Petkovic detona Jorge Jesus

Do jornal O Jogo, de Lisboa

Não tem história na Europa. Tira estes cinco meses [no Flamengo] e compara o currículo dele com Abel Braga, não chega nem perto”, disse Dejan Petkovic, esta sexta-feira, atual comentador da Sport TV e que como jogador representou Flamengo, Vasco da Gama e Fluminense.

No decorrer de um programa do canal de desporto brasileiro, Petkovic não tem dúvidas. “Manda dois treinadores do Brasil para FC Porto e Benfica e em 10 anos lá conseguem oito ou nove campeonatos, no mínimo”, concluiu.

Cruzeiro tenta empurrar medalhões em troca de meia do Botafogo

O Cruzeiro gostaria de contar com o meia Ezequiel em definitivo. No entanto, não tem o valor necessário – R$ 11,5 milhões – para adquirir os direitos econômicos do jogador que pertence ao Botafogo. A ideia inicial dos mineiros é envolvê-lo em uma troca com medalhões que estão fora dos planos, o que não agrada aos cariocas que já pediram pelo retorno do atleta. Zezé Perrella, gestor de futebol cruzeirense, pretendia envolver jogadores que não estão nos planos do clube para o próximo ano.

Robinho, Fred, Sassá, Thiago Neves, Ariel Cabral, Edílson, Egídio e Dodô são alguns dos nomes aventados. No entanto, o atleta com menor salário do grupo recebe na casa dos R$ 350 mil mensais, o que inviabilizaria uma mudança.

O Botafogo também passa por uma fase de transformação no aguardo da chegada de investidores para se transformar em clube-empresa. Assim, o objetivo inicial é enxugar ao máximo a folha salarial. Atualmente na casa dos R$ 3 milhões, a diretoria entende que deve iniciar a temporada com apenas R$ 1 milhão. Isso representa uma verdadeira limpa no elenco.

Todos os jogadores em fim de contrato sairão, com exceção de Diego Cavalieri. Além disso, deverá ocorrer uma negociação para liberar jogadores com salário alto. Diego Souza e Cícero se encaixam nesse caso.

O Botafogo tenta captar o máximo de investidores possíveis para o projeto de se transformar em clube-empresa. Na última segunda-feira, a diretoria estreitou laços com chineses para buscar empresários no país que tenham o interesse de colocar grana no Alvinegro.

Eles estiveram no Nilton Santos, no domingo, e assinaram uma carta de intenção com o consulado chinês no Rio para captar investidores para o Botafogo na segunda-feira, em encontro na zona sul. A informação foi veiculada inicialmente pelo Canal do TF.

Castanhal fecha parceria com empresa de Rafinha

Rafinha, campeão da Libertadores pelo Flamengo, aumenta seu vínculo com o futebol paraense. Depois de uma parceria que não se consolidou com o Paissandu, ele formalizou acordo com o Castanhal através de sua fima, a R13 Fussball. Com isso, passará a se um investidor master do clube, diretamente ligado à formação de futuros craques.

Em junho deste ano, antes de assinar contrato com o Flamengo, Rafinha esteve em Castanhal conhecendo as instalações do clube, a convite de seu amigo Helinho Junior, presidente do Japiim. Ambos jogam pelo Coritiba nos anos 90 e a amizade permaneceu.

“O futebol me trouxe muitas alegrias e o nosso grande objetivo é proporcionar aos futuros craques não só toda estrutura necessária para a prática do esporte, mas o melhor ambiente para que possamos ajudar a construir pessoas melhores e que poderão nos ajudar a profissionalizar cada vez mais a principal modalidade no Brasil. Sonho que eles sejam novos Rafinhas e vivam grandes conquistas como eu já vivi até agora”, declarou o jogador.

Entre as metas de longo prazo estão transformar o Castanhal em referência no futebol paraense, com estrutura e profissionalização. Empolgado, Helinho aposta no sucesso do projeto.

“O Rafinha sempre foi um cara lúcido e consciente sobre a sua carreira e sobre como o nosso futebol funcionava. Todo o período fora do país foi de grande valia não só para sua trajetória no futebol, mas também no seu crescimento como ser humano. Acredito que isso seja o seu maior tesouro e somos privilegiados de poder contar com o apoio e experiência de um atleta de renome mundial”, disse.

Neste primeiro momento as ações da empresa de Rafinha com o Japiim serão gerenciadas em conjunto com seu sócio Ricardo Sheidt, já que o foco do lateral de 34 anos está na campanha do Flamengo no Mundial de Clubes.

