Jornal diz que Barcelona fez “oferta fantasma” por Neymar ao PSG

i

Após o fechamento da janela de transferências na última segunda-feira, a permanência de Neymar no Paris Saint-Germain foi assegurada. A vontade do atacante brasileiro era voltar ao Barcelona, mas a possibilidade de transferência pode ter sido menor do que parecia.

Nesta terça-feira, o jornal espanhol Marca detalhou os bastidores da negociação e explicou que as tratativas dão a sensação de terem sido “mais teatro do que um interesse verdadeiro”. Segundo o diário, em primeiro lugar, o Barcelona não tinha o dinheiro que ofereceu ao PSG para contratar Neymar.

Com a chegada de Griezmann por 120 milhões de euros (R$ 550 milhões) no começo da janela, o time catalão precisaria pedir um empréstimo para pagar os 130 milhões de euros (R$ 595,8 milhões) oferecidos ao time francês, o que era considerado pela diretoria como uma “medida perigosíssima”.

Além disso, de acordo com o periódico, jogadores que foram envolvidos na proposta como moeda de troca, como Dembélé, Philippe Coutinho, Rakitic e Umtiti, não foram sequer perguntados se teriam interesse em ir para Paris.

As contratações de Neymar e Griezmann eram consideradas “incompatíveis” internamente, já que o Barça ficou sem dinheiro depois de contratar o francês. O objetivo inicial de mercado era Griezmann, e quando a oportunidade de ter Neymar surgiu, os catalães não quiseram abortar a negociação com o ex-Atlético de Madrid por receio de ficar sem nenhum dos dois.

Outro ponto é que não havia consenso sobre a contratação de Neymar nem mesmo na própria diretoria do Barcelona, com vários dirigentes importantes considerando a negociação economicamente inviável, de acordo com o Marca.

Por fim, o presidente Josep María Bartomeu prometeu aos principais jogadores do elenco culé que tentaria de tudo por Neymar, mas os atletas logo perceberam que as coisas não aconteciam como os diziam. Neymar, por sua vez, pressionou o PSG dizendo que só sairia para o Barça, descartando outras opções, mas não teve sucesso. (Da ESPN)

Contra o PSC, Náutico deve bater recorde de público nos Aflitos

339406,475,80,0,0,475,365,0,0,0,0

O Náutico está próximo de bater seu recorde de público nos Aflitos na temporada 2019. Nesta terça (3), o clube divulgou a parcial de ingressos vendidos para o jogo deste domingo (8), contra o Paysandu, pelo duelo da volta das quartas de final da Série C do Campeonato Brasileiro 2019. Já foram comercializados 9.900 bilhetes dos 17 mil que foram colocados à venda ao todo.

O maior público do Náutico nos Aflitos neste ano foi na partida de ida da final do Campeonato Pernambucano, contra o Sport. O estádio recebeu 14.211 no jogo que terminou com a vitória dos rubro-negros por 1×0.

O jogo de ida entre Náutico e Paysandu, no Mangueirão, terminou empatado em 0x0. Um novo resultado de igualdade levará a decisão para as penalidades. Quem vencer garante vaga na Série B do ano que vem. (Da Folha PE)

Fenaj realiza 38º Congresso pregando a luta em defesa do jornalismo e da democracia

unnamed (6)

Vozes diversas e ao mesmo tempo uníssonas se reuniram para afirmar a importância do Jornalismo e o papel dos jornalistas em tempos de obscurantismo, desinformação e retrocessos, durante a abertura do 38° Congresso Nacional dos Jornalistas, ocorrida na quinta-feira, 22 de agosto, no Teatro São José, localizado em Fortaleza -CE. A escolha do equipamento simbolizou a resistência da cultura popular de uma região que também luta contra os desmontes ocasionados pela conjuntura atual.

Antes da solenidade, programada para iniciar com a composição da mesa de abertura, o grupo de tradições folclóricas Raízes Nordestinas, que possui 23 anos de existência, subiu ao palco do Teatro São José para dar as boas-vindas aos presentes naquele momento. A apresentação contou com interpretações da vida sertaneja, incluindo canções cearenses populares e muita dança. Vale lembrar que a data coincidiu exatamente com o Dia do Folclore (22/08). Na plateia, estavam operárias e operários da notícia de vários Estados, assim como personalidades locais. As presenças mais ilustres foram citadas uma a uma durante todo o evento.

unnamed (5)

O discurso que deu início ao Congresso Nacional dos Jornalistas foi lido pelo jornalista Kennedy Saldanha. O texto lembrou e ressaltou conceitos e acontecimentos que seguem sendo debatidos pela categoria e sociedade no geral. O espectro neofascista que paira sobre o Brasil; o falso moralismo tão presente na disputa de narrativas; o perigoso anti-intelectualismo; o extermínio do povo negro; a morte de Marielle Franco; a prisão política de Lula; o desemprego generalizado; a desinformação disseminada; a crise do modelo de negócios do Jornalismo e suas consequências.

Logo após a leitura, a mesa de abertura foi composta pelos seguintes nomes: Maria José Braga, presidenta da Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ); Rafael Mesquita, presidente do Sindicato dos Jornalistas no Ceará (Sindjorce); Chagas Vieira, assessor especial de comunicação do Governo do Estado do Ceará; Moacir Maia, coordenador de comunicação da Prefeitura de Fortaleza; Inácio Arruda, secretário da Ciência, Tecnologia e Educação Superior do Estado do Ceará; Gilvan Paiva, secretário da Cultura de Fortaleza; Antonio Oliveira, procurador do Ministério Público do Trabalho no Ceará (MPT-CE); Oswaldo Maneschy, representante da Associação Brasileira de Imprensa – ABI; e Luizianne Lins, deputada federal pelo Ceará.

