Um operário no banco dos réus

Em outubro de 1980, portanto há 39 anos, Lula foi julgado e condenado pela Lei de Segurança Nacional, por haver liderado as greves de 1979 e 1980 no ABC. No dia do julgamento, o jornalista Lourenço Diaféria publicou a seguinte coluna na Folha de S. Paulo:

“BILHETE PARA UM OPERÁRIO”

“Pegaram um dia um operário e disseram-lhe:

Senta-te no banco dos réus.

És acusado de haveres nascido com sonhos na cabeça. És acusado de teres os cabelos encaracolados. És acusado de teres bigodes vastos, negros, provocativos.

És acusado de teres alguns pedaços de dedos a menos que o comum dos mortais, podados pelas engrenagens das máquinas.

És acusado de ficares pelas esquinas conversando em voz baixa com amigos enquanto a luz dos postes te ilumina o suor do rosto. És acusado de terem te visto no bar dando gargalhadas.

És acusado de tua casa ter um pequeno jardim com grama e flores.

És acusado de conheceres a sinfonia das sirenes das fábricas anunciando a aurora do primeiro turno.

És acusado de seres reconhecido na portaria e todos te cumprimentarem, e te baterem levemente nas costas com alegria, e te dizerem: olá, meu chapa.

És acusado de inventares um partido que não é o único, mas não se confunde com siglas e teorias de alfarrábios envelhecidos.

És acusado de fazeres discursos de improviso com vigor e garra que nascem do fundo das vísceras do espírito.

És acusado de não seres magro nem raquítico como teus irmãos deviam ser.

És acusado de jogares baralho e dares dores de cabeça aos homens sérios deste país.

És acusado de usares gravata em vez de macacão, vestindo-te com roupas só permissíveis no enterro do melhor amigo.

És acusado de frequentar reuniões e discutires com sábios e iluminados sem pedir licença nem apresentar diploma.

És acusado de te haverem visto com ministros, criaturas importantes, e não te ocorrer submeter-se a elas.

És acusado de não teres te colocado no lugar cavado para o oprimido.

És acusado de haveres gritado com toda a força de teus pulmões fuliginosos.

És acusado de teres filhos bonitos e uma mulher doce, que devia ser feia e talhada a foice.

És acusado de não seres rapaz comportado, meigo, gentil, acetinado.

És acusado de conheceres a prensa, e não te afugentar o ronco que ela faz na madrugada.

És acusado de quereres a pátria livre, e livre, também, o coração e os sentimentos do homem.

És acusado de rezares e de pôr a boca no trombone quando todos se calam e descreem de Deus e dos homens.

És acusado de teres o desplante de ser líder num país desnaturado onde quem levanta a fronte é triturado.

És acusado de haveres perdido a paciência de esperar pelo futuro que não chega nunca.

És acusado de usares sapatos 42, de couro, quando o normal é sandália havaiana.

És acusado de romperes as cadeias invisíveis que amarram teus braços peludos e tuas mãos penadas.

És acusado de atraíres os operários com tua voz, teu berro, teu silêncio, teu olhar, tua dor, tua ânsia, teu mistério, e saberes contar, sorrindo, tristes histórias recolhidas em barracos e cômodos e cozinhas.

És acusado de estares em pé, quando devias estar de bruços, de borco, exangue e vencido.

És acusado de não seres o que queriam que tu fosses.

Meu caro operário sentado no banco dos réus, por favor, recebe este recado:
Se existir mesmo essa senhora difusa e vaga a que chamam Justiça, confia nela.
Não creio que essa matrona seja cega.”

Índio Guajajara é assassinado por madeireiros

O líder indígena Paulino Guajajara foi emboscado por madeireiros ontem, 1º de novembro de 2019, no interior da Terra Indígena Araribóia, região de Bom Jesus das Selvas-MA, entre as aldeias Lagoa Comprida e Jenipapo. O assassinato gerou protestos até no exterior, acompanhados de cobrança de providências por parte do governo brasileiro.