O Castanhal estreia no Campeonato Paraense no dia 19 de janeiro e tem como meta ficar entre os quatro primeiros colocados, para assegurar vaga na Série D do Brasileiro e Copa do Brasil. (Com informações do Globoesporte)

Sampaoli pode ser o 7º argentino a treinar o Palmeiras

Por PVC

Se aceitar o convite do Palmeiras, Jorge Sampaoli se tornará o sétimo argentino a dirigir o clube. O de maior sucesso foi Filpo Nuñez, com três passagens (1965, 1968-1969 e 1978-1979), campeão do Rio-São Paulo e criador do time que ficou na história como “Academia.” Jogava com Valdir de Moraes, Djalma Santos, Djalma Dias, Valdemar Carabina e Ferrari; Dudu e Ademir da Guia; Julinho, Servílio, Tupãzinho e Rinaldo.

Também fez sucesso o argentino Alfredo González, campeão carioca pelo Bangu em 1966 e vice-campeão da Libertadores pelo Palmeiras, em 1968. Mas González fez apenas 14 partidas como treinador do clube. Caiu quatro jogos depois da decisão perdida na Libertadores.

O primeiro argentino chegou em 1950. Jim López ficou à frente do time em 18 dos 22 jogos da campanha vencedora do Paulista de 1950. Foi sucedido pelo uruguaio Ventura Cambom, que ganharia o troféu estadual e, no ano seguinte, conduziria o Palmeiras à conquista da Copa Rio.

Abel Picabéa foi treinador em 1952 e Armando Renganeschi dirigiu o clube em 1961. O último, e sem sucesso, foi Ricardo Gareca, em apenas 13 partidas do Brasileiro de 2014. Ao todo, foram dezessete treinadores estrangeiros nos 105 anos de história palmeirense. Houve húngaros, argentinos, uruguaios, italiano e paraguaio no comando do clube.

Hacker diz ter provas de que Bolsonao impulsionou mensagens por Whatsapp durante campanha

Da entrevista de Walter Delgatti Neto concedida a Veja:

(…) A Polícia Federal descobriu que pelo menos oitenta figuras públicas foram alvo dos ataques da quadrilha. Nesse rol estão incluídos o presidente Jair Bolsonaro e seus filhos. O hacker afirma que as invasões de fato ocorreram. “Tive acesso ao Telegram deles”, diz.

Dois celulares do presidente foram alvo de ataques, mas, como Bolsonaro não utilizava o aplicativo, não havia nenhum conteúdo disponível. No caso dos filhos Carlos, o Zero Dois, e Eduardo, o Zero Três, o hacker procurou Manuela d’Ávila e disse que havia colhido provas de ações para impulsionar mensagens de WhatsApp em favor de Bolsonaro durante a campanha presidencial.

Para mostrar que não estava blefando, fotografou a tela do celular com as contas supostamente usadas por Carlos e Eduardo e enviou as imagens à ex-deputada.

Botafogo aprova clube-empresa e vai em busca de investidores

Do UOL, no Rio

O Botafogo viveu na noite desta quinta-feira (12) um dos dias mais importantes da sua história. Nesta quinta-feira, o projeto para transformar em clube-empresa foi aprovado por unanimidade pelo conselho deliberativo em reunião na sede de General Severiano. O próximo passo será fechar com os investidores dispostos a injetar grana no Alvinegro.

Para o projeto ser implementado, os sócios precisam ainda referendá-lo. Uma Assembleia Geral Extraordinária foi agendada para o próximo dia 27. Estão aptos a participar os associados maiores de 16 anos com mais de um ano de vida associativa e em dia, conforme os artigos 45, 46 e 47 do Estatuto do Alvinegro.

Inicialmente, o Botafogo precisa de vinte cotas de R$ 15 milhões, o que totaliza R$ 300 milhões. Esse dinheiro seria utilizado para pagar as dívidas ativas do Alvinegro, que passaria a não ter mais problemas com penhoras e conseguiria colocar as mãos no dinheiro que tem direito a cada ano. A Botafogo S/A é o principal assunto no dia a dia do clube.

A ideia foi iniciada com Walter e João Moreira Salles, que encomendaram um estudo financeiro do clube através da Ersnt & Young, que tem como objetivo saber as dívidas e quais seriam os detalhes que os possíveis investidores teriam que arcar caso realmente comprassem a ideia de injetar dinheiro no Alvinegro.

O projeto foi apresentado a um grupo restrito no Botafogo, os chamados cardeais, que sempre colocam seu dinheiro no clube para ajudar quando necessário. Como esperado, foi aprovado de forma praticamente unânime. O presidente Nelson Mufarrej abriu mão de parte do seu poder para dar continuidade ao projeto.