BUSCANDO INSPIRAÇÃO

O jornalismo (e o jornalista) precisa buscar inspiração na comunicação popular e priorizar a produção de conteúdos diversos – notadamente os invisibilizados -, em vez de focar apenas em formatos. Longe de pretender ter uma saída pronta para a “crise do Jornalismo”, o jornalista Laércio Portela, editor da Marco Zero Conteúdo, instigou os presentes à Conferência de Abertura do 38º Congresso Nacional dos Jornalistas a reverem suas concepções e certezas sobre a atuação profissional. O evento, reunindo cerca de 200 participantes, aconteceu na noite de 22 de agosto, no histórico Teatro São José, em Fortaleza-CE.

“Talvez esteja na hora de começar a buscar inspiração fora do Jornalismo. Porque se é verdade que a gente está vivendo um mundo de autoritarismo, de violações de direitos humanos, com a política institucional tomada pelos conservadores e pela agenda da bancada BBB (boi-bala-Bíblia), existe um mundo em ebulição nas periferias das grandes capitais e das médias cidades brasileiras. Gente que está produzindo conteúdo de comunicação às vezes mais diverso e mais rico do que o que a gente faz”, afirmou Portela.

Para o jornalista pernambucano – que passou nove anos em redação tradicional, dez em assessoria de imprensa e há quatro anos vive a experiência de atuar em um coletivo de mídia independente -, existem outras formas de fazer Jornalismo, não apenas em redações tradicionais de empresas hegemônicas. “É preciso que a gente não olhe as redações de Jornalismo como os únicos locais de produção jornalística. Certamente, ali é onde menos se faz Jornalismo”, sentenciou. Citou o exemplo da Cooperativa de Jornalistas e Gráficos de Alagoas (Jorgraf) como possibilidade de organização da categoria.

Ex-jogadores criticam arrogância de Gabigol

gabigol-durante-flamengo-x-internacional-1566438954485_v2_900x506

Os ex-jogadores Carlos Alberto e Ricardo Rocha fizeram críticas ao atacante Gabigol por conta de seu comportamento durante partidas recentes do Flamengo. Ambos, que hoje são comentaristas, disseram durante o programa “Jogo Sagrado”, do “FOX Sports”, que “quebrariam” o jogador, mas por lances distintos. Carlos Alberto comentou especificamente sobre o que considerou provocação do artilheiro a Felipe Melo, do Palmeiras, no último domingo, em partida pelo Campeonato Brasileiro. No lance em questão, Gabigol passou o pé seguidas vezes sobre a bola, com Felipe Melo parado na marcação em lance na linha de fundo. O Flamengo venceu por 3 a 0.

“Gabigol, o que você fez com o Felipe Melo não se faz. Me desculpa. Está criando um clima que daqui a pouco ele será cobrado. Quando se falta com respeito no futebol… isso eu tenho moral para falar. Eu tenho moral para falar. Se é comigo, eu quebrava ele”, afirmou Carlos Alberto, sendo interrompido pelo apresentador Benjamin Back, que afirmou que ele não quebraria o jogador do Flamengo.

Ricardo Rocha, por sua vez, lembrou um outro lance envolvendo Gabigol, no qual o atacante passa em frente ao banco do Botafogo fazendo gesto de “chororô” após marcar em um clássico de julho. “Eu estou falando do lance do Botafogo que ele passa no banco fazendo assim (chororô). É falta de respeito, o cara está lá de sangue quente… Se eu estou no jogo do Botafogo, eu quebro ele”, disse Apesar destas ressalvas, os comentaristas elogiaram o futebol de Gabigol. Carlos Alberto disse que o atacante precisa dar satisfações à torcida do Flamengo, e não a ele.

“Ele está de parabéns, jogando muito. Critiquei nos gols que perde, mas ele não tem que dar satisfação para mim. Se tiver que dar para mim, ele está morto. Tem que dar para a torcida, que são os mesmos que vão cobrar na fase ruim”, disse o comentarista. (Do UOL)

Jogando bem, Brasil vence Grécia e se classifica na Copa do Mundo de basquete

EDi6AZkX4AYhJFg

Os brasileiros superaram os gregos por 79 a 78. Faltando cerca de 2 segundos para o final da partida, os gregos tinham um lance livre e poderiam empatar o placar, levando o jogo para a prorrogação, mas o erro garantiu a vitória para o Brasil. A seleção teve grande desempenho em quadra e saiu vitoriosa de um jogo tenso e emocionante. Foi a segunda vitória brasileira no torneio. O próximo jogo será na quinta-feira (5), às 5h (de Brasília), contra Montenegro.

Vuaden apita Náutico x PSC, domingo, nos Aflitos

EDjEK4OXsAcU7fJ

A CBF informou na manhã de hoje que o gaúcho Leandro Pedro Vuaden (Fifa) será o árbitro central do jogo Náutico x Paissandu, domingo, 18h, no estádio dos Aflitos, no Recife. A partida define uma vaga de acesso à Série B 2020. Vuaden apitou 23 partidas em 2019: 6 jogos na Série A, 6 jogos na Copa do Brasil, 1 jogo na Série B, 1 jogo no campeonato mineiro e 9 jogos no campeonato gaúcho.