Pé frio, Bozo é o “Mick Jagger brasileiro”

O Flamengo perdeu e as zoações em cima de Bolsonaro não param. Agora, com a associação do seu nome a Mick Jagger, o capitão alcançou os TTs do Twitter com a derrota do Flamengo para o Liverpool por 1 a 0 (gol do brasileiro Firmino na prorrogação) na final do Mundial de Clubes da Fifa realizado no Qatar.

Com um detalhe: ao contrário do astro do Rolling Stones, que sempre foi tratado com carinho pelos torcedores, apesar de nem sempre dar sorte, o capitão está virando pária também nas arquibancadas. A hashtag ‘Bolsonaro Mick Jagger brasileiro’ está bombando nas redes.

Com gol brasileiro, Liverpool conquista Mundial de Clubes

O Liverpool é o novo Campeão do Mundo.

Por 1 a 0, a equipe venceu o Flamengo neste sábado na prorrogação, após empate em 0 a 0 no tempo normal. O gol do título foi marcado pelo brasileiro Firmino logo nos minutos iniciais da prorrogação. A final aconteceu no Qatar, país que vai sediar a Copa do Mundo de 2022.

Embora tenham conquistado a Liga dos Campeões seis vezes, os ingleses estão apenas em sua quarta participação no Mundial. O Liverpool disputou duas vezes a Copa Intercontinental, contra o campeão da Libertadores, e uma vez o torneio organizado pela Fifa.

Com a vitória, a equipe inglesa desforra a derrota que sofreu para o Fla de Zico, Adílio, Andrade e Nunes na final de 1981.

Apesar do resultado, o torcedor do Flamengo tem motivos para se orgulhar desta equipe. O Flamengo soube jogar de igual e não foi totalmente dominado como outros times brasileiros.

Houve sustos, claro, como quando Roberto Firmino tocou por cima ao sair de frente para Diego Alves, mas a valentia rubro-negra foi representada nas boas arrancadas de Bruno Henrique.

Flamengo contra Liverpool na final do Mundial de Clubes Foto: KAI PFAFFENBACH / REUTERS
Flamengo x Liverpool na final do Mundial. Foto: KAI PFAFFENBACH / REUTERS

Até a sorte de campeão parecia estar do lado do Flamengo, como quando Firmino quase marcou após chapelar Rodrigo Caio e acertar a trave. Ou quando o VAR foi acionado no fim do tempo regulamentar para retirar o pênalti em Sadio Mané.

Mas na prorrogação, faltou perna ao Flamengo – consequência dos 74 jogos feitos na temporada. No primeiro contra-ataque bem conectado pelo Liverpool, Firmino mostrou frieza para driblar Rodrigo Caio e Diego Alves e tocar para as redes.

O Flamengo ainda teve minutos para tentar o empate, mas o fôlego pesou. Os aplausos dos rubro-negros em Doha simbolizam o agradecimento pelo ano histórico apesar do vice-campeonato.

Todos os campeões do mundo

Os campeões do Mundo com carimbo da Fifa:

