Em entrevista ao SBT, mulher confirma acusação contra Neymar

neymar-1-e1559777839171

A mulher que acusa Neymar de estupro concedeu sua primeira entrevista depois do episódio. Ela falou ao repórter Roberto Cabrini, do SBT, nesta quarta-feira (5). A mulher confirmou a versão de que foi agredida e sofreu violência sexual. “Fui vítima de estupro”, declarou.

Ainda de acordo com ela, o jogador pagou pelas despesas de sua viagem e hospedagem para Paris. Conformou que ficou claro que ela tinha interesse em manter relações sexuais com o atacante.

“A gente conversou, eu conversei com ele como uma pessoa comum. Eu queria, era com intuito sexual, era um desejo meu. Acho que ficou até claro pra ele isso. Ele perguntou quando eu poderia ir e eu disse: ‘no momento eu não posso, por questões financeiras’. Também por questão da minha agenda, meu trabalho, enfim. Daí ele sugeriu: ‘eu posso resolver isso’”, declarou.

A mulher disse que Neymar não tinha razão de fazer o que fez, pois ela estava lá e tinha o desejo de se relacionar com o jogador. “Quero justiça, pois não precisava me expor desse jeito”.

Vaza imagem de suposta agressão de Neymar a mulher que o acusa de estupro

capturar-5-e1559774236209 (1)

Uma nova imagem do caso Neymar apareceu. A TV Record obteve com exclusividade um print de um novo vídeo e mostrou uma pessoa com as duas pernas para cima, com os pés bem próximos do rosto de uma mulher.  Uma nova imagem do caso Neymar apareceu. A TV Record obteve com exclusividade um print de um novo vídeo e mostrou uma pessoa com as duas pernas para cima, com os pés bem próximos do rosto de uma mulher.

Indicado para a Secretaria de Audiovisual é afastado antes da nomeação

Por Mônica Bergamo, na Folha de SP

O apresentador e produtor Edilásio Barra não será mais o secretário do Audiovisual do governo de Jair Bolsonaro. A informação foi confirmada pela assessoria do ministro da Cidadania, Osmar Terra. “Se for a mando de Deus, recebo com o maior respeito essa decisão”, diz Barra à coluna. “Meu nome está à disposição do Ministério da Cidadania. Não tenho pretensão [de cargos]. Se puder ajudar o governo a desenvolver a cultura no nosso país, estou aberto a colaborar com a minha expertise de 40 anos nessa atividade”, completa ele.

Em sua página do Facebook, que agora está desativada, Barra dizia ter passado pela Rede Globo, Rede TV!, Bandeirantes, CNT e Record. Também listava que apresentou e dirigiu o Programa VIP, “mostrando o lado positivo da sociedade carioca, além dos bastidores do mundo artístico, político e empresarial do eixo Rio–São Paulo”.

O nome de Barra para assumir a secretária tinha pegado o setor de surpresa. À coluna, o deputado Alexandre Frota (PSL-SP) disse que essa mudança seria uma “catástrofe para o setor”. Em sua conta do Instagram, Barra compartilha publicações em apoio ao governo de Bolsonaro, cliques ao lado do presidente e ministros e mensagens de cunho religioso.

Em uma delas, que já foi apagada, ele afirmava que “Jean Wyllys e [a ex-deputada] Manuela D’Ávila são os principais mandantes no crime contra Bolsonaro”, referindo-se à facada em Bolsonaro durante a campanha eleitoral de 2018.

O ex-deputado disse que irá processá-lo por essa publicação. “Ele espalhou deliberadamente uma fake news contra duas pessoas públicas, uma mentira abjeta que colocou nossas vidas em risco. Sob suas mãos, o audiovisual vai se transformar numa fábrica de mentiras para destruir vidas alheias”, disse Wyllys.

Segundo o ex-deputado, ele e Manuela irão processar Barra conjuntamente, assim como os partidos, PSOL e PCdoB, irão tomar providências.

Joubert recebe homenagem especial do Leão

claudiojorge_joubertmeira_fabiobentes

Além de placa de agradecimento pelos serviços prestados ao clube, o ex-técnico azulino Joubert Meira foi homenageado pela Diretoria na última segunda-feira (3) com uma camisa personalizada do Remo. O próprio presidente Fábio Bentes fez a entrega a Joubert momentos antes do jogo entre Tombense x Remo.

Emocionado, o treinador fez questão de agradecer pela lembrança e disse que era uma noite especial, pela oportunidade de assistir o Remo jogar na cidade onde mora e também pelo reconhecimento.

Às vésperas de fazer 84 anos (completa no próximo dia 14/06), Joubert foi um dos mais vitoriosos técnicos da história do Remo. Comandou o time de 1976 a 1978, justamente um dos períodos mais gloriosos do Leão. Comandou jogadores como Dico, Edson Cimento, Luizinho, Aderson, Cuca, Mego, Dutra, Marajó, Rui Azevedo, China, Luis Florêncio, Mesquita, Luís Augusto, Leônidas, Bira, Mareco, Amaral, Humberto, Júlio César e Wilfredo, dentre outros.

