Guardian: 42% das mensagens em grupos bolsonaristas nas eleições eram falsas

Que Jair Bolsonaro foi eleito à presidência com forte ajuda das fake news disseminadas por grupos de direita em grupos de WhatsApp, já era de conhecimento público. Um levantamento feito pelo jornal britânico The Guardian, que publicou uma reportagem sobre o tema nesta quarta-feira 30, no entanto, traz dados mais precisos e essenciais.

O estudo analisou cerca de 12 mil mensagens repercutidas em cerca de 300 grupos de WhatsApp, com base em dados do WhatsApp Monitor, ferramenta desenvolvida pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), e concluiu que 42% das mensagens compartilhadas pela direita eram notícias falsas. Por outro lado, apenas 3% das mensagens da esquerda eram falsas.

Segundo o Guardian, havia quatro categorias entre as mentiras da extrema-direita, sendo 48% relacionadas com teorias sobre fraude em urnas eleitorais, 19% sobre a facada sofrida por Bolsonaro, 16% tratavam de “desmentidos” de supostas matérias da grande mídia e do establishment e 14% miravam ativistas e lideranças da esquerda, recorrendo ao anti-feminismo e à LGBTfobia.

Baião, 325 anos de história

A população de Baião está em festa nesta quarta-feira (30). O município, originário de um povoado fundado em 1694 pelo português e sesmeiro Antônio Baião, completa hoje 325 anos de existência. Como em 30 de outubro de 1779, o capitão-general e governador Fernando da Costa de Athayde Teive deu ao lugar o nome de Baião, em homenagem ao fundador, a data oficial da cidade passou a ser 30 de outubro.

Em 1833, o conselho do governador da Província, nas sessões de 10 a 17 de maio, promulgou uma resolução elevando a localidade à categoria de vila, recebendo a denominação de Nova Vila de Santo Antônio do Tocantins.

À época, o município era o maior do Estado. Tinha grande extensão territorial, indo das cercanias de Cametá até os limites onde hoje se localiza Marabá. Baião fica a uma altitude de 30 metros, com população estimada em 46.416 habitantes (Censo do IBGE de 2018). Possui área de 3.758,273 km², ficando a 240 km de Belém.

Desde 1979, o aniversário da cidade é comemorado no dia 30 de outubro com grande festa popular na praça principal da cidade, em frente à igreja do padroeiro, Santo Antonio.

Baião é um dos mais antigos municípios do Pará e um dos mais importantes do Baixo Tocantins, localizado às margens do rio. Com uma população simples, formada em grande parte por pescadores e pequeno agricultores, a cidade mantém um jeito rústico e bucólico. Praias, igarapés e ilhas são alguns de seus encantos mais apreciados.

  • Baião foi um dos maiores municípios do mundo, tendo uma extensão maior que países como a Holanda, por exemplo. Cidades como Marabá, Mocajuba, Tucuruí e Conceição do Araguaia fizeram parte do território baionense antes dos processos de emancipação.
  • Baião foi o segundo município do Pará a ter água encanada, instalando seu sistema logo após a implantação na capital, Belém. Uma caixa d’água histórica pode ser visitada ao lado do mercado municipal, na estrada da Encanação.
  • Baião é um dos municípios paraenses com maior número de remanescentes de quilombos, tendo comunidades (Umarizal, Matacurá, Joana Peres, Calados e Arequembaua) que preservam a cultura dos seus antepassados.
  • Baião tem o terminal mais moderno e funcional da região, construído em 2010 e inaugurado em 2011. Possui também a Unidade de Educação Infantil mais moderna da região.
  • Não há certeza quanto à origem do nome ‘Baião’. Pode ter sido escolhido por ser sobrenome de seu fundador ou porque Antonio Baião era natural de Baião, em Portugal.

Atacante abre mão de férias para se dedicar aos treinos

O atacante Hélio Borges, que teve boas participações na equipe do Remo sempre que foi escalado, resolveu abrir mão das férias profissionais para se dedicar aos treinos. “Fiz essa escolha de treinar ao invés de tirar férias para quando chegar o início da próxima temporada estar bem melhor fisicamente. Dessa forma, posso desfrutar do meu melhor futebol ajudar o Remo a conquistar os objetivos. Decidi fazer isso através de uma conversa com meu representante, Mauro Góes, onde deixei claro minha vontade de estar treinando e melhorando”, afirmou o jogador.

Como tem 19 anos, o atacante está defendendo o Remo no Campeonato Paraense Sub-20, mas, ao término da competição, seguirá com trabalhos físicos fora do clube.