Caso Marielle: Bolsonaro confessa obstrução de Justiça e ocultação de provas

O presidente Jair Bolsonaro afirmou neste sábado (2) que pegou a gravação das ligações da portaria do Condomínio Vivendas da Barra, no Rio de Janeiro, onde tem uma casa, para que não fossem adulteradas. O presidente falou com jornalistas sobre o assunto durante visita a concessionária em Brasília, onde ele comprou uma motocicleta.

“Nós pegamos, antes que fosse adulterada, ou tentasse adulterar, pegamos toda a memória da secretária eletrônica que é guardada há mais de ano. A voz não é a minha”, declarou Bolsonaro.

Reportagem do Jornal Nacional mostrou na terça-feira (29) que um porteiro do condomínio contou à polícia que, horas antes do assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista dela, Anderson Gomes, o ex-policial militar Élcio de Queiroz, suspeito de participação no crime, esteve no local e disse que iria à casa 58, casa que pertence ao presidente, e que o “seu Jair” atendeu ao interfone e autorizou a entrada.

Queiroz, entretanto, seguiu para a casa de Ronnie Lessa, outro suspeito do assassinato, no mesmo condomínio. Naquele horário, o então deputado Jair Bolsonaro estava em Brasília e participou de votações na Câmara no mesmo dia.

Neste sábado (2), o presidente voltou a dizer que estava em Brasília e não no Rio de Janeiro no dia em que o ex-policial militar Élcio de Queiroz esteve no Condomínio Vivendas da Barra.

Na quarta (30), o Ministério Público do Rio de Janeiro afirmou que um áudio obtido na investigação da morte de Marielle e Anderson mostra que foi o PM aposentado Ronnie Lessa quem liberou a entrada do ex-PM Élcio de Queiroz no Condomínio Vivendas da Barra, horas antes do crime, em 14 de março de 2018 (veja no vídeo acima). Suspeitos de serem os autores do assassinato, os dois estão presos desde março deste ano.

A perícia que mostrou que a voz na gravação é de Ronnie Lessa foi feita um dia depois da reportagem do Jornal Nacional sobre o assunto e foi realizada em duas horas e meia.

Também na quarta, uma gravação divulgada pelo vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ) mostrou que a autorização para a entrada do suspeito partiu da casa em que morava outro suspeito – Ronnie Lessa – e não da casa do presidente.

Nesta sexta-feira (1º), o presidente da Associação Nacional dos Peritos Criminais Federais, Marcos Camargo, afirmou que a análise das provas que envolvem o sistema que registra ligações de interfone no condomínio do presidente Jair Bolsonaro foi superficial e que a ausência de perícia oficial pode levar à nulidade do processo.

“Lá na frente, se não tiver perícia, ele é passível de ser anulado”, afirmou Marcos Camargo. A decisão sobre o arquivamento ou nulidade do processo cabe à Procuradoria-Geral da República (PGR).

O Brasil vai ao fundo do poço. O presidente miliciano confessa um crime (ocultação de prova) e ninguém faz nada. É bem provável que tenha apanhado a gravação justamente para adulterar.

Trivial variado do país onde a Lei virou potoca

“Bolsonaro revela intervenção direta na investigação sobre Marielle e diz que pegou gravação da portaria de seu condomínio e que pode ter obstruído a investigação sobre a morte de Marielle Franco Depois da confissão o que mais falta?? Documento assinado com firma reconhecida???”. José Carlos Arana

“O presidente da República confessou ter se apoderado de uma prova num inquérito criminal que pode envolvê-lo. Antes dela ser periciada. Isso é gravíssimo. Num país sério, seria crime de responsabilidade. Mas aqui…”. Rafael Martins

“Depois dessa confissão explícita de Bolso de que cometeu um crime para encobrir outro crime de que foi acusado, Toffoli vai ter que rebolar muito para salvar o miliciano. Ou o país já acabou e ninguém me avisou?”. Lola Aronovich

“Bye, bye, Brasil! Já éramos como nação civilizada. Viramos o cool da mãe Joana, onde o presidente comete um crime, confessa e nada acontece”. José de Abreu

