Trivial variado daquele que já é o pior governo da história de Pindorama

“Posso falar que exatamente como disse hoje, a Globo foi para a Força Tarefa da Lava Jato aliada, amiga, parceira, sócia. Assim como a Força Tarefa da Lava Jato foi o mesmo para a Globo”. Glenn Greenwald

D8ySvWhWwAYe36M

“Tradução do arrazoado da TV Globo: vazamento só é legítimo quando é pra gente”. Lula Falcão

“Moro recebe de Bolsonaro a Medalha do Mérito Naval por sua inestimável contribuição ao naufrágio do Brasil”. Palmério Dória

“Estive no supermercado e tudo que consumo de uma semana para outra está mais caro. Se isto é perceptível para quem tem uma renda de razoável pra bom imagino para a maioria do povo brasileiro que ganha até três salários mínimos. A vida piorou e a solução não virá deste governo”. Ricardo Pereira

“A verdade fica doente, mas não morre nunca”. Lula, preso político

“Willian Bonner chamou Sergio Moro hoje de ‘ex-ministro’. Moro vai se transformando no náufrago de García Márquez, que foi ‘proclamado herói nacional, beijado por rainhas de beleza, feito rico com a publicidade’, mas acabou ‘rejeitado e esquecido para sempre’”. Guilherme Boulos

“Ver reações de xenofobia e homofobia por parte do público é triste, mas, vá lá, compreensível. Há muita ignorância. Porém, colegas (por assim dizer) indignados com o trabalho de jorram inveja, frustração, inoperância. Em Português claro: dor de cotovelo do cacete!”. Antero Greco

Terceiro presidente do sindicato de Rio Maria é assassinado em 34 anos

48046506473_04d7905270_z

Por Igor Carvalho, no Brasil de Fato

Na tarde desta terça-feira (11), Carlos Cabral Pereira, presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais (STR) de Rio Maria, na região sudeste do Pará, foi assassinado. De acordo com testemunhas, dois homens em uma moto preta teriam disparado contra o ativista. Fontes da Comissão Pastoral da Terra (CPT) confirmaram o homicídio.

Cabral foi atingido por quatro tiros, dois desses na cabeça e morreu a caminho do hospital municipal de Rio Maria. O ativista já havia sido alvo de um atentado, em 1991, quando também foi baleado em uma emboscada.

Histórico de mortes

Em 18 de dezembro de 1985, o trabalhador rural e militante do Partido Comunista do Brasil (PCdoB) João Canuto, foi brutalmente assassinado com 12 tiros. Dois fazendeiros da região foram julgados e condenados pelo homicídio: Adilson Carvalho Laranjeira, prefeito de Rio Maria na época, e Vantuir Gonçalves.

Quase seis anos depois, em fevereiro de 1991, o sucessor de João Canuto na presidência do STR, Expedito Ribeiro de Souza, também foi assassinado. O mandante foi o fazendeiro Jerônimo Alves do Amorim, condenado a 19 anos de prisão.

Todos os homicídios aconteceram na cidade de Rio Maria, que passou a ser informalmente tratada como “a terra da morte anunciada”.

Presidente do Papão vai fazer reunião com ex-gestores do clube

b9aabc85ee7be829c1431abf249ac6e8

Em meio a incertezas geradas pela campanha irregular na Série C, a diretoria do Paissandu se mobiliza para tentar mudar a situação. Em reunião do Condel do clube, na segunda-feira à noite, o presidente Ricardo Gluck Paul aproveitou para esclarecer alguns pontos do atual momento e afastar rumores sobre crise interna. 

Além disso, Ricardo fez uma espécie de prestação de contas aos conselheiros. “Primeiro é importante entender que a reunião de ontem [segunda-feira] era ordinária, que envolvia, na verdade, a aprovação de contas do ano passado, que são do Tony [Couceiro, último presidente]. E como eu sabia que os Conselheiros estavam querendo informações sobre o futebol, eu resolvi, espontaneamente, comparecer à reunião. E pedi a palavra para falar sobre futebol. Foi a oportunidade de esclarecer essa nova reformulação do plantel que estamos promovendo, a própria contratação solicitada pelo técnico, a situação financeira etc”, explicou. 

“Lá mesmo recebíamos os fake (news) que estavam sendo produzidos: que meu carro havia sido baleado e que o Conselho havia solicitado a minha renúncia. Não teve nada disto. Isso [renúncia] não é um assunto da gestão, até porque todos estão cientes do momento delicado. Essa é a primeira vez que um presidente, após o período do Luiz Omar, inicia uma gestão na terceira divisão, ou sejam em um cenário muito complicado de receita, de atmosfera, porque o torcedor está machucado e fica desconfiado”, disse Ricardo, comentando a boataria que circulou na noite de segunda-feira.

