CBF confirma jogo Remo x Luverdense para o estádio Baenão, finalmente liberado

baenao-2

A CBF enfim confirmou: a partida entre Remo e Luverdense (MT), no próximo sábado (13), será realizada no estádio Evandro Almeida. É um momento especial para os azulinos, que viviam a expectativa de ter o estádio de volta desde que ele foi quase destruído em 2014. A mudança do Mangueirão para o estádio azulino foi oficializada no site da entidade, com aval da empresa Dazn, que tem os direitos de transmissão da Série C. Representantes da CBF estiveram em Belém para confirmar o que está atestado nos laudos de segurança, vigilância sanitária e da prefeitura de Belém.

A equipe da entidade máxima do futebol brasileiro também fez uma vistoria no gramado do Baenão, a fim de verificar se está apto a receber jogos da Série C. No final da tarde, os representantes da CBF estiveram reunidos com membros da diretoria remista e da Federação Paraense de Futebol (FPF), oficializando a transferência do jogo Remo x Luverdense (MT), pela 12ª rodada da Série C, do Mangueirão para o Evandro Almeida. O horário também teve que ser alterado, passando das 17h para 15h de sábado, 13.

A última vez que o Baenão abriu seus portões para uma partida oficial foi em 1º de maio de 2014, quando o Remo venceu o Independente de Tucuruí por 4 a 0 no jogo de volta da semifinal do Campeonato Paraense. Depois disso, o estádio foi interditado para a construção do projeto Arena Baenão, conduzido pelo então presidente Zeca Pirão. A ideia, porém, nunca saiu do papel e o Remo amargou durante todo esse tempo prejuízos por não poder utilizar sua praça de esportes.

A capacidade atual do Baenão é de quase 14 mil pessoas. O clube já havia vendido cerca de 10 mil ingressos antecipados para sua reabertura, que seria diante do Juventude, no último sábado, 6 de julho. O diretor de estádio, André Malcher, explicou que o projeto para que as partidas possam ocorrer à noite deve ser executado em 2020, com investimento de R$ 700 mil em iluminação.

Cinco brasileiros no time ideal da Copa América

everton

A Conmebol divulgou hoje (09) a equipe ideal da Copa América, cujo título acabou ficando com a seleção brasileira. Como não poderia deixar de ser, o time comandado pelo técnico Tite foi o que mais emplacou nomes na formação ideal: Alisson, Daniel Alves, Thiago Silva, Arthur e Everton Cebolinha. A escolha dos atletas foi feita pelo Grupo de Estudo Técnico da Conmebol. A equipe é formada por Alisson; Daniel Alves, Gimenez-URU, Thiago Silva e Trauco-PER; Arthur, Leandro Paredes-ARG e Arturo Vidal-CHI; James Rodríguez-COL, Paolo Guerrero-PER e Everton Cebolinha.

Outra tragédia no país do chumbo grosso

Por Jaqueline Naujorks e Diogo Nolasco, no G1 MS

O policial militar ambiental suspeito de matar Julio Cesar Cerveira Filho dentro de uma sala de cinema em Dourados (MS) na tarde desta segunda-feira (8) não conhecia a vítima, de acordo com o delegado Rodolfo Daltro.

Segundo a polícia, a briga que terminou com a morte de Julio teria começado por uma discussão sobre poltronas. No boletim de ocorrência, o policial militar (atualmente lotado na Polícia Militar Ambiental) Dijavan Batista dos Santos relata que estava acompanhado de seus dois filhos, um de 10 e um de 14 anos.

A vítima teria “começado a abrir braços e pernas” ao lado do garoto mais velho, momento em que o pai trocou de lugar com o menino. Em seguida teria acontecido uma discussão entre autor e vítima, momento em que Julio, ao sair de sua poltrona e passar pelo filho de Dijavan, teria batido no rosto do adolescente.

crime-600x450

De acordo com testemunhas que estavam na sala 1 que exibia “Homem-Aranha: Longe de Casa”, quando a dupla chegou à porta entraram em luta corporal, momento em que o autor sacou uma pistola .40 e disparou contra a vítima, atingindo-lhe o pescoço. Júlio Cesar foi morto na frente da filha de 16 anos.

O G1 conversou com a esposa de Julio, que prefere não ser identificada neste momento para preservar a família. Ela disse que ela e a filha estão em casa muito abaladas e medicadas, e não tiveram condições emocionais de prestar depoimento à polícia, mas devem ser ouvidas nesta terça-feira (8). A esposa relatou que estava em casa no momento do crime e que o marido havia lhe mandado uma mensagem dizendo que a sala de cinema estava cheia e que houve uma confusão com as poltronas que ele e a filha ocupariam. Ela chegou a pedir que o esposo voltasse para casa. Após o crime, a filha do casal foi amparada por amigos que estavam no shopping.