“Na sua infinita ignorância, Bolsonaro não sabe que cometeu obstrução de justiça. O que é suficiente para impeachment”. Gilberto Dimenstein

“O presidente confessou,via vídeo gravado e publicado por ele nas redes sociais, que teve participação em 2 crimes: a) no assassinato da vereadora Marielle e do seu motorista Anderson e b)roubou as provas que o incriminam. O crime ‘b’ não existiria caso não tivesse participação no ‘a'”. Zanuja C. Branco

Carlos Kila é o novo executivo do Remo

Depois de muito mistério e negociações, o Remo acertou a contratação de Carlos Antônio Kila, de 62 anos. A diretoria negociava com dois executivos, Kila e Jorge Macedo, que esteve em Belém por alguns dias conhecendo as instalações do clube, mas demorou a responder à proposta do clube.

Com a demora na definição de Macedo, a diretoria optou por fechar com Kila, que ocupará o posto deixado por Luciano Mancha, dispensado pelo Remo após a eliminação na Série C.

Carlos Kila teve como último trabalho a função de gerente executivo no Brasil de Pelotas (RS). Kila também trabalhou no Joinville (SC), Ceará (CE), Blumenau (SC) e Náutico (PE).

O novo executivo chega a Belém na segunda-feira (04) e imediatamente começa a buscar o novo técnico. Clemer (ex-Caxias) e Rogério Zimermann são nomes cotados.

Pelo fim do discurso vazio

POR GERSON NOGUEIRA

Virou uma espécie de clichê. Técnicos da dupla Re-Pa incluem como item principal do planejamento para a temporada seguinte a inclusão de jogadores revelados nas divisões de base. O discurso é quase sempre pomposo, bonito e impressiona marinheiros de primeira viagem.

A realidade mostra que quase todas as promessas resultam em decepção. Há pelo menos dez anos que a situação não sofre mudança relevante. Os jogadores trazidos de fora acabam conquistando os espaços e detêm a confiança dos técnicos.

Mesmo quando o garoto da base mostra qualidades parece prevalecer uma desconfiança – talvez preconceito – contra a pé-de-obra local. São inúmeros os exemplos a respaldar essa afirmação.

Kevem (foto), revelado na base, só entrou no time por uma situação emergencial. O zagueiro Mimica sofreu uma lesão grave no primeiro clássico Re-Pa do campeonato estadual deste ano, abrindo vaga para o jovem zagueiro.

Com atuações impecáveis ao longo da competição, marcando até gol de bicicleta, Kevem se destacou e terminou negociado com empresários. O Remo ganhou dinheiro, preservou um percentual de direitos e o jogador teve acesso ao futebol europeu – está no Paços de Ferreira, de Portugal.

Dificilmente teria sido notado não fosse o acontecimento infeliz com Mimica. Como ele, o lateral Rony, ora em briga judicial com o clube, também teve uma oportunidade na Copa Verde porque o titular (Cesinha) precisou ser substituído. Ainda assim, continuou a entrar apena por alguns minutos, como no Re-Pa da semifinal da CV.

Na Curuzu, a situação não é diferente. O lateral-esquerdo Diego Matos, 22 anos, que se sobressai desde o ano passado, volta e meia fica fora dos planos, mesmo quando o titular é apenas razoável. Chuta muito bem, apoia o ataque e sabe trabalhar como defensor.

Com Alan Calbergue, meio-campista que despontou há três anos, a má vontade fez com que fosse emprestado a outros clubes, voltando a ter chance após provar qualidades no Bragantino. Entrou em algumas partidas, sob o comando de João Brigatti, mas logo perdeu espaço.

Wylliam, outro egresso das divisões de base, também é pouco aproveitado, passando mais tempo como terceiro suplente na povoada função de volante, cuja preferência dos técnicos é invariavelmente pelos que vêm de fora.

E pensar que não faz tempo que o PSC revelou Rodrigo Andrade, aos trancos e barrancos, superando até a histórica ojeriza dos treinadores pela prata-de-casa. Depois de um ano como titular, foi negociado com o Vitória.

