Libertadores: final está mantida no Chile, mas Conmebol estuda plano B

A Conmebol dobra a aposta na realização da final da Libertadores entre Flamengo x River Plate em Santiago ao mesmo tempo que engatilha um plano B para o caso de isso se tornar inviável. Nesta quarta-feira, o governo chileno reafirmou o compromisso de realizar a decisão. Mas é impossível saber como estarão no futuro os ânimos das ruas da capital do país por conta dos protestos contra o governo.

Desde o início das manifestações, a Conmebol tem mantido a convicção da realização da decisão única no Chile, no dia 23 de novembro. Mas os cancelamentos de dois eventos importantes – Apec e COP-50 – deixaram dirigentes da entidade inseguros. Começaram a discutir saídas para a realização do evento.

As declarações da ministra de Esporte do Chile, Cecilia Perez, até esfriaram os ânimos. Diante disso, a Conmebol decidiu-se por manter o jogo pelo alto investimento já feito no Chile. O Estádio nacional passou por reformas inclusive na sua infraestrutura. Já foi organizada logística para os dois times, com hotéis e locais de treinamentos definidos. Cada time tem um calhamaço de regras para cumprir em pontos definidos desde 20h da quarta-feira anterior à decisão. Patrocinadores investiram forte na promoção da primeira final única.

Ao mesmo tempo, há a consciência de que a situação chilena arrefeceu um pouco, mas segue bastante instável. Ou seja, a Conmebol vê como real a chance de ter de realizar uma mudança. O presidente da confederação, Alejandro Dominguez, já tem um plano B para o caso de haver problemas. Não foi possível saber com precisão o plano. Mas, internamente na Conmebol, uma possibilidade é o estádio do Cerro Porteño “La Nueva Olla”, em Assunção.

O equipamento receberá a final da Copa Sul-Americana, no dia 9 de novembro. Sua capacidade é de 45 mil pessoas, contra 48 mil do Estádio Nacional. Já está portanto revisado e preparado pela confederação para receber um jogo decisivo.

A tendência é que ocorra uma nova avaliação sobre o tema no Conselho da Conmebol no dia 7 de novembro quando a cúpula estará reunida no Paraguai pouco antes da final da Sul-Americana. Neste momento, faltarão 16 para a decisão da Libertadores e portanto um prazo apertado, porém viável para a mudança.

Alguns dos pontos já meio definidos na Conmebol é que não há possibilidade de realizar dois jogos, o que desrespeitaria o regulamento e compromissos comerciais. Nem há vontade de tirar novamente a final do continente, e obviamente Brasil e Argentina estão descartados como local de uma decisão por favorecerem um dos dois times. (Do blog de Rodrigo Mattos)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s