no jornal Bahia Meio Dia (da Globo local), a apresentadora Jéssica Senra abordou a questão polêmica com clareza e maestria.

“Desejamos e precisamos que pessoas que cometem crimes tenham a possibilidade de refazer suas vidas, mas diante de um crime tão bárbaro, tão cruel, poderíamos tolerar que o feminicida Bruno voltasse à posição de ídolo? Que mensagem mandaríamos à sociedade? Atletas são referências. Contratar para um time de futebol um assassino, um homem que mandou matar a mãe do seu filho, esquartejar, dar o corpo para os cachorros comerem é um desrespeito. É um desrespeito a nós mulheres”, disse a jornalista.

O vídeo de aproximadamente dois minutos em que Jéssica Senra fala sobre a possível contratação de Bruno viralizou nas redes sociais. A repercussão foi tanta, que o clube desistiu do negócio. A jornalista deixa claro que não é contra a ressocialização do goleiro, mas vê como inviável a recolocação dele numa posição de prestígio como é a de um jogador de futebol.

“Pra mim, há duas questões importantes: a crueldade desse crime e a posição de prestígio que um jogador de futebol tem. Se fosse um crime que não atentasse contra a vida e a dignidade humana, talvez a gente não se incomodasse tanto. Ser jogador tanto é uma posição de prestígio que tem muita gente ignorando o resto só porque ele é jogador. Isso traz uma mensagem negativa para um país que, em média, mata uma mulher a cada duas horas”, disse às dibradoras.

“Eu creio na recuperação das pessoas. Mas acho que a rejeição deste caso tem a ver com a postura dele. Quando a pessoa se arrepende, pede desculpas, quando você percebe que a pessoa está arrependida do que ela fez, é mais fácil acolher. E não vimos isso. Acho que isso também pesa pra nós. A gente não conseguiu ver humanidade ali”.

O comentário de Jéssica já tem quase um milhão de visualizações no Twitter e foi endossado por muitos jornalistas esportivos e até celebridades. A argumentação dela foi tão concreta, que até mesmo advogadas defensoras da ressocialização para qualquer tipo de crime repensaram suas opiniões.

Flamengo põe grana na mesa e deve fechar contratação de Michael

O namoro entre o atacante Michael e o Flamengo está muito perto de virar casamento neste mercado da bola. Nesta quarta (8), uma reunião entre as partes fez as conversas caminharem em maior velocidade e o desfecho pode sair ainda hoje. Há detalhes da forma de pagamento sendo discutidas. “Avançou e está por detalhes”, disse ao UOL Esporte uma pessoa diretamente envolvida na transação.

O Fla pretende parcelar o pagamento, hipótese que não era muito bem vista pelos goianos. A vontade do jogador e de seu empresário, no entanto, serão definitivas. Os cariocas devem pagar algo na casa de 7,5 milhões de euros (cerca de R$ 33 milhões) por 75% dos direitos do jovem, eleito a revelação do Brasileiro de 2019.

Aos 22 anos, Michael despertou a cobiça do mercado interno, especialmente de Fla e Corinthians. Os paulistas mantinham conversas avançadas, mas perderam força no negócio com a entrada firme do Rubro-negro, que acenou com oferta salarial melhor. Por meio de nota oficial, o Alvinegro comunicou a desistência na contratação e alfinetou o Esmeraldino.

“A Diretoria de Futebol do Timão ressalta que não mediu esforços para contratar o atleta. A proposta enviada pela aquisição de 50% dos direitos do jogador foi proporcional ao valor da multa pedida pelo clube goiano. O Corinthians chegou ao seu limite e lamenta a forma como o Goiás tratou a negociação, sem a devida reciprocidade que houve ao longo dos últimos anos, quando o Alvinegro cedeu atletas por empréstimo à equipe de Goiânia e prezou pelo respeito à instituição e bom relacionamento”, informou trecho do comunicado.

Até o momento, o Flamengo anunciou as chegadas de Pedro Rocha e de Gustavo Henrique. O volante Thiago Maia e o atacante Pedro seguem na pauta.