Que esses exemplos sirvam de farol e referência para os técnicos, a fim de que o discurso deixe de ser mera retórica e para valorizar de fato o trabalho de formação, que deveria ter prioridade absoluta nos clubes.

Papão anuncia o segundo melhor reforço para 2020

Nicolas foi o melhor jogador do PSC nesta temporada. Marcou gols importantes, foi o principal goleador e funcionou como termômetro do rendimento da equipe. Quando ele não teve boa atuação, invariavelmente o time foi mal. Por outro lado, o Papão sempre foi bem sucedido quando Nicolas teve um dia inspirado.

Sua renovação chegou a estar ameaçada por sondagens de outros clubes, além das dificuldades financeiras do clube, mas a notícia divulgada na sexta-feira confirmou o êxito dos esforços para manter o jogador.

Depois de Hélio dos Anjos, maior contratação do PSC em 2019, Nicolas é peça importante para que o time não perca o ponto de equilíbrio que permitiu a invencibilidade de 21 jogos e a chegada a decisões importantes, como a disputa do acesso à Série B e a final da Copa Verde.

Bola na Torre

Guilherme Guerreiro comanda a atração, a partir das 22h30 na RBATV, logo depois da exibição do jogo da NBA. Na mesa de debates, Giuseppe Tommaso e este escriba de Baião.

Memórias do coração

“Melhor que todas as suas crônicas! Cheguei a ficar emocionado quando li a homenagem  que você fez ao seu irmão no rodapé da página que você escreve no Bola (Diário do Pará). Obrigado por não deixar morrer o romantismo familiar. Valeu!”.

Francisco Lourenço de Sousa, de Marituba.

Matemática crava que o Flamengo é quase campeão

Os estudiosos da Escola de Matemática Aplicada da Fundação Getúlio Vargas já projetam quando o provável título de campeão brasileiro de 2019 deverá ser conquistado pelo Flamengo. As 100 mil simulações feitas revelam 21,7% de chance de o clube rubro-negro sagrar-se campeão até a 34ª rodada do Campeonato Brasileiro. Se isso ocorrer, o Fla entra para o rol dos clubes que precisaram de menor número de rodadas para levantar a taça, juntando-se ao Cruzeiro (2013) e ao São Paulo (em 2007).

Os rubro-negros têm 93,3% de chances de pelo menos igualar o recorde da era dos pontos corridos, estabelecido pelo Cruzeiro, em 2003, ao conquistar 72% dos pontos possíveis. Ao mesmo tempo, o estudo diz que o Fla, ainda que apresente queda de rendimento, ainda é favoritaço ao título. Nesse cenário, as probabilidades de ser campeão seriam de 55,5% devido à campanha e à vantagem estabelecida até o momento – 8 pontos em relação ao vice-líder Palmeiras. 

(Coluna publicada no Bola deste domingo, 03)

Na república dos cretinos

Durante uma transmissão ao vivo ao lado do secretário de Aquicultura e Pesca, Jorge Seif Júnior, o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro (PSL), falou sobre a consequências das manchas de óleo que atingem o Nordeste.

Na transmissão, ambos discutiram a possível contaminação causada pelo óleo em pessoas e animais através do contato direto e também via alimentos.

A certa altura da transmissão, Seif Júnior defendeu que os animais são capazes de discernir os perigos da contaminação e assegurou que os alimentos estão livres de quaisquer riscos.

“O peixe é um bicho inteligente. Quando ele vê uma manta de óleo ali, capitão, ele foge, ele tem medo”, afirmou.

O secretário também acrescentou que o Ministério da Saúde não detectou contaminação em alimentos. “Você pode consumir seu peixinho sem problema nenhum. Lagosta, camarão, tudo perfeitamente sano”, disse.

Bolsonaro então afirmou que alguns animais, porém, podem ficar presos nas manchas que continuam nas praias.

“Obviamente, de vez em quando fica uma tartaruga ali na mancha de óleo – para não falar que ninguém fica, né? Um peixe, um golfinho pode ficar, mas tudo bem”, ponderou.