Advogados se mobilizam para defender jornalistas do Intercept contra ações de Moro

Da coluna de Mônica Bergamo na Folha:

Um grupo de 40 advogados se reuniu na segunda (8) com o jornalista Glenn Greenwald, do site The Intercept Brasil, para se colocar à disposição dele e de outros jornalistas que estão participando da divulgação das mensagens de Sergio Moro com procuradores que atuaram na Operação Lava Jato.

glenn-2-600x394

A ideia é criar um Comitê pela Liberdade de Imprensa que atue na defesa de repórteres ameaçados, neste e em outros casos que possam gerar represálias do Estado.

A mobilização começou depois que foi divulgada a notícia de que a Polícia Federal, subordinada ao ministro Sergio Moro, da Justiça, teria pedido ao Coaf, o Conselho de Controle de Atividades Financeiras, uma análise sobre as contas bancárias de Greenwald.

Polícia cumpre mandados de busca e apreensão na sede do Cruzeiro

A crise no Cruzeiro parece não ter fim. A Polícia Civil de Minas Gerais realiza mandados de busca e apreensão nas dependências do clube e nas residências de dirigentes e agentes ligados à cúpula na manhã de hoje. A diretoria diz apoiar as investigações por meio de nota, mas lamenta que seja às vésperas das quartas de final da Copa do Brasil. Os agentes foram à sede administrativa, aos dois centros de treinamentos (Toca da Raposa I e Toca da Raposa II), à sede da Máfia Azul (torcida organizada) e às sedes das empresas IMM Assessoria e Consultoria Esportiva (ligada a Itair Machado) e Status Assessoria (ligada a Sergio Nonato dos Reis).

Há mandado também para busca e apreensão nas residências do mandatário Wagner Pires de Sá, do vice de futebol Itair Machado, do diretor-geral Sergio Nonato dos Reis, dos agentes Carlinhos Sabiá e Ângelo Pimentel e do empresário Cristiano Richard, responsável por emprestar R$ 2 milhões aos mineiros em março do ano passado. O Cruzeiro é investigado pela Polícia Civil de Minas Gerais por supostas transações irregulares, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro. O inquérito teve início em maio de 2019, logo após a publicação de uma reportagem pelo Fantástico.

A frase do dia

“Moro é um herói com pé de barro, em processo de desmoronamento. Ele condena um político, depois sai da magistratura para ser ministro do político que ganhou a eleição, porque o outro não participou. Isso faz do Brasil uma República de bananas. Sergio Moro é um canalha, não é nada mais, nada menos do que isso. E um dia as pessoas vão ver”.

Ciro Gomes

Festival faz surgir supergrupo com músicos do Guns, Pearl Jam, Red Hot e Foo Fighters

O guitarrista Mike McCready, do Pearl Jam, promoveu um festival de música chamado “Peak To Sky”, no último fim de semana, em Big Sky, Montana, Estados Unidos. Entre diversas atrações, o evento contou com uma animada super jam reunindo astros de algumas bandas conhecidas.

Mike McCready reuniu, no palco, os músicos Duff McKagan (baixista do Guns N’ Roses), Chad Smith e Josh Klinghoffer (respectivamente baterista e guitarrista do Red Hot Chili Peppers), Taylor Hawkins (baterista do Foo Fighters) e Brandi Carlile.

O supergrupo apresentou versões inspiradas para clássicos do rock, como “Moby Dick”, “Good Times, Bad Times” e “Dazed And Confused” (todas do Led Zeppelin), “Sweet Emotion” (Aerosmith), “Purple Rain” (Prince), “Under Pressure” (Queen e Bowie), entre outros.

O goleador ainda não chegou

marcao-3

POR GERSON NOGUEIRA

Desde que o ataque parou de funcionar, o Remo mergulho numa fase negativa na Série C. Sem os gols, o time sofre para obter empates e não consegue reverter a situação quando o placar é desfavorável. Foi assim contra S. José e PSC, as duas derrotas azulinas na competição, marcadas pela incapacidade de mudar a cara do jogo diante do mau resultado.

O curioso é que o sistema de jogo desenvolvido pelo Remo exigia a presença de um atacante de referência na área. O jogador foi contratado, mas a carência persiste, o goleador ainda não chegou. Marcão Assis veio para assumir a camisa 9. Não entrou de cara contra PSC e Boa Esporte, mas foi lançado contra o Juventude.