Afirmou que irá convocar alguns ex-presidentes para uma reunião, buscando apoio político para iniciar uma recuperação do futebol do clube. 

Havia uns boatos de que eu haveria, em algum momento, recusado algum tipo de ajuda. Isso ficou forte nas redes socais. ‘Ah, não aceita ajuda do Roger [Aguilera], do [Alberto] Maia, do Vandick’. Muito pelo contrário! O Roger tem sido um parceiro comercial, indicou duas empresas de patrocínio e indicou jogadores. Já falei com o Vandick e com o Maia também. Mas me comprometi com o Condel a marcar com todos esses ex-presidentes, do Luiz Omar até aqui, uma reunião que deve acontecer no máximo até a semana que vem, para que a gente possa efetivamente discutir a situação do clube e ver de que forma a gente pode se unir. Agora não é mais momento de falar de ‘Novos Rumos’, de falar de pretensão política, o que a gente precisa é falar de Paysandu”, resumiu.

DÍVIDA ANTIGA

O presidente confirmou também uma dívida antiga do clube com uma empresa fornecedora de material para a marca Lobo. “O Paysandu possui vários fornecedores, a marca Lobo tem vários fornecedores. Um desses é a Bomache, com quem temos uma dívida histórica, que não é desse ano e nem do ano passado. Ela vem se acumulando na verdade. Fizemos uma negociação lá atrás, passou por uma nova negociação e estamos buscando a melhor solução para resolver”.

Sempre preocupado em não dar falsas esperanças e buscando ser transparente, ele admitiu que a situação financeira é difícil, mas administrável. “Tenho colocado com muita transparência, pois não estou aqui para iludir ninguém. A situação financeira do Paysandu é muito complicada, mas é administrável. Então precisamos, sim, realizar negociações, principalmente nesse momento em que perdemos R$ 9 milhões de um ano para o outro”, disse, referindo-se à perda da verba de patrocínio e direitos de transmissão que a Série B pagava até o ano passado. (Com informações da Rádio Clube,  Bola e Globo Esporte)

Americanas disparam a maior goleada da história das Copas

alex-morgan-abre-o-placar-para-os-estados-unidos-contra-a-tailandia-na-copa-do-mundo-feminina-1560281334779_v2_900x506

A seleção dos Estados Unidos estreou nesta terça-feira (11) na Copa do Mundo feminina contra a Tailândia e não teve dificuldades para conquistar sua primeira vitória. Maior vencedora da competição, com três títulos, a equipe comandada por Jill Ellis dominou a partida e venceu por 13 a 0, resultado que representa a maior goleada da história do torneio. As norte-americanas não demoraram para confirmar seu favoritismo e abriram o placar aos quatro minutos. Alex Morgan recebeu passe de cabeça dentro da área e apenas empurrou para o fundo da rede. Contudo, o gol foi anulado após ser constatado com auxílio do VAR que a atacante do Lyon estava em posição de impedimento.

Mas não demorou até que Morgan deixasse sua marca: a atacante recebeu cruzamento da direita e, de cabeça, desviou para fazer o gol. Menos de dez minutos depois, os Estados Unidos voltaram a marcar com Lavelle em belo chute da entrada da área após assistência de Morgan. Aos 31 minutos, a partida começou a ganhar ares de goleada: após tentativa de jogada ensaiada em cobrança de falta, a bola a sobrou para Horan dentro da área só fuzilar o gol defendido por Charoenying para fazer 3 a 0.

A primeira etapa terminou com um verdadeiro massacre das norte-americanas. Foram 11 chutes a gol contra apenas um das tailandesas, sendo que os EUA tiveram 73% da posse de bola. No retorno do intervalo, os Estados Unidos precisaram de apenas quatro minutos para fazer o quarto gol. Mewis arriscou chute de fora da área e contou com desvio da defesa para fazer 4 a 0. Morgan, após cobrança de falta, marcou o quinto, e Mewis fez o sexto, transformando a goleada em massacre.

As tailandesas não conseguiam segurar o ímpeto ofensivo dos Estados Unidos, que logo fizeram o sétimo gol com Lavelle. Morgan recebeu a bola dentro da área, limpou a marcação com facilidade e bateu para fazer o oitavo gol dos Estados Unidos. Vale destacar que nem a atleta, nem a torcida chegaram a comemorar de forma muito entusiasmada.

Em rápido contra-ataque, os Estados Unidos chegaram ao nono gol com a veterana Rapinoe. Aproveitando a facilidade em campo, Morgan fez mais um com um belo chute de perna esquerda e chegou a quatro gols, que lhe colocam temporariamente no topo da artilharia da competição, superando a brasileira Cristiane, que fez três gols.