1960- Real Madrid 🇪🇸
1961- Peñarol 🇺🇾
1962- Santos 🇧🇷
1963- Santos 🇧🇷
1964- Inter de Milão 🇮🇹
1965- Inter de Milão 🇮🇹
1966- Peñarol 🇺🇾
1967- Racing 🇦🇷
1968- Estudiantes 🇦🇷
1969- Milan 🇮🇹
1970- Feyenoord 🇳🇱
1971- Nacional 🇺🇾
1972- Ajax 🇳🇱
1973- Independiente 🇦🇷
1974- Atlético de Madrid 🇪🇸
1975- Não houve competição
1976- Bayern de Munique 🇩🇪
1977- Boca Juniors 🇦🇷
1978- Não houve competição
1979- Olímpia 🇵🇾
1980- Nacional 🇺🇾
1981- Flamengo 🇧🇷
1982- Peñarol 🇺🇾
1983- Grêmio 🇧🇷
1984- Independiente 🇦🇷
1985- Juventus 🇮🇹
1986- River Plate 🇦🇷
1987- Porto 🇵🇹
1988- Nacional 🇺🇾
1989- Milan 🇮🇹
1990- Milan 🇮🇹
1991- Estrela Vermelha 🇷🇸
1992- São Paulo 🇧🇷
1993- São Paulo 🇧🇷
1994- Vélez Sarsfield 🇦🇷
1995- Ajax 🇳🇱
1996- Juventus 🇮🇹
1997- Borussia Dortmund 🇩🇪
1998- Real Madrid 🇪🇸
1999- Manchester United 🇽🇪
2000*- Corinthians 🇧🇷 e Boca Juniors 🇦🇷
2001- Bayern de Munique🇩🇪
2002- Real Madrid 🇪🇸
2003- Boca Juniors 🇦🇷
2004- Porto 🇵🇹
2005- São Paulo 🇧🇷
2006- Internacional 🇧🇷
2007- Milan 🇮🇹
2008- Manchester United 🇽🇪
2009- Barcelona 🇪🇸
2010- Inter de Milão 🇮🇹
2011- Barcelona 🇪🇸
2012- Corinthians 🇧🇷
2013- Bayern de Munique 🇩🇪
2014- Real Madrid 🇪🇸
2015- Barcelona 🇪🇸
2016- Real Madrid 🇪🇸
2017- Real Madrid 🇪🇸
2018- Real Madrid 🇪🇸
2019- Liverpool 🇽🇪

  • Foram realizadas duas competições na mesma temporada

Merval: Bolsonaro beira a insanidade e impeachment já está em pauta

“O presidente Jair Bolsonaro vem numa escalada de falta de compostura que beira a insanidade. O episódio de ontem, em que destratou jornalistas, demonstrando falta de educação e preconceitos, é próprio de quem se sente acuado, e de fato o presidente está acuado, pela queda de sua popularidade, pelas limitações que as instituições democráticas lhe impõem, pelas denúncias contra seu filho Flávio, que envolvem toda uma família ampliada que, pelas acusações do Ministério Público do Rio, vivia às custas do Erário público”, diz o jornalista Merval Pereira, em sua coluna.

“O impeachment já está colocado e, como é um instrumento sobretudo político, será acionado, ou não, quando as forças políticas no Congresso desejarem. Motivos Bolsonaro já deu de sobra, e a falta de decoro de ontem é apenas mais uma, e não será a última”, aponta.

“A investigação contra o senador Flávio Bolsonaro certamente está abalando a já desequilibrada personalidade do presidente, embora a punição dificilmente acontecerá em razão direta das denúncias do Ministério Público. Mas podem atingir o presidente no correr das investigações”, afirma ainda o jornalista.

ALGEMADOS

“Eu não ficaria surpreso de no ano que vem assistir a uma imagem do senhor presidente da República sendo algemado e levado, junto com os filhos, para o mesmo lugar onde está o Sérgio Cabral, talvez sendo colegas de sala e jogando xadrez”, disse hoje o jornalista Florestan Fernandes Jr.

Para o jornalista, a família Bolsonaro já cumpriu seu papel para a elite e, com os recorrentes ataques aos grandes grupos de comunicação do Brasil, ela pode ser descartada rapidamente. “Eu acho que ele cumpriu a função dele. Como com o Eduardo Cunha a missão era o impeachment da Dilma, a missão do Bolsonaro era fechar a reforma da Previdência e privatizar o patrimônio nacional por meio do Guedes. Agora ele não tem muita serventia, mesmo porque ele vive peitando os senhores da comunicação. Acho que a batata dele cozinhou porque o histórico dele é muito complicado”.

Florestan ainda ressaltou as tentativas de Jair Bolsonaro de se esquivar dos questionamentos acerca do esquema envolvendo seu filho Flávio e sua ex-esposa Ana Cristina Valle.