Apoio de Bolsonaro a Neymar fere ética do cargo

ffraz_abr_06051915104rj-600x400

Especialistas em direito penal e constitucional viram a fala do presidente Jair Bolsonaro em manifestação de apoio a Neymar hoje como uma declaração que fere os direitos das mulheres, a ética do cargo e ‘infeliz’. O presidente da República declarou em entrevista coletiva que “acredita em Neymar” no caso da acusação de estupro contra o jogador, a qual corre me segredo de justiça. “Espero dar um abraço no Neymar antes do jogo. É um garoto. Está num momento difícil, mas eu acredito nele”, afirmou Bolsonaro, que ainda se dirigiu ao jornalista que fez a pergunta sobre o caso.

“Você está julgando o Neymar. A Folha de S. Paulo já está julgando o Neymar como sempre me julgou nesse tempo todo. A mulher atravessa o continente, um monte de coisa acontece e ela chega no Brasil e quer… Hoje à noite, estamos juntos para fazer dois gols lá no Mané Garrincha”, disse. Neymar é investigado por estupro depois de uma modelo denunciar o jogador na última semana. Ela fez um boletim de ocorrência, no qual afirma que Neymar a estuprou durante encontro em Paris, em maio.

O atleta se defendeu afirmando que a relação sexual foi consensual. O caso é apurado pela Polícia Civil de São Paulo. O UOL ouviu juristas sobre a afirmação de Bolsonaro. No que diz respeito ao direito constitucional, os especialistas condenaram que o chefe do Executivo emita opinião sobre um inquérito policial que ainda não foi concluído.

“A afirmação feriu a ética a partir do momento que ele detém a mais alta função pública do país. Fere a ética do cargo, mas, fazendo uma análise técnica, não vai ser levado às consequências, que seria um impeachment por ferir o decoro. Se fosse levar rigorosamente a questão, poderíamos dizer que ele feriu o decoro, conforme consta na Constituição, lei 1079, a lei do impeachment. É uma afirmação leviana. Ele não pensa no que fala, é um comentário infeliz, ele fez esse comentário como pessoa, como qualquer um de nós. Um presidente não pode sair fazendo esse tipo de afirmação”, comentou Vera Chemim, advogada constitucionalista, mestre em direito público administrativo.

O item 7 da lei do impeachment diz que é crime contra a probidade da administração “proceder de modo incompatível com a dignidade, a honra e o decoro do cargo”.

Mônica Sapucaia Machado, doutora em direito Político e Econômico, ressalta que esse tipo de manifestação pública de um presidente da República é contrário ao que a Constituição garante em relação à violência contra mulheres.

“O Estado brasileiro rechaça a violência contra as mulheres. Esse é o problema do posicionamento. É diferente de dizer se o Neymar joga ou não bem. O posicionamento é contrário ao que a Constituição garante, não reforça o compromisso do Estado com relação à violência e é o papel dele reforçar. O ideal seria que não falasse nada. Que falasse que isso será tratado nos órgãos competentes ou se for falar, que espera um processo justo e eficiente e que o Brasil se compromete a garantir a segurança das mulheres brasileiras. Foi mais uma declaração infeliz, que reforça um posicionamento do atual governo de que não é prioridade o combate a violência contra mulher. Assim você autoriza os comentários machistas”, afirmou.

Na esfera criminal, Jair Bolsonaro se manifestou sobre um inquérito policial que ainda não foi concluído e corre em segredo de justiça. Iara Matos, advogada especializada em violência de gênero e criminal, explicou que o melhor seria não comentar sobre um assunto tão delicado. “Ele não teria que se manifestar, nem abraçar o Neymar antes do final do inquérito policial. Ninguém pode falar que o Neymar e culpado ou inocente. Só quem pode determinar é a delegada depois da investigação. O presidente vai na linha das pessoas que falam que ela deu bola e chega na hora ‘H’ não quer. Mas o homem consuma. O presidente está (seguindo) a lei que o homem podia matar em defesa da honra. Ele tem a cabeça de 50 anos atrás”, opinou. (Do UOL)

A juízes pan-americanos, Papa se diz preocupado com a intervenção do judiciário na política

lula-papa-600x293

No encerramento da Cúpula Pan-americana de Juízes sobre Direitos Sociais e Doutrina Franciscana, na terça-feira (4), o Papa Francisco disse estar preocupado com o uso indevido de procedimentos legais e tipificações judiciais que afetam no cenário político. Francisco também disse que não se pode naturalizar a desigualdade social.

Reunida entre os dias 3 e 4 de junho, a conferência organizada pelo Vaticano contou com a presença de 50 países das “três Américas”. Ao encerrar a cúpula, Francisco destacou o papel dos magistrados na construção de uma ordem mais justa, destacando que “não há democracia com a fome, nem desenvolvimento com a pobreza, nem justiça com desigualdade”, mas criticou o chamado lawfare (no português, guerra jurídica).

“Me preocupa uma nova forma de intervenção exógena nos cenários políticos dos países, através do uso indevido de procedimentos legais e tipificações judiciais. Além de colocar em sério risco a democracia, geralmente é utilizada para minar processos políticos emergentes e se inclinar para a violação sistemática dos direitos sociais”, afirmou.

O pontífice defendeu que é fundamental a detecção e neutralização dessas práticas. “Para garantir a qualidade institucional dos Estados, é fundamental detectar e neutralizar esse tipo de prática que resulta da atividade judicial imprópia em combinação com operações multimidiáticas paralelas”, disse.