A goleada, que já representava a maior dos Estados Unidos no torneio, se tornou histórica: Pugh driblou a goleira após receber passe em profundidade e fez 11 a 0. Morgan ainda fez seu quinto gol na partida ao chutar forte de fora da área. Com isso, os Estados Unidos assumiram o posto de maior goleada da Copa do Mundo, superando a vitória da Alemanha sobre a Argentina em 2007. Lloyd, que entrou no segundo tempo, tocou com calma no canto esquerdo para fazer 13 a 0 e decretar o fim do massacre norte-americano.

Na próxima rodada, os Estados Unidos enfrentam o Chile, no domingo (16), às 13h. Já a Tailândia volta a entrar em campo contra a Suécia, no mesmo dia, às 10h.

Te cuida, Brasil…

Noblat especula que jornal pode soltar junto com Intercept as próximas matérias da Vaza Jato

moro-3-600x400

O jornalista Ricardo Noblat, em seu blog na revista Veja, divulgou, nesta terça-feira (11), que as próximas denúncias sobre a Vaza Jato poderão ser veiculadas ao público pelo site The Intercept em conjunto com um grande jornal da mídia brasileira.

“É possível que o próximo pacote de mensagens trocadas por Moro com procuradores da República venha a ser revelado em conjunto pelo site The Intercept e um grande jornal brasileiro”, tuitou Noblat.

O jornalista aproveitou para criticar a postura silenciosa de Jair Bolsonaro, diante do escândalo que envolve um importante membro do primeiro escalão de seu governo.

“Bolsonaro mandou dizer que Moro tem seu apoio irrestrito. Então por que se recusa a dizer isso diretamente à imprensa? Por que se recusa a responder a perguntas a respeito? Tem medo do quê?”, questionou o jornalista, também via Twitter.

Depois de Hazard, Real Madri vai em busca de Pogba

paul-pogba-em-acao-pelo-manchester-united-1537745870269_v2_900x506

O Real Madrid já anunciou a contratação dos atacantes Luka Jovic e Eden Hazard e está próximo de um acerto com o lateral-esquerdo Ferland Mendy. Porém, o técnico Zinedine Zidane ainda não estaria satisfeito e, de acordo com o jornal espanhol Marca, tem como maior desejo para a próxima temporada a contratação do meio-campista Paul Pogba.

A publicação afirma que Zidane comunicou à diretoria merengue que não quer a contratação de Christian Eriksen, meia do Tottenham, e nem de Van de Beek, revelação do Ajax, que teve muito destaque na campanha da equipe holandesa na Liga dos Campeões.

Fórum Nacional denuncia ataques a Intercept e reforça direito ao sigilo da fonte

Do portal Vermelho:

Em nota, o Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC), que reúne diversas entidades, diz que o site The Intercept Brasil, que revelou no último domingo (9) diálogos comprometedores entre o então juiz Sergio Moro (ministro da Justiça) e o procurador Deltan Dallagnol, vem sofrendo ataques e pressões para que divulgue quem é a fonte dos materiais recebidos.

O Fórum defendeu o legítimo direito de a fonte ser mantida em sigilo. “Direito este previsto no Artigo 5º da Constituição Federal: inciso XIV: e assegurado a todos o acesso à informação e resguardado o sigilo da fonte, quando necessário ao exercício profissional”, diz a nota.

Confira a íntegra da nota:

Em defesa da liberdade de imprensa e do sigilo da fonte

Após publicar uma série de reportagens que trouxe à tona o que provavelmente seja o maior escândalo jurídico-político da história do país, o site The Intercept Brasil vem sofrendo ataques oriundos de setores defensores da Operação Lava Jato. Alguns já saíram a público para pedir a prisão e a cassação do passaporte do jornalista Gleen Greenwald, diretor do veículo. Há pressões para que o The Intercept divulgue quem é a fonte dos materiais recebidos.

Infelizmente, essas atitudes não são novidade. Reportagens que incomodam e ameaçam poderosos sempre despertam o instinto censor por parte destes setores, que agora fazem ameaças e vão tentar calar o The Intercept e os seus jornalistas.

Os apoiadores da Lava Jato também tentam desclassificar as informações sob o argumento de que os conteúdos foram obtidos por hackers e omitem a possibilidade, talvez até mais provável, de que a fonte das informações possa ser alguém de dentro do sistema de Justiça, do próprio Ministério Público, e que resolveu tornar públicas as violações ao devido processo legal que marcaram toda a Operação Lava Jato.

Viva o grande jornalismo!

“Não posso exagerar o quão corajosa, talentosa e inspiradora é a nossa equipe de jornalistas, editores e funcionários brasileiros (principalmente jovens) no . Eles reportaram esse material sem medo e com extremo profissionalismo. Eles merecem crédito enorme. Orgulho”.

Glenn Greenwald, diretor do The Intercept_Brasil