Brigadistas são libertados após decisão judicial

O juiz Alexandre Rizzi determinou na tarde desta quinta-feira (28) a soltura dos quatro brigadistas e ambientalistas presos na cidade de Santarém, no Pará. Eles foram presos preventivamente na terça-feira (26) por ordem do mesmo juiz, como suspeitos do incêndio na APA Alter do Chão.

Daniel Gutierrez Govino, João Victor Pereira Romano, Gustavo de Almeida Fernandes e Marcelo Aron Cwerver são suspeitos, segundo a Polícia Civil, de ter provocado o incêndio de forma criminosa. Com as cabeças raspadas, eles foram libertados no começo da noite (foto acima) e recebidos com aplauso por ambientalistas e companheiro da brigada anti-incêndio.

A soltura foi ordenada pelo mesmo juiz que decidiu prender os brigadistas. Ele afirmou que reverteu a decisão após analisar as informações levantadas pelos delegados da operação da Polícia Federal Fogo de Sairé, que investiga os incêndios na região.

A inconsistência das provas levantadas e a forte pressão internacional causaram a reviravolta no casso. Além disso, a Polícia Federal já admitiu que suas investigações apontam em outra direção: fazendeiros e madeireiros da região estariam por trás das queimadas.

Justiça manda soltar brigadistas presos pela Polícia de Santarém

O juiz Alexandre Rizzi determinou na tarde desta quinta-feira (28) a soltura dos quatro brigadistas que foram presos preventivamente em investigação sobre incêndios florestais na APA Alter do Chão, em Santarém. O magistrado é o titular da 1ª Vara Criminal de Santarém. Ele apontou no despacho que tomou a decisão depois de analisar informações de diligências realizadas pelos delegados da operação “Fogo do Sairé”.

Os advogados de defesa dos brigadistas informaram que estão indo para o Centro de Recuperação Agrícola Silvio Hall de Moura, acompanhar a entrega dos alvarás de soltura à direção da casa penal.

A decisão saiu horas depois de o governador do Pará, Hélder Barbalho (MDB), ter anunciado a destituição do atual delegado que presidia o inquérito da prisão preventiva dos quatro brigadistas de Alter do Chão, José Humberto de Melo. O novo ocupante do cargo é Waldir Freire Cardoso, da Divisão de Crimes Ambientais. 

Segundo Barbalho, a escolha por Waldir Freire se dá por sua atuação como diretor da Delegacia Especializada em Meio Ambiente e, portanto, por seu conhecimento técnico da área. “O caso requer atenção e toda a transparência necessária. Ninguém está acima da lei, mas, ao mesmo tempo, ninguém pode ser vítima de pré-julgamento ou ter seu direito de defesa cerceado”, disse o governador. 

Morre Cilinho, criador dos Menudos do Morumbi

Morreu na tarde de hoje, na cidade de Campinas, o ex-técnico de futebol Cilinho. A informação foi confirmada à reportagem do UOL pela entidade responsável por serviços funerários da cidade paulista, a Setec (Serviços Técnicos Gerais). De acordo com informações da Setec, o ex-treinador de 80 anos – que sofreu um AVC em 2018 e vinha se recuperando desde então – faleceu na própria casa. O órgão, responsável pela remoção do corpo, não divulgou informações a respeito de velório ou sepultamento.

Nascido em Campinas no dia 9 de fevereiro de 1939, Otacílio Pires de Camargo teve grande destaque como treinador entre as décadas de 1960 e 1990, especialmente no futebol paulista. Passou por clubes como Santos, Corinthians, Ponte Preta, Portuguesa, Paulista de Jundiaí e XV de Jaú, entre outros. Seu principal momento veio, no entanto, no São Paulo. Pelo clube do Morumbi, foi duas vezes campeão paulista, em 1985 e 1987, contando com um elenco formado majoritariamente por jovens jogadores – destaque para Müller, Silas, Pita, Careca e Sidney, entre outros nomes. O time ganhou o apelido de “Menudos do Morumbi”, em referência ao grupo musical Menudo, sucesso a partir do fim da década de 70. (Do UOL)

A frase do dia

“O problema dos bolsonaristas não é ideológico, é psicológico. Carregam dentro de si um ressentimento colossal. Sentem-se diminuídos diante dos que têm maior conhecimento, leitura, sensibilidade, compreensão dos fatos e das artes. Raiva de conquistas, méritos e aplausos alheios”.

Hildegard Angel, jornalista

A hora de avaliar elencos

POR GERSON NOGUEIRA

Depois das primeiras dispensas nos elencos, logo depois que encerram participação nas competições oficiais, Remo e PSC entram na fase estratégica de avaliações mais rigorosas sobre o nível dos elencos para a próxima temporada.

Na Curuzu, o técnico Hélio dos Anjos tem decisões a tomar principalmente quanto aos jogadores de meio-campo. Perdeu várias peças desde o fim da Série C e agora dispõe de três volantes – Uchoa, Caíque Oliveira e Yure – e três meias, Tomaz Bastos, Tiago Luís e Primão, para o setor. O goleiro Giovanni ainda não renovou e Elielton deve deixar o clube.