“Levaram um ano e dois meses para chegarem no Queiroz. Será que esse tempo não foi suficiente para ele destruir provas e outras coisas importantes para a gente entender o funcionamento desse esquema que foi montado pela família Bolsonaro durante décadas? Só o Bolsonaro tem 28 anos como parlamentar, no Rio de Janeiro e Brasília. O esquema envolve a ex-mulher, mas o Bolsonaro cisma em dizer que não tem nada a ver com isso, que isso é problema dos filhos dele e que perguntem apenas o que diz respeito a ele. O que diz respeito a ele, por exemplo, é que a filha do Queiroz foi funcionária dele e não aparecia para trabalhar”.

Premiação gera desconforto no Flamengo antes da final

Em meio à expectativa pela final do Mundial de Clubes, o Flamengo tem de administrar um princípio de crise e contornar um clima de insatisfação referente ao pagamento da premiação do Campeonato Brasileiro e da Libertadores. A informação foi publicada inicialmente pelo Globo Esporte e confirmada pelo UOL Esporte.

A divisão acordada era um rateio de 70% dos prêmios para o elenco e 30% para o restante dos funcionários, mas a diretoria não aprovou a divisão. Após a intervenção de Marcos Braz, vice de futebol, o presidente Rodolfo Landim determinou que os pagamentos fossem suspensos criando o impasse. O total da premiação é de R$ 61 milhões. São R$ 28 milhões pelo Brasileirão e R$ 33 milhões pela Libertadores.

Insatisfeitos, alguns líderes do elenco acionaram a cúpula de futebol. O vice-presidente Marcos Braz chamou para si a responsabilidade e disse que tudo será pago – a forma é que estaria sendo ainda analisada. Ele determinou que os pagamentos sejam suspensos até resolução.

Os atletas saíram em defesa dos integrantes do departamento de futebol, já que a ideia original da direção previa pagamento apenas aos portugueses da comissão técnica. O discurso, então, foi de “para todos ou ninguém”.

As explicações de Braz acalmaram os ânimos, e o Fla treinou na manhã de hoje (em horário do Qatar), em uma atividade para ajustes antes da final. O Rubro-Negro enfrenta o Liverpool às 14h30 (de Brasília), no Estádio Khalifa, em jogo que pode valer o bicampeonato mundial para o clube.

Festival de baixarias: jornalistas não deveriam participar do circo do Alvorada

Por Ricardo Kotscho

O circo montado há meses por Bolsonaro na entrada do Palácio da Alvorada foi dividido assim:

  • de um lado, o gradil do chiquerinho dos jornalistas, com uma plataforma de microfones, mantendo os repórteres à distância para a “entrevista coletiva”
  • de outro, bem ao lado, outro chiqueirinho para o “grupo de apoiadores” de camisas amarelas, que ficam batendo palmas e atiçando o capitão a bater pesado nos jornalistas

Até hoje não entendi como as empresas e os profissionais podem se submeter a isso. Na manhã desta sexta-feira, foi um festival de baixarias do presidente da República (!), que ficou completamente transtornado quando os repórteres lhe perguntaram sobre o caso Flávio & Queiroz.

Ao ser perguntado por um repórter de O Globo se tinha comprovante do empréstimo de R$ 40 mil que teria feito ao motorista Fabrício Queiroz, ele destrambelhou de vez:

“Oh, rapaz, pergunta para a tua mãe o comprovante que ela deu para o teu pai, tá certo?”

Muito aplaudido por meia dúzia de debilóides que urravam, Bolsonaro se empolgou e partiu para o ataque contra outro repórter:

“Você tem cara de homossexual terrível, nem por isso eu te acuso de ser homossexual. Se bem que não é crime ser homossexual…”

E foi por aí, até virar as costas e sair batendo o pé, indignado.

Se o presidente não se dá ao respeito, as empresas deveriam poupar seus profissionais de participar desse teatro grotesco e exigir mais civilidade nas “entrevistas coletivas”, que mais parecem bate-bocas de mesa redonda de futebol.

Não existe no mundo “entrevista coletiva” com platéia de apoiadores atrapalhando quem está ali para entrevistar o presidente sobre os assuntos quentes do dia. Eu fui secretário de Imprensa e Divulgação no começo do governo Lula, durante dois anos, e nunca aconteceu nada parecido a isso.