Filho de Bolsonaro faz ameaças e ataca a Globo

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) respondeu à denúncia que envolve Jair Bolsonaro (PSL-RJ) na morte da ex-vereadora Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Gomes. Segundo matéria veiculada pela Rede Globo, o porteiro do condomínio onde Bolsonaro tem casa citou o presidente nas investigações sobre o assassinato. 

“No Chile, o Foro de SP está incendiando metrôs, ônibus, bancos. Pres. Piñera fez concessões. Vocês acham que os black blocs lá pararam? Que nada. O objetivo não é pauta social, é tomar o poder. Uma hora o presidente vai ter que largar o poder para acalmar os vândalos ou encará-los”, afirmou o parlamentar no Twitter.

Ainda no Twitter, o deputado do PSL afirmou que os repórteres da Globo “teriam olhado o Twitter do JB no dia 14/MAR/18. Ou consultado o registro de presença na Câmara. Não dá p crer que a Globo busca a verdade”.

De acordo com matéria do Jornal Nacional, o porteiro do condomínio onde mora Jair Bolsonaro no Rio disse ter ligado diretamente para a casa dele em 14 de março, dia do assassinato da ex-vereadora Marielle Franco (PSOL). O porteiro também afirmou que o próprio Bolsonaro atendeu ao telefone – neste dia, ele estava em Brasília (DF). Na época, ele era deputado federal.

Mas o jornalista Fernando Brito destacou no Tijolaço Bolsonaro tinha passagem para o Rio naquela data (veja aqui).

Bolsonaro afirmou que está conversando com o ministro da Justiça e Segurança Pública, Ségio Moro, para que o porteiro de condomínio seja ouvido pela Polícia Federal. De acordo com o juristas Pedro Serrano, o mandatário pode sofrer impeachment por obstrução judicial (confira aqui).

Em live, o ocupante do Planalto criticou a Globo pela reportagem. “Isso é uma patifaria, TV Globo! TV Globo, isso é uma patifaria!” “É uma canalhice o que vocês fazem. uma ca-na-lhi-ce, TV Globo. Uma canalhice fazer uma matéria dessas em um horário nobre, colocando sob suspeição que eu poderia ter participado da execução da Marielle Franco, do PSOL”, disse, soltando um “porra” em meio aos impropérios.

Em nota lida pela jornalista Renata Lo Prete, a emissora afirmou que “não fez patifaria nem canalhice”. “Revelou a existência do depoimento do porteiro e das afirmações que ele fez. Mas ressaltou, com ênfase e por apuração própria, que as informações do porteiro se chocavam com um fato: a presença do então deputado Jair Bolsonaro em Brasília, naquele dia, com dois registros na lista de presença em votações”, diz o texto.

“Sobre a afirmação de que, em 2022, não perseguirá a Globo, mas só renovará a sua concessão se o processo estiver, nas palavras dele, enxuto, a Globo afirma que não poderia esperar dele outra atitude. Há 54 anos, a emissora jamais deixou de cumprir as suas obrigações”.

Trivial variado da república das milícias assassinas

“A reação descontrolada do ‘capetão’ contra a TV Globo, inclusive com ameaças do fim da concessão, era previsível. Isto pode significar que o império global tem outras bombas contra o presidente miliciano. Do contrário, não correria o risco. Próximos dias prometem muita adrenalina”. Valdomiro Borges

“A sogra, a mãe da sogra e o tio da esposa são criminosos. O vizinho de porta é criminoso. O melhor amigo é criminoso. Emprega familiares de criminosos. Seu filho também emprega familiares de criminosos no seu gabinete. Defende criminosos. E esse cara é que ia combater o crime?”. Leonel Radde

“Perguntas a partir da reportagem do Jornal Nacional: se não foi Bolsonaro, quem falou com o porteiro do condomínio no interfone? Quem autorizou a entrada de um dos suspeitos de matar Marielle? E por que a casa de Bolsonaro foi procurada na noite do assassinato?”. Henrique Araújo

“De acordo com o jurista Pedro Serrano, se Bolsonaro acionar Moro para PF ouvir porteiro estará sujeito a impeachment. Fato demonstra tentativa de usar a PF para fins privados e para obstaculizar investigações da PC do Rio de Janeiro. O Moro não orientou o chefe?”. Erika Kokay

“A Constituição é maior do que a lei da selva. Não há rugido prepotente que possa se sobrepor ao respeito às regras do jogo democrático”. Flávio Dino

“É muito preocupante que tanta gente ainda ache normal que o círculo próximo do presidente seja composto tão abertamente de milicianos e suspeitos de assassinar uma vereadora eleita”. Ana Fernandes

Sobre as rugas na cara

Por André Forastieri

Cantor jovem, bonito, rico, famoso, tesão das meninas, odiado por todos os garotos da classe. O novo astro do K-Pop? Justin Bieber? Algum MC funkeiro, gatão sertanejo? 