Enquanto o projeto financeiro era repassado, o clube já iniciou a comunicação com possíveis novos investidores, mesmo que ainda de forma inicial já que ainda não havia nenhum tipo de garantia a quem ficasse interessado no Botafogo. Mesmo assim, o projeto estava se moldando e virando, passo a passo, realidade.

Os encontros entre o grupo responsável por cuidar da S/A se tornaram semanais e a ideia de alterar a gestão se tornou um fato. Com a mudança para o clube-empresa, o departamento de futebol do Botafogo será separado do núcleo social – ambos, portanto, serão independentes. Cláusulas contratuais, dívidas, questões envolvendo o Estádio Nilton Santos, futebol de base e construção do CT serão repassadas ao Botafogo S/A.

O primeiro objetivo do clube-empresa será liquidar as dívidas que podem gerar algum tipo de ameaça ao clube em curto prazo. À parte social, sobrará a questão envolvendo os esportes olímpicos e a manutenção da sede de General Severiano, mas com dinheiro próprio.

Em novembro, alguns conselheiros tiveram acesso à parte do estudo financeiro e à apresentação que detalhava trâmites do processo. Na noite desta quinta foi a vez de todos os conselheiros terem acesso aos documentos.

Mesmo com tudo aprovado, o Botafogo não mudará para um clube-empresa de um dia para o outro. O S/A ainda vai depender de um tempo para a entrada de investidores e mudança de registros. Enquanto isto não ocorre, as questões do clube, como contratações, serão resolvidas por um comitê de gestão, formado por Nelson Mufarrej, Carlos Augusto Montenegro, Manoel Renha, Cláudio Good e Ricardo Rotenberg. (Foto: Vítor Silva/Botafogo)

Rede protesta contra desmonte da educação infantil

A Rede Nacional Primeira Infância e outras entidades signatárias que atuam na defesa dos direitos das crianças vêm a público manifestar sua indignação e total inconformidade com o Decreto 10.134 de 26 de novembro de 2019, pelo qual o Governo Federal transfere para a iniciativa privada a definição e realização de projetos de construção, reforma, ampliação e operação de estabelecimentos públicos de educação infantil com recursos públicos. Operação significa, na prática, gestão técnica e pedagógica.

O referido Decreto fere o preceito constitucional (art. 30, VI e art. 211). Trata-se de uma tentativa nefasta de desmonte da política pública de educação infantil brasileira, que resulta de lutas históricas, e coloca em risco avanços importantes da política nacional de educação.

O Decreto 10.134/2019 surgiu sem que houvesse diálogo com entidades representativas e articuladas em prol dos direitos das crianças, como o Conselho Nacional de Educação, os movimentos sociais, gestores e representantes dos municípios, especialistas e pesquisadores da área.

Fogão vence Corinthians em SP e força jogo 3 da final da Liga Sul-Americana

Poderia ter sido a noite da consagração para o Corinthians, que jogava em casa no ginásio Wlamir Marques para voltar a conquistar um título continental no basquete após quatro décadas. Com 1-0 na final da Liga Sul-Americana, era vencer e comemorar diante da torcida. O Botafogo, porém, tinha outros planos.

Uma atuação impressionante do começo ao fim do time comandado pelo técnico Leo Figueiró gerou a vitória de 74-64 para os cariocas, que forçaram o terceiro duelo, a ser disputado no mesmo local nessa sexta-feira às 21h30 com Jamaal Smith sendo o cestinha com 25 pontos. Com 1-1 na série, de amanhã não passa. Quem vencer fica com o título da Sul-Americana e garante vaga na Basketbal Champions League de 2020/2021.

O jogo começou e o Botafogo, totalmente dominado na primeira partida da final da Liga Sul-Americana no Rio de Janeiro, mostrou uma postura totalmente diferente. Abriu 11-2 logo de cara, defendeu com consistência, fechou os 10 minutos iniciais com 27-15 e mostrou ao Corinthians que queria forçar o terceiro duelo. No segundo quarto o Timão reagiu, melhorou um pouco a marcação, mas não conseguiu reduzir a diferença. Ao final de 20 minutos, 48-35 para o alvinegro carioca, que teve 17 pontos do ótimo armador Jamaal Smith.

O panorama não mudou para os donos da casa no terceiro período. Ligado na tomada, o Botafogo continuou mandando na partida, fez 17-11 na volta do intervalo e foi pros dez minutos finais vencendo o duelo por 65-46. Os dez minutos finais foram novamente dominados pelo Botafogo, que manteve a diferença lá no alto, não deu chances para os rivais e venceram por 74-64. A decisão da Sul-Americana fica para esta sexta-feira mesmo. (Do Bala na Cesta)