São testemunhas os repórteres  setoristas que cobriam o Palácio do Planalto naquela época, que sempre foram tratados com o maior respeito pelo presidente e por mim. Às vezes, é verdade, eu tinha que afastar algum microfone ou gravador, de algum repórter mais afoito, da boca do presidente, para colocar ordem na bagunça.

Mas nunca houve ofensa a nenhum profissional e todos tinham condições de fazer seu trabalho, repórteres e fotógrafos.

É preciso dar um basta nessa palhaçada. Que organizem essas entrevistas no Palácio do Planalto, com regras civilizadas, sem platéia de áulicos e batalhões de seguranças intimidando jornalistas.

Os sindicatos, a Federação Nacional dos Jornalistas e a Associação Brasileira de Imprensa, entidades para as quais eu já fui eleito em outros tempos, deveriam zelar pela dignidade do exercício profissional.

Chega de baixaria!

Trivial variado das patadas de um presidente sem noção

“O presidente do Brasil é uma azêmola. É um ser degradante, um encosto, um obsessor, um cadáver insepulto, um bolinho fritado em óleo reutilizado dez vezes, um bueiro entupido, um resto de vômito em banheiro de rodoviária. O voto nesse cara é uma pulsão de morte e apodrecimento”. Luiz Antonio Simas

“Se investigações comprovarem que dinheiro público foi parar nas mãos do chefe do Escritório do Crime através do gabinete de Flávio, deve-se perguntar: onde realmente ficava o verdadeiro Escritório do Crime? E quem o comandava?”. Marcelo Freixo

“Uma onda do mais baixo astral invadiu o Brasil. Espíritos inferiores ascenderam ao poder usando o nome de Deus. Bozo, Malafaia, Feliciano, Doria, Witzel, Moro, Dallagnol et caterva, pertencem à legião dos desesperados que reencarnaram mas não conseguiram evoluir. Karma”. José de Abreu

“Toda as vezes que BOSTAnaro humilha a imprensa golpista eu falo assim: Toma cambada de FDP! Eu acho é pouco! Vocês merecem! Foram vocês que colocaram esse desgraçado no poder e execraram o PT, Lula e Haddad”. Nélia Lula da Silva

“Bolsonaro ataca Witzel, MP carioca, Juiz do caso Flávio B. e, violentamente, os jornalistas, inclusive com episódio de homofobia. As entidades que representam jornalistas protestam fortemente. O Presidente literalmente enlouquece na defesa do filho ladrão!”. Pedro Ruas

“Homossexual dizendo que não existe homofobia, mulher afirmando que não precisa de feminismo e que isso é falta de rola, negro dizendo que racismo é só vitimização, pobre achando bonito perder os direitos trabalhistas.. Eu quero ver é os livros de história explicarem isso”. Helena Patrícia

Experts em ‘Reds’ temem ataque do Fla, mas miram espaços

Do Blog do Perrone

Sites especializados em informações e comentários sobre o Liverpool mergulharam no mundo rubro-negro nesta semana para tentar desvendar o adversário do time inglês na final do Mundial de Clubes, neste sábado (21), para os fãs dos “Reds”. O forte ataque, espaços dados aos rivais, a quantidade de gols tomados e até o temperamento de Gabigol estão entre os pontos destacados. Também não faltam referências à persistência da equipe, lembrada principalmente por causa da virada dramática sobre o River Plate na final da Libertadores. Até a música entoada pelos torcedores reverenciando a vitória sobre os ingleses no Mundial de 1981 é citada, algumas vezes com direito à tradução na íntegra.

Na página “This is Anfield”, James Nalton escreve que o Flamengo fez 22 gols a mais no Brasileiro que o segundo melhor ataque, o do Grêmio. E que teve apenas a sexta melhor defesa da competição com 37 gols sofridos em 38 partidas. A fraqueza do rubro-negro seria expandir demais seus jogadores em busca de profundidade, dando espaços para o time inglês explorar, segundo Matt Wood, do “The Liverpool Offside”.

Nalton opina que o temperamento de Gabigol pode ocasionalmente levá-lo para baixo. Mas ressalta que cutucá-lo pode provocar atos de indisciplina do atacante ou motivá-lo a fazer gols.