Não, Peter Frampton, que já tinha 26 anos, dez anos de carreira, quando se tornou o homem mais desejado pelas adolescentes do mundo. E de Piracicaba, meu mundo.

Era 1976. Eu estava na sexta série. Ouvindo hoje, até que as músicas eram bem boas. Seu rosto delicado, sorriso sedutor e cachinhos dourados eram melhores. 

Peter Frampton: uma diva pré-rafaelita com peito peludo e calças boca-de-sino. Frampton Comes Alive, o álbum duplo, era presença obrigatória em todos os bailinhos. Meu melhor modelo era uma blusa cacharel cor de vinho, mas morria de vergonha de tirar elas para dançar. 

As revistas publicavam fotos de Peter de todo jeito. Paparazzi o seguiam pelo mundo afora. Todas as imagens viravam colagens nos cadernos das menininhas, nas pranchetas, nos armários. Nós nos doíamos de inveja. Bicha com certeza, rosnávamos. 

Não sabíamos dos quinze anos de currículo de Frampton, de seus cinco discos com o Humble Pie, de seus créditos em All Things Must Pass, o único álbum de George Harrison que todo mundo deve ter. 

Nas brincadeiras dançantes (!), no clube Coronel Barbosa, a discoteca imperava soberana, e se dava bem quem usasse camisa havaiana e soubesse dançar as lentinhas. Embalos de Sábado à Noite? Só um, dois anos depois. 

Frampton não tinha perdão para nós, e não tinha defeito para elas. “Estou em você”, sussurrava nos ouvidinhos das garotas, “você está em mim”. Antes de Peter era David Cassidy, e logo depois veio Leif Garrett, ainda mais bonito, zero de talento.

Hoje é a vez do K-Pop, mais efebos, mais ensaiados.Entre eles, gatos que ficaram: Jon Bon Jovi, Duran Duran. Outros que esquecemos. E a geração MTV: New Kids on The Block, Take That, N’Sync, Hanson. 

Aqui também. Lembro dos gritos de “gato!!!” pra Marcelo, no Chacrinha, das meninas tremendo pela Cor do Som… e agora tem todos esses astros musculosos de sertanejo e funk, requebrando, calças com enchimento. 

É normal que os garotos adolescentes de hoje fiquem revoltados com o BTS, grupo de K-Pop febre global, ou com algum MC gatão desses do Kondzilla. “Som de merda!” Algumas coisas nunca mudam. Ídolos adolescentes, por exemplo. 

Para muitas meninas, eles foram e são a primeira paixão e o primeiro tesão, amor perfeito e êxtase sem risco, o príncipe encantado, delicado, andrógino, ideal – porque impossível. Para os meninos, tudo que eles não foram e não serão, jamais. 

Peter Frampton bateu todos os recordes e queimou rápido como uma estrela cadente. Vive de glórias passadas – quem não, aos 69 anos? Anunciou esse ano uma turnê de despedida. Vai parar de tocar, tem uma doença degenerativa.

A 13 de setembro, fez show no Madison Square Garden! Que os ídolos de hoje possam ter fãs tão devotados, quando coroas. 

Esta semana, aliás, vi o anúncio de um show de Roberto Carlos só para mulheres, e li a notícia que o show dos Backstreet Boys no Brasil (em 2020!) já está esgotado. 

Perdoei Peter Frampton faz tempo. Foi quando ele cortou os cachos, aposentou a pose de gatinho, e jogou fora uma fortuna. Foi ser new wave atrasado, procurar cerveja com Bowie nas ruas de Barcelona, ser dinossauro, ser músico, ser ele mesmo. 

Tá um velhinho bonito. Continua tocando pra caralho. Lição para os jovens, ídolos ou não: antes do que imagina, você vai ter rugas na cara.

VOCÊ DEVE LER…

Essa entrevista do Paulo Arantes. Ele desconfia que a nossa elite mais civilizada, direita liberal, vai rifar o bolsonarismo. Que pode reagir, limitando drasticamente nossas liberdades.É o que o filho-xodó do homem falou esses dias: com democracia não dá. 

Armínio Fraga, porta-voz da turma, já deixou claro que esse governo é muito incontrolável, obscurantista. Pega mal em Aspen e Davos. Mas dinheiro sempre pega bem.

Agora vai pintar dindin do bom nas privatizações. Mas o povão não vai ver a cor dessa “melhora” na economia. E depois taí 2022. 

O Armínio, aliás, apostava em Alckmin… E eu achava que qualquer um ganhava do Bolsonaro! 

Claro que se der Bolsonaro x PT na próxima, todo o PIB banca Bolsonaro de novo. Arrisca o Jair estar torcendo pro Lula Livre!