Para quem esperava uma nova atitude por parte do setor ofensivo, o cenário mostrou-se ainda mais frustrante. Ao longo da partida, apesar da insistência em fazer a bola chegar até a área, o Remo não conseguiu produzir jogadas que se enquadrassem no estilo do centroavante.

Marcão não é um centroavante-raiz, do tipo que briga fisicamente com as defesas inimigas. Alto e magro, adapta-se mais ao jogo rápido de infiltrações e passes dentro da área. Talvez venha a se sentir à vontade no esquema que Márcio Fernandes utiliza, mas, para isso, o Remo precisará utilizar jogadores que saibam integrar Marcão ao jogo na área.

Carlos Alberto e Guilherme Garré têm estilos que contemplam esse perfil. São habilidosos, rápidos e sabem fazer o chamado facão, cortando caminho em direção à área. Carlos Alberto era quem mais podia ter ajudado Marcão no jogo de sábado, mas foi substituído (por Emerson) no intervalo, em nome de uma presença mais robusta na linha ofensiva.

Ao acrescentar força ao ataque, o técnico tirou a opção da leveza e das jogadas de habilidade, que poderiam favorecer Marcão. Por ora, sua presença pouco acrescentou ao time. Se as jogadas não fluírem, dificilmente ele será o goleador esperado pela torcida.

—————————————————————————————

Papão faz opção preferencial pelo Mangueirão

No Bola na Torre de domingo, Guilherme Guerreiro informou que o PSC decidiu que a partir do jogo com o Volta Redonda, no dia 22 deste mês, voltará a mandar suas partidas no estádio Jornalista Edgar Proença. Razões de natureza técnica e anímica levaram a essa decisão.

Os jogos na Curuzu não têm cumprido a finalidade de atrair mais público e ainda geram ocorrências lesivas ao clube quando os resultados são desfavoráveis, com a torcida atirando objetos e protestando agressivamente.

No aspecto técnico, a mais recente atuação do time no Mangueirão resultou em empate diante do Luverdense, significando que em qualquer campo a qualidade do futebol é que poderá fazer a diferença.

—————————————————————————————

Uma guerreira de verdade jamais se curva

A simpatia que jogadores de futebol costumam demonstrar por autoridades e chefes de governo é um dos aspectos mais reveladores do baixo nível de politização, educação e consciência do universo boleiro masculino. Não é só no Brasil. Verifica-se a constrangedora ocorrência de salamaleques e babação de ovo em quase todos os países. Sócrates e Cantona são exceções que confirmam a regra. Só isso já serviria para colocar em evidência um saudável exemplo que vem da América – e do futebol feminino.

No Mundial encerrado no domingo, em Lyon, na França, a campeã e melhor jogador do torneio, Megan Rapinoe, ergueu a taça, vibrou muito com a torcida e as companheiras. Nenhuma palavra ou gesto de simpatia ou subserviência em relação ao poder político, ao chamado stablishment. Megan, aliás, avisou que não iria à Casa Branca em caso de triunfo.

Sempre focada na defesa de causas sociais, comportamentais e das minorias, Megan não canta o hino americano antes dos jogos. Não é raivinha besta. Faz isso para não misturar as estações e por se considerar uma militante em tempo integral. Homossexual assumida, seu discurso é pelos despossuídos e pelos que não têm posição política dominante. No Brasil de hoje seria execrada pelos bárbaros.

Já chamou Donald Trump de sexista, burro, misógino e racista. Foi censurada por ele, que resolveu misturar alhos com bugalhos, alegando que ela desrespeitava a pátria americana. Megan se manteve firme. Ao ganhar o tetra mundial, deixou claro que não se curvaria às diatribes do presidente. “Ele representa o oposto de tudo o que eu penso”, disse.

Palavras corajosas que o mundo masculino do futebol ainda não consegue pronunciar quando a situação exige. Antes da entrega das premiações aos campeões na França pelo presidente da Fifa, Gianni Infantino, a torcida começou a cantar “equal pay” (salários iguais), espécie de mantra repetido por Megan nos últimos anos, criticando a defasagem de ganhos entre homens e mulheres no futebol americano.

Na Copa, a reivindicação se estendeu à diferença de premiação às seleções – R$ 400 milhões na Copa masculina e R$ 30 milhões na feminina. Pedra no sapato dos poderes que controlam o futebol, Megan terá seu papel devidamente reconhecido quando as mudanças se confirmarem daqui a algum tempo.

Que mulher!

(Coluna publicada no Bola desta terça-feira, 09)