Desabafo de professor

Por Daniel Malcher

Fala-se tanto em “respeito ao professor”, de que ele é “um herói sem capa”, que sua contribuição à sociedade é “veicular conhecimento, forjando cidadãos críticos”… tudo bazófia, palavras ao vento eivadas de senso comum pseudo-elogiosas. A verdade é que somos detestados, maltratados, vilipendiados, controlados e monitorados por aqueles que reproduzem esses falsos elogios. O que importa, para a máquina é que nós sejamos parte passiva de uma engrenagem enferrujada que diz defender interesses “nobres”: “o aluno”, “os pais”, “a eficiência”… “olha o horário, professor!?”; “não reclame, trabalhe!”; “desculpe professor, mas não podemos resolver seu problema”; “a ordem das secretarias é a seguinte: não vai ter piso; e tratem de ministrar aulas, aulas, aulas” não importa em que condições estruturais, físicas ou emocionais.

E assim o sistema segue forte, apesar de enferrujado, afinal, tem os seus prepostos prontos a defendê-lo acriticamente, com unhas e dentes. Não se pode esquecer, no entanto, que a máquina traga a todos, não existem peças insubstituíveis.Enquanto formos desrespeitados, cobrados de forma injusta ou acusados de não sermos “eficientes”, não haverá 200 dias letivos que dêem conta de tanta contradição, pois sabe-se que não formaremos cidadãos críticos e plenamente hábeis e capazes dentro de uma estrutura acrítica, persecutória, que vigia e pune a quem deveria ter plena autonomia, reproduzindo no dia a dia autoritarismo e mandonismo onde se supõe existir o exercício de liberdade de cátedra e de pensamento.

A reflexão se faz também fora da sala de aula! Nos respeitem! Adoecemos, dormimos pouco e comemos mal em razão dos nossos problemas pessoais e, sobretudo, do trabalho que levamos para casa, não contabilizado e nem registrado em folhas de ponto, e que também nos afastam das pessoas que amamos e de momentos aprazíveis. Retiramos do próprio bolso, muitas vezes, o custo de material para que todos os alunos possam acompanhar nossas aulas de forma minimamente satisfatória.

Será isso tudo “falta de compromisso”? Será isso tudo “ineficiência”? Não temos nada a comemorar. E por favor, não precisam nos homenagear. Deixem-nos, ao menos hoje, descansar. Silenciem, pois hoje dormimos um pouco mais. Ao menos isso.

O passado é uma parada

Parte da delegação brasileira que iria embarcar para a Copa do Mundo da Suécia aparece, na estação de trem, em Poços de Caldas-MG, esperando a hora do embarque para Belo Horizonte, em maio de 1958.

Da esquerda para direita, aparecem conversando Nilton Santos, Dino Sani, Castilho, Bellini, Garrincha, Moacir, Dida, Joel, Mazolla, Zagalo e Pelé.

Remo demite Eudes Pedro

Em nota oficial divulgada no final da tarde, a diretoria do Clube do Remo informou a liberação do técnico Eudes Pedro, que comandou a equipe por quatro partidas (uma vitória, duas derrotas e um empate) na Copa Verde.

“Eudes Pedro não faz mais parte do comando técnico azulino. O treinador acertou sua saída em comum acordo com a diretoria nesta terça-feira (15).
O Clube do Remo agradece o empenho e profissionalismo, e deseja sorte nos próximos trabalhos de sua carreira”, diz o comunicado.

CBF confirma realização da Copa Verde 2020

O vice-presidente da CBF, Marcus Vicente, afirmou ontem que a Copa Verde será realizada em 2020. Em passagem pelo Espírito Santo, para participar de um evento da Copa do Mundo Sub-17, o dirigente garantiu que o torneio vai acontecer na próxima temporada, apesar dos problemas ocorridos em 2019, quando a CBF não conseguiu patrocínio.

“Tivemos uma dificuldade muito grande em fechar o patrocínio para a Copa Verde deste ano, mas com as possibilidades criadas pelas plataformas de ‘streaming’ e da televisão aberta para transmissão dos jogos, agora temos condições de ter um patrocinador para o ano que vem. Ela não está no calendário, mas com certeza a Copa Verde acontecerá e será disputada em paralelo aos Estaduais e ao início do Campeonato Brasileiro”, disse Marcus Vicente.

Caso Rony: juíza nega tutela de urgência para liberar o jogador

A juíza Léa Helena Pessoa dos Santos Sarmento, da 3ª Vara do Trabalho do TRT/8ª Região, não aceitou os argumentos da defesa do atleta Rony e negou a concessão de uma tutela de urgência para que fosse liberado antes mesmo da instrução processual.

No despacho, ela manda aguardar a audiência inaugural designada para o dia 30/10, às 13h10. Será a audiência de conciliação. Se não houver acordo, uma audiência de instrução será marcada para encaminhamento da decisão sobre o caso.

Gilmar diz que Globo colocou sua vida em risco com estímulo ao fascismo

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes disse que a mídia conservadora, incluindo a Rede Globo, tem incentivado a onda de agressores contra integrantes da Corte que têm se posicionado contra os excessos da Lava Jato, colocando em risco a sua própria vida e a de outros membros do STF. 

“Se for prestada a atenção, vocês da mídia são os responsáveis por tudo isso, até pela condição de lavajatistas pressionando a população a esse tipo de procedimento com quem questiona situações da Lava Jato”, disse Gilmar em entrevista ao programa Entrevista com Bial, exibido pela Globo nesta segunda-feira (14). 

“Se amanhã eu sofresse um atentado… eu cheguei a dizer isso ao Ali Kamel. Mandei para ele o livro do Pinheiro Machado. Aquele livro do Pinheiro Machado, o assassinato do Pinheiro Machado, senador na Velha República, é dito que aquele assassinato foi causado pela mídia, pelo incitamento que a mídia produzia”, disse Gilmar em outro momento da entrevista. 

Declarações de Gilmar Mendes vieram em resposta a uma pergunta feita por Bial na qual ele questionava como o ministro se sentia ao “ser abordado por populares de forma enfática e até agressiva” e qual seria a “parcela de responsabilidade” do ministro neste tipo de reação popular. Diante da resposta inesperada, Bial afirmou que a Rede Globo “jornalismo” e que os chamados vazamentos devem ser entendidos como “furos de reportagem”.

“Pois bem, o que se sabe nos bastidores era que o então procurador Geral da República, Rodrigo Janot, dispunha de 11 pessoas no jornalismo para vazar seletivamente dados e processos para a mídia, especialmente vocês”, retrucou Gilmar.

Futebol do Pará perde Rui Azevedo, que brilhou na zaga do Leão

Morreu na madrugada desta terça-feira (15) o ex-jogador Rui Azevedo, que durante muitos anos defendeu o Clube do Remo, conquistando títulos e participando de jogos históricos, como a vitória de 2 a 1 sobre o Flamengo em 1975 no estádio do Maracanã.

Na foto acima, Rui é o segundo de pé da direita para a esquerda, entre o goleiro Dico e o lateral-esquerdo Cuca, numa das formações vitoriosas do Remo na década de 70. Ele enfrentava problemas de saúde nos últimos seis anos.