O problema é que, a rigor, ele só pode contar com Primão, que vem atuando regularmente, embora não seja o titular dos sonhos do comandante. Tomaz Bastos não tem renovação confirmada. Teve alto rendimento na Série C, mas caiu vertiginosamente nos últimos três meses.

Tiago Luís, que tem contrato até o fim do próximo ano, nem está nos planos de Hélio dos Anjos. Quando o time precisa de um meia de criação, ele é sempre a última das opções e raramente entra em campo. A ironia é que foi contratado para ser titular absoluto.

Entre os volantes, os problemas são parecidos. Uchoa e Caíque deveriam ser os titulares para o começo da temporada, mas o segundo terá que superar a irritação do torcedor, que não esqueceu a desastrosa cobrança de pênalti contra o Cuiabá. Yure, formado no clube, pode ganhar uma chance, caso o clube não contrate outro jogador para o setor.

Se fosse jogar nos próximos dias, o PSC poderia ter a seguinte formação: Paulo Ricardo; Wylliam, Micael, Perema e Bruno Collaço; Uchoa, Caíque (Yure), Primão e Tiago Luís; Nicolas e Vinícius Leite.

No Remo, que a partir de dezembro terá Rafael Jacques como técnico, a situação atual revela o cuidado extremo que a diretoria tem com as contratações, ponto mais criticado da gestão nesta temporada. Como já dispõe de 17 jogadores no elenco, ficam faltando 11 para completar o número considerado ideal (28)

Além de reforços que ainda estão sendo negociados, quatro jogadores das divisões de base pedem passagem, com destaque para o atacante Wallace e o zagueiro-volante Anderson. Além do volante Xaves e do lateral Dudu Mandai, já confirmados, o clube deve anunciar mais cinco nomes até a apresentação marcada para 9 de dezembro.

Para iniciar os trabalhos, o Remo poderia escalar o seguinte time: Vinícius; Jansen, Fredson, Mimica e Ronaell; Djalma, Laílson, Lukinha e Eduardo Ramos; Wesley e Hélio Borges.  

Liverpool tropeça e infla otimismo rubro-negro

Quem viu o Liverpool, campeão europeu, se atrapalhar ontem contra o Nápoli, sofrendo terrivelmente para arrancar um empate, pode ter ficado  com a sensação de que o bicho não é tão feio para o Flamengo. Ambos devem fazer a final da Copa do Mundo de Clubes, marcada para dezembro, caso não ocorra nenhum atropelo pelo caminho.

Não é bem assim. O empate em 1 a 1 contra o Nápoli de fato não estava nos planos de Jurgen Klopp, que esperava vencer para ficar mais tranquilo durante a dura trajetória que espera pelos Reds em dezembro. O tropeço obriga o Liverpool a vencer ou empatar com o Salzburgo na Áustria, pela Champions, uma semana antes de sua estreia no torneio da Fifa.

É precipitado, porém, avaliar o Liverpool pelo jogo diante da equipe napolitana dirigida por Ancelotti. Os times da Itália mantêm como maior característica o apego à marcação e ao jogo mais retrancado. O trio ofensivo Mané, Firmino e Salah sofreu bastante com a firme postura do zagueiros do Nápoli. Nenhum deles teve chances claras de finalização.

Antes de considerar que o Flamengo pode atropelar o Liverpool, é prudente observar que o esquema usado por Klopp se sustenta na força do meio-campo e nos deslocamentos do trio ofensivo. Considera o melhor dos cenário enfrentar times que cedem espaços para movimentação, como o rubro-negro carioca.  

Racismo volta a envergonhar futebol europeu

Torcedores do Slavia Praga confirmaram a fama de racistas e neonazistas, ontem, insultando demorada e repetidamente o centroavante belga Lukaku, da Inter de Milão. Não é a primeira, nem a última vez, certamente, que os extremistas de direita empastelam uma partida de futebol com atos de insulto racial.

Como vingança, Lukaku respondeu às agressões marcando um gol (com dois anulados) para a Internazionale e calando os intolerantes, além de afundar ainda mais o Slavia na tabela de seu grupo na Champions. A Inter venceu por 4 a 1.

Impressiona como a Uefa e a Fifa se mantêm excessivamente complacentes e covardes em relação às manifestações racistas no Leste Europeu e em cidades italianas.

As punições são risíveis e, longe de enfrentar o problema, acabam por estimular novos ataques a jogadores negros, inclusive brasileiros, como Taison e Dentinho na Ucrânia.

Para compensar, no campo exclusivamente esportivo, como deveria ser sempre, a torcida do Barcelona teve o privilégio de acompanhar um novo show de Lionel Messi no Camp Nou.

Em seu 700º jogo com a camisa azul-grená, o supercraque marcou um golaço e deu duas assistências preciosas, para gols de Luiz Suarez e Griezmann, na vitória de 3 a 1 sobre o Borussia Dortmund, pela rodada da Champions. 

(Coluna publicada no Bola desta quinta-feira, 28)