No entanto, todos os sites consultados pelo blog exaltam o desempenho atual do artilheiro rubro-negro. A página “Anfield Index” abre sua crônica a respeito do adversário do Liverpool com o seguinte título: “O homem do perigo do Flamengo”. Em seguida, Gabriel Barbosa é descrito como a maior ameaça, de longe. Seu passado de insucessos na Europa é lembrado. Em seguida, porém, o site diz que, atuando pelo rubro-negro, o atacante recolocou a carreira nos trilhos e atingiu a “notável marca de 43 gols em 58 jogos” nesta temporada.

Os especialistas nos “Reds” também destacam os companheiros de Gabigol. Por sua experiência na Europa, Rafinha, Filipe Luís e Diego Ribas são bem lembrados. Nalton diz que o Flamengo tem várias armas na frente e destaca o fato de Bruno Henrique ter dado duas assistências e feito um gol na vitória por 3 a 1 sobre o Al-Hilal na fase semifinal do Mundial.

Entre outras virtudes da equipe brasileira citadas por essas páginas estão a força nas jogadas pelas laterais, cruzamentos, infiltrações, rapidez nos contra-ataques, a marcação sob pressão e velocidade com que os comandados de Jesus tentam recuperar a posse de bola. As viradas na final da Libertadores e partida contra os sauditas foram marcantes para os comentaristas. O “Anfield Index” diz que a mentalidade vencedor do Flamengo faz com que a equipe não sinta quando está perdendo o jogo e prevê uma “partida complicada para os Reds” neste sábado.

Impeachment é urgência civilizatória

Por Aquiles Lins

Jair Bolsonaro deu nesta sexta-feira, 20, mais uma demonstração do seu absoluto despreparo, como político, mas sobretudo como ser humano, para continuar no cargo de presidente da República. 

Acossado pelo escândalo das rachadinhas, comandado pelo senador Flávio Bolsonaro quando era deputado na Assembleia do Rio de Janeiro, Bolsonaro reagiu com homofobia ao ser questionado por jornalistas se “o seu filho tiver cometido algum deslize”.

“Você tem uma cara de homossexual terrível, mas nem por isso eu te acuso de ser homossexual”, disse o capitão visivelmente alterado (leia mais no Brasil 247). 

O que a orientação sexual de um jornalista tem a ver com os crimes cometidos pelo clã Bolsonaro? Mais: sob a lógica doentil bolsonariana, então o filho Flávio tem cara de corrupto terrível, de alguém que lavou R$ 638 mil com compra de imóveis, segundo o MP-RJ, mas não é corrupto? 

Em outro momento da entrevista lastimável que Jair Bolsonaro concedeu na portal do Palácio do Alvorada, ele chegou a gritar e a ofender um repórter ao responder se ele tinha comprovante do alegado empréstimo feito a Queiroz. “Ô, rapaz, pergunta para a tua mãe o comprovante que ela deu pro teu pai, tá certo?”, gritou. 

Jair Bolsonaro está descontrolado porque conhece os crimes que cometeu. Ele é o chefe do clã, é Bolsonaro quem conhece Fabricio Queiroz há quase quatro décadas, não Flávio. Além das rachadinhas, as investigações do Ministério Público podem levar a provas incontestes do envolvimento do clã Bolsonaro com o assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL). 

O Congresso Nacional não pode assistir passivamente a estes ataques de Jair Bolsonaro contra profissionais da imprensa, contra as instituições. É imperativo que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, saia da sua zona de conforto de primeiro-ministro informal e e dê seguimento aos pedidos de impeachment que já tramitam na Casa contra Bolsonaro. 

Jair Bolsonaro jamais deveria estar na cadeira presidencial. Não tem competência, nem o mínimo preparo psicológico. Nenhum país que se pretenda minimamente civilizado pode tolerar um presidente que, no mesmo dia, diga o que ele disse. Ser conivente com este estorvo em nome de uma política ultraliberal que está entregando o patrimônio do País é o maior crime que o Congresso Nacional poderá cometer.