Julgamento do caso Náutico x PSC será na sexta-feira, 20

uchoa-penalti

O julgamento do caso Náutico x PSC será na próxima sexta-feira, 20, às 11h, no STJD. Para esta data foi agendada análise do pedido de impugnação do jogo de volta das quartas de final da Terceirona, encaminhado pelo Papão no dia 10 de setembro. A confirmação da data foi feita próprio STJD, ontem à tarde.

No documento em que pede a anulação da partida, o PSC contesta a marcação de um pênalti pelo árbitro Leandro Pedro Vuaden em favor do Náutico, aos 49 minutos do segundo tempo. O Papão detalhou ainda que o árbitro estava a metros do lance, de frente para a jogada em que participaram apenas jogadores bicolores, sem a presença de alvirrubros. 

Em parecer emitido por Manoel Serapião Filho, ouvidor de Arbitragem da CBF, ele confirma o erro do árbitro, mas pondera que “não se pode dizer que o árbitro ocasionou prejuízo direto a uma ou a outra equipe”, já que ocorreu um pênalti não marcado contra o PSC no primeiro tempo.

Nos últimos dias, Vuaden revelou que tem recebido ameaças por parte de torcedores do PSC. A Câmara Municipal de Belém aprovou um requerimento declarando Leandro Vuaden “persona non grata” ao futebol paraense.

Na última sexta-feira, após o STJD ter determinado a não homologação do resultado do jogo, mas sem paralisar a Série C, o presidente do Náutico, Edno Melo, disse estar otimista quando ao desfecho do caso no tapetão. 

Marquinhos Santos troca Juventude pela Chapecoense

tecnico-marquinhos-santos-em-passagem-pelo-juventude-1568661409634_v2_900x506

A Chapecoense anunciou na tarde de hoje (16) a contratação do técnico Marquinhos Santos, ex-Coritiba, Bahia e Fortaleza e que, recentemente, conquistou o acesso para a Série B com o Juventude (RS). Marquinhos, que já dirigiu o Paissandu, chega para salvar a Chapecoense de um inédito rebaixamento para a segunda divisão do futebol brasileiro.

Irritado com tropeço do S. Paulo, Daniel Alves põe culpa na imprensa

Daniel Alves parece incomodado com críticas ao São Paulo, especialmente quando o debate gira em torno de sua utilização em campo, como lateral, posição de origem, ou meia. O jogador da seleção brasileira chegou a afirmar, após o empate com o CSA por 1 a 1 no Morumbi, na noite de hoje (15), que a imprensa não vai saber o que é melhor “porque nunca jogou futebol”.

“Sei o quanto é difícil você construir coisas no futebol brasileiro, pelo fato de vocês (imprensa) estarem sempre para desestabilizar em qualquer situação. Então temos que ser calmos, seremos. A maioria da imprensa não jogou bola, então gera desconfortos. Se jogo na lateral, se jogo no meio. A gente tem que ser bastante consciente da situação que estamos e do futebol que estamos praticando”, começou.

“Estamos aqui, volto a insistir, para construir juntos. Posso ajudar meus companheiros a serem muito melhores do que são. Ao contrário do que a maioria pensa, eu jogando de lateral fico muito tempo sem pegar na bola, e aí fica ainda mais difícil ajudar meus companheiros. A imprensa não vai saber (em que posição Daniel Alves rende mais) porque nunca jogou futebol”, completou.

O jogador chegou a ser interrompido por repórteres que estavam na zona mista do Morumbi, e terminou. “Quero passar a mensagem que não podemos nos posicionar conforme o que a imprensa fala, temos que seguir nosso plano. A imprensa sempre está para gerar esse tipo de desconforto, e gerar debates. Eu estava lá fora (com a seleção), mas ouvi falando sobre Daniel Alves na lateral, Daniel Alves no meio.”

“Sei o quanto é difícil o Campeonato Brasileiro. Mas nunca pequei por omissão, sempre estarei na linha de frente. Antes de vir para o futebol brasileiro, já fiz uma lavagem cerebral de que aqui só os fortes sobrevivem”, finalizou. Com o empate, o São Paulo chegou a 32 pontos. Além de desperdiçar a chance de voltar ao G-4 do Brasileirão, a equipe de Cuca fica na sexta colocação, atrás do rival Corinthians, por ter menor saldo de gols (9 a 8). (Do UOL)